Archive for the ‘Copa Sul-Americana 2013’ Category

Lúcio: Era Feliz e Não Sabia

11/01/2014

Indisciplinado, encrenqueiro e insubordinado, Lúcio se queixa de tratamento no São Paulo…

piscina de plastico palmeiras***(*) ******(*)

Rapidinhas do Lina

07/01/2014

Interditado – Todo mundo se lembra que o São Paulo exigiu que o regulamento da copa sul-americana fosse cumprido à risca na semi-final do torneio no ano passado, lembram ? Então, uma das preocupações da diretoria Tricolor era com a segurança. A parte podre das redações, claro, se levantou contra a “manobra de bastidores” do São Paulo. É amigo, no Brasil cumprir regulamento é manobra. O paladino da moral e da ética relembrou 2005 e a Arena da Baixada com capacidade comprovadamente inferior ao regulamento (mínimo de 40 mil) na época, para despejar todo seu carinho contra o rival. Agora, o que ninguém disse e que não fizeram questão de ligar ao caso do ano anterior, foi a notícia que a FPF interditou o estádio campineiro para o paulista deste ano, imaginem, “por questões de segurança”. Puxa vida,  quer dizer então que o São Paulo tinha razão ?

Eleições de abril – O conselho do São Paulo já deve estar vivendo momentos de reflexão, já que faltam pouco mais de três meses para um dos pleitos mais importantes da história. Eu no lugar deles estaria em dúvida. Acho que o Aidar é mais preparado que o Kalil, até por já ter sido presidente do clube e por estar à frente de vários movimentos do futebol nacional. C13, plano de criar uma liga de clubes, projeto sócio torcedor e etc. Pesa contra, ao meu ver, o fato de ser candidato de um presidente com extrema rejeição entre a torcida e a ampla maioria quer mudança. Já o Kalil tem experiência em administração de hospitais, obviamente administrar a Santa Casa é bem diferente, mas ele tem na sua chapa, o nome de consenso entre a maioria da torcida: MAC. Além disso diz ter investidores para montar uma máquina de futebol, um fundo de R$ 100 mi, ele diz. Bom lembrar que consenso e simpatia não são necessariamente competência. Em resumo, o que temos é o risco da experiência, que pode levar a soberba – como no caso do Juvenal e o quase rebaixamento, contra o risco da inexperiência do Kalil ( em futebol ) mas com um humanismo latente e carisma. Se você fosse conselheiro, qual seria sua escolha ?

Ou vai ou racha – Com a saída do Aloísio Boi Bandido (lamentável), a tarefa de marcar gols ficou toda com o Fabuloso que tem contrato até dezembro de 2015. Esta é a temporada do vai ou racha. Se não rolar, vai rodar. Qualquer presidente eleito vai querer se livrar desta despesa mensal, de custo-benefício até agora questionável, apesar de todo seu talento. Hora de reagir, eu boto fé no cara.

A base – O São Paulo tem uma safra boa de jogadores. Este time da copinha táticamente deixa a desejar, como se viu no primeiro jogo do torneio contra os japoneses, mas individualmente têm alguns nomes interessantes. Gostei do Lucas Silva, do Ewandro, do Boschilla, do Adelino e de outros. Do meio pra frente o time é show. Se o Muricy quiser, gente vai subir para o principal. A julgar pelas contratações até agora, este deve ser um dos caminhos para formar elenco.

Lista de dispensas – Decidiram não fazer lista de dispensas como fizeram ano passado após a eliminação da Libertadores. No final do mandato, o JJ aprendeu que isso desvaloriza os jogadores. Geshitorra (gestor em carioquês).

Clube gigante não cai – Viram o China ( Juarez Soares ) falando bobagem na TV ? Disse que “vamo ver se o Muricy é bom na segundona”. Agora chupa que a manga é tua. Aliás, têm vários ai que vão chupar essa manga.

O espanto de Blatter – O atraso nas obras da copa chamaram a atenção do cartola da FIFA: “É o maior atraso que já vi” – falando a respeito das copas que organizou – e completa dizendo que “apenas agora faltando seis meses para o início do evento, o país acelerou as obras”. Por quê será que isso acontece, você sabe ? Eu também não sei, mas eu desconfio.

Procurica ConsultoriaNão te parece um tanto ridículo, uma empresa de consultoria que pega um determinado período de tempo pra criar um ranking ? Não está escrito em nenhum lugar que não se pode pegar um período e dele extrair uma lista. Mas será que é justo escolher a partir de quando medir ? O certo não é fazer sempre um ranking histórico ? Toda hora estes caras vêm com estas notinhas medíocres. Eu acho graça, sério. Quem deveria ter vergonha é quem aceita este tipo absurdo de marketing forçado. Mas tudo bem, vamos relevar. Quem gosta de ranking histórico é quem tem história pra contar e bom lembrar, sem asteriscos…

A imagem do Brasil no exterior – Outro dia disseram que a imagem do país tinha mudado lá fora.

