Archive for the ‘Copa Sul-Americana 2011’ Category

Nunca Antes Na História do Maior Clube do Brasil

27/11/2013

JJUm presidente perdeu tanto em torneios mata-mata:

01)   2006 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
02)   2007 – Eliminado do Paulista (São Caetano)
03)   2007 – Eliminado Copa Sul-Americana (Milionários-COL)
04)   2007 – Eliminado da Libertadores (Grêmio-RS)
05)   2008 – Eliminado do Paulista (Palmeiras)
06)   2008 – Eliminado da Libertadores (Fluminense)
07)   2009 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
08)   2009 – Eliminado da Libertadores (Cruzeiro)
09)   2010 – Eliminado do Paulista (Santos)
10)   2010 – Eliminado da Libertadores (Inter-RS)
11)   2011 – Eliminado do Paulista (Santos)
12)   2011 – Eliminado da Copa do Brasil (Avaí-SC)
13)   2011 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Libertad-PAR)
14)   2012 – Eliminado do Paulista (Santos)
15)   2012 – Eliminado da Copa do Brasil (Coritiba)
16)   2013 – Eliminado do Paulista (Corinthians)
17)   2013 – Eliminado da Libertadores (Atlético-MG)
18)   2013 – Vice da recopa Sul-Americana (Corinthians)
19)   2013 – Eliminado da Copa Sul-Americana (Ponte Preta)
 
Via Roberto Dias 1935
 
***(*) ******(*)

O Ritual da União

06/11/2011

Ugo Giorgetti

Aconteceu num grande clube de S.Paulo. O “grupo estava desunido”, como se costuma dizer quando alguma coisa está acontecendo e ninguém sabe bem o que é. O fato é que havia problemas de relacionamento entre os jogadores e entre jogadores e a comissão técnica. Nada disso ainda tinha chegado abertamente aos jornais. Havia desconfianças, nada de certo. Até que um dia estourou a crise entre a grande estrela do time e o treinador, em conflito aberto, aos olhos de todos.

Não foi mais possível esconder da imprensa a ferida aberta entre um grande jogador e um treinador competente e querido pela maioria. Depois de uns dias de luta, com interferência de empresários, patrocinadores, e demais forças que hoje se movem no interior do futebol, quem perdeu a parada foi o treinador. Embora a contragosto o clube viu-se obrigado a dispensá-lo.

Ao sair o treinador deixou o “grupo” em pedaços com jogadores divididos entre um lado e outro. A diretoria percebendo o estrago reuniu-se à procura de solução e alguém sugeriu a contratação de um psicólogo. A sugestão foi feita por um ex-jogador ligado à diretoria, e um famoso psicanalista foi convidado. Conversaram e o psicanalista, embora distante do futebol, resolveu aceitar o encargo de tentar pacificar e unir o elenco dividido.

O trabalho começou e o experiente profissional logo percebeu as tremendas diferenças entre um jogador e outro. A origem era mais ou menos comum, mas fora disso nada mais os unia. Eram diferentes sobretudo pelas enormes diferenças de status e salários.

Havia uma seleta minoria de dois ou três, protegidos por imensa quantidade de guarda-costas e seguranças em todos os lugares que o time ia, e o resto que não necessitava de proteção alguma porque ninguém se ocupava deles. Havia nos pátios os enormes bólidos importados da minoria e os carros normais dos outros. Com paciência o psicanalista foi fazendo seu trabalho, e, pouco a pouco foi conseguindo resultados.

À força de argumentação, fazendo o grupo raciocinar e compreender as vantagens da união, mesmo que estratégica, começou a ter resultados. As coisas foram pouco a pouco se acertando e os conflitos mais ou menos controlados. Uma coisa, porém, continuava a martelar a cabeça do psicanalista. Não tinha conseguido encontrar nada que unisse de verdade o elenco. Algo que fosse genuinamente comum a todos, titulares e reservas, famosos e menos, ricos e não tão ricos.

Tinha de haver alguma coisa, fora do fato óbvio que todos gostavam de futebol. Tinham se unido novamente quando ele lhes mostrou as vantagens práticas da união, para obter resultados, para suas carreiras, para seus lucros. Mas não havia união espontânea, parecia que cada um falava uma língua, tinha seu próprio código de vida, e que a união era só momentânea.

Ao psicanalista no fundo pouco lhe importava isso. O que mais o interessava é que tinha conseguido os resultados pretendidos: aplacar a crise. Mas, como cientista, essas diferenças irreconciliáveis o desafiavam, e ele observava cada atitude para ver se decifrava o enigma, o fator de união espontânea.

Descobriu um dia, antes de um jogo. Estava por acaso no vestiário quando notou que os jogadores começavam os rituais de proteção. Espantado viu todas as superstições possíveis, todas as crendices imagináveis, simpatias das mais variadas, invocação de proteção como nunca tinha nem sequer pressentido, gestos de sentido oculto, fitinhas, amuletos, pulseiras, palavras misteriosas, lábios que se moviam silenciosamente, às vezes uma antiga oração católica dita com emoção.

Todos os jogadores entregavam sua sorte ao impenetrável e, sem exceção, pediam proteção no campo. Ricos e menos, titulares e reservas , a pequena elite e o resto. Todos sabiam que no campo iam estar sós, que no campo havia forças que não podiam controlar, com designíos misteriosos, que não distinguiam um jogador do outro.

Tinha encontrado o ponto de união entre todos os boleiros, o que os fazia finalmente irmãos, não por instantes, mas todos os domingos antes de entrarem em campo em direção do desconhecido.

Via Estadão

***(*) ******(*)

Libertad 2×0 São Paulo

27/10/2011

O São Paulo está fora da Copa Sul-Americana. Após vencer o Libertad no primeiro jogo por 1 a 0, no Morumbi, o Tricolor foi derrotado pelos paraguaios por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, no estádio Dr. Nicolás Leoz, pelas oitavas de final da competição continental.

