Archive for the ‘Museu’ Category

Rapidinhas do Lina

29/08/2014

Brasileirão x Sul-americana e Copa do Brasil – Ontem o São Paulo perdeu para o Criciuma. Resultado normal ? Talvez, se considerarmos que o Tricolor jogou com um time diferente do que seria o titular. Torcedores mais exigentes podem cobrar a escalação do Muricy, mas será que ele está errado ? Entendo que não. O São Paulo que não tem um grande elenco, apesar de já ter provado que tem um bom time, deve mesmo priorizar o campeonato brasileiro por causa de contusões. Ao perder um jogador chamado titular em um torneio de menor expressão por algum tipo de lesão, pode no fim das contas prejudicar a performance do time em todas as competições. Na minha opinião, jogar apenas o brasileiro, com pausas para descanso e preparação, é o ideal. Afinal os jogadores não são máquinas e não se pode mais reclamar que eles não estão correndo ultimamente…

Douglas, Evangelista e o caixa – Todo mundo sabe que o São Paulo, como a maioria dos clubes do país, não está nadando em dinheiro como o próprio presidente Aidar confirmou. Heranças da gestão de JJ que fez várias lambanças no clube, entre elas, o contrato com a SEMP que venceu no meio do ano. Para um ano já atípico por conta da copa do mundo no país, um erro crasso deste, pode ser chamado de imperdoável. Nenhuma empresa vai fechar patrocínio faltando quatro meses para o fim do ano, empresas têm budgets ( orçamento ). Para resolver o rombo, o Tricolor tirou dois coelhos da cartola: as vendas de Douglas e Evangelista para o futebol europeu. Ainda assim não resolve, porque entram no caixa R$ 18 mi para um rombo de R$ 45 mi. Quem será o próximo jogador a nos deixar ?

E pra suprir a vaga do Douglas ? – Que tal o Auro da base pra reserva do Paulo Miranda ? Não sei se já está com o elenco profissional, mas deveria. O moleque tem bola. Assista e veja.

Centenário da sep – Além da indelicadeza de não convidar ninguém do São Paulo para participar da festa verde ( mesmo com alguns diretores Tricolores dizendo que têm ótimo relacionamento do outro lado do muro ), os mitômanos se lambusaram com seus “causos”. Não sei se os amigos viram, mas vários vídeos que a ESPN, BAND e TV Gazeta produziram pra mostrar a história da tal arrancada heróica de 42, têm as velhas inverdades. O que chamou a atenção é que participam destes vídeos historiadores da sep, o que significa que o que foi dito nas matérias apresentadas na TV contam com a aprovação deles. É dito que o São Paulo se retirou do campo, que o time deixou a partida no intervalo, entre outras inverdades. Naquela época, início do futebol profissional, mas ainda com um certo jeito amador de encarar o esporte, os times quando se sentiam prejudicados faziam o chamado corpo mole. O São Paulo fez o corpo mole e ficou em campo. A sep inclusive já fez o mesmo e até pior, ao perder jogo por WO. O São Paulo ao aplicar uma goleada em partida contra o Santos de Pelé, fez com que o time da baixada simulasse contusões e assim não ter o mínimo número de jpgadores, pra não ter que continuar a disputar partida em que poderia tomar uma goleada histórica, mas a gente não fica falando isso por ai, porque no Morumbi não faltam glórias a ponto de ter que criar fantasias. Isso é coisa de clube que se “apequena com o passar dos anos”.

***(*) ******(*)

Anúncios

São Paulo FC 2×1 Santos

24/08/2014
Rubens Chiri/Site Oficial

Rubens Chiri/Site Oficial

Foi com muita emoção, mas o Tricolor conseguiu bater o Santos e assumir a segunda colocação no Campeonato Brasileiro de 2014. Na tarde deste domingo (24),com bom público no Morumbi, o São Paulo venceu o clássico por 2 a 1 e mostrou que está firme na briga pela liderança. Com gols de Ganso e Pato, além de grande atuação de toda a equipe, o time são-paulino assumiu o segundo lugar, agora com 32 pontos em 17 rodadas.

Dominando boa parte da partida, com atuações impecáveis do Maestro, Alvaro Pereira e Kaká, o Tricolor não merecia qualquer resultado que não fosse um triunfo neste final de semana. Empenhados na marcação e envolventes no ataque, os jogadores são-paulinos acreditaram até o apito final que era possível sair de campo com os três pontos.