***(*) ******(*)

Xatiada

12/12/2013

funny-monkey-11zs

***(*) ******(*)

Ponte Preta 1×1 São Paulo FC

28/11/2013

Atual campeão da Copa Sul-Americana, o Tricolor não conseguiu reverter a derrota sofrida na ida, por 3 a 1, para a Ponte Preta e acabou eliminado na semifinal do torneio. Na noite desta quarta-feira (27), no Estádio Romildão, o São Paulo ficou no empate com os campineiros por 1 a 1, na volta, e se despediu da competição internacional. Os atacantes Leonardo, no primeiro tempo, e Luis Fabiano, no segundo, anotaram os gols da partida.

Na final, os pontepretanos enfrentarão Libertad-PAR ou Lanús-ARG. Já o time são-paulino, que soube reagir na temporada e espantar qualquer risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, entrará em campo novamente no próximo domingo (1º de dezembro). No Estádio Heriberto Hulse, às 17h (de Brasília), o São Paulo medirá forças contra o Criciúma pela 37ª rodada.

Para a partida contra os campineiros, o técnico Muricy Ramalho conseguiu repetir a mesma escalação do último final de semana, contra o Botafogo (1 a 1), e montou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Antônio Carlos, Rodrigo Caio e Reinaldo; Denilson, Maicon, Douglas e Ganso; Ademilson e Aloísio.

Logo após o apito inicial, a equipe são-paulina foi para cima do adversário e criou as melhores jogadas.  Buscando o primeiro gol, o Tricolor tratou de acionar os atacantes Ademilson e Aloísio, que buscavam a movimentação para finalizarem na baliza de Roberto. Aos 15, Ademilson deixou Baraka no chão e chutou rasteiro da entrada da área. A bola saiu à direita do gol da Ponte Preta.

O São Paulo mandava no jogo quando o volante Denilson, aos 24 minutos, sentiu um mal-estar e acabou substituído por Wellington. E no minuto seguinte, no interior paulista, Douglas passou perto de abrir o placar após cabecear com perigo. Buscando mais o jogo e sem levar sustos na defesa, o Tricolor seguiu pressionando e só não balançou as redes aos 31 minutos, porque Roberto saiu bem do gol e evitou que Aloísio testasse sozinho.

Já aos 35, aproveitando cobrança de falta de Douglas, Rodrigo Caio parou nas mãos do arqueiro campineiro. No entanto, quando os comandados do técnico Muricy Ramalho eram superiores e encurralavam o rival, os pontepretanos abriram o marcador com Leonardo, aos 41 minutos, e as equipes foram para o intervalo com o clube de Campinas em vantagem: 1 a 0.

Na volta para o segundo tempo, o São Paulo manteve a mesma formação, mas não conseguiu manter a mesma ofensividade. Diante de um rival preso na defesa e apostando nos contragolpes, o Tricolor esbarrou na marcação adversária e tinha dificuldades para finalizar. E sentindo que o time precisava arriscar mais, Muricy promoveu as entradas de Luis Fabiano e Welliton, aos 16 minutos, nas vagas de Paulo Miranda e Ademilson.

Porém, nem mesmo as alterações do treinador foram capazes de mudarem o panorama do jogo. A equipe são-paulina até conseguiu chegar na área campineira, mas não assustava o goleiro Roberto. Dessa forma, a Ponte Preta foi ganhando mais confiança e, aos poucos, foi chegando ao ataque e finalizando contra Rogério Ceni.

E quando parecia que o resultado não seria alterado, o atacante Luis Fabiano apareceu livre e, de cabeça, decretou o empate no Romildão, aos 38 minutos: 1 a 1. Apesar de lutar nos minutos finais, o Tricolor não conseguiu balançar as redes novamente e acabou se despedindo da Copa Sul-Americana de 2013.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Estádio Romildo Vitor Gomes Ferreira, em Mogi Mirim (SP)
Data: 27 de novembro de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50
Público: 12.161 pagantes
Renda: 202.596,00 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Vera (EQU)
Assistentes: Christian Lescano (EQU) e Byron Romero (EQU)
Cartões amarelos: Diego Sacoman (Ponte Preta); Antônio Carlos, Douglas e Wellington (São Paulo)
Gols:
PONTE PRETA: Leonardo, aos 42 minutos do primeiro tempo
SÃO PAULO: Luís Fabiano, aos 38 minutos do segundo tempo