No início do primeiro tempo, o Libertad abriu o placar em cobrança de pênalti, após o árbitro marcar falta de Luis Fabiano na área. No segundo tempo veio o gol da eliminação. Agora, o Tricolor terá de conseguir uma vaga na Libertadores de 2012 no Campeonato Brasileiro, no qual a equipe é atualmente a sexta colocada, com 49 pontos.

RIVAL ABRE O PLACAR

O técnico Emerson Leão escalou o time com surpresas neste retorno ao clube. No meio de campo são-paulino, Carlinhos e Marlos ganharam uma chance. Com isso, Denilson e Cícero ficaram como opções no banco. Tricolor mais ofensivo em busca da classificação.

Em campo, o Libertad fez valer o fato de estar jogando em casa e partiu para cima. Aos nove minutos, o árbitro marcou falta de Luis Fabiano em Maciel dentro da área. Na cobrança do pênalti, Aquino não deu chances para o goleiro Rogério Ceni.

Minutos depois do gol, aos 14, o São Paulo poderia ter empatado. Dagoberto deu ótima assistência para Piris, que acertou a trave. Do outro lado, Juan teve uma boa chance, mas chutou em cima do goleiro Medina. Apesar da derrota parcial, o Tricolor fez um bom primeiro tempo.

DERROTA E ELIMINAÇÃO

Na volta do intervalo, Emerson Leão fez a primeira mudança na equipe. Luis Fabiano ficou no vestiário e Fernandinho entrou em seu lugar. Com a mudança, Dagoberto foi deslocado para atuar como referência, com Fernandinho e Marlos abertos pelas pontas.

Com mais posse de bola, o Tricolor chegou ao empate com Rhodolfo, aos 19, mas o árbitro assinalou impedimento do zagueiro. No entanto, quem chegou ao gol foi novamente o Libertad. Aos 22 minutos, Nuñes, impedido, soltou a bomba para marcar o segundo dos paraguaios.

Precisando de um gol para se classificar, Cícero entrou no lugar de Marlos. Aos 33, Rogério Ceni, com dores no tornozelo esquerdo, deixou o jogo para a entrada de Denis. E ficou nisso. O Tricolor não conseguiu marcar um gol, que daria a classificação ao time, e está fora da Sul-Americana.

BRASILEIRO

Após a partida pela Sul-Americana, o São Paulo voltará a pensar no Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o Tricolor vai ao Rio de Janeiro para enfrentar o Vasco. Para este jogo, Leão não poderá contar com Dagoberto, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
LIBERTAD 2 X 0 SÃO PAULO

Local: estádio Nicolás Leoz, em Assunção (Paraguai)
Data: 26 de outubro de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)

Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)

Assistentes: Eduardo Díaz e Wilson Berrio (ambos da Colômbia)
Cartões amarelos: Maciel, Benegas, Bonet e Canuto (Libertad); Luis Fabiano, Wellington e Rhodolfo (São Paulo)

Cartão vermelho: Juan (São Paulo)

Gol: LIBERTAD: Sergio Aquino (pênalti), aos nove minutos do primeiro tempo; Ariel Núñez, aos 22 minutos do segundo tempo

LIBERTAD: Medina; Bonet, Benegas, Canuto e Samudio; Víctor Ayala (Pouso), Víctor Cáceres Sergio Aquino e Maciel (Civelli); Velázquez (Gamarra) e Ariel Núñez
Técnico: Jorge Burruchaga

SÃO PAULO: Rogério Ceni (Denis); Piris, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Carlinhos Paraíba, Lucas e Marlos (Cícero); Dagoberto e Luis Fabiano (Fernandinho) Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Choque de Leão não resolve e o São Paulo é eliminado com derrota

Nem Leão salva! São Paulo perde e é eliminado pelo Libertad

Luis Fabiano vira vilão, e São Paulo é eliminado da Sul-Americana na estreia de Leão

Após ser expulso, Juan diz foi chamado de macaco pelo árbitro e reclama de covardia

Luis Fabiano comete pênalti e deixa partida no intervalo com lesão na coxa

Expulso no fim, Juan diz que foi chamado de “macaco” pelo árbitro

Leão não resolve e São Paulo é eliminado com derrota para o Libertad

Na estreia de Leão, São Paulo mantém marasmo, perde do Libertad e está fora da Sul-Americana

Após gol mal validado, Juan acusa árbitro de racismo

Após queda, Leão cobra mais jovens e ressuscita o ‘cascudo’

Leão ruge contra garotos e Fabuloso mira Libertadores

Eliminado, Leão usa raça do Libertad como exemplo ao São Paulo

Após queda, Leão projeta mudanças e não descarta São Paulo ‘simples’

Luis Fabiano sobre fase do São Paulo: ‘Assim não dá!’

Rogério Ceni admite: “A dor é muito forte”

“Momento é de trabalhar na base do diálogo”, diz Leão

Leão perde Luis Fabiano; Rogério é dúvida contra o Vasco

Juan se revolta com expulsão: “Fui expulso sem motivo nenhum”

Maurren conquista o tricampeonato Pan-Americano

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Vasco x São Paulo, Brasileirão 2011, São Januário, Rio de Janeiro, domingo, dia 30.10 às 16h00.

Torcer Com Inteligência

26/10/2011

Quando o Muricy Ramalho era treinador do Tricolor, a reclamação recorrente era: “Meu, não aguento mais tanto chuveirinho na área”, “Até quando vamos ter que conviver com esse futebol ridículo ?” ( e nós fomos três vezes campeões brasileiros consecutivos com aquele futebol ), “É o rei do morre-morre” ( por causa do seu azar na Libertadores ).