Aos 40 minutos do segundo tempo, Gabriel empatou o jogo em cobrança de pênalti e pareceu dar números finais ao confronto. No entanto, instantes depois, aos 43, Pato apareceu para balançar as redes e garantir a justa e merecida vitória do São Paulo, que contou com tarde genial de Paulo Henrique Ganso. Os torcedores, gritando “time de guerreiros”, puderam celebrar a grande atuação da equipe.

Podendo contar com a volta do volante Souza, que cumpriu suspensão contra o Internacional, o técnico Muricy Ramalho escalou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza, Paulo Henrique Ganso e Kaká; Alexandre Pato e Alan Kardec.

Empurrado pela torcida, que mais uma vez compareceu em grande número, o Tricolor ditou o ritmo do primeiro tempo e criou as principais jogadas ofensivas. Trocando passes, o São Paulo tinha algumas dificuldades, mas ainda assim conseguia explorar os espaços da defesa santista. Aos 12 minutos, Kaká tabelou com Ganso, que rolou para Alvaro Pereira. O uruguaio bateu cruzado e o goleiro Aranha espalmou para impedir que o zero saísse do placar.

Melhor no jogo e sem deixar os visitantes contra-atacarem, os donos da casa seguiam com certa superioridade para buscar o gol. Aos 21, após boa trama, Pato tocou para Paulo Miranda, que chutou e obrigou Aranha a defender em dois tempos. Ligado, Kaká já estava bem posicionado para aproveitar o rebote, mas o arqueiro rival soube evitar.

E controlando as ações da partida, os anfitriões conseguiram largar na frente. Aos 23 minutos, Paulo Miranda bateu lateral, Kardec escorou de cabeça e Ganso dominou, girou e chutou de esquerda, no ângulo esquerdo! Golaço do camisa 10! De gênio!  E muita festa dos jogadores e torcedores na comemoração do belo gol do Maestro.

Após tomar o gol, o Santos até levou algum perigo, mas parou em Rogério Ceni e no eficiente sistema defensivo tricolor, que contou com grandes desarmes de Alvaro Pereira. Antes mesmo do intervalo, o São Paulo ainda teve oportunidade de ampliar a vantagem, mas a bola teimou em não entrar nas finalizações de Pato e Kaká.

Com dificuldades para parar o eficiente quarteto ofensivo são-paulino, o adversário continuou pressionado durante boa parte do segundo tempo. Aos 4 minutos da etapa complementar, Kaká fez jogada na esquerda, cruzou fechado e deu trabalho ao goleiro Aranha, que seguia sendo exigido constantemente.

Pouco depois, aos 8, lance duplo do Tricolor: após chute cruzado de Kardec, Cicinho cortou e Aranha ficou com a bola. Logo na sequência, a zaga saiu mal e Alvaro Pereira chutou com perigo. Satisfeito com o resultado, o São Paulo cadenciou a partida e passou a apostar nos contragolpes.

A tática são-paulina surtiu efeito e as investidas contra o gol santista assustavam. Aos 32, em rápido contra-ataque, Ganso lançou Pato, que bateu para o gol, mas viu Aranha defender bem com os pés e evitar. O duelo parecia definido quando os visitantes anotaram o gol de empate. Gabriel, de pênalti aos 40 minutos, deixou tudo igual.

Sem acusar o golpe ou deixar o Santos tomar conta do jogo, o Tricolor foi guerreiro para conquistar mais uma importante vitória no Brasileirão. Aos 42, após bela e envolvente troca de passes, Denilson lançou Pato. O camisa 11 chutou, Aranha defendeu, mas o atacante são-paulino estufou as redes no rebote: 2 a 1! Festa no estádio, arquibancadas tremendo e Tricolor no ‘G-2’.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 SANTOS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 24 de agosto de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Vicente Romano Neto (SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP)
Público: 31.281 Renda: R$ 955.453,00
Cartões Amarelos:
Alexandre Pato, Rafael Toloi, Ganso, Paulo Miranda, Alvaro Pereira (São Paulo), Vladimir, Gabriel e David Braz (Santos)
Gols: SÃO PAULO: Ganso, aos 23 minutos do primeiro tempo, e Alexandre Pato, aos 42 minutos do segundo tempo
SANTOS: Gabriel, aos 40 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Álvaro Pereira; Souza, Denilson, Ganso e Kaká (Hudson); Alexandre Pato (Michel Bastos) e Alan Kardec Técnico:Muricy Ramalho

SANTOS: Aranha, Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Mena; Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Patito Rodríguez), Gabriel e Leandro Damião (Rildo) Técnico: Oswaldo de Oliveira

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Eu no Morumbi: São Paulo x Santos

Mentalmente forte!