PONTE PRETA: Roberto; Artur, César, Diego Sacoman e Uendel (Chiquinho); Baraka, Fernando Bob, Fellipe Bastos e Elias (Adaílton); Rildo e Leonardo (Magal) Técnico: Jorginho

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda (Luís Fabiano), Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Reinaldo; Maicon, Denilson (Wellington), Douglas e Paulo Henrique Ganso; Ademilson (Wellinton) e Aloísio Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Gols

Relacionados

Bastidores de Ponte Preta x São Paulo

“Temos de agradecer, porque a situação era complicadíssima”

Ganso aposta na evolução da equipe em 2014

Jogadores lamentam reação tardia do Tricolor

***(*) ******(*)

Nunca Antes Na História do Maior Clube do Brasil

27/11/2013

JJUm presidente perdeu tanto em torneios mata-mata:

01)   2006 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
02)   2007 – Eliminado do Paulista (São Caetano)
03)   2007 – Eliminado Copa Sul-Americana (Milionários-COL)
04)   2007 – Eliminado da Libertadores (Grêmio-RS)
05)   2008 – Eliminado do Paulista (Palmeiras)
06)   2008 – Eliminado da Libertadores (Fluminense)
07)   2009 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
08)   2009 – Eliminado da Libertadores (Cruzeiro)
09)   2010 – Eliminado do Paulista (Santos)
10)   2010 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
11)   2011 – Eliminado do Paulista (Santos)
12)   2011 – Eliminado da Copa do Brasil (Avaí-SC)
13)   2011 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Libertad-PAR)
14)   2012 – Eliminado do Paulista (Santos)
15)   2012 – Eliminado da Copa do Brasil (Coritiba)
16)   2013 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
17)   2013 – Eliminado da Libertadores (Atlético-MG)
18)   2013 – Vice da recopa Sul-Americana (Corinthians)
19)   2013 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Ponte Preta)
 
Via Roberto Dias 1935
 
***(*) ******(*)

São Paulo FC 1×1 Botafogo

24/11/2013

Em noite especial para o goleiro Rogério Ceni, que se tornou o jogador de futebol no mundo com 1117 jogos em um mesmo time, São Paulo e Botafogo ficaram no empate, por 1 a 1, na noite deste domingo (24). O Tricolor pressionou durante boa parte da partida, válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2013, mas não conseguiu bater os cariocas. Aloísio abriu o placar, porém, Elias deixou tudo igual e fez com que a equipe são-paulina somasse apenas um ponto.

Paulo Henrique Ganso, inspirado, ditou o ritmo do jogo e foi um dos grandes destaques. Habilidoso, o maestro deu trabalho aos marcadores rivais e, por pouco, não marcou um verdadeiro gol de placa. Com o resultado, o São Paulo caiu da oitava para a sexta colocação e, agora, detém 50 pontos. Na próxima quarta-feira (27), pelo duelo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, o Tricolor ficará frente a frente novamente com a Ponte Preta.

Antes de a bola rolar, na capital paulista, Rogério recebeu um troféu das mãos do presidente Juvenal Juvêncio por se tornar neste final de semana o jogador que mais vezes vestiu a camisa de um mesmo clube no mundo. São 1.117 jogos contra 1.116 de Pelé, que detinha o recorde. E para homenagear o Rei do Futebol, o M1TO atuou com a camisa número 10 em alusão ao eterno craque da Seleção Brasileira.

Na entrada das equipes em campo, os jogadores do Tricolor usaram a camisa número 01 em homenagem ao goleiro Rogério Ceni, que foi aplaudido de pé pela torcida são-paulina. Um verdadeiro foguetório e clima festivo recepcionaram o arqueiro, que começou o jogo ao lado de Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Reinaldo; Denilson, Douglas, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Ademilson e Aloísio.

E com a bola rolando no primeiro tempo, o São Paulo tratou de encurralar o Botafogo e criar as jogadas ofensivas. Assim, logo aos três minutos, as redes balançaram. Douglas cobrou falta, Rodrigo Caio desviou de cabeça e o Aloísio deu uma ‘voadora’ na bola para inaugurar o placar: 1 a 0. Foi o 11º gol do Boi Bandido no Brasileirão, que dessa forma assumiu a artilharia do time na temporada, agora com 22 gols.

Melhor no jogo e apostando nas bolas enfiadas pelo maestro Paulo Henrique Ganso, que tentava acionar Ademilson e Aloísio, o Tricolor envolvia os cariocas e buscava ampliar a vantagem. Aos 11, Ademilson recebeu passe em profundidade, mas o goleiro do Botafogo saiu bem do gol e evitou que o camisa 11 anotasse o segundo gol.