O que se vê atualmente é a torcida arrependida até o último fio de cabelo com saudades. Sim porque sem ele, o Tricolor não se acertou mais. Fazem até planos pra secar o Santos no Mundial Interclubes em dezembro, pra que então o treinador livre de compromissos, volte para o clube que o consagrou.

Bem provável que estes que hoje querem a sua volta, sejam os mesmos que se revoltavam contra ele nas arquibancadas e nas discussões nesta mesa de bar virtual chamada blogosfera.

Quem era o problema, hoje é a solução.

Agora vamos trazer isso pra questão política. Não é o caso de fazer o papel de advinho. Mas vamos dizer que o Juvenal recusasse o terceiro mandato e o presidente do São Paulo fosse outra pessoa.

Sabe o que iriam dizer ? Que o Juvenal deveria ter continuado, que foi um grande erro tê-lo deixado abrir mão de um terceiro mandato mesmo que contra o estatuto do clube, que com ele, mesmo que centralizador, teríamos tido mais sorte e etc. …

As pessoas são assim quando estão face a grandes decepções, traçam um retorno imaginário no tempo, tentando advinhar como seria, se tivessem tomado outra direção.

Amigos, não existe o “se” e nem o túnel do tempo. O que temos é o Juvenal ( e não se trata de defendê-lo ), o Leão e este monte de chinelinhos que precisam acordar pra vida.

Não podemos deixar nos dominar pelo baixo astral e pelo que escrevem alguns “PAGOS” da crônica esportiva. Seus espaços virtuais são como becos escuros e mal-cheirosos, frequentados pelo sub-mundo do futebol, cartolas que ávidos por elogios públicos, procuram os teclados de aluguel para manipular o jogo a seu favor.

Elogiam os canalhas e tentam humilhar os que trabalham. Não ouço e não leio mais este tipo de lixo.

Eu me apego na esperança de ver meu time de volta ao seu lugar de vencedor.

E tenho plena convicção que isto vai acontecer em breve. E esta certeza vem do fato de que existe no nosso amado clube, resignação com os próprios desvios, nas palavras de João Paulo de Jesus Lopes:

“É óbvio que os dirigentes cometem  seus erros, não me excluo. É possível que tenhamos cometido erros. Mas  dentro da subjetividade dessas ocorrências que fogem ao controle”.

Em qualquer lugar onde há problemas, o primeiro passo é admitir que algo está errado, é preciso esvaziar-se de si mesmo, para então recomeçar.

E o novo tempo no São Paulo tem início hoje, no Paraguay, rumo a um título inédito.

Libertadores 2012, eu acredito.

Relacionados

São Paulo decide vaga na Sul-Americana contra o Libertad (PAR)

***(*) ******(*)

O São Paulo Futebol Cascudo Está de Volta

24/10/2011

Salve Soberania !

Quem acompanha o blog sabe que desde a saída do técnico Ricardo Gomes, o nome do técnico Emerson Leão sempre foi lembrado por aqui.

O problema do Tricolor, é aquilo que chamam de “zona de conforto”.

Muitos jogadores do time estão vivendo a glória de suas conquistas pessoais: assinar com um clube gigante, onde o mês tem 30 dias, ótimos salários e estrutura. O ápice da carreira. A tendência, é a acomodação.

Tirar os jogadores do São Paulo deste lugar vizinho ao fracasso ( o time está em sexto lugar na tabela de classificação ), é tarefa para treinadores com pulso firme, enérgicos e disciplinadores.

Dentre os que passaram pelo clube na era pós-Muricy, o Carpegiani talvez tenha sido o que mais se aproximou deste perfil, coincidentemente, foi com ele que o São Paulo teve seu melhor desempenho no ano: 5 vitórias seguidas no início do campeonato brasileiro.

Portanto, a escolha de Emerson Leão para o comando técnico do time neste momento em que “precisamos” terminar o campeonato no G4, é acertada.

O técnico assina um contrato de risco até dezembro, com possibilidade de extensão.

Benvindo e boa sorte !

Leão no São Paulo:

Aproveitamento:
45 jogos, com 27 vitórias, 12 empates e apenas seis derrotas – aproveitamento de 68,8% dos pontos disputados.

Média:
Desde a sua saída, nenhum técnico teve desempenho melhor no comando do São Paulo. Muricy Ramalho, tricampeão brasileiro, fez 64,4%. Paulo César Carpegiani, que treinou o time em 2011, obteve 66,6%.

Estreia:
8/9/2004: Paraná 0 x 2 São Paulo (GOLS: Rodrigo e Danilo).

Maior vitória:
28/9/2004: São Paulo 7 x 0 Paysandu (GOLS: Cicinho (2), Nildo, Grafite (2), Souza e Jean Carlos)

Títulos:
Campeonato Paulista de 2005 – 19 jogos, 14 vitórias, 3 empates e duas derrotas – aproveitamento de 78,9%.

Clássicos:
Contra as equipes grandes de São Paulo, Emerson Leão disputou oito jogos no comando do São Paulo – quatro vitórias, três empates e uma derrota – 62,5%.

Último jogo:
17/4/2005: Mogi Mirim 1 x 2 São Paulo (GOLS: Grafite e Souza).

Relacionados

Emerson Leão é o novo técnico do São Paulo

Emerson Leão: desempenho de campeão no Tricolor

Émerson Leão é o novo técnico do São Paulo

Emerson Leão dirige o time contra o Libertad e diz: “Vou à luta”

Pró-Memória: Marco Aurélio faz críticas a Juvenal e sugere Leão para técnico do São Paulo

Leão: a melhor opção do momento

Antes do treino, Emerson Leão conversa com grupo tricolor

Emerson Leão comanda primeiro treino no Tricolor

***(*) ******(*)

São Paulo 0x0 Coritiba

24/10/2011

A rodada começou favorável para o São Paulo, que voltaria de vez a brigar pelas primeiras colocações se vencesse o Coritiba, na tarde deste domingo, no Morumbi. Mas no meio do caminho tinha o goleiro Vanderlei, que parou o ataque Tricolor e evitou a reação são-paulina.

