Archive for the ‘Categorias de Base’ Category

Bahia 0x2 São Paulo FC

17/07/2014
bah 0x2 spo brasileiro 16072014

Rubens Chiri / Site Oficial

De volta à temporada após 46 dias longe dos gramados para jogos oficiais no Brasil, o São Paulo entrou em campo na noite desta quarta-feira e mostrou que fez valer a intensa intertemporada que realizou. Em ótima exibição, a equipe são-paulina não deu chances para o Bahia: 2 a 0 em plena Arena Fonte Nova, gols marcados por Rogério Ceni (de pênalti), e Alan Kardec, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a vitória, o Tricolor chegou aos 19 pontos e dorme na vice-liderança da competição. O time volta a campo no sábado (19), quando recebe a Chapecoense no Morumbi. A partida está marcada para às 18h30.

> COMPRE SEU INGRESSO PARA O JOGO CONTRA A CHAPECOENSE

O jogo

Sem Luis Fabiano, que aprimora forma física após se recuperar de uma lesão muscular, Muricy optou por Ademilson no ataque ao lado de Osvaldo e Alan Kardec, que fez seu primeiro jogo oficial no Brasil após quase dois meses de preparação – chegou ao Tricolor no dia 12 de maio.

O restante da equipe se manteve como antes da pausa para a Copa do Mundo. A única diferença foi na mudança de numeração de alguns atletas: Rodrigo Caio agora usa a camisa 3 e Souza, a número 5. Kardec assumiu a 14. E o novo camisa 14 foi o responsável pelo primeiro lance de perigo do São Paulo. Após cruzamento de Alvaro Pereira, Kardec cabeceou para o gol, mas o lance saiu alto demais, aos oito minutos.

Com domínio do jogo, o Tricolor controlava a posse de bola. Aos 11 minutos, Ademilson, que incomodava bastante a zaga do Bahia com jogadas pela direita, recebeu ótimo lançamento de Rogério Ceni e sofreu pênalti, cometido pelo zagueiro Titi. O camisa 01 foi para a cobrança, acertou o canto direito alto do goleiro e abriu o placar para o São Paulo. O capitão tem agora incríveis 118 gols marcados na carreira!

E o Tricolor manteve o controle da partida mesmo à frente no placar. Aos 19 minutos, uma jogada linda resultou em mais um gol são-paulino. Tudo começou quando Ademilson tocou para Souza, e o camisa 5 tabelou com PH Ganso. O Maestro devolveu a bola para Souza, que passou para Kardec. Aí, o artilheiro não perdoou com um toque direto para o gol, o primeiro dele com a camisa do São Paulo e o segundo do jogador no Brasileiro – ele marcou no dia 20 de abril, contra o Criciúma, quando ainda defendia o Palmeiras.

Kardec também armou jogadas, como aos 37 minutos, quando driblou duas vezes o mesmo marcador e fez o cruzamento para a área, mas o goleiro chegou antes que Ademilson, pronto para finalizar. Aos 45, o atacante roubou a bola e deixou com Ademilson, que fez passe maravilhoso para Maicon, mas o goleiro desviou em escanteio – na cobrança, Antonio Carlos quase marcou de cabeça.

Já no primeiro lance do segundo tempo, outra grande chance para o São Paulo. Ademilson ganhou do marcador e tentou um voleio maravilhoso, mas o goleiro impediu o gol. Na sequência, Ganso por pouco não deixou o dele após finalizar entre os zagueiros, mas novamente Douglas Pires evitou o terceiro são-paulino.

Sem baixar o ritmo em nenhum momento, os são-paulinos tiveram mais diversas chances. Aos 17 minutos, o assistente marcou um impedimento inexistente de Rodrigo Caio. O zagueiro aproveitou o rebote de ótimo chute de Osvaldo, que bateu na trave, e a arbitragem anulou o gol. O Bahia até tentou mudar a situação de jogo, mas não conseguia passar pela defesa paulista.