No campo de defesa, mostrando que ainda vive grande fase, Rogério praticava boas defesas e encantava os torcedores, que mesmo na noite deste chuvoso domingo fizeram questão de comparecer ao Morumbi e apoiar o time. E o grito de gol só não saiu da garganta da torcida, ainda no primeiro tempo, porque Aloísio não teve ângulo para finalizar aos 23 minutos.

O São Paulo ainda era superior na partida quando os visitantes conseguiram o empate. Elias, aos 27 minutos, aproveitou cruzamento na grande área e deixou tudo igual: 1 a 1. O tento do Botafogo esfriou o confronto e as equipes foram para o intervalo sem que as redes balançassem novamente.

Na volta para o segundo tempo, para dar cara nova no meio de campo, o técnico Muricy Ramalho promoveu a entrada de Wellington no lugar de Maicon. E se a primeira etapa terminou ‘fria’, a segunda começou agitada e com o Tricolor armando uma blitz para cima dos botafoguenses. Com a entrada do camisa 5, Ganso ganhou ainda mais liberdade e infernizou os marcadores.

Aos 5, Aloísio deixou Ademilson na cara do gol. O atacante chutou colocado, mas acertou o travessão! Pouco depois, aos 9, o maestro foi fantástico. O craque são-paulino invadiu a área, deu uma caneta linda em Julio Cesar e tocou por cima de Jefferson. A bola tocou na trave, correu por cima da linha, mas Dória conseguiu afastar.

Mandando no jogo, os paulistas não paravam de criar as jogadas, porém, esbarravam na falta de sorte. Após cobrança de escanteio, aos 13, Antonio Carlos cabeceou no travessão! Pressão total do Tricolor! Acuado, o Botafogo tratou de cadenciar a partida e, para manter a ofensividade do time, Muricy colocou Luis Fabiano na vaga do Boi Bandido.

Com o Fabuloso, os anfitriões ganharam uma referência e retomaram o estilo agressivo. Para manter a busca pelo segundo gol, Osvaldo ainda entrou no lugar de Douglas, mas os cariocas conseguiram esfriar a partida novamente e impediram que a torcida são-paulina pudesse comemorar mais uma vitória na competição nacional deste ano.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 BOTAFOGO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 24 de novembro de 2013, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Fábio Pereira (Fifa-TO) e Nadine Bastos (SC)
Cartões amarelos: Paulo Miranda (São Paulo). Hyuri e Edilson (Botafogo)
Público: 12.692 pagantes
Renda: R$ 144.352,00
GOLS: SÃO PAULO: Aloísio, aos 3 minutos do primeiro tempo
BOTAFOGO: Elias, aos 27 minutos do primeiro tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Reinaldo; Denilson, Maicon (Wellington), Douglas (Osvaldo) e Ganso; Aloísio (Luis Fabiano) e Ademilson Técnico: Muricy Ramalho

BOTAFOGO: Jefferson, Edilson, Dankler, Dória e Júlio Cesar; Gabriel, Renato (Marcelo Mattos), Seedorf, Hyuri (Lodeiro) e Rafael Marques; Elias (Bruno Mendes) Técnico: Oswaldo de Oliveira

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO Bastidores #M1TO1117

VÍDEO Coletiva de imprensa – Muricy Ramalho

Jogadores celebram marca de Rogério: “Privilegiados”

Eu no Morumbi: São Paulo x Botafogo

Noite do M1TO!

Bastidores de São Paulo x Botafogo

Muricy: “O Rogério é um fenômeno”

Recordista, M1TO agradece à torcida

Ganso: “Quase não acreditei”

E-book #M1TO1117 para download!

São Paulo FC lamenta o falecimento de Jancarlos

***(*) ******(*)

Tropeçando na Ponte

22/11/2013

Opinou sem saber.

Dimensões gramado do Cícero Pompeu de Toledo: 108,25m x 72,70m.

Dimensões gramado do Romildo Gomes Ferreira: 108,50m x 71,20m.

***(*) ******(*)

São Paulo FC 1×3 Ponte Preta

21/11/2013

macaca vai sfO Tricolor terá que, mais uma vez, buscar a classificação fora de casa. Na noite desta quarta-feira (20), no Morumbi, o São Paulo acabou derrotado pela Ponte Preta, de virada, por 3 a 1. Ganso até colocou a equipe em vantagem, mas Antonio Carlos (contra), Leonardo e Uendel decretaram a vitória dos campineiros no duelo de ida válido pela semifinal da Copa Sul-Americana 2013.

Na próxima semana, no dia 27, o time são-paulino fará o jogo da volta e buscará a vaga para a grande decisão do torneio. Vale lembrar que diante de Universidad Católica-CHI e Atlético Nacional-COL o São Paulo conquistou a classificação longe de seus domínios. O confronto desta noite, com mais de 53 mil torcedores, registrou a 1116ª partida de Rogério Ceni pelo clube, igualando o recorde de Pelé.

