Archive for the ‘Erros de Arbitragem’ Category

São Paulo FC 2×1 Santos

24/08/2014
Rubens Chiri/Site Oficial

Rubens Chiri/Site Oficial

Foi com muita emoção, mas o Tricolor conseguiu bater o Santos e assumir a segunda colocação no Campeonato Brasileiro de 2014. Na tarde deste domingo (24),com bom público no Morumbi, o São Paulo venceu o clássico por 2 a 1 e mostrou que está firme na briga pela liderança. Com gols de Ganso e Pato, além de grande atuação de toda a equipe, o time são-paulino assumiu o segundo lugar, agora com 32 pontos em 17 rodadas.

Dominando boa parte da partida, com atuações impecáveis do Maestro, Alvaro Pereira e Kaká, o Tricolor não merecia qualquer resultado que não fosse um triunfo neste final de semana. Empenhados na marcação e envolventes no ataque, os jogadores são-paulinos acreditaram até o apito final que era possível sair de campo com os três pontos.

Aos 40 minutos do segundo tempo, Gabriel empatou o jogo em cobrança de pênalti e pareceu dar números finais ao confronto. No entanto, instantes depois, aos 43, Pato apareceu para balançar as redes e garantir a justa e merecida vitória do São Paulo, que contou com tarde genial de Paulo Henrique Ganso. Os torcedores, gritando “time de guerreiros”, puderam celebrar a grande atuação da equipe.

Podendo contar com a volta do volante Souza, que cumpriu suspensão contra o Internacional, o técnico Muricy Ramalho escalou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza, Paulo Henrique Ganso e Kaká; Alexandre Pato e Alan Kardec.

Empurrado pela torcida, que mais uma vez compareceu em grande número, o Tricolor ditou o ritmo do primeiro tempo e criou as principais jogadas ofensivas. Trocando passes, o São Paulo tinha algumas dificuldades, mas ainda assim conseguia explorar os espaços da defesa santista. Aos 12 minutos, Kaká tabelou com Ganso, que rolou para Alvaro Pereira. O uruguaio bateu cruzado e o goleiro Aranha espalmou para impedir que o zero saísse do placar.

Melhor no jogo e sem deixar os visitantes contra-atacarem, os donos da casa seguiam com certa superioridade para buscar o gol. Aos 21, após boa trama, Pato tocou para Paulo Miranda, que chutou e obrigou Aranha a defender em dois tempos. Ligado, Kaká já estava bem posicionado para aproveitar o rebote, mas o arqueiro rival soube evitar.

E controlando as ações da partida, os anfitriões conseguiram largar na frente. Aos 23 minutos, Paulo Miranda bateu lateral, Kardec escorou de cabeça e Ganso dominou, girou e chutou de esquerda, no ângulo esquerdo! Golaço do camisa 10! De gênio!  E muita festa dos jogadores e torcedores na comemoração do belo gol do Maestro.

Após tomar o gol, o Santos até levou algum perigo, mas parou em Rogério Ceni e no eficiente sistema defensivo tricolor, que contou com grandes desarmes de Alvaro Pereira. Antes mesmo do intervalo, o São Paulo ainda teve oportunidade de ampliar a vantagem, mas a bola teimou em não entrar nas finalizações de Pato e Kaká.

Com dificuldades para parar o eficiente quarteto ofensivo são-paulino, o adversário continuou pressionado durante boa parte do segundo tempo. Aos 4 minutos da etapa complementar, Kaká fez jogada na esquerda, cruzou fechado e deu trabalho ao goleiro Aranha, que seguia sendo exigido constantemente.

Pouco depois, aos 8, lance duplo do Tricolor: após chute cruzado de Kardec, Cicinho cortou e Aranha ficou com a bola. Logo na sequência, a zaga saiu mal e Alvaro Pereira chutou com perigo. Satisfeito com o resultado, o São Paulo cadenciou a partida e passou a apostar nos contragolpes.

A tática são-paulina surtiu efeito e as investidas contra o gol santista assustavam. Aos 32, em rápido contra-ataque, Ganso lançou Pato, que bateu para o gol, mas viu Aranha defender bem com os pés e evitar. O duelo parecia definido quando os visitantes anotaram o gol de empate. Gabriel, de pênalti aos 40 minutos, deixou tudo igual.

Sem acusar o golpe ou deixar o Santos tomar conta do jogo, o Tricolor foi guerreiro para conquistar mais uma importante vitória no Brasileirão. Aos 42, após bela e envolvente troca de passes, Denilson lançou Pato. O camisa 11 chutou, Aranha defendeu, mas o atacante são-paulino estufou as redes no rebote: 2 a 1! Festa no estádio, arquibancadas tremendo e Tricolor no ‘G-2’.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 SANTOS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 24 de agosto de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Vicente Romano Neto (SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP)
Público: 31.281 Renda: R$ 955.453,00
Cartões Amarelos:
Alexandre Pato, Rafael Toloi, Ganso, Paulo Miranda, Alvaro Pereira (São Paulo), Vladimir, Gabriel e David Braz (Santos)
Gols: SÃO PAULO: Ganso, aos 23 minutos do primeiro tempo, e Alexandre Pato, aos 42 minutos do segundo tempo
SANTOS: Gabriel, aos 40 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Álvaro Pereira; Souza, Denilson, Ganso e Kaká (Hudson); Alexandre Pato (Michel Bastos) e Alan Kardec Técnico:Muricy Ramalho

SANTOS: Aranha, Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Mena; Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Patito Rodríguez), Gabriel e Leandro Damião (Rildo) Técnico: Oswaldo de Oliveira

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Eu no Morumbi: São Paulo x Santos

Mentalmente forte!

‘À moda antiga’

Preparadores ‘recuperam’ elenco

Em alta, Denilson brinca: “Está leve carregar o piano”

Sensação do dever cumprido

Craques da Arquibancada 2014: São Paulo x Santos

Exemplo, líder e decisivo

Bastidores de São Paulo x Santos

“Jogadores tomam gosto de abraçar a torcida”

Kaká: “O time está de parabéns”

Autor do gol da vitória, Pato vibra: “Sensacional”

Destaque do clássico, Ganso elogia comprometimento da equipe

Com quarteto vivendo grande fase, Tricolor recebe o Santos

Relacionados para São Paulo x Santos

Tricolor finaliza preparação para o San-São

Em alta, Ganso atribui boa fase ao grupo

Contra o Santos, Kaká viveu seu primeiro grande momento

Hora de mostrar a força no Morumbi

Elenco se reapresenta com novidades

Clima diferente!

***(*) ******(*)

Internacional 0x1 São Paulo FC

21/08/2014
Ricardo Rimoli/LANCE!Press

Ricardo Rimoli/LANCE!Press

O Tricolor está novamente no G-4 do Campeonato Brasileiro de 2014. Na noite desta quarta-feira (20), no Estádio Beira-Rio, podendo contar com a boa fase de seu quarteto ofensivo, o São Paulo venceu o Internacional por 1 a 0 e colou nos líderes da competição nacional.