‘À moda antiga’

Preparadores ‘recuperam’ elenco

Em alta, Denilson brinca: “Está leve carregar o piano”

Sensação do dever cumprido

Craques da Arquibancada 2014: São Paulo x Santos

Exemplo, líder e decisivo

Bastidores de São Paulo x Santos

“Jogadores tomam gosto de abraçar a torcida”

Kaká: “O time está de parabéns”

Autor do gol da vitória, Pato vibra: “Sensacional”

Destaque do clássico, Ganso elogia comprometimento da equipe

Com quarteto vivendo grande fase, Tricolor recebe o Santos

Relacionados para São Paulo x Santos

Tricolor finaliza preparação para o San-São

Em alta, Ganso atribui boa fase ao grupo

Contra o Santos, Kaká viveu seu primeiro grande momento

Hora de mostrar a força no Morumbi

Elenco se reapresenta com novidades

Clima diferente!

***(*) ******(*)

Ou Calote ou Falência

29/07/2014

Clubes falidos querem caloteSalve Soberania.

Semana passada houve reunião de dirigentes com a presidente para falar a respeito das dívidas dos clubes.  Querem renegociar as dívidas em 25 anos. É mole ?

O gráfico ao lado que eu achei no blog do Milton Neves, mostra apenas as dívidas tributárias, mas nós sabemos por exemplo que o time.gov ainda tem R$ 400 milhões do privadão – considerando que vão honrar os compromissos -, o que colocaria o clube de centenária incompetência em primeiro lugar na lista de devedores do estado.

Seguindo este raciocínio, o Inter que financiou a reforma do seu estádio para a copa com um empréstimo de R$ 275,1 milhões, iria pra segundo lugar na lista dos sugadores. O Atlético Paranaense saltaria de penúltimo lugar na lista, para ficar entre os dez maiores devedores do erário com o seu empréstimo de R$ 185 milhões.

Com isso, a lista corrigida dos devedores do estado ( só os dez primeiros, os falidos ), seria a seguinte:

01 – corintians – 573,5
02 – internacional – 410,4
03 – flamengo – 386,4
04 – botafogo – 350,9
05 – vasco – 270,5
06 – atlético-mg – 258,8
07 – fluminense – 238,6
08 – atlético-pr – 194,3
09 – santos – 119,8
10 – bahia – 110,4

O diferença na lista das dívidas ( tributos + BNDES ) do primeiro colocado para o segundo, é R$ 160 mi. Isto talvez explique porque o time da marginal teve DOIS representantes na reunião, ao invés de apenas um como os demais clubes. Eles são, certamente, os mais interessados no tal perdão das dívidas tributárias e por quê não do BNDES ?

Amigo, este é o Brasil, não duvide de nenhuma hipótese que em um primeiro momento pareça absurda.

O São Paulo também faz parte da lista e sua dívida de R$ 65,2 mi, a primeira vista não parece impossível de ser paga, afinal em 2013, o clube arrecadou R$ 285 mi. Por isso me irritei ao ver que o Aidar esteve presente na reunião.

Mais tarde vi que o São Paulo também quer se livrar do débito, mas através da Timemania. Segundo o presidente do São Paulo FC, o governo morde 46% da arrecadação, o que não estaria ajudando a quitar as dívidas tributárias. Em 2013 o São Paulo arrecadou R$ 1,847 mi com a loteria. Se o governo abrisse mão da sua parte, o São Paulo teria arrecadado por volta de R$ 5,708 mi. O que faria a dívida do São Paulo, apenas com a Timemania ser paga com algum esforço, em muito menos tempo que os 25 anos cogitados por outros clubes. 10 anos talvez ? Faça as contas.

Pra terminar isso aqui, uma pitada de história.

Há quem diga que o São Paulo faliu em 1935, invencionisse desmentida por quem conhece e estuda a história do clube. Mas vamos entrar na onda dos mitólogos e dizer que o São Paulo faliu.

O que é mais digno ? Falir, fechar as portas e voltar com as próprias pernas, ou se prestar ao ridículo de implorar ajuda governamental como se vê hoje em dia nas páginas do caderno de esportes ?

