Archive for the ‘Paulista 2013’ Category

Nunca Antes Na História do Maior Clube do Brasil

27/11/2013

JJUm presidente perdeu tanto em torneios mata-mata:

01)   2006 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
02)   2007 – Eliminado do Paulista (São Caetano)
03)   2007 – Eliminado Copa Sul-Americana (Milionários-COL)
04)   2007 – Eliminado da Libertadores (Grêmio-RS)
05)   2008 – Eliminado do Paulista (Palmeiras)
06)   2008 – Eliminado da Libertadores (Fluminense)
07)   2009 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
08)   2009 – Eliminado da Libertadores (Cruzeiro)
09)   2010 – Eliminado do Paulista (Santos)
10)   2010 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
11)   2011 – Eliminado do Paulista (Santos)
12)   2011 – Eliminado da Copa do Brasil (Avaí-SC)
13)   2011 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Libertad-PAR)
14)   2012 – Eliminado do Paulista (Santos)
15)   2012 – Eliminado da Copa do Brasil (Coritiba)
16)   2013 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
17)   2013 – Eliminado da Libertadores (Atlético-MG)
18)   2013 – Vice da recopa Sul-Americana (Corinthians)
19)   2013 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Ponte Preta)
 
Via Roberto Dias 1935
 
***(*) ******(*)

Feliz Dia do Amigo

20/07/2013

Feliz dia do amigo

***(*) ******(*)

Leitura Obrigatória

11/07/2013

Pra quem quer entender o porquê estamos aqui, quase no fundo do poço.

A Crise, Tintin por Tintin!

Um breve diagnóstico

***(*) ******(*)

Juvenal Abre o Jogo: Jogadores Que Não Rendem, Inveja da Base Sãopaulina e Arapuca Mineira

09/05/2013

***(*) ******(*)

Atlético Mineiro 4×1 São Paulo

09/05/2013

O São Paulo está fora da Libertadores da América 2013. Na noite desta quarta-feira (8), o Tricolor perdeu para o Atlético-MG, no Independência, por 4 a 1, e se despediu da competição continental. Os gols do anfitrião foram marcados pelos atacantes Jô (3) e Diego Tardelli. Luis Fabiano descontou.

Com a rolando, o Atlético-MG criou as melhores jogadas desde os primeiros minutos. Empurrados por sua torcida, os donos da casa pressionaram a equipe são-paulina e logo abriram o placar com Jô, aos 17. O Tricolor reagiu, chegou no ataque, mas parou no goleiro Victor e o resultado não foi mais alterado até o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, os mineiros mantiveram a mesma postura e, novamente com Jô, ampliou para 2 a 0. Aos 19 minutos, Diego Tardelli anotou o terceiro e Jô, aos 24, anotou mais um. Sentindo que a equipe não reagia, Ney Franco apostou nas entradas de Ademilson, Maicon e Silvinho, porém, mesmo após as alterações, o São Paulo não conseguiu acuar o adversário.

O Fabuloso até anotou um gol, aos 31 minutos, após rebote do goleiro Victor, mas não conseguiu impedir a derrota são-paulina. Já o atacante Silvinho, recém-contratado, entrou no decorrer do jogo e fez a sua estreia pelo clube.

Contra os mineiros, no duelo válido pelas oitavas de final da Libertadores, o Tricolor não pôde contar com o atacante Osvaldo. No clássico contra o Corinthians, o camisa 17 sofreu um trauma no quadril e não conseguiu encarar o Atlético. No lugar do jogador, Douglas foi o escolhido e formou dupla de ataque com Luis Fabiano, que retornou ao time após quatro jogos de suspensão impostos pela Conmebol.

Para ficar com a vaga, a missão da equipe são-paulina não era fácil. Após perder no Morumbi, na ida, por 2 a 1, o Tricolor precisava derrubar uma invencibilidade de 32 jogos do Atlético-MG na Arena Independência.