Para a partida contra os campineiros, o técnico Muricy Ramalho não pôde contar com Jadson, lesionado, e optou por deixar Douglas e Luis Fabiano como opções para o decorrer do jogo. O time começou com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Antonio Calos, Rodrigo Caio e Reinaldo; Denilson, Maicon, Lucas Evangelista e Paulo Henrique Ganso; Ademilson e Aloísio.

Ganso centralizado, Evangelista apoiando pela esquerda e Ademilson com liberdade para atacar eram os responsáveis por criarem as jogadas ofensivas. O primeiro tempo começou estudado, mas o Tricolor explorava o campo de ataque. Aloísio, trombando com os marcadores tentava chegar até o gol de Roberto, mas esbarrava no sistema defensivo rival.

E se tabelando o time não conseguia entrar na área adversária, o maestro tratou de justificar o seu apelido. Aos 20 minutos, o Boi Bandido recuperou a bola e rolou para Ganso. Na entrada da área, o camisa 8 ajeitou e chutou, mesmo de direita. A bola bateu na trave e estufou as redes do Morumbi. Festa da torcida são-paulina, que foi à loucura.

A Ponte Preta sentiu o gol e os jogadores demonstravam certo nervosismo dentro de campo. Acuados, os campineiros não conseguiam avançar e, assim, o São Paulo tinha mais posse de bola. Porém, quando a primeira etapa parecia terminar com o Tricolor em vantagem, os visitantes conseguiram o empate. Aos 43, Antonio Carlos tentou cortar cruzamento da esquerda e marcou contra.

Na volta para o segundo tempo, chuvoso, Muricy promoveu a entrada do meio-campista Wellington no lugar de Lucas Evangelista e, dessa forma, tentou reforçar o setor de marcação. No entanto, a alteração do comandante não teve tempo de surtir efeito. Logo aos 7 minutos, Leonardo aproveitou bate e rebate para virar o placar: 2 a 1.

Com o campo escorregadio, o time são-paulino tinha dificuldade para trocar passes e buscar o gol de empate. E sentindo que o time precisava de sangue novo, o treinador promoveu a entrada de Luis Fabiano, aos 16 minutos, no lugar de Maicon. E com poucos minutos no jogo, o Fabuloso levou perigo. Aos 20, o camisa 9 aproveitou cruzamento de Paulo Miranda, testou firme e viu a bola passar rente a trave.

Buscando o resultado positivo, o São Paulo tentava as jogadas pelas pontas, mas parava na marcação campineira. Mais tranquilos com a virada, os pontepretanos tocavam a bola com calma e buscavam os espaços. Assim, aos 26 minutos, Uendel bateu de perna esquerda e decretou o triunfo dos visitantes: 3 a 1. Daí em diante, mesmo com a entrada de Welliton, o Tricolor buscou o gol, armou uma verdadeira blitz, mas não conseguiu evitar o revés.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1X3 PONTE PRETA

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 20 de novembro de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Diego Abal (Argentina)
Assistentes: Hernan Maidana e Juan Belatti (ambos da Argentina)
Público: 53.302 pagantes
Renda: R$ 1.814.485,00
Cartões Amarelos:
Paulo Miranda e Denilson (São Paulo); Cesar, Fellipe Bastos e Uendel (Ponte Preta)

GOLS: São Paulo: Ganso, aos 23 minutos do primeiro tempo – Ponte Preta: Antonio Carlos (contra), aos 44 minutos do primeiro tempo; Leonardo aos 9 e Uendel aos 26 do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Antonio Carlos, Rodrigo Caio e Reinaldo; Denilson, Maicon (Luis Fabiano), Lucas Evangelista (Wellington) e Paulo Henrique Ganso; Ademilson (Welliton) e Aloísio Técnico: Muricy Ramalho

PONTE PRETA: Roberto (Edson Bastos); Artur, César, Diego Sacoman e Uendel; Baraka, Fernando Bob, Felipe Bastos (Chiquinho) e Elias (Magal); Rildo e Leonardo Técnico: Jorginho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Craques da Arquibancada: São Paulo x Ponte Preta

Ganso mantém otimismo e aposta na força do Tricolor

Treino para reerguer a cabeça

Eu no Morumbi: São Paulo x Ponte Preta

Bastidores de São Paulo x Ponte Preta

Muricy: “Não vamos jogar a toalha, não”

Jogadores lamentam oportunidades desperdiçadas

Luis Fabiano: “Ficou difícil, mas não impossível”

Tricolor poderá bater recorde da Sul-Americana

No Morumbi, Tricolor inicia disputa por uma vaga na decisão

Muricy sobre Rogério: “Escolheu ser diferente”

***(*) ******(*)

FluminenC 2×1 São Paulo FC

17/11/2013

O São Paulo até saiu na frente, mas não conseguiu segurar o Fluminense, no Maracanã, e perdeu por 2 a 1. Na tarde deste domingo (17), com gols de Jean e Gum, os cariocas venceram o confronto válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2013. O tento do Tricolor, que se manteve na zona intermediária da tabela, com 49 pontos, foi anotado pelo atacante Welliton ainda no primeiro tempo.