O gol solitário da partida, válida pela 16ª rodada, foi marcado pelo meio-campista Paulo Henrique Ganso, que atuando ao lado de Kaká, Alexandre Pato e Alan Kardec – como titulares -, segue com 100% de aproveitamento. Agora, os quatro juntos acumulam três triunfos, já que com essa formação o clube havia derrotado o Vitória (3 x 1) e Palmeiras (2 x 1).

Com o resultado em Porto Alegre, que derrubou a invencibilidade da defesa gaúcha – eram cinco jogos consecutivos sem sofrer gols -, o Tricolor assumiu a terceira colocação no torneio, com 29 pontos, e se manteve na caça do líder Cruzeiro (33). Na próxima rodada, agendada para domingo (24), o São Paulo entrará em campo de novo para medir forças contra o Santos, no Morumbi.

Com uma série de desfalques e, desta vez, sem o meio-campista Souza (suspenso pelo terceiro cartão amarelo), o técnico Muricy Ramalho escalou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Hudson, Paulo Henrique Ganso e Kaká; Alexandre Pato e Alan Kardec.

Com a bola rolando, o Inter se fechou muito bem no meio de campo e não permitia que o São Paulo conseguisse trocar passes em velocidade nos primeiros minutos. Com as duas equipes marcando muito forte, as oportunidades demoraram a aparecer em Porto Alegre. Os donos da casa tinham dificuldade se sair tocando, enquanto o São Paulo aguardava a chance de contra golpear.

E com o excesso de marcação, o perde e ganha tomou conta de boa parte do confronto e os passes errados foram prejudicando as armações das jogadas. Nos primeiros 30 minutos, os times finalizaram apenas três vezes: duas com o Inter – sendo uma com grande intervenção de Rogério -, e uma Tricolor.

Os clubes pareciam ficar no empate antes do intervalo, quando o Maestro Paulo Henrique Ganso apareceu para tirar o zero do placar. Aos 35 minutos, Paulo Miranda cruzou da direita para Kaká, que tocou para Alvaro Pereira chutar forte. A bola desviou na zaga e sobrou quase na pequena área para Ganso empurrar para as redes de Dida: 1 a 0.

O gol do meia são-paulino, que ao lado de Kaká travava as descidas dos laterais para fortalecer o sistema de marcação, derrubou uma invencibilidade de cinco jogos consecutivos sem ser vazado do Internacional no Campeonato Brasileiro de 2014.

Na volta para a segunda etapa, em vantagem no marcador, o Tricolor começou a tocar a bola pacientemente e evitou se expor fora de casa. No entanto, empurrado por sua torcida, os anfitriões se lançaram ao campo de ataque e criaram perigo para a defesa paulista.

Os gaúchos até balançaram as redes, mas a arbitragem invalidou o lance e o São Paulo soube administrar a vantagem daí em diante. Em rápido contra-ataque, após Denilson desarmar o ataque colorado, Pato partiu em velocidade e rolou para Kaká. O camisa 8 bateu firme, mas a bola passou rente a trave.

Para continuar assustando o Internacional, Muricy promoveu a entrada do estreante Michel Bastos, que teve a missão de explorar as descidas pelo lado esquerdo. Na vaga de Ganso, o camisa 7 arriscou algumas tabelas com Pato e mostrou que será uma importante arma do São Paulo na competição nacional. Bem postado, o Tricolor soube segurar o resultado e entrar novamente no G-4!

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0 x 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 20 de agosto de 2014 (quarta-feira)
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Rocha (RJ)
Assistentes: Dibert Moisés (RJ) e Michael Correia (RJ)
Público: 34.262 (29.267 pagantes)
Renda: R$ 982.625,00
Cartões amarelos: Fabrício (Internacional); Hudson (São Paulo)

GOL: SÃO PAULO: Ganso, aos 35 minutos do primeiro tempo

INTERNACIONAL: Dida; Wellington Silva, Ernando, Juan e Fabrício; Ygor (Valdívia), Bertotto (Wellington Paulista), Aránguiz, Alex (Jorge Henrique) e D’Alessandro; Rafael Moura Técnico: Abel Braga

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Álvaro Pereira; Denilson, Hudson, Ganso (Michel Bastos) e Kaká; Alexandre Pato (Ademílson) e Alan Kardec Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores: Inter-RS 0 x 1 São Paulo

Elogiado por Muricy, Hudson quer render ainda mais

Após estrear, Michel Bastos quer manter o Tricolor no topo

Bastidores de Internacional x São Paulo

Muricy festeja retorno da confiança após terceira vitória

Disciplina tática da equipe anima Kaká

“Quando a bola sobra, tem de botar para dentro”

Na torcida, Aloísio recorda tarde inspirada contra o Internacional

No Beira-Rio, Tricolor encara o Inter pelo G-4

Pato é assediado na chegada do Tricolor ao Sul

Pelo G-4, Ganso quer ‘roubar’ pontos do Inter

Gaúcho, Michel Bastos convoca familiares para duelo no Sul

No reencontro com o Beira-Rio, Pato quer brilhar pelo Tricolor

Relacionados para Internacional x São Paulo

Com Rogério e Hudson, Muricy define escalação

Parceria afiada…e goleadora!

“Quero cada vez mais me identificar com o São Paulo e com a torcida”

De olho em vaga, Hudson promete reforçar a marcação

***(*) ******(*)

palmeiras 1×2 São Paulo FC

17/08/2014
Rubens Chiri/Site Oficial

Rubens Chiri/Site Oficial

O Tricolor conseguiu retomar a confiança após se despedir da Copa do Brasil. Na tarde deste domingo (17), no Pacaembu, o São Paulo bateu o Palmeiras por 2 a 1 e mostrou que segue firme em busca de uma vaga na Libertadores da América de 2015. Mais envolvente após o intervalo, a equipe são-paulina contou com os gols de Pato e Kardec – este já nos instantes finais -, para conquistar a vitória.

Com o resultado, o Tricolor manteve a quinta colocação no Campeonato Brasileiro de 2014, mas agora detém 26 pontos, em 15 rodadas, e está na cola do G-4. Na próxima quarta-feira (20), no Rio Grande do Sul, o São Paulo entrará em campo. Desta vez, porém, o adversário será o Internacional.

Curiosamente, os dois gols da equipe são-paulina no Choque-Rei foram marcados por estreantes em clássico pelo clube. Diante dos palmeirenses, Pato e Kardec disputaram o primeiro grande duelo defendendo as cores do São Paulo.