Com o 0 a 0, o São Paulo ficou ainda mais distante da liderança do Campeonato Brasileiro, já que o líder Vasco venceu o Bahia, fora de casa. Com 49 pontos, o Tricolor está a oito da equipe carioca, que será a próxima adversária no Brasileiro, no próximo domingo, em São Januário.

NADA DE GOL

Sem poder contar com o volante Denilson, suspenso, o técnico interino Milton Cruz escalou Casemiro no meio de campo são-paulino. Diferente dos últimos jogos, o camisa 8 atuou mais recuado, dando apoio a Wellington na marcação.

Durante toda a primeira etapa, o Tricolor criou mais chances de gol do que o Coritiba. Logo aos oito minutos, Luis Fabiano fez ótima jogada e tocou para Juan. O lateral fintou o adversário, mas na hora da finalização, de direita, chutou para fora.

Aos 19, novamente Luis Fabiano lançou, Lucas aproveitou o vacilo da zaga e arrancou com a bola. Na saída do goleiro Vanderlei, o garoto tentou um toque de cobertura e chutou para fora. Lá atrás, Rogério fez o seu trabalho quando exigido. Já no último lance do primeiro tempo, Fabuloso chutou a queima roupa e Vanderlei fez outra boa defesa.

VANDERLEI SALVA O CORITIBA

Na volta do intervalo, Milton Cruz colocou Marlos na vaga de Lucas. E foi o camisa 11 responsável pelo primeiro lance de perigo no segundo tempo. Aos oito minutos, Marlos soltou a bomba e Vanderlei ótima defesa. No rebote, Juan também tentou fazer o gol.

O goleiro do Coritiba, por sinal, passou a ser um grande personagem no jogo, evitando em diversos lances o gol tricolor. Marlos, Dagoberto, Luis Fabiano… todos tentaram, mas Vanderlei continuou salvando o time alviverde no Morumbi.

Aos 27, Casemiro e Cícero deixaram o jogo para as entradas de Jean e Fernandinho, respectivamente. O São Paulo continuou tentando de todas as maneiras possíveis, mas Vanderlei estava em uma tarde inspirada. Ruim para o São Paulo, que ficou no empate sem gols no Morumbi.

SUL-AMERICANA

O Tricolor dará uma pausa no Campeonato Brasileiro e voltará suas atenções para a Sul-Americana. Na próxima quarta-feira (26), no Paraguai, o São Paulo enfrentará o Libertad, pela segunda partida das oitavas de final. No primeiro jogo, que aconteceu no Morumbi, Luis Fabiano garantiu a vitória por 1 a 0.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 0 CORITIBA

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 23 de outubro de 2011, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Renda: R$ 352.044,00
Público: 15.148 espectadores
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)

Assistentes: Belmiro da Silva e Raimundo Carneiro de Oliveira (ambos da BA)
Cartões amarelos: Dagoberto (São Paulo); Rafinha, Leonardo, Willian e Everton Costa (Coritiba)
Gols: –

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Casemiro (Jean), Lucas (Marlos) e Cícero (Fernandinho); Dagoberto e Luis Fabiano Técnico: Milton Cruz

CORITIBA: Vanderlei; Jonas, Emerson, Jéci e Lucas Mendes; Willian, Léo Gago, Everton Costa (Davi) e Rafinha; Marcos Aurélio (Anderson Aquino) e Bill (Leonardo)
Técnico: Marcelo Oliveira

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Dirigente tricolor diz que respeita Verdão e rejeita Felipão

São Paulo fica no 0 a 0, ouve gritos de ‘timinho’ e praticamente dá adeus ao título

São Paulo para em goleiro do Coritiba e amplia jejum no Brasileiro

Tricolor tropeça no Coxa e chega a sete jogos sem vitória no Brasileiro

São Paulo falha na frente, só empata com Coritiba e amplia série negativa

Empate e vaias deixam Ceni contrariado na saída de campo

Sem emoção, São Paulo apenas empata com o Coritiba

Luis Fabiano define novo tropeço do São Paulo em casa: ‘Decepcionante’

Diego Souza e Fagner recebem o terceiro cartão amarelo e não enfrentam o São Paulo

Dagoberto leva terceiro amarelo e não enfrenta o Vasco

São Paulo empata com o Coritiba e sai vaiado do Morumbi

São Paulo empata em casa e aumenta jejum de vitórias

São Paulo empata com o Coritiba no Morumbi e aumenta jejum no Brasileirão

Troquei o Lucas por opção, confessa Milton Cruz

Milton Cruz atribui má fase de Lucas a cansaço e cita Kaká para defender jovem

Dagoberto fica em silêncio sobre assinatura de pré-contrato com Inter

Após empate, são-paulinos deixam o campo com ‘silêncio’ e críticas

Internacional reforça busca por Dagoberto

Milton Cruz culpa ‘entrosamento’ por jejum no São Paulo

Milton Cruz minimiza má fase de Lucas no São Paulo 

10 meses depois, nem time existe

Dagoberto se cala e deixa dúvidas sobre saída para o Inter; SP não crê em acerto

Milton Cruz vira ‘faz-tudo’ e até dobra turno para tentar salvar ano do São Paulo

No Tricolor, ordem é tirar responsabilidade da diretoria por má fase

Juntos, Lucas e São Paulo afundam no segundo turno e veem título bem longe

Jogadores aceitam protesto e cobrança dos torcedores

São Paulo não para de decepcionar

Diretor do São Paulo pede mais malícia e projeta reforços

Dirigente vê Tricolor bonzinho, mas Dagoberto dispara contra gramado

Após tropeço em casa, Tricolor vive realidade: título é difícil

Diretor do Milan observa jogadores no Brasil e mira Casemiro e Paulinho, diz jornal

São Paulo tem vantagem sobre Flu na briga por vaga na Libertadores, segundo matemático

São Paulo quer anunciar nesta semana empresa que construirá cobertura do Morumbi

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Libertad x São Paulo, Copa Sul-Americana 2011, Nicolás Leoz, Assunção, quarta-feira, dia 26.10 às 21h50.