Focado na Copa Sul-Americana, onde o clube enfrentará a Ponte Preta na próxima quarta-feira (20), no Morumbi, o Tricolor conseguiu descansar boa parte do elenco neste final de semana, já que a desgastante maratona de jogos preocupava o comandante são-paulino.

Poupando os titulares, além de não poder contar com os suspensos pelo terceiro cartão amarelo, Denilson e Luis Fabiano, o técnico Muricy Ramalho escalou o time com Denis; Lucas Silva, Rafael Toloi, Edson Silva e Lucas Evangelista; Fabricio, Wellington, João Schmidt e Jadson; Osvaldo e Welliton.

No primeiro tempo, os anfitriões começaram melhor e deram trabalho ao goleiro Denis. No entanto, aos poucos, a equipe são-paulina foi deixando o campo de defesa e levando perigo. Jadson, aos 9 e 11 minutos, quase abriu o placar explorando as cobranças de bola parada. Com as experiências do camisa 10, Fabrício e Osvaldo, mais a juventude e disposição dos jovens João Schmidt e Evangelista, o São Paulo foi melhorando no jogo.

Após reagir na partida, o Tricolor tirou o zero do placar. Jadson encontrou João Schmidt, que mandou de calcanhar e tocou para Welliton bater Diego Cavalieri: 1 a 0. Mais soltos e confiantes, os paulistas foram ditando o ritmo do encontro e pressionando. Wellington, aos 23, só não ampliou porque o arqueiro carioca fez boa defesa no chute do volante, de fora da área.

E quando os visitantes eram melhores, o Fluminense conseguiu empatar. Jean aproveitou bate e rebate para deixar tudo igual no Rio de Janeiro: 1 a 1. O gol animou os cariocas, que se lançaram ao ataque e deram trabalho ao goleiro Denis. Praticando boas defesas, o camisa 12 evitou a virada e garantiu que o primeiro tempo terminasse sem que as redes balançassem novamente.

Na volta para a segunda etapa, querendo dar mais ofensividade ao time, Muricy promoveu a entrada de Mateus Caramelo no lugar de Lucas Silva. Mais arisco, o camisa 32 entrou na partida com a missão de avançar pelo lado direito do campo. Osvaldo, pela esquerda, descia em velocidade e tentava tirar a equipe do campo de defesa.

Empurrados pela torcida, os jogadores do Fluminense ficaram mais tempo com a bola no pé e rondaram a grande área do Tricolor. Denis, bem posicionado, apareceu bem quando foi exigido e conteve os ataques rivais.

Para dar cara nova ao jogo, Ademilson e Maicon ainda entraram no jogo, mas não conseguiram mudar o panorama do duelo. Os donos da casa, precisando dos três pontos para subirem na tabela da competição, conseguiram finalizar mais vezes e conquistaram a vitória. Denis ainda praticou uma defesa difícil, após cobrança de falta, e viu a bola explodir na trave.

Porém, já aos 43 minutos, Gum testou e virou o placar. Agora, o elenco são-paulino trabalhará no Centro de Treinamento da Barra Funda, já nesta segunda-feira (18), de olho no difícil encontro contra a Ponte Preta, na próxima quarta-feira (20), no Morumbi.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17 de novembro de 2013 (domingo)
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e José Javel Silveira (RS)
Público: 32.459 pagantes
Renda: R$ 365.825,00
Cartões amarelos: Edinho, Gum, Jean (Fluminense); Wellington, Mateus Caramelo (São Paulo)

Gols: FLUMINENSE: Jean, aos 24 minutos do primeiro tempo, e Gum, aos 43 minutos do segundo tempo – SÃO PAULO: Welliton, aos 17 minutos do primeiro tempo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Igor Julião, Gum, Leandro Euzébio e Digão; Edinho, Jean e Wagner; Rhayner (Biro Biro), Rafael Sobis (Anderson) e Samuel (Marcelinho) Técnico: Dorival Júnior

SÃO PAULO: Denis; Lucas Silva (Mateus Caramelo), Rafael Toloi, Edson Silva e Lucas Evangelista; Wellington, Fabrício (Maicon), João Schmidt e Jadson; Osvaldo e Welliton (Ademilson) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Fluminense x Sao Paulo