Com uma série de desfalques, como os casos de Luis Fabiano, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Osvaldo, mas podendo contar com as voltas de Toloi, Kaká e Kardec, o técnico Muricy Ramalho montou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Alvaro Pereira; Denilson, Souza, Kaká e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato e Alan Kardec.

Quando a bola rolou na capital paulista, os mandantes foram superiores no início do embate, mas logo foram perdendo terreno para o Tricolor. Nos primeiros 20 minutos, principalmente com Valdivia, os palmeirenses buscavam mais o gol e davam trabalho ao sistema defensivo são-paulino.

No entanto, a lesão do chileno diminuiu o ímpeto dos anfitriões e, assim, o São Paulo conseguiu equilibrar as ações do jogo. Apesar de ficar mais tempo com a bola, o Tricolor tinha dificuldades para chegar ao gol e finalizar. Ganso e Kaká, bem marcados, não tinham espaço para acionar os atacantes Pato e Kardec, que acabaram ficando isolados na frente a maior parte do tempo.

Somente aos 31 minutos, após cobrança de falta, o time de Muricy conseguiu levar algum perigo. Kaká bateu falta cruzada na área, o goleiro Fábio afastou mal e Ganso chutou. A defesa do Palmeiras, porém, formou uma verdadeira parede e impediu que as redes balançassem antes do intervalo, no Pacaembu.

Na volta para o segundo tempo, com a mesma formação, mas outra postura, o Tricolor tratou de encurralar o rival e criar boas jogadas para tirar o zero do placar. Assim, o torcedor são-paulino logo pôde festejar. Aos 8 minutos, Fábio saiu jogando errado com os pés, Ganso abriu para Pato na esquerda e, com categoria na saída do goleiro, o camisa 11 estufou a redes adversárias: 1 a 0.

Melhor na partida e motivado pelo gol, o São Paulo manteve a pressão e seguiu assustando. Kaká, aos 11, foi lançado na esquerda e bateu cruzado. Fábio caiu e fez a defesa. No minuto seguinte, Ganso tocou para Kardec na direita, que invadiu a área e deu um toquinho à direita do gol. A bola passou perto e mostrou que a equipe de Muricy era outra após o intervalo.

No entanto, quando os visitantes ditavam o ritmo do confronto, os palmeirenses empataram o Choque-Rei. Aos 15, em cobrança de pênalti, Henrique deixou tudo igual na capital paulista. Para ficar novamente no marcador, o Tricolor conseguiu duas boas investidas, mas a arbitragem invalidou incorretamente os ataques são-paulinos, que eram legais e perigosos.

E quando a partida parecia definida, o São Paulo conseguiu arrancar os três pontos no Pacaembu e se reerguer na temporada. Já nos instantes finais, após cruzamento de Alvaro Pereira da esquerda, Kardec subiu mais que Victor Luis e cabeceou no canto esquerdo de Fábio. A bola ainda tocou a trave e as costas do goleiro, que não conseguiu impedir o triunfo são-paulino: 2 a 1.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 17 de agosto de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (Fifa-RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ)
Assistentes adicionais: Luiz Flavio de Oliveira e Flavio Rodrigues de Souza (ambos de SP)
Cartões amarelos: Lúcio (Palmeiras). Souza, Edson Silva, Rafael Toloi, Álvaro Pereira (São Paulo)
Gols: PALMEIRAS: Henrique, aos 15 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Alexandre Pato, aos 8, e Alan Kardec, aos 43 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fábio; Wendel, Lúcio, Tobio e Victor Luis; Renato, Marcelo Oliveira, Allione e Valdivia (Felipe Menezes) (Leandro); Mouche (Cristaldo) e Henrique Técnico: Ricardo Gareca

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Álvaro Pereira; Souza, Denilson, Ganso (Hudson) e Kaká; Alexandre Pato (Ademilson) e Alan Kardec Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Palmeiras x São Paulo

No ritmo do G-4

Muricy elogia equipe: “Os jogadores reagiram bem”

“Precisávamos da vitória para dar confiança a nós mesmos”

Ganso exalta Kardec: “Ele tem muita estrela”

Tricolor deslancha no segundo tempo e bate o Palmeiras

Tentando se reerguer, Tricolor encara o Palmeiras no Pacaembu

Relacionados para Palmeiras x São Paulo

Time treina à exaustão para o clássico

Aniversariante, Paulo Miranda mira vaga no Pacaembu

Desempenhos animadores para o clássico

Choque-Rei especial

“Clássico é importante em qualquer época”

Com Kardec e Michel Bastos, elenco faz atividade técnica

Toloi, Kardec e Kaká treinam de olho no Choque-Rei

***(*) ******(*)

Goiás 2×1 São Paulo FC

27/07/2014
Rubens Chiri/Site Oficial

Rubens Chiri/Site Oficial

Na esperada reestreia de Kaká, na tarde deste domingo (27), o São Paulo não conseguiu superar o Goiás, jogando no Serra Dourada, e apesar de o craque ter feito seu primeiro gol no retorno ao Tricolor, o time foi derrotado por 2 a 1, em jogo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a derrota, os são-paulinos se mantêm com 19 pontos somados, e ocupam o oitavo lugar na tabela de classificação do torneio. Pelo Brasileiro, o time volta a atuar apenas no próximo sábado (02), contra o Criciúma, no Morumbi. Já na quarta-feira (30), os tricolores jogam pela Copa do Brasil, contra o Bragantino, em Ribeirão Preto.

O jogo

Com o desfalque de última hora de Antonio Carlos (dores na panturrilha esquerda), Muricy optou pelo jovem Lucão na zaga são-paulina ao lado do também estreante Rafael Toloi. Dessa forma, o técnico conseguiu manter Rodrigo Caio como volante, dando suporte ao lado de Souza a Ganso e Kaká. No ataque, apenas dois atacantes: Alan Kardec e Ademilson, que seguiu como titular do time na ausência de Luis Fabiano, lesionado.

Nos primeiros minutos de jogo, já se pôde perceber como joga o Tricolor com o camisa 8. Participativo, o meia trocava de lado com Ganso o tempo todo, e dava bastante trabalho aos marcadores. Foram dele os principais lances são-paulinos do primeiro tempo. Ele participou de quase todas as jogadas de ataque, seja pela direita ou pela esquerda, e inclusive cobrou as faltas e escanteios que apareceram.

Mas além dos dois chutes de Kaká, um no início da partida e outro mais para o fim da primeira etapa, o São Paulo não conseguiu incomodar o goleiro rival no primeiro tempo, e não conseguiu ter a posse de bola que teve nos outros jogos. Aos 43 minutos, quando a partida estava igual, o time sofreu um gol de bola parada. Após cobrança de falta, Amaral conseguiu vencer a defesa são-paulina e marcou de cabeça – o assistente havia marcado impedimento, mas o árbitro validou o gol dos goianos.