Com o fim da participação da equipe no torneio, o técnico Ney Franco terá tempo para trabalhar até o início da disputa do Campeonato Brasileiro, no próximo dia 26, contra a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 4 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 8 de maio de 2013, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Assistentes: Carlos Pastorino (URU) e Gabriel Popovits (URU)
Cartões amarelos: Leandro Donizete, Diego Tardelli e Ronaldinho Gaúcho (Atlético-MG); Denilson, Jadson e Maicon (São Paulo)
Cartões vermelhos: Rosinei (Atlético-MG); Carleto (São Paulo)

Gols: ATLÉTICO-MG: Jô, aos 18 do primeiro, aos 17 e aos 24 minutos do segundo tempo; Diego Tardelli, aos 19 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Luis Fabiano, aos 30 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Gilberto Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete (Josué), Ronaldinho e Tardelli (Rosinei); Bernard (Luan) e Jô Técnico: Cuca

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda (Silvinho), Rafael Toloi, Edson Silva e Carleto; Wellington, Denilson (Ademilson), Jadson (Maicon) e Ganso; Douglas e Luis Fabiano Técnico: Ney Franco

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Atlético-MG x São Paulo

Tempo para entrosar

Após revés, Ney Franco definirá programação para início do Brasileirão

Abalado, Denilson espera repetir feito de 2012

***(*) ******(*)

São Paulo 0 (3)x(4) 0 Time do Governo – A Arbitragem, Novamente.

05/05/2013

Vale perguntar. Existe adiantadinha ou adiantadona ?

Não, isso não existe. O que existe é a regra que diz que o goleiro deve estar com os “DOIS” pés em cima da linha de gol até que o cobrador da penalidade toque na bola.

O juiz mandou voltar a cobrança do Pato mas não fez o mesmo na cobrança do Luis Fabiano.

Em ambos os casos os goleiros se adiantaram.

Qual o criterio

Mas não foi apenas isto, tem mais.

Em um mesmo lance, o Romarinho pisou na perna e nas costas do Wellington quando este estava caído no chão. Lance pra vermelho direto, ficou no amarelo.

Romarinho pisa na perna de Wellington e nas suas costas

O Sheik intencionalmente acertou o rosto do Wellington aos 29′ do segundo-tempo e ainda deu uma entrada criminosa – por cima da bola – no Paulo Miranda três minutos depois aos 32′. Para o juiz ele mereceu apenas um amarelo referente ao primeiro lance e depois decidiu não expulsar pela entrada no lateral Tricolor, que foi muito mais violenta.

Emerson acerta rosto Wellington e da entrada forte em Paulo Miranda

Assista.

Tem dúvidas que isto é perseguição de bastidores por conta do caso Madonnão de 2008 ? Há quem diga que não.

Mas a própria diretoria admite que teme arbitragens como foi revelado aqui.

O que me deixa curioso é saber que o erro sempre nos prejudica, enquanto sempre ajuda o outro.

Sempre o mesmo, mesmo quando não é contra o São Paulo.

Até quando ?

***(*) ******(*)

Atualizado 06.05 às 11h55Assista aqui o impedimento inexistente marcado no Luis Fabiano que estava em posição legal e ainda a entrada desleal do Emerson no Denilson aos 42′ do primeiro-tempo. 

São Paulo 0 (3)x(4) 0 Time do Governo

05/05/2013

Nos pênaltis, o São Paulo acabou eliminado pelo Corinthians na semifinal do Campeonato Paulista. Após empate sem gols durante o tempo regulamentar, o rival levou a melhor nas cobranças de pênalti e venceu por 4 a 3.

Durante os 90 minutos, a equipe são-paulina pressionou o adversário e procurou o gol desde os primeiros minutos. Porém, encontrou um rival disposto a levar o duelo para as penalidades. Dessa forma, as redes não balançaram e o duelo ficou no 0 a 0.

DONO DO JOGO

Com Luis Fabiano na referência do ataque, o São Paulo criou as melhores jogadas e acuou o Corinthians no campo de defesa. Pressionado, o rival pouco atacou no primeiro tempo e o goleiro Rogério Ceni quase não trabalhou.

Melhor durante toda a primeira etapa, o Tricolor sofreu uma baixa logo aos 11 minutos de jogo. Lesionado, após um choque acidental com a defesa adversária, o atacante Osvaldo deixou o gramado do Morumbi e deu lugar ao lateral-direito Douglas, que completou o sistema ofensivo da equipe ao lado de Luis Fabiano.

Com a bola rolando, as principais oportunidades de gol goram do São Paulo. Aos oito minutos, o Fabuloso fintou o marcador e arriscou de fora da área. O chute saiu forte e o goleiro Cássio teve que espalmar para evitar que o zero saísse do placar.

Empurrados pela torcida, os comandados do técnico Ney Franco criaram uma oportunidade atrás da outra. Denilson, de fora da área, e novamente Luis Fabiano, após belo passe de Paulo Henrique Ganso, passaram perto de anotar o primeiro jogo do confronto. No entanto, o chute do volante passou rente a trave enquanto que o do camisa 9 parou no sistema defensivo rival.