Muricy: “Jogamos até bem”

Jogadores lamentam derrota nos minutos finais

***(*) ******(*)

São Paulo FC 2×0 Flamengo

13/11/2013

várzeaO Tricolor conseguiu manter o bom retrospecto em Itu e, assim, venceu mais uma no Campeonato Brasileiro de 2013. Na noite desta quarta-feira (13), no Estádio Novelli Júnior, o São Paulo bateu o Flamengo por 2 a 0 e manteve a invencibilidade na cidade, que agora já dura mais de 20 anos. Com gols de Rogério Ceni e Ademilson, ambos no segundo tempo, os paulistas assumiram o 7º lugar, com 49 pontos, após 34 rodadas.

Sem poder contar com o Morumbi, já que o clube foi condenado pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva por incidentes no clássico contra o Corinthians (0 a 0), no dia 13 outubro, o Tricolor escolheu mandar a partida em Itu. Quando um clube é punido com a perda de mando de campo pelo STJD, obrigatoriamente ele precisa mandar seus jogos a uma distância mínima de 100 km de sua cidade sede.

Poupando Maicon, sem poder contar com Aloísio (lesionado), mas com as voltas de Luis Fabiano e Paulo Henrique Ganso, o técnico Muricy Ramalho montou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Reinaldo; Denilson, Wellington, Douglas e Ganso; Ademilson e Luis Fabiano.

O primeiro tempo foi equilibrado, muito estudado, e as equipes pouco fizeram para balançar as redes. Com os sistemas de marcação de ambos bem postados, os atacantes tinham dificuldade para encontrar os espaços e finalizar com perigo. Assim, Douglas tratou de apoiar os homens de frente e surgiu algumas vezes na área carioca.

Aos 19, 20 e 22 minutos, o lateral-direito apareceu de surpresa e tentou abrir o placar. No entanto, sempre com um defensor por perto, o camisa 23 não conseguiu concluir a jogada com efetividade. E se os goleiros não trabalhavam tanto defensivamente, Rogério Ceni foi ao ataque. Aos 29, M1TO bateu colocado, por cima da barreira, mas a bola passou por cima do gol e os clubes foram para o intervalo sem que o marcador fosse alterado.

“A nossa dificuldade é que eles estão marcando muito bem. Não estamos criando jogadas claras para fazer o gol, mas precisamos continuar. Estamos bem e uma hora a bola vai aparecer”, avaliou o atacante Luis Fabiano na ida para os vestiários do Estádio Novelli Júnior.

E se o primeiro tempo foi mais ‘preso’, o panorama do segundo foi totalmente diferente. Apesar de voltarem com a mesma formação e sem alterações, os times mudaram a postura e foram criando as oportunidades logo no início da etapa complementar.

Dessa forma, a torcida são-paulina logo pôde comemorar o primeiro gol da noite. Aos 3 minutos, Luis Fabiano sofreu pênalti. Com categoria, Rogério Ceni converteu e colocou os paulistas em vantagem: 1 a 0. Melhor no jogo, o Tricolor continuou pressionando e conseguiu marcar o segundo gol para dar mais tranquilidade.

Aos 17 minutos, Ganso aproveitou bobeada de André Santos e deu bom passe para Ademilson, que bateu cruzado e ampliou para os comandados de Muricy. Festa dos torcedores paulistas, que não pararam de cantar e incentivar os jogadores no interior do estado. Mais solto após o tento do camisa 19, o São Paulo tratou de tocar a bola, cadenciar a partida e assegurar mais uma vitória na competição nacional.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 0 FLAMENGO

Local: Estádio Novelli Júnior, em Itu (SP)
Data: 13 de novembro de 2013 (quarta-feira)
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Assistentes: Janette Arcanjo (Fifa-MG) e Marcus Vinicius Gomes (MG)
Cartões amarelos: Ademilson, Antônio Carlos, Luis Fabiano, Paulo Miranda, Denilson (São Paulo); Amaral, André Santos, Elias (Flamengo)

Gols: SÃO PAULO: Rogério Ceni (de pênalti), aos três minutos do segundo tempo, e Ademilson, aos 17 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Reinaldo; Wellington, Denilson, Douglas e Ganso; Ademilson e Luis Fabiano Técnico: Muricy Ramalho

FLAMENGO: Paulo Victor, Leonardo Moura, Wallace, Chicão e André Santos; Amaral, Luiz Antonio (Diego Silva), Elias e Carlos Eduardo (Bruninho); Paulinho e Hernane Técnico: Jayme de Almeida

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO Coletiva de Imprensa: Muricy Ramalho