Já no intervalo, Muricy optou pela primeira mudança na equipe: Alexandre Pato entrou em campo no lugar de Ademilson. Mas mal houve tempo para ver como iria se portar o time, já que o Goiás surpreendeu novamente com uma jogada aérea, e Bruno Mineiro marcou de cabeça logo aos três minutos.

O Tricolor começou a reagir e criar mais depois do segundo gol sofrido. Aos nove minutos, quase a equipe diminuiu após boa jogada na área com Pato, Kaká e Alan Kardec, mas o goleiro Renan conseguiu fazer ótima defesa. Visando ficar mais com a bola e tentar produzir mais ofensivamente, Muricy fez a segunda mudança aos 19: saiu Lucão, entrou Maicon.

E o time ganhou em potencial ofensivo, dando resultado aos 30 minutos. Pato fez o cruzamento, Souza tocou para o meio, a zaga desviou e Kaká, muito bem posicionado na área, completou para o gol, diminuindo para o Tricolor. Foi o 49º gol do craque em 132 partidas pelo São Paulo.

De olho em mais gols, o técnico são-paulino arriscou colocando mais um atacante, Osvaldo, no lugar de Souza. E só deu São Paulo, que não deixou o Goiás respirar. Investidas pela esquerda, com Kaká e Osvaldo, ou pela direita, com Pato, eram constantes. Com isso, veio a retranca do rival, que conseguiu segurar o resultado.

Os jogadores se reapresentam ao treinador Muricy Ramalho na tarde desta segunda-feira (28), quando o time treina às 15h30 no CT da Barra Funda.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
GOIÁS-GO 2×1 SÃO PAULO-SP

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia-GO
Data: 27 de julho de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves-RS e José Antônio Chaves Franco Filho-RS
Cartões amarelos: David e Érik (Goiás-GO); Ganso (São Paulo-SP)
Público: 12.847 pessoas
Renda: R$ 538.155,00

GOLS: GOIÁS-GO : Amaral (aos 43’ do 1T) e Bruno Mineiro (aos 2’ do 2T) – SÃO PAULO-SP: Kaká (aos 30’ do 2T)

GOIÁS-GO: Renan; Moisés, Jackson, Pedro Henrique e Lima; Amaral, Thiago Mendes, David e Ramón (Tiago Real); Érik (Valmir Lucas) e Bruno Mineiro (Welinton Júnior) Técnico: Ricardo Drubscky

SÃO PAULO-SP: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Tolói, Lucão (Maicon) e Álvaro Pereira; Rodrigo Caio, Souza (Osvaldo), Kaká e Ganso; Ademílson (Alexandre Pato) e Alan Kardec Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Goiás x São Paulo

‘Muita emoção’, diz Kaká, sobre gol na reestreia

Elogiado, Toloi agradece confiança

Estreantes recebem elogios de Muricy

‘Muita emoção’, diz Kaká, sobre gol na reestreia

Na reestreia de Kaká, Tricolor busca voltar a vencer no Brasileiro

Kaká e elenco são festejados em Goiânia

Relacionados para Goiás x São Paulo

Tricolor faz último treino antes de enfrentar o Goiás

Contra o Goiás, Toloi reestreia pelo São Paulo

Kaká, sobre estreia: ‘frio na barriga’

Time terá mais variação, e Pato pode ganhar chance

Kaká terá papel de líder em campo

Sexta-feira de trabalho técnico

422 jogos de muito trabalho

‘Sonho de todo atacante’

Com Kaká, Ganso espera ter mais espaço em campo

Kaká treina e deve estrear

Semana pra Toloi

***(*) ******(*)

Bahia 0x2 São Paulo FC

17/07/2014
bah 0x2 spo brasileiro 16072014

Rubens Chiri / Site Oficial

De volta à temporada após 46 dias longe dos gramados para jogos oficiais no Brasil, o São Paulo entrou em campo na noite desta quarta-feira e mostrou que fez valer a intensa intertemporada que realizou. Em ótima exibição, a equipe são-paulina não deu chances para o Bahia: 2 a 0 em plena Arena Fonte Nova, gols marcados por Rogério Ceni (de pênalti), e Alan Kardec, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a vitória, o Tricolor chegou aos 19 pontos e dorme na vice-liderança da competição. O time volta a campo no sábado (19), quando recebe a Chapecoense no Morumbi. A partida está marcada para às 18h30.

> COMPRE SEU INGRESSO PARA O JOGO CONTRA A CHAPECOENSE

O jogo

Sem Luis Fabiano, que aprimora forma física após se recuperar de uma lesão muscular, Muricy optou por Ademilson no ataque ao lado de Osvaldo e Alan Kardec, que fez seu primeiro jogo oficial no Brasil após quase dois meses de preparação – chegou ao Tricolor no dia 12 de maio.

O restante da equipe se manteve como antes da pausa para a Copa do Mundo. A única diferença foi na mudança de numeração de alguns atletas: Rodrigo Caio agora usa a camisa 3 e Souza, a número 5. Kardec assumiu a 14. E o novo camisa 14 foi o responsável pelo primeiro lance de perigo do São Paulo. Após cruzamento de Alvaro Pereira, Kardec cabeceou para o gol, mas o lance saiu alto demais, aos oito minutos.

Com domínio do jogo, o Tricolor controlava a posse de bola. Aos 11 minutos, Ademilson, que incomodava bastante a zaga do Bahia com jogadas pela direita, recebeu ótimo lançamento de Rogério Ceni e sofreu pênalti, cometido pelo zagueiro Titi. O camisa 01 foi para a cobrança, acertou o canto direito alto do goleiro e abriu o placar para o São Paulo. O capitão tem agora incríveis 118 gols marcados na carreira!

E o Tricolor manteve o controle da partida mesmo à frente no placar. Aos 19 minutos, uma jogada linda resultou em mais um gol são-paulino. Tudo começou quando Ademilson tocou para Souza, e o camisa 5 tabelou com PH Ganso. O Maestro devolveu a bola para Souza, que passou para Kardec. Aí, o artilheiro não perdoou com um toque direto para o gol, o primeiro dele com a camisa do São Paulo e o segundo do jogador no Brasileiro – ele marcou no dia 20 de abril, contra o Criciúma, quando ainda defendia o Palmeiras.

Kardec também armou jogadas, como aos 37 minutos, quando driblou duas vezes o mesmo marcador e fez o cruzamento para a área, mas o goleiro chegou antes que Ademilson, pronto para finalizar. Aos 45, o atacante roubou a bola e deixou com Ademilson, que fez passe maravilhoso para Maicon, mas o goleiro desviou em escanteio – na cobrança, Antonio Carlos quase marcou de cabeça.

Já no primeiro lance do segundo tempo, outra grande chance para o São Paulo. Ademilson ganhou do marcador e tentou um voleio maravilhoso, mas o goleiro impediu o gol. Na sequência, Ganso por pouco não deixou o dele após finalizar entre os zagueiros, mas novamente Douglas Pires evitou o terceiro são-paulino.