Aos 36 minutos, Luis Fabiano até balançou as redes. Porém, a arbitragem assinalou impedimento do centroavante, que anotaria o seu 13º gol na temporada. Dessa forma, as equipes foram para o vestiário no zero a zero.

TRICOLOR X RETRANCA

Na volta para a segunda etapa, o Tricolor manteve a mesma postura do primeiro tempo. Superior, o São Paulo manteve a pressão e sufocou o Corinthians. Aos 20 minutos, Paulo Miranda aproveitou cobrança de falta Jadson e testou com perigo. Cássio se esticou todo e mandou para escanteio.

Buscando a tabela, Ganso e Jadson trocaram inúmeros passes e tentaram furar o bloqueio do Corinthians. Bem aberto pela direita, Douglas, na velocidade, também investia contra o adversário, mas esbarrava na retranca corintiana.

Apesar das tentativas da equipe são-paulina, que sofreu com as duras faltas cometidas pelos atletas do Corinthians, o placar não foi alterado durante os 90 minutos e a decisão para uma vaga na final do Campeonato Paulista foi para os pênaltis.

Nas cobranças, Rogério Ceni, Toloi e Jadson converteram, mas PH Ganso e Luis Fabiano não. Alessandro também perdeu para o rival, chutando na trave, mas os visitantes venceram por 4 a 3.

REAPRESENTAÇÃO

O Tricolor volta a treinar na próxima segunda-feira à tarde, no CT da Barra Funda, visando o confronto com o Atlético-MG. A equipe enfrenta os mineiros na quarta-feira (08), às 22h, pelo jogo decisivo das oitavas de final da Libertadores.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 (3) X (4) 0 CORINTHIANS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 5 de maio de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Antônio Rogério Batista do Prado
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Ricardo Pavanelli Lanutto
Assistentes adicionais: Vinícius Furlan e Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Público: 29.475 pessoas
Renda: R$ 973.500,00
Cartões amarelos: Rafael Toloi (São Paulo); Romarinho, Emerson, Alessandro (Corinthians)

Pênaltis: SÃO PAULO: Rogério Ceni, Rafael Toloi e Jadson converteram; Ganso e Luis Fabiano desperdiçaram
CORINTHIANS: Douglas, Romarinho, Fábio Santos e Alexandre Pato converteram; Alessandro desperdiçou

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Carleto; Wellington, Denilson, Jadson e Ganso; Osvaldo (Douglas) e Luis Fabiano Técnico: Ney Franco

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Emerson (Douglas), Romarinho e Danilo; Guerrero (Alexandre Pato) Técnico: Tite

Via Gazeta Esportiva

Gols

Relacionados

Bastidores de São Paulo x time do governo

São-paulinos prontos para nova batalha

São Paulo aguarda recuperação de Osvaldo

***(*) ******(*)

Roubar no Paulistinha ? Fala Sério Travesti…

05/05/2013

Vai tentando Travesti

***(*) ******(*)

São Paulo 1×2 Atlético Mineiro

03/05/2013

Jason FabulosoSalve Soberania !

Amigos, o jogo de ontem teve dois personagens que fizeram diferença: Lúcio e Ademilson. Até a expulsão do Lúcio – que deveria ter seu contrato rescindido nesta sexta-feira, o Tricolor mandou no jogo, mas mandou mais do que o resultado ao final do primeiro-tempo mostrava: apenas 1×1.

O São Paulo teve pelo menos quatro gols perdidos pelo projeto de matador da base Ademilson. Eu fico imaginando se o Luis Fabiano estivesse jogando, o São Paulo poderia tranquilamente ter fechado a primeira etapa com pelo menos cinco gols.

Sem exageros.

Como quem não faz, toma, repetindo o cansativo chavão e neste caso bem verdadeiro, o Tricolor levou a virada e agora precisa de outro milagre: vencer por dois gols de diferença no tal de Horto. Por quê tem esse nome ? Será que plantam alface por lá ? Bom, cada um com seus problemas.

O juiz encomendado pelo Kalil não expulsou o tal de Marcos Rocha que pisou no Carleto com os dois pés. O jogador do time mineiro deveria ter recebido cartão vermelho direto, mas ficou no amarelo. Funcionou a pressão de bastidores.

A batalha

Depois de estar quase eliminado na primeira fase do torneio e ter heroicamente conseguido sua classificação, o Tricolor tinha tudo pra vencer e bem o primeiro jogo desta fase e viajar tranquilo para a partida de volta em MG.

O São Paulo teve tal volume de jogo no primeiro-tempo que poderia muito bem ser chamado de o melhor primeiro-tempo do semestre entre as principais equipes do país. Foi uma pressão monstruosa sobre o time que a imprensinha chama de “o melhor da América do Sul”.