Muricy precisou fazer duas alterações durante a segunda etapa: Denilson no lugar de Maicon, que sentiu um desconforto muscular, e Pato na vaga de Alan Kardec, que saiu com câimbras. No finzinho, Boschilia substituiu Osvaldo.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 16 de julho de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Luis Diego Nascimento Lopes e Heronildo Sebastião Freitas da Silva (ambos do PA)
Cartões amarelos: Fahel, Titi, Léo Gago, Guilherme Santos (Bahia). Rodrigo Caio, Álvaro Pereira, Osvaldo, Antônio Carlos (São Paulo)
Gols: SÃO PAULO: Rogério Ceni, aos 13, e Alan Kardec, aos 20 minutos do primeiro tempo

BAHIA: Douglas Pires; Diego Macedo, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Pittoni (Emanuel Biancucchi), Léo Gago e Rhayner; Maxi Biancucchi (William Barbio) e Henrique (Jeam) Técnico: Marquinhos Santos

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Souza, Maicon (Denilson) e Paulo Henrique Ganso; Ademílson, Osvaldo (Boschillia) e Alan Kardec (Alexandre Pato) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Gol de compadres

Bastidores de Bahia x São Paulo

Muricy elogia passes certos, posse de bola e Kardec

Alan Kardec celebra ‘estreia’ perfeita

Em Salvador, M1TO chega a 118 gols

Jogadores destacam vitória importante e boa atuação

Tricolor tem chance de igualar retrospecto contra o Bahia

Reforçado, Tricolor retorna à disputa do Brasileiro

Na Bahia, elenco mostra confiança

Relacionados para Bahia x São Paulo

Após 46 dias, elenco disputa rachão

”Em casa”, Kardec conta os minutos pela estreia no Brasileiro

Ademilson credita vaga a esforço na intertemporada

Vitória para recomeçar o Brasileiro com moral

Ganso exalta preparação e reforços

Ademilson será a novidade contra o Bahia

Temporada recomeça nesta quarta-feira (16)

***(*) ******(*)

ÁUDIO: Kaká Conta Detalhes da Negociação com Orlando City e São Paulo, e Fala de Uma Possível Prorrogação do Empréstimo em Caso de Classificação Para a Libertadores 2015

02/07/2014

***(*) ******(*)

Time do São Paulo no Segundo Semestre de 2014

30/06/2014

Salve Soberania.

Dei uma de Muricy aqui e bolei meu time nos quatro esquemas táticos possíveis.

Acho que o time vai sentir falta de um primeiro-volante de mais qualidade, principalmente quando tiver que se mandar para o ataque, não confio muito no Rodrigo Caio, apesar dele estar “cheio de moral” depois da conquista da seleção no sub-21.

De qualquer forma, o São Paulo no papel hoje, é um timaço.

Vamos ver se vai dar a tal liga…

Esquemas taticos Tricolor 2014

***(*) ******(*)

Orlando City 0x0 São Paulo FC – Amistoso

20/06/2014

Aprimorando a forma física dos atletas para chegar firme no segundo semestre, o Tricolor encarou o Orlando City na noite desta sexta-feira (20) e, apesar de criar as melhores oportunidades, não conseguiu impedir o empate sem gols no ESPN Wide World of Sports Complex, na Flórida.

O amistoso internacional, parte da intertemporada são-paulina, marcou a estreia do atacante Alan Kardec, que ficará à disposição da equipe são-paulina para a sequência do Campeonato Brasileiro de 2014. A partida também foi especial para o meio-campista Paulo Henrique Ganso, um dos melhores jogadores em campo, que completou 100 jogos pelo clube.

O São Paulo está na Flórida para um período de treinos, que visam o retorno das competições nacionais após a disputa da Copa do Mundo. O Tricolor treinará em terras norte-americanas até o dia 28 de junho, quando voltará ao Brasil para dar sequência ao seu processo de preparação.

O Orlando City, adversário desta noite foi criado em 2010 e disputa a USL (United Soccer League), considerada a segunda liga em importância no país. Mas, em 2015, a equipe passará a jogar a MLS (Major League Soccer), que representa a primeira divisão dos Estados Unidos.

Para encarar os anfitriões, o técnico Muricy Ramalho manteve o esquema tático 4-3-3, mas apostou na entrada de Alan Kardec. Dessa forma, os brasileiros começaram a partida com Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Lucas Evangelista; Souza, Maicon e Ganso; Osvaldo, Alan Kardec e Luis Fabiano.