Sem baixar o ritmo em nenhum momento, os são-paulinos tiveram mais diversas chances. Aos 17 minutos, o assistente marcou um impedimento inexistente de Rodrigo Caio. O zagueiro aproveitou o rebote de ótimo chute de Osvaldo, que bateu na trave, e a arbitragem anulou o gol. O Bahia até tentou mudar a situação de jogo, mas não conseguia passar pela defesa paulista.

Muricy precisou fazer duas alterações durante a segunda etapa: Denilson no lugar de Maicon, que sentiu um desconforto muscular, e Pato na vaga de Alan Kardec, que saiu com câimbras. No finzinho, Boschilia substituiu Osvaldo.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 16 de julho de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Luis Diego Nascimento Lopes e Heronildo Sebastião Freitas da Silva (ambos do PA)
Cartões amarelos: Fahel, Titi, Léo Gago, Guilherme Santos (Bahia). Rodrigo Caio, Álvaro Pereira, Osvaldo, Antônio Carlos (São Paulo)
Gols: SÃO PAULO: Rogério Ceni, aos 13, e Alan Kardec, aos 20 minutos do primeiro tempo

BAHIA: Douglas Pires; Diego Macedo, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Pittoni (Emanuel Biancucchi), Léo Gago e Rhayner; Maxi Biancucchi (William Barbio) e Henrique (Jeam) Técnico: Marquinhos Santos

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Souza, Maicon (Denilson) e Paulo Henrique Ganso; Ademílson, Osvaldo (Boschillia) e Alan Kardec (Alexandre Pato) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Gol de compadres

Bastidores de Bahia x São Paulo

Muricy elogia passes certos, posse de bola e Kardec

Alan Kardec celebra ‘estreia’ perfeita

Em Salvador, M1TO chega a 118 gols

Jogadores destacam vitória importante e boa atuação

Tricolor tem chance de igualar retrospecto contra o Bahia

Reforçado, Tricolor retorna à disputa do Brasileiro

Na Bahia, elenco mostra confiança

Relacionados para Bahia x São Paulo

Após 46 dias, elenco disputa rachão

”Em casa”, Kardec conta os minutos pela estreia no Brasileiro

Ademilson credita vaga a esforço na intertemporada

Vitória para recomeçar o Brasileiro com moral

Ganso exalta preparação e reforços

Ademilson será a novidade contra o Bahia

Temporada recomeça nesta quarta-feira (16)

***(*) ******(*)

ÁUDIO: Aidar Fala da Expectativa Sobre Kaká, Reforma do Morumbi e União dos Clubes

07/07/2014

***(*) ******(*)

São Paulo FC 1×1 time.gov

11/05/2014
Rubens Chiri / Site Oficial

Rubens Chiri / Site Oficial

No reencontro do goleiro Rogério com o cenário de seu centésimo gol, o Tricolor arrancou o empate com o Corinthians na tarde deste domingo (11), por 1 a 1. Com gol do atacante Luis Fabiano, aos 34 minutos do segundo tempo, o São Paulo conseguiu quebrar a invencibilidade da defesa rival, que não era vazada há sete jogos.

Com o resultado do Majestoso, que foi disputado na Arena Barueri já que o Morumbi recebe o show da banda One Direction neste final de semana, o time são-paulino segue sem derrotas no Campeonato Brasileiro de 2014. Agora, após quatro rodadas, o Tricolor detém seis pontos e ocupa a nona colocação (uma vitória e três empates).

No próximo final de semana, querendo encostar nos líderes da competição nacional, o Tricolor entrará em campo novamente. No Rio de Janeiro, a equipe são-paulina medirá forças contra o Flamengo.

Com três desfalques – Douglas e Paulo Miranda, lesionados, e Alexandre Pato por questões contratuais -, o técnico Muricy Ramalho apostou na entrada de Ademillson e montou o time são-paulino com Rogério Ceni, Luis Ricardo, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Ademilson, Luis Fabiano e Osvaldo.

No primeiro tempo, a forte marcação de ambos os lados prejudicou o embate e deixou a partida mais truncada. Apesar de ficar mais tempo com a posse de bola e controlar as ações do jogo, o Tricolor não conseguia finalizar. Os dois times abusavam dos cruzamentos, porém, não assustavam Rogério Ceni e Cássio.

Bem abertos, Ademilson e Osvaldo tentavam desafogar o clássico e criar as oportunidades, mas esbarravam na marcação adversária. Assim, a primeira grande chance aconteceu apenas aos 39 minutos. O Maestro Paulo Henrique Ganso arriscou rasteiro, de fora da área, e obrigou o goleiro rival espalmar.

Os visitantes até responderam, é verdade, mas o M1TO praticou grande defesa e impediu que as redes balançassem. E aos 44 minutos, Osvaldo ganhou de Cleber na corrida em contra-ataque pela direita e bateu cruzado. A bola, no entanto, passou com perigo rente a trave e por pouco não tirou o zero do placar antes do intervalo.

Na volta para a segunda etapa, o São Paulo praticamente não teve tempo para adotar uma postura mais ofensiva. Logo aos 3 minutos, Fagner invadiu a área e tocou na saída de Rogério, que nada pôde fazer para evitar o gol dos corintianos.

Sem acusar o golpe, o time são-paulino se lançou ao ataque e tentou reagir. Porém, fechado lá atrás, o arquirrival conseguiu neutralizar as investidas do Tricolor. Para mudar o panorama do clássico, Muricy promoveu a entrada de Pabon no lugar de Ademilson. Pela direita, o colombiano deu mais trabalho aos marcadores e tentou acionar Luis Fabiano na grande área.

E de tanto insistir, o São Paulo conseguiu empatar e fazer justiça ao Majestoso, que foi parelho a maior parte do tempo. Aos 34 minutos, Ganso deu lindo passe para o Fabuloso, que se antecipou ao zagueiro Cleber e bateu na saída de Cássio: 1 a 1, festa da torcida são-paulina e placar final na Arena Barueri.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 corinthians

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 11 de maio de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Público: 14.000 pagantes
Renda: R$ 244.775,00
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Rogério Zanardo e Danilo Simon Manis (ambos de SP)
Cartões amarelos: Álvaro Pereira, Luis Ricardo e Maicon (São Paulo); Petros e Luciano (corinthians)

Gols: SÃO PAULO: Luis Fabiano, aos 35 minutos do segundo tempo – corinthians: Fagner, aos três minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Luis Ricardo, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Souza, Maicon e Ganso; Ademilson (Pabon), Osvaldo (Boschilia) e Luis Fabiano Técnico: Muricy Ramalho

corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Petros (Bruno Henrique) e Danilo (Renato Augusto); Romarinho (Luciano) e Guerrero Técnico: Mano Menezes

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO Coletiva: Muricy Ramalho

VÍDEO Bastidores: São Paulo 1 x 1 Corinthians

900x capitão!