Mas para os comentaristas de resultado o que vale é o placar final.

O primeiro gol do jogo veio de uma jogada de Aloisio pela direita, ele chutou rasteiro e a bola deu rebote depois de bater na zaga mineira. Ganso dominou, se livrou de dois marcadores e encontrou Jadson na marca do penalti que de primeira,  tocou para o gol. 1×0 para o MAIOR CLUBE DO BRASIL.

Na jogada o Aloisio sentiu a perna e deu lugar a Ademilson que perdeu gols demais.

Ganso jogava muito e por ele passavam os melhores lances do ataque sãopaulino.

Aos 35´ Lúcio fez a lambança da noite, após entrada violenta, recebeu o segundo cartão amarelo ( já havia recebido amarelo por reclamação ) e foi expulso em seguida. O Ney Franco pra arrumar o time, teve que sacar o Ademilson e colocar Rhodolfo para acertar a zaga.

Como o covarde time do Kalil não conseguia jogar contra 11, com 10 estufou o peito e se mandou para o ataque, já que o time do Morumbi recuava.

Era 41 minutos do primeiro-tempo quando o divertido dentuço empatou em cobrança de escanteio. Cabeceou para o gol no lugar onde deveria estar o mico da zaga Tricolor: Lúcio. 1×1.

Já no segundo-tempo, com maior volume de jogo, o Atlético conseguiu a virada em jogada pela direita. Passe de Marcos Rocha para Tardelli fuzilar o gol do São Paulo. 1×2.

O São Paulo tentava sem sucesso marcar o gol de empate, mas não tinha força suficiente para isso. O Gigante sentiu o golpe.

O Rhodolfo ainda foi substituído pelo Douglas por contusão e ficou nisso.

Ficou complicado mas não impossível.

Esperança

Pelo que eu sei, é a plena “convicção” sobre algo que não existe, venha a se tornar realidade.

Nós somos o time da fé, não é esse o lema ? Então, ainda não acabou.

EU ACREDITO.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 2 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 2 de maio de 2013, quinta-feira
Horário: 20h15 (de Brasília)
Árbitro: Antonio Arias (PAR)
Assistentes: Carlos Cáceres (PAR) e Darío Gaona (PAR)
Público: 57.401 pessoas
Renda: R$ 2.971.070,00
Cartões amarelos: Lúcio (São Paulo); Marcos Rocha, Leandro Donizete, Bernard (Atlético-MG)
Cartão vermelho:Lúcio (São Paulo)

Gols: SÃO PAULO: Jadson, aos oito minutos do primeiro tempo
ATLÉTICO-MG: Ronaldinho Gaúcho, aos 41 minutos do primeiro tempo; Diego Tardelli, aos 13 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lúcio, Rafael Toloi e Carleto; Wellington, Denilson, Jadson e Ganso; Osvaldo e Aloísio (Ademilson) (Rhodolfo) (Douglas) Técnico: Ney Franco

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha; Réver, Gilberto Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete (Josué), Ronaldinho e Tardelli (Rosinei); Bernard (Luan) e Jô Técnico: Cuca

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Eu no Morumbi: São Paulo x Atlético-MG

Bastidores de São Paulo x Atlético-MG

Jadson lamenta revés: “foi uma pena, porque estávamos bem”

Ney Franco acredita na reação do Tricolor

Aloísio e Rhodolfo serão examinados nessa sexta-feira

Tricolor luta bravamente, mas é derrotado pelo Atlético-MG

***(*) ******(*)

Não Adianta Correr

30/04/2013

Não Adianta Correr

***(*) ******(*)

São Paulo 1×0 Penapolense

28/04/2013

O Tricolor está na semifinal do Campeonato Paulista. Na noite deste domingo (28), vestindo ‘vermelho, a cor da Raça’, os comandados do técnico Ney Franco bateram o Penapolense, por 1 a 0, com gol contra do zagueiro Jailton, e enfrentarão o time do governo na próxima fase.

Empurrado pelos 32 mil torcedores que compareceram ao Morumbi, o São Paulo não teve vida fácil contra a equipe do interior. Ao contrário. Bem fechados na defesa, os penapolenses venderam caro a derrota para o Tricolor, que carimbou a trave do goleiro Marcelo duas vezes antes de balançar as redes.

De volta ao time após seis jogos fora, o atacante Luis Fabiano foi a grande novidade na equipe do técnico Ney Franco. Recuperado de um trauma na panturrilha esquerda, o artilheiro do Tricolor na temporada, com 12 gols, reencontrou o Morumbi e a torcida são-paulina.