***(*) ******(*)

Os Incaíveis da América do Sul

24/07/2014

os incaiveis da america do sul

***(*) ******(*)

Dois Toques

10/06/2014
kaka milan sao paulo

GazettaDelloSport: Milan, Kaká conversa com São Paulo, esposa já retornou ao Brasil

Neymar – Leio que a estrela do Barcelona não recebia salários do Santos enquanto lá jogava. O negócio era mais ou menos o seguinte. A obrigação contratual em carteira era de R$ 150/200 mil mensais mais direitos de imagem. O total do salário do jogador girava em torno de R$ 3,5 milhões por mês, que ele recebia por participar de campanhas de marketing criadas pelo clube: eventos, comerciais e etc. Sobre estes valores, o Santos recebia uma porcentagem que cobria suas obrigações com o atleta. No início a divisão era de 50% pra cada parte, depois o clube foi cedendo sua parte, até não receber mais nada, mas também não pagava. Foi assim que o LAOR conseguiu mantê-lo no país mesmo após várias investidas de times da europa.

Kaká – A jóia revelada no São Paulo pode não ter o mesmo apelo de marketing que seu colega santista, mas certamente tem muito apelo. Se o marketing do Tricolor não se mexer e elaborar um plano nos mesmos moldes do Neymar no Santos, o Kaká não virá. O clube não tem dinheiro. O Kaká custa para o Milan, R$ 2 milhões e meio por mês. Alguém acredita que ele vai querer abrir mão destes valores ? Portanto sãopaulino, não se iluda. Não há mais românticos no mundo atual. No esporte, o amadorismo acabou nos anos 30/40. O dia que aparecer uma pessoa que troque R$ 2.5 mi/mês por amor a uma instituição, projeto ou ideologia, me apresente, eu vou fazer questão de apertar a mão.

***(*) ******(*)

Ética versus Falta de Educação

19/04/2014

Salve Soberania.

Não deveria, mas eu ainda me surpreendo.

Mudou o presidente, mas o tratamento reservado ao nosso clube continua o mesmo. Se vislumbrarem um pequeno traço de vantagem política ao São Paulo FC nos bastidores, os hipócritas esquecidos (?) clamarão pela ética.

Museu pelé e fasci-me-rir receberam títulos brasileiros à granel há poucos anos atrás, não importando se entre estas conquistas , estão torneios onde foram disputados QUATRO jogos até chegar ao título. O campeonato brasileiro atual tem 38 rodadas e um clube para ter o direito de levantar a taça, tem que cruzar o país de norte a sul. Não importa. A CBF ratificou.

Vale pra eles, pra nós não vale: vide o Roberto Gomes Pedrosa vencido pelo São Paulo FC em 1956. Não ratificaram, não pedimos, pouco importa. Não faremos dossiês por asteriscos. Eles não cabem na nossa história.

O museu pelé contratou o Gabigol quando este era menor de 16 anos e o levou para o litoral. Não levantamos a voz por ética, afinal, deram casa e arrumaram emprego para o pai do menino, além de um robusto salário. Como não tinha contrato, ele foi ser feliz. Sem gritarias.

Vale pra eles, pra nós não vale: a base do São Paulo FC esteve próxima a um boicote nacional, porque clubes mal estruturados perderam seus atletas menores de 16 anos para Cotia. Pais preocupados com o futuro dos seus filhos procuram nosso CT de base, interessados em levar seus projetos de craque para a formação Tricolor. Não é pra menos: oferecem escola, reforço, médicos, dentistas e tratamento psicológico, além dos fundamentos do futebol.

Flalido e time.gov alinhados com globo e CBF em 2011, destruiram o C13 e por isso recebem o dobro em cotas de TV em comparação ao que recebe o São Paulo FC. Pagamento pelos préstimos ao monopólio do futebol na TV. Antes deste episódio, as cotas eram praticamente iguais entre os três maiores clubes do país. Rebaixaram o Tricolor e nenhum jornalista levantou a voz para reclamar sobre esta diferença de tratamento. Você leu/viu algum falar a respeito ? Chegaram a tratar um cidadão semi-analfabeto como cartola exemplar, não importando como ele levou seu clube a alçar vôos mais altos, nacional e internacionalmente.

Vale pra eles, pra nós não vale: o lusitano Flávio Gomes e o santista Fábio Sormani entrevistaram na FOX Sports por telefone o novo presidente Tricolor: Carlos Miguel Aidar. O assunto era o trabalho do novo presidente como advogado para a CBF no caso rebaixamento da Portuguesa.