Com a bola rolando, mesmo atuando como visitante, o São Paulo criou as melhores jogadas no primeiro tempo e passou muito perto de balançar as redes. Douglas, em dois chutes de longe, levou perigo, mas parou na trave em uma das ocasiões. Tocando a bola desde o sistema defensivo, os visitantes tentavam aos poucos invadir o campo do Orlando e criar as jogadas.

Aos 15 minutos, Luis Fabiano arrancou pelo meio e abriu a jogada para Douglas. O lateral-direito cruzou, Alan Kardec não conseguiu finalizar com precisão e os donos da casa conseguiram evitar que o zero saísse do placar. Na jogada, o Fabuloso sentiu dores na coxa e acabou substituído por Ademilson.

Com a entrada do jovem camisa 19, Alan Kardec foi centralizado e ficou na referência da grande área, com Osvaldo e Ganso na armação. Recuados, os norte-americanos não conseguiam explorar as jogadas no ataque e, assim, davam mais espaços ao Tricolor, que apesar de insistir não conseguiu abrir o marcador antes do intervalo. Osvaldo também teve grande chance, mas viu a bola passar rente a trave.

Na volta para a segunda etapa, para testar algumas variações na frente, Muricy promoveu a entrada de Alexandre Pato no lugar de Osvaldo. A entrada do camisa 11 deu cara nova ao setor, que retomou a força para buscar a vitória.

Aos 11, Pato soltou para Ademilson na esquerda. O atacante cruzou, a bola desviou na zaga e bate no travessão de Gallardo. No rebote, Ganso pegou de primeira, mas mandou à direita da meta. Dois minutos depois, o Maestro quase anotou um verdadeiro golaço na Flórida. O camisa dominou na entrada da área e bateu colocado, buscando o ângulo direito. Porém, a bola bateu na forquilha direita da meta e saiu.

Assim como o camisa 10, Pato também passou perto de balançar as redes, aos 21, mas o chute do atacante passou rente ao gol. Testando mais algumas opções, Muricy apostou nas entradas de Boschilia e Denilson, mas mesmo com mais posse de bola os visitantes não conseguiram evitar o empate sem gols.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
ORLANDO CITY 0 X 0 SÃO PAULO

Local: ESPN Wide World of Sports Complex, em Lake Buena Vista (EUA)
Data: 20 de junho de 2014, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Donald Dellavia (EUA)
Assistentes: Kyle Longville e Rob Hufhan (ambos dos EUA)
Cartões amarelos:

ORLANDO CITY: Gallardo; Turner (Clarke), Rusin, Valentino e Boden; Cerén, Quinn (Pulis), Span (Heath Jr.), Molino e Mbengue (da Luz); Hertzog (Chin) Técnico: Adrian Heath

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Antônio Carlos, Rodrigo Caio (Paulo Miranda) e Lucas Evangelista; Souza, Maicon (Denilson) e Paulo Henrique Ganso (Boschilia); Alan Kardec (Luis Ricardo), Luís Fabiano (Ademilson) e Osvaldo (Alexandre Pato) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Treino e bastidores da viagem do Tricolor na #SaoPauloFCtv

Organização do amistoso surpreende Muricy

Bastidores de Orlando City x São Paulo

“Quero atuar ao lado do Luis Fabiano”

Mesmo longe, atacante ressalta calor da torcida

Jogadores valorizam amistoso na intertemporada

Estreia de Kardec anima Muricy: “Vai ajudar bastante”

Noite de estreia, marca e testes

O São Paulo contra os Estados Unidos

Atletas ganham ‘folga’ pela primeira vez

Mickey visita treino, e jogadores levam lembranças aos filhos

Elenco deseja sorte ao estreante Kardec

EXCLUSIVO! Veja um pouco dos treinos em Orlando

Com três de Fabuloso, Muricy define equipe titular

Orgulhoso, Ganso completará 100 jogos pelo Tricolor

Treino técnico tem cobrança de Muricy: “Capricha”

Kardec faz seu primeiro coletivo como titular

Elogiado, Fabuloso se esforça para manter bons números

Treinos em dois períodos ditam o ritmo desta segunda

Muricy confirma estreia de Kardec contra o Orlando City

“Não faremos nada radical, mas iremos trabalhar muito”

Alheio à Copa, elenco foca em treinos nos EUA

Começou!!!