PRESSÃO TRICOLOR!

Logo aos 3 minutos de jogo, o lateral-esquerdo Carleto bateu falta com perigo e a bola tirou tinta da trave. O Tricolor continuou pressionando, principalmente com o atacante Osvaldo bem aberto pela esquerda, mas esbarrou no sistema defensivo penapolense.

Acuado, o adversário apostou nos contragolpes e em chutes de fora da área. Assim, aos 14 minutos, o goleiro Rogério Ceni apareceu bem para neutralizar a finalização de Liel. A equipe do interior paulista deixou o campo de defesa e, dessa forma, abriu espaço para o Tricolor.

Aos 23 minutos, com Luis Fabiano após bela enfiada de Ganso, e aos 24, em chute forte de Carleto, o São Paulo quase abriu o placar. Os comandados do técnico Ney Franco continuaram pressionando o rival e, aos 31, Osvaldo arriscou de fora da área e deu trabalho ao goleiro Marcelo.

Superior na partida, o Tricolor continuou no campo de ataque e buscando o primeiro gol. Aos 39 minutos, Denilson bateu firme, de perna direita, mas parou nas mãos do arqueiro adversário que também barrou o remate de Jadson pouco depois. E apesar da superioridade da equipe são-paulina, o primeiro tempo terminou sem gols.

DUELO MOVIMENTADO

Na volta para o segundo tempo, São Paulo e Penapolense se empenharam para tirar o zero do marcador. Antes mesmo que o cronômetro pudesse anotar 10 minutos, Rogério Ceni fez três boas defesas e impediu que o adversário balançasse as redes. A mudança de postura do rival, que apenas se defendeu na primeira etapa, fez com que o técnico Ney Franco mexesse na equipe. Pendurado com um cartão amarelo, Wellington deixou o gramado e deu lugar lugar ao lateral Douglas.

A alteração deu certo e o Tricolor reagiu. Aos 11, Osvaldo bateu colocado e levou perigo. No minuto seguinte, Luis Fabiano testou firme e carimbou a trave do goleiro Marcelo. Bem distribuída em campo, a equipe são-paulina partiu para cima do Penapolense e tratou de garantir a classificação.

Aos 22 minutos, Luis Fabiano acertou o travessão, a bola quicou na linha e não entrou. O lance contagiou a torcida, que empurrou o time e pôde finalmente soltar o grito de gol da garganta. Pela esquerda, aos 27, Osvaldo fez linda jogada pela esquerda e bateu cruzado. O zagueiro Jailton tentou cortar e cabeceou contra o próprio patrimônio.

Daí em diante, o São Paulo,  continuou acuando o rival, mas teve tempo de ver o M1TO fazer uma defesa memorável, aos 43 minutos. Após rápida tabela do ataque penapolense, Sérgio Mota pegou de primeira dentro da área. Esbanjando reflexo e categoria, Ceni espalmou para escanteio, fez a festa da torcida tricolor e garantiu a suada classificação são-paulina.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 PENAPOLENSE

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 28 de abril de 2013 (domingo)
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Paulo de Souza Amaral
Assistentes adicionais: Welton Orlando Wohnrath e Marcelo Rogério
Cartões amarelos: Wellington, Osvaldo, Rafael Toloi, Denilson (São Paulo); Jaílton, Fernando, Niander, Gualberto (Penapolense)

Gol: SÃO PAULO: Jaílton (contra)

Público: 32.995 pessoas
Renda: R$ 686.085,00

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda (Rodrigo Caio), Lúcio, Rafael Toloi e Carleto; Wellington (Douglas), Denilson, Jadson (João Schmidt) e Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano Técnico: Ney Franco

PENAPOLENSE: Marcelo; Niander, Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Liel, Heleno (Eric), Fernando (Sérgio Mota), Liel e Guaru; Fio (Geuvânio) e Silvinho Técnico: Pintado

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Eu no Morumbi: São Paulo x Penapolense

”Giro em Sampa” emocionou Sócios Torcedores do Paraná

Bastidores de São Paulo 1 x 0 Penapolense

Jogadores elogiam camisa vermelha

Osvaldo brinca: ‘meio gol foi meu, Seneme’

Ney Franco valoriza classificação e enaltece postura da equipe

Festa vermelha no Morumbi

Presidente Juvenal Juvêncio ”instala” última cadeira vermelha no Morumbi

Morumbi em nova fase

***(*) ******(*)