Para eles faltou ética ao presidente porque o São Paulo pode supostamente ser beneficiado no campeonato brasileiro por estar alinhado a entidade. Se esquecendo (?) de todos os casos citados acima e principalmente a relação espúria entre time.gov, cbf e globo. Trataram expertise profissional de forma desonrosa, como se advogar fosse tão rasteiro quanto se prestar a rachar entidades esportivas pelo toma-lá, dá-cá das vantagens prometidas e bem conhecidas de bastidores.

O Fábio Sormani, mais exaltado depois de tomar uma invertida do Aidar: -“Você acha errado, eu não acho”, disse que o presidente deveria pensar na sua consciência e no seu escritório de advocacia.

Mas isso não vale pra ninguém.

Porque uma pessoa pode até não gostar de uma instituição e lutar contra ela, mas não pode transformar uma discussão institucional em algo pessoal.

Isto é extrapolar o jornalismo, está em um patamar muito abaixo de qualquer discussão sobre ética.

É falta de educação.

***(*) ******(*)

Rapidinhas do Lina

25/03/2014

Aidar – Vou confessar. Se eu fosse conselheiro eu votaria no Carlos Miguel Aidar. Já não tenho mais dúvidas. Sei que ele é candidato do Juvenal, que por sua vez colecionou tantos desafetos no clube que fortaleceu a oposição. Mas entre Kalil e Aidar não há como não notar a diferença de gabarito, basta assistir a entrevista com os dois candidatos que o UOL publicou em seu site. Também gosto do MAC ( é do ramo ) e espero que se o Aidar vencer, ele seja convidado para participar da gestão do futebol, o clube ficaria fortíssimo fora das quatro linhas.

Efeito Juvenal – Falando em Aidar, muita gente criticou o fato do candidato à presidência do clube ter se envolvido na questão CBF e Portuguesa, atuando como advogado para a confederação. O problema é que já sofremos muito com a maldade do cartola exilado em Miami quando este era presidente, pelos confrontos que tivemos com ele e outros desafetos. Brigas justas aliás, mas que nos trouxeram prejuízos. Os que se alinharam àquela gente durante a eleição do C13, ainda colhem frutos dos seus servicinhos. Não precisamos lamber a bota de ninguém, mas para o bem do clube, o dialogo deve ser mantido. Esta talvez tenha sido a grande lição da gestão Juvenal. Assim, não vejo nada demais em prestar auxílio profissional a entidade. Não se trata de toma lá, dá cá como já vimos por ai. É trabalho e é honesto.

Aliciamento – A gritaria contra o Tricolor deu uma trégua. O São Paulo se comprometeu na FPF a não aceitar mais jogadores de outros clubes em Cotia, o clube oficializou a promessa em carta enviada a entidade. Mas já fizeram a mesma coisa com o São Paulo diversas vezes como já falamos antes. O Gabigol, atacante do santos, foi revelado no São Paulo e foi levado para a Vila Belmiro antes de completar 16 anos conforme você pode ler aqui. Você viu o São Paulo gritar a respeito ?

Ganso e Jadson – A dupla que poderia ter formado o melhor meio de campo do país não funcionou. Desde que PH Ganso foi contratado, o torcedor Tricolor sonhou alto, chegando a vislumbrar a dupla Palhinha e Raí revisitada, guardadas as devidas proporções, lógico. Ganso e Jadson não conseguiram agradar nenhum treinador desde Ney Franco. A culpa foi dos treinadores ? Não. A culpa foi dos jogadores ? Não. De quem foi a culpa da dupla não ter funcionado como deveria ? Da falta de planejamento da diretoria. Futebol é simples amigos. Se um time tem dois meias, o meio de campo precisa de um outro extremo também importante: o volante de retenção, o marcador, o cão de guarda. Este jogador não existe e até hoje não temos um volante com esta pegada. O Jadson foi embora, se cansou de ser reserva porque sabe que tem bola pra ser titular. Fez o certo. Agora começa a jogar bem no arquirrival e pode ser mais um que entra na lista dos que saíram do Morumbi pelas portas dos fundos pra ser feliz em outras bandas. O engraçado da história fica apenas no fato do ex-meia Tricolor ter sido tratado como mediano quando estava por aqui, pra ser elevado a categoria de gênio na marginal. Coisas da imprensinha…