Bastidores de São Paulo x Corinthians

“O time não desiste, vai para cima”

Fabuloso quebra média de Serginho Chulapa no Majestoso

Após mais uma assistência, Ganso elogia empenho Tricolor

Em Barueri, Tricolor aposta no bom retrospecto para vencer o Majestoso

Britânicos do “One Direction” levam 60mil ao Morumbi

Relacionados para São Paulo x corinthians

***(*) ******(*)

São Paulo FC 3×0 CRB

08/05/2014
Rubens Chiri / Site Oficial

Rubens Chiri / Site Oficial

Que venha a terceira fase! Na noite desta quarta-feira (7), no Pacaembu, o Tricolor mostrou um bom futebol, venceu o CRB-AL por 3 a 0 e garantiu a sua permanência na Copa do Brasil de 2014. Com gols de Osvaldo, Lucas Silva e Rogério Ceni (de pênalti), o São Paulo eliminou os alagoanos e conseguiu reverter a derrota sofrida na ida, por 2 a 1, em Maceió.

Na próxima fase do torneio nacional, que dará ao campeão o direito de disputar a Libertadores da América de 2015, a equipe são-paulina medirá forças contra Figueirense ou Bragantino. Já o próximo compromisso do clube será no final de semana, na Arena Barueri, no clássico contra o Corinthians.

Sem Douglas e Paulo Miranda, lesionados, além de Rodrigo Caio, suspenso, o técnico Muricy Ramalho apostou na volta de Ganso e escalou o time no esquema tático 4-3-3 com Rogério Ceni; Luis Ricardo, Lucas Silva, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato, Luis Fabiano e Osvaldo.

Empurrado pela torcida, que mais uma vez compareceu em bom público ao Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – já que o Morumbi receberá o show da banda One Direction nos dias 10 e 11 deste mês -, o Tricolor começou pressionando e buscou o resultado positivo desde os primeiros instantes.

Aos sete minutos, Souza desceu pela direita e cruzou para Alexandre Pato, que se antecipou ao marcador, mas cabeceou por cima do gol. Com forte marcação, os alagoanos tentavam impedir as jogadas na intermediaria e dificultavam a armação dos homens de frente do São Paulo.

Ainda assim, mais envolvente e ofensivo, os paulistas conseguiram abrir o placar. Aos 17, após boa troca de passes pela esquerda, Ganso inverteu o jogo e acionou Luis Ricardo pela direita. O lateral cruzou, a marcação do CRB e o goleiro Julio Cesar falharam e Osvaldo, livre na segunda trave, testou para o gol vazio: 1 a 0.

Em vantagem no marcador, os comandados de Muricy diminuíram a intensidade após o tento e deram até mais espaços aos visitantes, que levaram algum perigo ao gol de Rogério. Mais cadenciada, a partida esfriou e somente nos acréscimos da primeira etapa, aos 48 minutos, o Tricolor assustou novamente. Luis Fabiano, porém, parou no arqueiro Julio Cesar.

Na volta para a segunda etapa, incentivado pelos torcedores, o Tricolor retomou as rédeas do confronto e encurralou os rivais. Dessa forma, as redes logo balançaram novamente no Pacaembu. Desta vez, porém, com o jovem Lucas Silva, que marcou o seu primeiro gol pela equipe profissional. Ganso cobrou falta pela direita na cabeça do zagueiro, que desviou no canto direito de Julio Cesar, logo aos 5 minutos: 2 a 0.

Melhor no jogo, o São Paulo continuou apertando os alagoanos e criando as oportunidades. Aos 8 e 9 minutos, Ganso e Pato, respectivamente, passaram perto de ampliar. Porém, nos dois casos, o goleiro adversário praticou boa defesa e impediu o terceiro gol são-paulino.

Luis Ricardo, aos 22, também teve boa chance, mas assim como os companheiros ficou no quase. Satisfeito com o resultado e, principalmente, com a classificação para a próxima fase, o Tricolor tirou o pé e administrou a vitória, mas ainda assim anotou mais um. Ademilson, que acabara de entrar, sofreu pênalti aos 36 minutos. Com categoria, o M1TO converteu e fechou o placar na capital paulista: 3 a 0 e na briga pelo título da Copa do Brasil.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 0 CRB-AL

Local:  Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 7 de maio de 2014 (quarta-feira)
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Ronan Marques da Rosa (SC)
Assistentes: Fernanda Colombo Uliana (Fifa-SC) e Helton Nunes (SC)
Público: 20.853 pagantes
Renda: R$ 364.725,00
Cartões amarelos: Paulo Henrique Ganso (São Paulo); Diego Aragão, Johnnattan, Júlio César (CRB)
Gols:  SÃO PAULO: Osvaldo, aos 17 minutos do primeiro tempo; Lucas Silva, aos 4 minutos, e Rogério Ceni (de pênalti), aos 36 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Luis Ricardo, Lucas Silva, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Souza, Maicon e Ganso (Boschilia); Alexandre Pato (Ademilson), Osvaldo e Luis Fabiano Técnico: Muricy Ramalho

CRB: Júlio César; Diego Aragão, Marcus Vinícius, Gabriel e Gleidson; Olívio, Audálio (Marcelo), Bruno Martins (Denílson) e Johnnattan (João Vítor); Diego Rosa e Tozin Técnico: Eduardo Souza

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO Bastidores: São Paulo FC 3×0 CRB

“Quando tem criação, ficamos contentes”

Classificados, mas dispostos a melhorar

‘Top 3’, Muricy recorda ensinamentos de Telê

No Pacaembu, Tricolor decide o seu futuro na Copa do Brasil

Pato quer o time “ligado” no Pacaembu

“Não podemos deixar o adversário jogar”

Relacionados para São Paulo x CRB-AL

***(*) ******(*)

CRB-AL 2×1 São Paulo FC

23/04/2014

CRB2X1SPO CDB 24042014Com um lindo gol de Ademilson, que acertou uma bela bicicleta, o Tricolor largou na frente por uma vaga na terceira fase da Copa do Brasil de 2014, mas viu o CRB virar o placar e frustrar as suas pretensões. Na noite desta quarta-feira (23), no Estádio Rei Pelé, o São Paulo acabou derrotado por 2 a 1, com gols de Tozin e Diego Rosa, e terá que vencer na volta para se manter no torneio nacional.

Diante do finalista do Campeonato Alagoano deste ano, que foi empurrado por sua torcida durante todo o jogo, o time são-paulino tentou repetir a boa atuação da estreia do Campeonato Brasileiro, quando bateu o Botafogo por 3 a 0, mas viu a arbitragem prejudicar a sua atuação com a expulsão de Rodrigo Caio no começo do segundo tempo.