Demorou Mas Saiu. E Foi Um Golaço !

21/10/2011

Vários ângulos do golaço do Fabuloso. O passe ? Foi do Dagoberto…

Renova JJ !

***(*) ******(*)

São Paulo 1×0 Libertad

20/10/2011

São nos momentos difíceis que os grandes jogadores aparecem. Luis Fabiano ficou sete meses se recuperando de uma grave lesão. Demorou quatro jogos para fazer seu primeiro gol e as críticas já começaram a parecer para Fabuloso.

Mas o camisa 9 faz jus ao apelido. Ele voltou. O dono da 9 voltou. Depois de tanta espera e ansiedade, Luis Fabiano fez o primeiro gol no retorno ao São Paulo e de quebra garantiu a vitória sobre o Libertad (PAR) por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Morumbi.

Com o resultado, o Tricolor jogará pelo empate no jogo da volta pelas oitavas de final da Sul-Americana. São Paulo e Libertad se enfrentarão no próximo dia 26 de outubro, no Paraguai. Quem avançar de fase pegará a LDU, do Equador, nas quartas de final.

NADA DE GOL
Na volta ao cargo de técnico interino do São Paulo, Milton Cruz contou com os retornos de Juan e João Filipe, que estavam suspensos na última rodada do Campeonato Brasileiro. Com isso, a equipe que entrou em campo diante do Libertad foi praticamente a mesma do último jogo.

Lá na frente, o trio ofensivo foi composto por Lucas, Dagoberto e Luis Fabiano. Eles foram municiados por Wellington, Denilson e Cícero. E foi justamente do camisa 16 o primeiro lance de perigo. Aos 16 minutos, ele aproveitou o rebote e soltou a bomba, obrigando o goleiro paraguaio fazer difícil defesa.

O primeiro tempo não teve muitos lances de perigo. Nem para o São Paulo, nem para o Libertad. Mas, em casa, o Tricolor foi mais ao ataque. E quase abriu o placar com Rhodolfo, que cabeceou muito perto do gol. Porém, na etapa inicial, foi apenas isso.

FABULOSO DECIDE
O segundo tempo começou com o Tricolor no campo adversário, mas ainda sem encaixar um ataque de perigo. Lá atrás, Rogério Ceni teve de salvar o time, aos 13 minutos, quando os paraguaios chegaram com perigo dentro da área e o goleiro fez ótima defesa.

Aos 17, Milton Cruz fez as primeiras alterações. Colocou Marlos e Casemiro nos lugares de Cícero e Denilson, respectivamente. As mudanças deixaram o São Paulo ainda mais no ataque, pressionando o adversário.

E são nessas horas que aparecem os artilheiros. E apareceu em dose dupla no Morumbi. Com um toque sútil de cabeça de Dagoberto, Luis Fabiano dominou dentro da área e soltou a bomba para marcar seu primeiro gol neste retorno ao clube. Explosão da torcida. No fim, Rivaldo entrou no lugar de Lucas. Vitória são-paulina. Festa para Fabuloso.

REAPRESENTAÇÃO
O elenco são-paulino se reapresentará na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda. A equipe voltará suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o São Paulo enfrentará o Coritiba, no Morumbi. No primeiro turno, vitória tricolor: 4 a 3 no Couto Pereira.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 LIBERTAD

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 19 de julho de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Público: 7.910 pagantes
Renda: R$ 166.516,00
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

Assistentes: Mauricio Espinosa e Carlos Pastorino (ambos do Uruguai)
Cartões amarelos: Juan e Wellington (São Paulo)

Gol: SÃO PAULO: Luis Fabiano, aos 31 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Denilson (Casemiro), Wellington, Lucas (Rivaldo) e Cícero (Marlos); Dagoberto e Luis Fabiano
Técnico: Milton Cruz

LIBERTAD: Medina; Bonet, Benegas, Canuto e Samudio; Víctor Ayala, Pouso (Cáceres), Sergio Aquino e Civelli; José Ariel Núñez (Maciel) e Robin Ramírez (Menendez) Técnico: Jorge Burruchaga

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Luis Fabiano e São Paulo encerram jejum com vitória sobre Libertad

Fabuloso decide e São Paulo vence o Libertad na Sul-Americana

Luis Fabiano desencanta, salva má atuação e São Paulo vence o Libertad

Luis Fabiano marca, e São Paulo vence pela Sul-Americana

Luis Fabiano espera que 1º gol e vitória deem ‘um pouco de fôlego’ ao São Paulo

Luis Fabiano comemora o gol: ‘Demorou, mas saiu!’