***(*) ******(*)

Dois Toques

10/06/2014
kaka milan sao paulo

GazettaDelloSport: Milan, Kaká conversa com São Paulo, esposa já retornou ao Brasil

Neymar – Leio que a estrela do Barcelona não recebia salários do Santos enquanto lá jogava. O negócio era mais ou menos o seguinte. A obrigação contratual em carteira era de R$ 150/200 mil mensais mais direitos de imagem. O total do salário do jogador girava em torno de R$ 3,5 milhões por mês, que ele recebia por participar de campanhas de marketing criadas pelo clube: eventos, comerciais e etc. Sobre estes valores, o Santos recebia uma porcentagem que cobria suas obrigações com o atleta. No início a divisão era de 50% pra cada parte, depois o clube foi cedendo sua parte, até não receber mais nada, mas também não pagava. Foi assim que o LAOR conseguiu mantê-lo no país mesmo após várias investidas de times da europa.

Kaká – A jóia revelada no São Paulo pode não ter o mesmo apelo de marketing que seu colega santista, mas certamente tem muito apelo. Se o marketing do Tricolor não se mexer e elaborar um plano nos mesmos moldes do Neymar no Santos, o Kaká não virá. O clube não tem dinheiro. O Kaká custa para o Milan, R$ 2 milhões e meio por mês. Alguém acredita que ele vai querer abrir mão destes valores ? Portanto sãopaulino, não se iluda. Não há mais românticos no mundo atual. No esporte, o amadorismo acabou nos anos 30/40. O dia que aparecer uma pessoa que troque R$ 2.5 mi/mês por amor a uma instituição, projeto ou ideologia, me apresente, eu vou fazer questão de apertar a mão.

***(*) ******(*)

Três Toques

30/05/2014

Reforços – Não acho que a vinda do Lugano seria benéfica para o clube. Eu entendia que sim, mas mudei de idéia. Pensa comigo. O São Paulo de hoje tem no ataque a sua vocação. Não joga mais no 3-5-2 com uma defesa bem protegida. O Lugano que é lento, pode ficar muitas vezes no mano a mano com os atacantes adversários e convenhamos, raça não ajuda ninguém na corrida. A prioridade do São Paulo deveria ser a contratação de um primeiro-volante. Felipe Melo, Cambiasso ou alguém neste nível resolveria parte do problema do sistema defensivo.

Reforços 2Ventilou-se na mída que o São Paulo teria até salários acertados com o zagueiro Manoel do Patético Paranaense. Mais tarde, foi dito que o São Paulo desistira do negócio para evitar problemas com choradeiras, como a que aconteceu depois do negócio com o Kardec. Mas agora eu pergunto, depois da nota oficial no site do clube paranaense, qual a razão que o São Paulo tem pra se preocupar com o que vão dizer ? Não existe santos no futebol, no futebol brasileiro então ser honesto é como ser a virgem na casa de tolerância. Se o zagueiro conseguir sua rescisão com os patéticos, o Tricolor deveria entrar com tudo e contratar o jogador. Não tem nada de ilegal. Não foi isso que o Inter de Porto Alegre fez com o Oscar ? Qual é a diferença ?

O regulamento das finais da Libertadores em 2005As invencionices sobre a negativa do São Paulo em jogar no meio estádio dos patéticos no ano do TRI, será em 20/30 anos ou talvez antes, o novo capítulo das mitologias do bloco da inveja. Mas pra que conste nos registros a informação honesta e verdadeira, vamos aos fatos. A choradeira poodle se baseia em um suposto laudo do corpo de bombeiros que atestaria a capacidade de 40 mil lugares no meio estádio da Arena da Baixada, capacidade mínima para finais da competição de acordo com o regulamento da Conmebol. Não sei como o corpo de bombeiros fez este laudo – se é que foi feito, ninguém nunca viu – se no próprio site oficial do clube do Paraná a capacidade nominal do estádio é de 28.756 assentos em 2010 e o recorde de público é 31.700 torcedores no jogo entre Patéticos x São Caetano em 12/06/2001. Hoje, depois das reformas, o estádio terá 41 mil lugares, mas a reforma veio com 9 anos de atraso. Podem chorar, foi 4×0 mas poderia ter sido mais…

Capacidade Arena da Baixada

Fonte: Site Oficial Atético Paranaense.