VÍDEO Bastidores: São Paulo 2 x 0 Flamengo

#3Cores1SóTorcida: São Paulo x Flamengo

Craques da Arquibancada: São Paulo x Flamengo

Após gol, M1TO brinca: “Se você não faz, os caras te matam”

Bastidores de São Paulo x Flamengo

Rogério: “Só pedimos bom senso”

Muricy: “A gente está aliviado, não feliz”

Fabuloso: “Vou voltar a ser o que era ainda este ano”

Luis Fabiano e Denilson não encaram o Fluminense

***(*) ******(*)

Atlético-PR 3×0 São Paulo FC

10/11/2013

O Tricolor não conseguiu bater o vice-líder do Campeonato Brasileiro de 2013. Na tarde deste domingo (10), na Vila Capanema, o São Paulo acabou derrotado pelo Atlético-PR por 3 a 0. Os gols do confronto, válido pela 33ª rodada, foram marcados por Marcelo, Luiz Alberto e Éderson. Com o resultado, os paulistas se mantiveram na 8ª colocação, com 46 pontos.

Na próxima rodada, agendada para quarta-feira (13), o Tricolor enfrentará o Flamengo. A partida, que não poderá ser disputada no Morumbi, será no Estádio Novelli Junior, em Itu. Nesta segunda-feira (11), os jogadores se reapresentarão normalmente no Centro de Treinamento da Barra Funda e já trabalharão de olho nos cariocas.

Para o confronto em Curitiba, que contou com o retorno de Ganso, o técnico Muricy Ramalho escalou o seu time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Reinaldo; Denilson, Maicon, Douglas e Paulo Henrique Ganso; Ademilson e Aloísio.

Com a bola rolando, o gramado ruim do Estádio Durival de Britto atrapalhou a equipe são-paulina. Maicon e Ganso, com a missão de armar o Tricolor, tiveram dificuldades para trocar passes. Ainda assim, o São Paulo foi mais eficiente no fundamento e ficou mais tempo com a bola no pé. No entanto, empurrado por sua torcida, os donos da casa conseguiram balançar as redes.

Ademilson e Douglas passaram perto de abrir o placar no Paraná, mas foi o Atlético que largou na frente. Aos 12 minutos, Marcelo recebeu na grande área e inaugurou o marcador. O tento dos paranaenses não intimidou os comandados de Muricy, que apesar das dificuldades continuaram buscando o gol. Aos, 16, Reinaldo escapou pela esquerda e cruzou rasteiro. Na pequena área, Aloísio girou sobre a marcação e chutou rente a trave esquerda.

E quando os visitantes levavam mais perigo, os anfitriões ampliaram. Luiz Alberto, após cobrança de escanteio aos 26, testou e anotou o segundo gol do jogo: 2 a 0. A resposta do Tricolor veio aos 37 minutos, com Maicon, mas o chute do camisa 18 parou nas mãos do goleiro Weverton, que praticou boa defesa e garantiu a vantagem do Atlético na primeira etapa.

Na volta para o segundo tempo, para tentar mudar o panorama da partida e dar mais ofensividade ao time, Muricy promoveu a entrada de Osvaldo no lugar de Denilson. Dessa forma, Douglas foi deslocado para a lateral direita, Paulo Miranda para a zaga e Rodrigo Caio foi para o meio.

A alteração do treinador deu mais opções ao sistema ofensivo do Tricolor, que rondou a área do adversário e apostou na velocidade de Osvaldo. Porém, assim como nos primeiros 45 minutos, o Atlético conseguiu ser mais eficiente nas finalizações. Aos 12, Éderson marcou o terceiro gol do confronto e esfriou a reação são-paulina.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO- PR 3 X 0 SÃO PAULO

Estádio: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)
Data: 10 de novembro de 2013, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Público: 12.754 pagantes
Renda: R$ 223.960,00
Árbitro: Paulo Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Márcio Eustáquio (Fifa-MG) e Nadine Schramm (SC)
Cartões amarelos: Everton, Ederson e Manoel (Atlético-PR); Paulo Miranda (São Paulo)

Gols: ATLÉTICO-PR: Marcelo, aos 12, e Luiz Alberto, aos 26 minutos do primeiro tempo; Ederson, aos 12 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Juninho; Bruno Silva (Deivid), João Paulo, Everton e Paulo Baier; Marcelo (Dellatorre) e Ederson (Ciro) Técnico: Vagner Mancini

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Reinaldo; Denilson (Osvaldo), Maicon (Wellington), Douglas e Ganso; Ademilson e Aloísio (Welliton) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Atlético-PR x São Paulo

Muricy: “Achamos que dava para jogar, mas era impossível”

Rogério quer resposta positiva antes da Sul-Americana

Jogadores criticam gramado do Estádio Durival Britto

***(*) ******(*)