O 1 e o 9 – Eu não ligo mais pra seleção brasileira, me preocupa apenas quem do São Paulo vai vestir a camiseta amarela e só. Torço pelos representantes do maior clube do país, o resto não interessa. O que chama a atenção entretanto, é a falta de critério do Felipão em relação a velha máxima “futebol é momento”, em prol de um suposto grupo fechado de jogadores. O problema é que seu goleiro titular Júlio César está exilado no Canadá, país sem nenhuma representatividade no futebol, enquanto o Rogério anda jogando demais, sempre mantendo a regularidade desde que voltou da contusão no tornozelo. Se houver justiça, ele deve ser convocado. Na frente o seu escolhido vive sofrendo lesões. Fred tem 3 gols na temporada e está em fase descendente. Por aqui o Luis Fabiano já marcou 9, está querendo jogo e deseja ser convocado. Também deveria ser chamado na minha opinião. Bom lembrar que nenhuma seleção brasileira foi campeã do mundo sem jogadores do São Paulo.

Mudança de personalidade – Vocês notaram que o São Paulo não é mais um time que se abate quando sofre gols ? Não faz muito tempo, bastava levar um gol que batia o nervosismo. Agora não, os caras colocam a bola no chão e vão pro jogo. Foi o que aconteceu contra o time.gov e depois contra o Ituano. Não fosse a chuva, o time do governo ainda estaria no paulistinha. Mas fazer o quê se até a natureza é anti ?

Quando uma marca vira sinônimo – Marqueteiros sonham fazer uma marca virar sinônimo de um produto. Quando você deseja “Cotonete” por exemplo, você quer na verdade uma haste flexível com ponta de algodão. Quando você quer um “Band-Aid”, na verdade você deseja uma atadura colante com gaze. Poucas marcas conseguiram tal façanha. Pesquise. Em um passado recente, muito se falou que o São Paulo havia se corintianizado e que o corinthians havia se sãopaulinizado. Diziam que houve uma mudança de cadeiras no futebol paulista em relação a organização e conquistas.  Não tem preço ver seu clube do coração ser sinônimo de gestão competente e vitoriosa enquanto o outro é o oposto disso.

Quando uma marca vira sinônimo 2 – Poucas vezes eu vi na imprensa esportiva, tamanho escracho em relação as declarações de um treinador. A ampla maioria dos comentaristas nos programas que eu assisti, disseram que o São Paulo não entregou o jogo contra o Ituano e de quebra ainda detonaram o ex-treinador da seleção nacional, até os corintianos. Na ESPN,  o ex-jogador Ricardinho convidado de um dos programas chegou a dizer que duvidava que o São Paulo tivesse entregado, disse: “não tem esse perfil”. Foi então que eu me dei conta que não era uma questão de torcedor, mas da instituição. Não que eu não soubesse, mas a ira e a vontade de vingar 2009 falavam mais alto. Depois disso tudo eu entendi que nosso clube tem que continuar a ser o que é: ilibado, sinônimo de seriedade e competência. Não há troféu maior pra isso que ouvir da boca das pessoas o quanto nós somos honrados, ouvir alguém espontaneamente testemunhar da nossa honestidade. Não tem preço. Nunca mais vou desejar que meu time perca um jogo pra prejudicar quem quer que seja. Lição aprendida.

Padrão FIFA no Brasil – Vocês já viram aquelas pessoas que andam de terno e gravata em dias de verão ? Seja por questões profissionais ou por questões religiosas, usam uma vestimenta originalmente criada para o clima europeu em um país tropical. Estupidez sem tamanho não se adaptar. Muito se fala do padrão FIFA nos estádios em construção no Brasil. Por padrão FIFA subentenda-se modelo europeu: estádios verticais, arquibancadas com inclinação maior em relação ao campo de jogo e próximas ao gramado. Em muitos casos, o torcedor ficará distante de 2 a 3 metros da linha lateral. Será que o país que tem vivido episódios de violência entre torcidas nos últimos anos está preparado para tal padrão ? Não é um passo muito largo para um povo que não tem o mesmo nível cultural, intelectual e principalmente educacional dos europeus ? Quer um exemplo ? Vila Belmiro. O estádio que fica em uma das cidades com maior IDH do país já presenciou diversas vezes cusparadas, arremesso de moedas em atletas e já viu até chinelos voarem para dentro do campo de jogo. Isso sem contar privadas arremessadas em torcedores rivais durante a partida. Nós ainda testemunharemos problemas sérios em muitos estádios pelo Brasil por nos rendermos aos caprichos da FIFA. Quem viver, verá.