Preservando o atacante Luis Fabiano, que ficou na capital paulista, o técnico Muricy Ramalho apostou na entrada do jovem Ademilson, manteve o esquema tático e, assim, o Tricolor começou a partida com Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon, Paulo Henrique Ganso e Boschilia; Alexandre Pato e Ademilson.

No dia 7 de março, desta vez com mando tricolor, os clubes ficarão frente a frente novamente para definir o vencedor da segunda fase. Vale lembrar que o vencedor medirá força contra Bragantino ou Figueirense na terceira fase da Copa do Brasil.

Com a bola rolando, jogando com paciência, o time são-paulino foi superior no primeiro tempo e controlou a maior parte das ações. Logo aos dois minutos, Antonio Carlos deu um chutão para frente e obrigou o goleiro Júlio César sair da meta para cortar. No rebote, Pato arriscou de longe, mas errou o alvo e mandou por cima do gol.

Fechado no campo de defesa, os anfitriões tentavam travar o setor de criação do São Paulo. Com Ganso e Souza bem marcados, Souza e Maicon viraram armadores e, assim, todas as bolas passavam pelos pés da dupla. Alvaro, pela esquerda, também tentava abrir espaço e apoiava o ataque.

No entanto, aos 8, foi pela direita que os comandados de Muricy quase abriram o placar. Douglas cruzou na medida, Pato subiu livre de cabeça, testou com muito perigo, mas viu a bola passar à esquerda de Júlio César e tirar tinta da trave.

Melhor no jogo, os paulistas conseguiram tirar o zero do marcador. E com uma verdadeira pintura de Ademilson. Aos 24, o camisa 11 aproveitou bola espirrada na grande área e, de bicicleta, anotou um golaço no Estádio Rei Pelé: 1 a 0 e festa do jogador e torcida são-paulina!

Porém, quando o Tricolor buscava ampliar a vantagem, os donos da casa conquistaram o empate em Alagoas. Tozin, de pênalti aos 33 minutos, balançou as redes e fechou o placar na primeira etapa, que esfriou após o tento do CRB.

Na volta para o segundo tempo, querendo garantir a classificação já na ida, Muricy apostou na entrada de Pabon no lugar de Boschilia. Bem aberto pela direita, quase como um ponta, o colombiano tentou puxar as jogadas em velocidade e surpreender os alagoanos.

Mas, aos 14 minutos, a estratégia do treinador foi prejudicada pela arbitragem, que expulsou Rodrigo Caio após falta no meio de campo – o camisa 7 tinha cartão amarelo. Com apenas dez homens em campo, o Tricolor mudou a sua postura, arriscou nos contragolpes e fez o tempo passar para garantir o direito de atuar pelo empate sem gols na volta. No entanto, aos 38 minutos e de tanto insistir, o CRB virou. Diego Rosa marcou e fechou o placar em Maceió.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
CRB 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 23 de abril de 2014 (quarta-feira)
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Assistentes: Daniel Vidal Pimentel e Victor Oliveira Cruz (ambos do SE)
Cartões amarelos: Marcus Vinícius (CRB); Rodrigo Caio, Rogério Ceni, Souza (São Paulo)
Cartão vermelho: Rodrigo Caio (São Paulo)
Gols: CRB: Tozin (de pênalti), aos 33 minutos do primeiro tempo, e Diego Rosa, aos 37 minutos do segundo empo
SÃO PAULO: Ademilson, aos 24 minutos do primeiro tempo

CRB: Júlio César; Paulo Sérgio (Diego Aragão), Marcus Vinícius, Gabriel e Gleidson (João Vítor); Olívio, Audálio, Johnnattan e Diego Rosa; Geovani e Tozin (Denílson) Técnico: Eduardo Souza

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Álvaro Pereira, Souza, Maicon, Boschilia (Pabon) e Ganso (Paulo Miranda); Ademilson e Alexandre Pato (Osvaldo) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de CRB-AL x São Paulo

Muricy aponta erros, mas mantém confiança

“Temos o jogo de volta para inverter a situação”

Após golaço, Ademilson mira mais

Maceió festeja o Tricolor

Novamente no Rei Pelé, Tricolor briga para avançar na Copa do Brasil

Delegação segue para Maceió

Relacionados para CRB-AL x São Paulo

Descontração e ‘pé na fôrma’ antes de embarcar

***(*) ******(*)

Ética versus Falta de Educação

19/04/2014

Salve Soberania.

Não deveria, mas eu ainda me surpreendo.

Mudou o presidente, mas o tratamento reservado ao nosso clube continua o mesmo. Se vislumbrarem um pequeno traço de vantagem política ao São Paulo FC nos bastidores, os hipócritas esquecidos (?) clamarão pela ética.

Museu pelé e fasci-me-rir receberam títulos brasileiros à granel há poucos anos atrás, não importando se entre estas conquistas , estão torneios onde foram disputados QUATRO jogos até chegar ao título. O campeonato brasileiro atual tem 38 rodadas e um clube para ter o direito de levantar a taça, tem que cruzar o país de norte a sul. Não importa. A CBF ratificou.

Vale pra eles, pra nós não vale: vide o Roberto Gomes Pedrosa vencido pelo São Paulo FC em 1956. Não ratificaram, não pedimos, pouco importa. Não faremos dossiês por asteriscos. Eles não cabem na nossa história.

O museu pelé contratou o Gabigol quando este era menor de 16 anos e o levou para o litoral. Não levantamos a voz por ética, afinal, deram casa e arrumaram emprego para o pai do menino, além de um robusto salário. Como não tinha contrato, ele foi ser feliz. Sem gritarias.

Vale pra eles, pra nós não vale: a base do São Paulo FC esteve próxima a um boicote nacional, porque clubes mal estruturados perderam seus atletas menores de 16 anos para Cotia. Pais preocupados com o futuro dos seus filhos procuram nosso CT de base, interessados em levar seus projetos de craque para a formação Tricolor. Não é pra menos: oferecem escola, reforço, médicos, dentistas e tratamento psicológico, além dos fundamentos do futebol.

Flalido e time.gov alinhados com globo e CBF em 2011, destruiram o C13 e por isso recebem o dobro em cotas de TV em comparação ao que recebe o São Paulo FC. Pagamento pelos préstimos ao monopólio do futebol na TV. Antes deste episódio, as cotas eram praticamente iguais entre os três maiores clubes do país. Rebaixaram o Tricolor e nenhum jornalista levantou a voz para reclamar sobre esta diferença de tratamento. Você leu/viu algum falar a respeito ? Chegaram a tratar um cidadão semi-analfabeto como cartola exemplar, não importando como ele levou seu clube a alçar vôos mais altos, nacional e internacionalmente.