Luis Fabiano supera dores e considera gol uma prova de superação

Milton Cruz diz que teve mais ‘sorte’ que Adilson e projeta São Paulo ideal em 2012

Após primeiro gol, Luis Fabiano fala em superação e vê ‘um pouquinho de fôlego’ após vitória

Luis Fabiano diz que quase saiu no intervalo por sentir dores

Dor no tórax de Luis Fabiano não preocupa médico do São Paulo

João Paulo de Jesus Lopes critica desempenho são-paulino

Milton Cruz projeta São Paulo ‘ideal’ só em 2012

Milton Cruz minimiza sua importância em vitória: ‘Tive sorte, e a bola entrou’

Milton Cruz define sua diferença em relação a Adilson: sorte

Luis Fabiano vibra com volta do ‘corte do gol’

Rapidinhas do Tricolor: Quem quer interino como técnico é inimigo

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Coritiba, Brasileirão 2011, Morumbi, São Paulo, domingo, dia 23.10 às 16h00.

Rapidinhas do Lina

18/10/2011

Demissão do Adilson – Fiquei com pena do cara. Podiam ter esperado pra falar com ele em São Paulo. Não se demite alguém no vestiário como fizeram. Foi muito amador e desumano. Entretanto, sob aquele tremendo stress, o Adilson mostrou ser um grande caráter a ponto de pedir desculpas a torcida e nos desejar sorte. Sendo assim, boa sorte a você também.

Demissão do Adilson 2 – Alguns cardeais do Tricolor ficaram revoltados com a maneira que trataram a demissão do AB. Também não é pra menos.

Um a cada 6 meses – Sim senhores, esta é a média de tempo que dura um treinador no São Paulo atualmente. Quem diria…

Quem será ? – E voltamos a estaca zero. Quem será o novo treinador ? Os empresários interessados vão aproveitar a oportunidade e valorizar seus clientes, portanto, nem vou esquentar a cabeça com o falatório. Vai ser como da última vez que surgiu o Adilson Batista e ninguém falava o nome do cara, foi supresa geral. O JJ prometeu alguém renomado. No Brasil só tem 3: Felipão, Luxemburgo e Muricy, todos empregados.

Divergências – Felipão não é unanimidade no Morumbi e Muriçoca também não. Luxemburgo nunca vai treinar o São Paulo enquanto este grupo político estiver a frente do clube. Assim, tô achando que vem gente de fora.

Interino – O Milton Cruz no comando do time neste ano, fez o Tricolor jogar muito contra Cruzeiro (2×1 no Morumbi) e Internacional (0x3 no Beira Rio). As informações dão conta que ele vai ter que segurar a onda até o final do ano. Confio nele.

Especulações – A partir de agora começam a pipocar nomes de contratações pelo país. No São Paulo já surge o nome do Fabrício do Cruzeiro e ex-travecos para atuar como volante. Paulo Miranda do Bahia, dizem, já está acertado. Além deles, Breno, Emerson do Coxa e Rafael Tolói do Goiás são outros nomes circulando há algum tempo.

Rivaldo não fica – JJ decidiu, não renovará contrato com o craque da meia esquerda. Os experts dizem que o Tricolor perde velocidade e poder de marcação com ele em campo. Pode ser verdade, mas por outro lado, o craque tem sempre aquele momento de lucidez que compensa o sacrifício do resto do time, quando ele enfia aquele passe milimétrico para o atacante marcar seu gol. Bom, que seja, é o homi quem decide.

Faxina – Quem vai sair deste time em 2012 ? Carlinhos Paraíba, Xandão, Fernandinho, Juan, Willian José, Marlos, Jean. Estes caras não agradaram este ano. Deveriam ser dispensados.

Faxina 2 – Casemiro e Henrique parece que se deslumbraram com seus novos contratos e seu futebol caiu na mesma proporção. Tenho pra mim que deveriam ser vendidos, até porque tem mercado.

E o Lucas ? – Alguém viu ? O projeto de craque, ainda tem muito caminho a percorrer até carregar este selo. Mas eu acho que ele chega lá. Só não pode abrir a boca na imprensa pra dizer que não é o salvador da pátria. Todo mundo sabe que não é, mas tenta ser, se esforça pelo menos. Duro é ver tanto talento em campo sem nenhuma ultilidade. Alguém viu o Lucas jogar contra o Atlético-GO ? Eu não vi.

Libertad – Vai sobrar pra eles. O Tricolor vai com tudo pra cima dos paraguaios, é jogo pra levantar a moral e marcar o início da arrancada Tricolor no brasileirão. Nós ainda vamos longe neste campeonato. Eu acredito.

De Leônidas a Joanderson – Nem tudo é baixo astral no Morumbi, até porque nada acabou. As categorias de base do Tricolor podem ter descoberto mais uma jóia para jogar em uma das posições mais abençoadas do nosso clube, o comando do ataque. Leia e descubra quem é o futuro craque da camisa 9 Tricolor. >>> http://bit.ly/o5KPHj

JJ x Mobral – Depois tem gente que tem a cara de pau de dizer que o São Paulo é o queridinho da mídia. Faça-me o favor né ? Veja a diferença de tratamento.>>> http://bit.ly/oESiJY

***(*) ******(*)

Atlético-GO 3×0 São Paulo

17/10/2011

O São Paulo entrou em campo diante do Atlético-GO sabendo que seus principais rivais ao título brasileiro venceram na rodada. Ostentava também uma preocupante série negativa. Soma-se a isso um lance incrível no primeiro tempo, quando em um único lance a bola acertou a trave quatro vezes.

Não era dia do Tricolor. Mais eficiente em campo, o time goiano venceu por 3 a 0, na noite deste domingo, no Serra Dourada. Com o revés, o São Paulo chegou a seis jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro. A última vitória foi sobre o Ceará por 4 a 0, no Morumbi.

O resultado adverso também deixou o Tricolor longe dos líderes do Brasileiro. Com 48 pontos, a equipe paulista caiu para sexta colocação, seis pontos a menos que o líder Corinthians. Além disso, pela primeira vez em todo o torneio, o São Paulo saiu da zona de classificação para a Libertadores.