O impasse no Itaquerão e a pressão das ruas – A receita é conhecida: deixe atrasar até que venha o socorro. Em São Paulo falta dinheiro para fazer as tais estruturas temporárias no Privadão do Lula e do Kassab. Impasse criado, espera-se a injeção de recurso público no problema. Só que depois da demonstração de insatisfação popular nas ruas com o mal uso do erário, não há mais quem se arrisque a bancar o sonho de centenária incompetência sem medo de ter sua imagem arranhada às vésperas das próximas eleições. Pra quem acha que de nada serviu ir pra rua, eis a resposta. Se vira ai cara de areia !

***(*) ******(*)

Rogério Ceni Faz Defesa Épica no Morumbi

24/02/2014

***(*) ******(*)

São Paulo FC 0x0 Santos – Os Erros de Arbitragem

24/02/2014

Salve Soberania.

Péssima arbitragem do Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP) e dos assistentes Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse (ambos de SP) no clássico de ontem.

No primeiro-tempo em pelo menos três oportunidades marcaram impedimento contra o São Paulo, mas o Luis Fabiano estava em posição legal nestes lances.

Eu peguei apenas um deles pra ilustrar como a reclamação santista não procede.

Luis Fabiano recebe passe de Pabón em posição legal, na sequência do lance sofre penalti do goleiro Aranha. Há dois jogadores do São Paulo em impedimento, mas nenhum deles participa do lance. Como o bandeirinha já havia assinalado o impedimento, mesmo estando equivocado, o lance do penalti não foi marcado.

Vídeo

O lance da reclamação do time do litoral não faz sentido. O assistente levantou a bandeira na hora em que o Damião dá a casquinha para o Rildo que estava em posição irregular segundo o tira-teima do Sportv. Na continuação da jogada o Paulo Miranda faz penalti no Rildo, mas o lance já estava parado uma vez que foi assinalado pelo bandeira, como ocorreu no lance de impedimento do Fabuloso relatado acima. Ou seja, pediram pra marcar pra eles, mas não falaram nada quando foi para o time da casa, claro.

Vídeo

O outro lance em que os santistas reclamam, foi o toque do Paulo Miranda em disputa dentro da área Tricolor, achei penalti, porque ele dá um toque proposital na bola com a intenção de dominá-la.

Em compensação, o jogador Neto ao fazer falta no Ademílson perto da grande área do time do litoral no segundo-tempo, merecia amarelo e deveria ter sido expulso, pois já tinha sido advertido com amarelo em lance anterior.

***(*) ******(*)

Nunca Antes Na História do Maior Clube do Brasil

27/11/2013

JJUm presidente perdeu tanto em torneios mata-mata:

01)   2006 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
02)   2007 – Eliminado do Paulista (São Caetano)
03)   2007 – Eliminado Copa Sul-Americana (Milionários-COL)
04)   2007 – Eliminado da Libertadores (Grêmio-RS)
05)   2008 – Eliminado do Paulista (Palmeiras)
06)   2008 – Eliminado da Libertadores (Fluminense)
07)   2009 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
08)   2009 – Eliminado da Libertadores (Cruzeiro)
09)   2010 – Eliminado do Paulista (Santos)
10)   2010 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
11)   2011 – Eliminado do Paulista (Santos)
12)   2011 – Eliminado da Copa do Brasil (Avaí-SC)
13)   2011 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Libertad-PAR)
14)   2012 – Eliminado do Paulista (Santos)
15)   2012 – Eliminado da Copa do Brasil (Coritiba)
16)   2013 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
17)   2013 – Eliminado da Libertadores (Atlético-MG)
18)   2013 – Vice da recopa Sul-Americana (Corinthians)
19)   2013 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Ponte Preta)
 
Via Roberto Dias 1935
 
***(*) ******(*)

Santos 3×0 São Paulo FC

03/10/2013

No retorno do técnico Muricy Ramalho ao estádio de seu ex-clube, a Vila Belmiro, o São Paulo acabou derrotado pelo Santos  por 3 a 0, na noite desta quarta-feira (2), em duelo válido pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2013. Com o resultado, que contou com gols de Edu Dracena, Thiago Ribeiro e Léo, o Tricolor se manteve com 27 pontos na 16ª colocação e segue na luta para se distanciar dos últimos lugares.