***(*) ******(*)

São Paulo FC 1×0 Coligay

24/05/2014
spo 1x0 gre brasileiro 24052014
Rubens Chiri – Site Oficial

No reencontro com o Morumbi, o Tricolor conseguiu se redimir da derrota para o Fluminense (5 x 2) e venceu novamente no Campeonato Brasileiro de 2014. Na noite deste sábado (24), com boa exibição, o São Paulo bateu o Grêmio por 1 a 0 e colou no G-4.

Com gol de Lucão, na etapa final, a equipe são-paulina assumiu a quinta colocação, agora com 12 pontos em sete rodadas. Na próxima quarta-feira (28), no Parque do Sabiá, os paulistas enfrentarão o Atlético-PR no penúltimo confronto antes da parada para a disputa da Copa do Mundo.

Após sete jogos (entre mandante e visitante), o clube pôde matar a saudade do Morumbi. O último jogo no estádio foi na vitória sobre o Botafogo, por 3 a 0, no dia 20 de abril.  Por conta dos shows da banda One Direction, nos dias 10 e 11 de maio, o Tricolor encarou o Coritiba no Pacaembu, no empate por 2 a 2, e o Corinthians na Arena Barueri, no 1 a 1.

Douglas, recuperado de lesão muscular na coxa direita, foi a grande novidade na escalação do Tricolor, que começou a partida com Rogério Ceni; Douglas, Lucão, Antonio Carlos e Reinaldo; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato, Luis Fabiano e Osvaldo.

Rodrigo Caio, Ademilson, Lucas Evangelista e Auro estão na Seleção Brasileira Sub-21 que disputa o Torneio de Toulon, na França, e seguem desfalcando a equipe são-paulina. Já Alvaro Pereira, na Seleção Uruguaia que se prepara para a disputa da Copa do Mundo, só retornará após disputa do maior torneio de futebol.

Com a bola rolando, o Grêmio até começou melhor, levou algum perigo nos primeiros minutos, mas acabou envolvido pelo Tricolor e teve trabalho para conter as investidas do sistema ofensivo paulista. Aos 13, Luis Fabiano tabelou pela direita e bateu firme na bola. Marcelo Grohe espalmou e impediu que os donos da casa abrissem o placar.

Alternando a movimentação na frente e contando com a tabela envolvente dos atacantes, o São Paulo conseguiu encurralar os visitantes e seguiu pressionando. Maicon saiu fazendo fila, aos 16 minutos, tabelou com Ganso e chutou para o gol, mas mais uma vez Grohe fechou bem o ângulo e salvou os gaúchos.

O Grêmio se protegia como podia, tentava assustar nos contragolpes, mas o Tricolor tinha o comando da partida. O gol parecia estar amadurecendo, mas o arqueiro rival aparecia como o grande nome na primeira etapa. Aos 33 minutos, Osvaldo bateu escanteio e Antonio Carlos desviou de cabeça. Marcelo Grohe, de novo, fez grande defesa e segurou o marcador antes do intervalo.

Na volta para o segundo tempo, as equipes não fizeram alterações, mas o duelo recomeçou mais amarrado e com muitos passes errados. Marcando em cima e evitando dar espaços, principalmente com os três volantes, os gremistas conseguiram travar o sistema ofensivo são-paulino.

E se por baixo estava difícil, o jeito foi ‘improvisar’ pelo alto para poder tirar o grito de gol da torcida e agitar as arquibancadas. Aos 15 minutos, o Maestro Paulo Henrique Ganso bateu falta e Lucão desviou de cabeça. Marcelo Grohe foi na bola, mas não conseguiu segurar e impedir que as redes balançassem na capital paulista: 1 a 0.