Vale pra eles, pra nós não vale: o lusitano Flávio Gomes e o santista Fábio Sormani entrevistaram na FOX Sports por telefone o novo presidente Tricolor: Carlos Miguel Aidar. O assunto era o trabalho do novo presidente como advogado para a CBF no caso rebaixamento da Portuguesa.

Para eles faltou ética ao presidente porque o São Paulo pode supostamente ser beneficiado no campeonato brasileiro por estar alinhado a entidade. Se esquecendo (?) de todos os casos citados acima e principalmente a relação espúria entre time.gov, cbf e globo. Trataram expertise profissional de forma desonrosa, como se advogar fosse tão rasteiro quanto se prestar a rachar entidades esportivas pelo toma-lá, dá-cá das vantagens prometidas e bem conhecidas de bastidores.

O Fábio Sormani, mais exaltado depois de tomar uma invertida do Aidar: -“Você acha errado, eu não acho”, disse que o presidente deveria pensar na sua consciência e no seu escritório de advocacia.

Mas isso não vale pra ninguém.

Porque uma pessoa pode até não gostar de uma instituição e lutar contra ela, mas não pode transformar uma discussão institucional em algo pessoal.

Isto é extrapolar o jornalismo, está em um patamar muito abaixo de qualquer discussão sobre ética.

É falta de educação.

***(*) ******(*)

time.gov 0x5 São Paulo FC

09/03/2014

Tabu? Que Tabu?! Na tarde deste domingo (9), no Pacaembu, o Tricolor bateu o corinthians de virada e acabou com a ‘zica’. Com gols de Paulo Henrique Ganso (golaço), Luis Fabiano e Rodrigo Caio, o São Paulo venceu por 3 a 2 e acabou com um jejum em clássicos que durava desde 2012 – eram 12 partidas sem triunfos sobre os arquirrivais.

Com o resultado, o time são-paulino registrou a sua centésima vitória sobre os corintianos na história do Majestoso. De quebra, o Tricolor aumentou a sua vantagem na liderança do Grupo A do Campeonato Paulista de 2014. Agora, após 13 rodadas, a equipe detém 24 pontos.

Com o retorno do lateral-esquerdo Alvaro Pereira, que defendeu a Seleção Uruguaia na última quarta-feira (5), o técnico Muricy Ramalho manteve o esquema tático e montou o time com Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Pabon, Osvaldo e Luis Fabiano.

Motivados, São Paulo e corinthians começaram o jogo buscando as jogadas no campo de ataque e deram trabalho aos goleiros. Douglas, logo aos dois minutos, arriscou de longe. Pouco depois, aos 4, Osvaldo fez bela jogada, passou por Guilherme, Fagner e arriscou de fora da área. A bola passou por cima do gol, mas levantou a torcida tricolor.

E quando o clássico era parelho, os mandantes abriram o placar. Depois do escanteio, Luciano Henrique cruzou a bola pelo chão, Antonio Carlos tentou desviar, mas acabou marcando contra: 1 a 0. Atrás no marcador, o São Paulo tratou de pressionar e, dessa forma, ficou mais tempo com a posse de bola.

Luis Fabiano, de longe, levou perigo ao gol de Cássio, que via os visitantes rondarem a sua área constantemente. Os comandados de Muricy trocavam passes na intermediária, mas não conseguiam avançar. O Tricolor chegou a ficar 71% do tempo com a bola contra apenas 29% do arquirrival. Assim, buscando os espaços, o time são-paulino arrancou o empate.

Aos 38 minutos, Ganso foi genial. O camisa 10 recebeu de Maicon e chutou de fora da área para acertar o ângulo do arqueiro rival, que nada pôde fazer para evitar o gol: 1 a 1. O tento deu novo ânimo ao São Paulo, que partiu em busca da virada, porém, não conseguiu balançar as redes novamente na primeira etapa. Pabon, inspirado no maestro, ainda levou perigo, mas ficou no quase.

Na volta para o segundo tempo, Wellington herdou a vaga do volante Souza, que ficou no vestiário com dores após um choque acidental na primeira etapa. Buscando a reviravolta, os visitantes se lançaram ao campo ofensivo e incendiaram o Majestoso.

Jogando melhor, o Tricolor virou o placar. Aos 5, Pabon cruzou rasteiro após grande jogada de Douglas, e Luis Fabiano só teve o trabalho de mandar para o fundo das redes e correr para a torcida são-paulina: 2 a 1! O São Paulo tocava a bola em busca do terceiro, quando os corintianos deixaram tudo igual. Antonio Carlos tentou cortar o cruzamento, aos 9, e marcou contra.

Com a igualdade, o duelo ficou equilibrado novamente e as chances foram diminuindo aos poucos. Mais agudo, o Tricolor até criou mais jogadas e esteve perto de assegurar o triunfo, mas a forte marcação do adversário dificultava as descidas do São Paulo. E se por baixo as investidas não davam certo, o jeito foi apostar pelo alto.

E coube ao jovem Rodrigo Caio derrubar o incômodo tabu. Aos 33, Osvaldo cruzou com perfeição e o camisa 7 testou com estilo: 3 a 2 e festa tricolor no Pacaembu. Em vantagem, o São Paulo administrou o resultado e conquistou a sua centésima vitória sobre o arquirrival na história do Majestoso.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
corinthians 2 X 3 SÃO PAULO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 9 de março de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Público: 29.119 pagantes
Renda: R$ 1.003.813,50
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira e Anderson Jose de Moraes
Cartões amarelos: Cássio e Luciano (corinthians); Maicon, Antônio Carlos e Wellington (São Paulo)

Gols: corinthians: Antônio Carlos, contra, aos nove minutos do primeiro tempo e aos 14 minutos do segundo tempo.  SÃO PAULO: Paulo Henrique Ganso, aos 38 minutos da etapa inicial; Luís Fabiano, aos nove do segundo tempo e Rodrigo Caio aos 34.

corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Guilherme, Bruno Henrique (Danilo) e Renato Augusto (Guerrero); Romarinho (Emerson) e Luciano Técnico: Mano Menezes

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Maicon, Souza (Wellington) e Ganso; Pabon, Osvaldo (Ademílson) e Luis FabianoTécnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO: corinthians 2X3 São Paulo FC Vestiário

Nada grave com Souza

Números fabulosos

Bastidores de corinthians x São Paulo

Do inferno ao céu no Pacaembu

Muricy: “O time foi corajoso”

Artilheiro do Estadual, Fabuloso parabeniza equipe

Souza será reavaliado nesta segunda

Treino tático e homenagem a zagueiro antes do clássico

Relacionados para corinthians x São Paulo

 Empolgado para o Majestoso

Embalado, Tricolor encara o corinthians no Pacaembu

Maicon prevê teste de fogo no Pacaembu

Motivação extra para o clássico

***(*) ******(*)