No próximo sábado (5), contra o Vitória, no Morumbi, os comandados de Muricy tentarão dar um fim ao jejum de vitórias e brigarão por mais três pontos na competição nacional. Nesta quinta-feira (3), no Centro de Treinamento da Barra Funda, os jogadores já irão trabalhar de olho nos baianos.

Com uma série de desfalques, o treinador são-paulino escalou o time com Rogério Ceni; Douglas, Paulo Miranda, Edson Silva e Reinaldo; Rodrigo Caio, Wellington, Jadson e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano. Antonio Carlos (suspenso pelo terceiro cartão amarelo), Rafael Toloi (lesão na coxa direita), Lucas Silva (Seleção sub-17), Denilson e o atacante Welliton, aprimorando a forma física, não foram relacionados.

Com a bola rolando, mesmo atuando fora de casa, o Tricolor até criou boas oportunidades para balançar as redes ainda na primeira etapa, mas esbarrou na falta de sorte. Logo aos 7 minutos, Luis Fabiano teve a primeira grande chance do São Paulo. O camisa 9 aproveitou cruzamento de Douglas e só não abriu o placar, porque Aranha fez grande defesa.

Procurando acionar o centroavante na grande área, os comandados de Muricy até conseguiam chegar ao ataque, porém, parava no sistema defensivo rival. Jadson e Ganso buscaram as tabelas pelo meio e arriscaram algumas descidas pela direita, aproveitando a velocidade de Douglas, mas não finalizaram com perigo. E quando o duelo estava parelho, os anfitriões saíram na frente no marcador. Aos 22 minutos, Edu Dracena testou firme após escanteio e anotou o gol santista.

Sem acusar o golpe, o Tricolor partiu para cima do adversário e criou boas investidas. Wellington e Douglas, por pouco, não deixaram tudo igual. Para conter os ataques dos visitantes, o time da Baixada Santista abusou das faltas duras. Aos 42 minutos, Alison deu uma entrada forte em Douglas e recebeu o cartão vermelho direto. Dessa forma, o terminou com vitória santista: 1 a 0.

Na segunda etapa, com mais homens em campo, a equipe são-paulina se lançou ainda mais ao ataque e tratou de conseguir o empate. Luis Fabiano, de cabeça chegou perto. No entanto, em rápido contra-ataque, os donos da casa ampliaram o placar. Thiago Ribeiro, aos 14 minutos, recebeu na grande área e tocou no canto de Rogério Ceni.

Sem perder tempo e atrás do resultado positivo, Muricy promoveu as entradas de Aloísio e Lucas Evangelista nas vagas de Osvaldo e Edson Silva. Assim, Rodrigo Caio foi deslocado para a defesa e o Tricolor ganhou mais ofensividade.

Diante de um rival fechado na defesa, o jogo esfriou e somente com a entrada de Maicon, aos 27, as oportunidades surgiram novamente. Mas, mesmo permanecendo mais tempo com a posse de bola e finalizando com perigo, o Tricolor não conseguiu passar pelo goleiro Aranha. Já nos instantes finais, após contragolpe, Léo marcou o terceiro gol da partida e deu números finais ao clássico.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 0 SÃO PAULO

Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 2 de outubro de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Marcio Eustáquio (MG) e Marcelo Van Gasse (SP)
Público: 7.788 pagantes
Renda: R$ 210.816,00
Cartões amarelos: Cícero, Thiago Ribeiro e Aranha (Santos); Luis Fabiano (São Paulo)
Cartão vermelho: Alison (Santos)

Gols: SANTOS: Edu Dracena, aos 22 minutos do primeiro tempo e Thiago Ribeiro, aos 12 e Léo, aos 44 minutos do segundo tempo

SANTOS: Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena; Alison, Arouca, Leandrinho (Everton Costa) e Cícero; Thiago Ribeiro (Léo) e Willian José (Renê Júnior) Técnico: Claudinei Oliveira

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Paulo Miranda, Edson Silva (Aloísio) e Reinaldo; Wellington, Rodrigo Caio, Jadson (Maicon) e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo (Lucas Evangelista) e Luis Fabiano Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Santos x São Paulo

Ganso: “Tem que trabalhar muito mais”

Muricy quer o time firme: “Não vamos desistir”

Rogério: “Faltou poder de reação”

***(*) ******(*)