TIME PARA NA TRAVE

Sem Juan e João Filipe, ambos suspensos, o técnico Adilson Batista escalou Xandão ao lado de Rhodolfo, enquanto Carlinhos foi deslocado para a lateral esquerda. Já no meio de campo, o meia Lucas, que retornou da Seleção, ficou com a vaga de Rivaldo.

Mesmo fora de casa, o Tricolor não permitiu a pressão do adversário e partiu para cima. Ao longo de toda a primeira etapa, os paulistas tiveram mais posse de bola e criaram grandes chances de gol. Mas, mais uma vez, a bola insistiu em não entrar.

Em um dos lances, aos 32 minutos, Rhodolfo cabeceou na trave e Xandão também acertou a trave no rebote. Não bastasse isso, ainda neste lance, o atacante Luis Fabiano também explodiu a trave goiana. E o castigo tricolor veio minutos antes, aos 25, quando Gilson abriu o placar.

DERROTA FORA DE CASA

O São Paulo seguiu com mais volume de jogo no início do segundo tempo, mas o Atlético-GO, igual no primeiro tempo, foi mais eficiente. Aos 15 minutos, Anselmo acertou a trave de Rogério Ceni. No rebote, o atacante Felipe ampliou o placar para os anfitriões.

As coisas ficaram ainda piores aos 23 minutos, quando o árbitro marcou mão na bola de Xandão dentro da área. Pênalti para o Atlético-GO. Rogério Ceni acertou o canto, mas não conseguiu defender a cobrança do atacante Anselmo.

Logo após o gol, Adilson Batista colocou Marlos no lugar de Dagoberto. O Tricolor tentou diminuir o placar, mas a derrota já estava decretada. Péssimo resultado para o time do Morumbi, que segue sem vencer no Brasileiro e fica mais distante do título brasileiro.

SUL-AMERICANA

Após o jogo contra o Atlético-GO, o São Paulo volta as suas atenções para a Copa Sul-Americana. Na próxima quarta-feira, o Tricolor receberá o Libertad (PAR), no Morumbi, pela primeira partida das oitavas de final da competição continental.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 3 X 0 SÃO PAULO

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)

Data: 16 de outubro de 2011, domingo
Horário: 18 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)
Assistentes: Marrubson Melo Freitas (DF) e Fabio Pereira (TO)
Cartões amarelos: Vitor Junior e Pituca (Atlético-GO); Luis Fabiano (São Paulo)

Gols: ATLÉTICO-GO: Gilson, aos 25 minutos do primeiro tempo; Felipe, aos 14, e Anselmo (pênalti), aos 24 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-GO: Márcio (Rafael); Rafael Cruz, Anderson, Gilson e Thiago Feltri; Pituca, Marino, Vitor Junior e Bida (Joilson); Felipe e Anselmo (Ernandes) Técnico: Hélio dos Anjos

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris (Jean), Xandão, Rhodolfo e Carlinhos Paraíba; Denilson, Wellington, Cícero (Rivaldo) e Lucas; Dagoberto (Marlos) e Luis Fabiano
Técnico: Adilson Batista

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

São Paulo é goleado pelo Atlético-GO e chega a seis jogos sem vitória 

Dagoberto sobre título: ‘Cada vez mais difícil’

Por lesão, Márcio perde chance de passar Ceni 

Adilson Batista é demitido após derrota do São Paulo em Goiânia; Milton Cruz assume

#FicaAdilson e #ForaJJ entram no Trending Topics do Twitter 

No São Paulo, Lucas se defende: ‘Não sou salvador da pátria’

Demitido, Adilson pede desculpas e diz: “A bola comigo não tá entrando”

Adilson pede desculpas depois de ser demitido

Logo após Adilson cair, são-paulino inicia sondagem a Felipão

Mulher de Luis Fabiano defende o atacante pelo Twitter

No São Paulo, a culpa sempre é do técnico

Ceni e atletas desconfiam, mas diretoria ainda acredita em título

Interino de sempre, Milton Cruz assume o comando do São Paulo pela 14ª vez

Lucas se defende na crise tricolor: “Não carrego time nas costas”

São Paulo se decide entre Milton Cruz e ‘bombeiro’ em reunião nesta 2ª

Elenco lamenta revés, mas não joga a toalha no Brasileiro

Adilson Batista não é mais técnico do São Paulo

Milton Cruz comanda o Tricolor contra Libertad (PAR) e Coritiba

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Libertad, Copa Sul-Americana 2011, Morumbi, São Paulo, quarta-feira, dia 19.10 às 21h50.

São Paulo 0x0 Sem Estádio e Sem Libertadores

22/09/2011

Salve Soberania !

Quando se acostuma a caminhar com ajuda de bengalas, fica difícil se levantar quando elas não estão por perto. Os bajuladores sem a ajuda externa, são isso: pequenininhos.

Só a ajuda da arbitragem já não é mais suficiente. Um monte de impedimentos inexistentes marcados e nada de amarelar a defesa travesti no primeiro tempo.

O timinho da máfia veio pra jogar igual um Bragantino da vida. Duas linhas de quatro com até, acreditem, a Lacraia recuada.

Vai ser SMALL assim lá no Privadão do Kassab !

***

Dentre muitos esportes, o futebol não costuma ser justos em certas ocasiões. E uma delas certamente foi na noite desta quarta-feira. Se tivesse que ter um vencedor no clássico do Morumbi, este seria o São Paulo. Mas, aí que entra o fator de ter sido justo ou não.

O Tricolor foi muito superior ao rival Corinthians, principalmente na primeira etapa. Em um placar moral do primeiro tempo, o torcedor tranquilamente poderia dizer que o São Paulo foi para o intervalo vencendo por uns 3 a 0. Mas se a vitória não veio, a liderança foi alcançada.

Com a igualdade, o Tricolor chegou a 45 pontos e igualou o Vasco. No entanto, o time paulista leva vantagem no saldo de gols. Com isso, ao menos até esta quinta-feira, o São Paulo é o novo líder do Brasileiro. Nesta quinta, o Vasco enfrentará o Atlético-GO, no Rio de Janeiro.

MUITAS CHANCES DE GOL

O São Paulo entrou em campo sem muitas modificações em relação ao último jogo. A única mudança foi a volta do atacante Dagoberto ao ataque são-paulino. O camisa 25, inclusive, foi muito participativo ao longo de todo o primeiro tempo do clássico no Morumbi.

Durante os 45 minutos iniciais, o Tricolor foi amplamente superior ao rival. Criou diversas oportunidades de gol. Logo aos quatro minutos, Dagoberto arriscou de esquerda e Julio Cesar teve de se esticar para evitar o gol. No lance seguinte, Lucas também chegou com perigo.

Com mais posse de bola, o São Paulo seguiu no ataque e viu um Corinthians abusar das faltas, um rodízio de jogadores.  Aos 43, Casemiro aproveitou cruzamento de Dagoberto e cabeceou na trave corintiana. No rebote, Piris também quase marcou. Um primeiro tempo muito superior do Tricolor.

EMPATE COM LIDERANÇA

O São Paulo voltou melhor na etapa final e seguiu pressionando o rival. Mas, nos primeiros minutos, não criou uma chance clara de gol. Aos 24 minutos, Dagoberto recebeu de Lucas, partiu em velocidade e chutou com perigo, mas Julio Cesar defendeu.

Aos 25, Adilson Batista fez a primeira alteração no clássico. Tirou Piris e colocou Rodrigo Caio. Com isso, Wellington foi para a lateral direita. Na sequência, Rivaldo, muito aplaudido pelos torcedores, entrou na vaga de Cícero.

Ao contrário de boa parte do primeiro tempo, o Corinthians igualou o jogo. E chegou com perigo duas vezes, ambas com Emerson. Aos 36, Marlos ficou no lugar de Dagoberto. O São Paulo insistiu até o último minuto. Mas, se por um lado a vitória não veio, o Tricolor dorminará na liderança do Campeonato Brasileiro.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda. Pelo Campeonato Brasileiro, o próximo compromisso da equipe será no domingo diante do Botafogo, no Rio de Janeiro. No primeiro turno, vitória carioca por 2 a 0, no Morumbi.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 0 CORINTHIANS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de setembro de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Público: 44.631 pagantes (44.950 total)
Renda: R$ 1.282.520,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)

Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)
Cartões amarelos: Casemiro (São Paulo); Paulinho e Emerson (Corinthians)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris (Rodrigo Caio), João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Carlinhos Paraíba, Casemiro e Cícero (Rivaldo); Lucas e Dagoberto (Marlos) Técnico: Adilson Batista

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Wallace, Paulo André e Leandro Castán (Fábio Santos); Ralf, Paulinho e Alex (Jorge Henrique); Willian, Emerson e Liedson (Danilo) Técnico: Tite

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Em clássico ruim, Corinthians segura São Paulo no Morumbi e alivia crise

Timão e Tricolor ficam no zero em Majestoso sem sal

São Paulo empata com o Corinthians e assume a ponta

Empate com o Corinthians deixa o São Paulo na liderança provisória do Brasileirão

São Paulo pegará o Libertad na Sul-Americana

Jogo no Uruguai é interrompido, e Flamengo deve enfrentar Universidad do Chile; Libertad pega o São Paulo

Ceni se irrita com postura do Corinthians: ‘Só o São Paulo quis jogar’

“Só uma equipe quis jogar”, afirma Rogério Ceni

Clássico termina empatado: Corinthians alivia pressão e São Paulo assume ponta

Amarelou: No Corinthians, Ralf critica atitude do capitão Chicão

Sem gols, São Paulo e Corinthians deixam caminho livre para Vasco

Apesar do empate, São Paulo se diz superior no Majestoso

Rivaldo: ‘Seria injusto se o Corinthians marcasse’

São-paulinos lamentam tropeço em casa, enquanto corintianos celebram empate

Adilson admite que faltou um ‘Luis Fabiano’ para vencer clássico

Técnico admite que o Corinthians jogou nos contra-ataques 

São Paulo fica na bronca com retranca rival e diz que merecia vencer

Adilson lamenta chances perdidas e diz que disputa está aberta

São Paulo abusa da velocidade e bate recorde de impedimentos

Partida do Brasileiro, entre Cruzeiro e São Paulo, sofre modificação

“Burro” para a torcida, Adilson vê até atletas elogiarem Rivaldo

Adilson enxerga ‘dívida’ de pontos a ser sanada contra o Botafogo

Adilson afirma que Fabuloso participará de jogo-treino

Luis Fabiano participará de jogo-treino contra o juvenil

Adilson Batista lamenta: “Merecíamos um resultado melhor”

Erros de finalização do ataque podem apressar estreia de Luis Fabiano no São Paulo

São Paulo organiza jogo-treino para Luis Fabiano

Luis Fabiano não irá ao Rio, e estreia deve ser contra o Fla no Morumbi

São Paulo perde Casemiro para a partida contra o Botafogo

Casemiro recebe terceiro amarelo e Piris sai do clássico machucado

Casemiro: desfalque do Tricolor diante do Botafogo

Tenho o objetivo de sair do São Paulo, confessa Dagoberto

Agente de Dagoberto nega pré-acordo com o Santos e diz que prioridade é do São Paulo

Dagoberto recebe proposta do Santos para deixar o São Paulo

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Botafogo x São Paulo, Brasileirão 2011, Engenhão, Rio de Janeiro, domingo, dia 25.09 às 16h00.