Em vantagem no placar, bem postado em campo e apoiado pelos torcedores, o São Paulo tratou de cadenciar o jogo e neutralizar os ataques do rival. Buscando o empate, os visitantes adotaram uma postura mais ofensiva, exigiram algumas defesas de Rogério, mas não puderam impedir que o Tricolor vencesse mais uma no Morumbi!

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 GRÊMIO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 24 de maio de 2014, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Público: 14.992 pagantes
Renda: R$ 210.275,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e João Patricio de Araújo (ambos de GO)
Cartões amarelos: Souza, Ganso, Douglas e Maicon (São Paulo); Ramiro e Breno (Grêmio)

Gol: SÃO PAULO: Lucão, aos 15 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lucão, Antonio Carlos e Reinaldo; Souza, Maicon e Ganso; Osvaldo (Boschilia), Pato (Pabon) e Luis Fabiano  Técnico: Muricy Ramalho

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Bressan e Breno (Zé Roberto); Edinho, Ramiro (Maxi Rodriguez), Riveros (Matheus Biteco), Rodriguinho e Dudu; Barcos Técnico: Enderson Moreira

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO Bastidores

VÍDEO Coletiva: Muricy Ramalho

Craques da Arquibancada 2014: São Paulo x Grêmio

Confiança renovada para seguir na briga pelo G-4

Eu no Morumbi: São Paulo x Grêmio

Bastidores de São Paulo x Grêmio

“Felizmente, o time se portou bem e ganhou”

Vitória no peito e na raça!

De ‘vilão a herói’, Lucão festeja confiança de Muricy

Novamente no Morumbi, Tricolor tenta se reabilitar no Brasileiro

Muricy elogia preparação, mas faz suspense

Sem perder tempo, elenco trabalha com bola

Recuperado, Douglas mira gremistas

De volta pra casa

Relacionados para São Paulo x Grêmio

***(*) ******(*)

FluminenC 5×2 São Paulo FC

24/05/2014

O São Paulo até largou na frente e lutou para manter a sua invencibilidade no Campeonato Brasileiro de 2014, mas acabou derrotado de virada para o Fluminense por 5 a 2 na noite desta quarta-feira (21), no Maracanã. Rogério Ceni e Alexandre Pato anotaram os gols do Tricolor, que viu os cariocas marcarem com Walter (2), Lucão (contra), Rafael Sobis e Wagner.

Para tentar se recuperar do revés e brigar novamente por uma vaga no G-4, o São Paulo entrará em campo novamente no próximo final de semana. No Morumbi, o Tricolor enfrentará o Grêmio. Após seis rodadas, os paulistas ocupam a sétima colocação, com nove pontos na competição nacional.

O técnico Muricy Ramalho repetiu a escalação da vitória sobre o Flamengo (2 x 0) e manteve o quarteto ofensivo formado por Ganso, Osvaldo, Luis Fabiano e Pato contra o Fluminense. Assim, o time são-paulino começou a partida com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lucão, Antônio Carlos e Reinaldo; Souza, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo, Luis Fabiano e Alexandre Pato.

No começo do jogo, as duas equipes erraram muitos passes e deixaram o duelo lento. Ainda assim, o Tricolor tinha mais posse de bola e ficava mais tempo no campo de ataque. Osvaldo, caindo pelos dois lados, era acionado constantemente por Ganso para abastecer o ataque. O próprio camisa 17 teve oportunidade de abrir o placar, mas a arbitragem assinalou infração do jogador.

Melhor na partida, os visitantes conseguiram abrir o placar. Aos 26 minutos, Antonio Carlos avançou, tabelou com o Maestro e entrou na grande área. Wellington Silva tentou desarmar o zagueiro e cometeu pênalti. Com tranquilidade, o M1TO converteu rasteiro, no meio do gol, e abriu o placar na cidade carioca: 1 a 0.

Após sofrer o gol, o Fluminense tratou de encurralar o São Paulo e levou perigo em três oportunidades. No entanto, quando não parou no bom posicionamento defensivo dos paulistas, esbarrou nas defesas de Rogério. Para evitar as investidas rivais, o Tricolor retomou as ações ofensivas e assustou o goleiro Felipe.

Aos 32, após cobrança rápida de escanteio pela esquerda, Reinaldo cruzou para a área, o arqueiro afastou errado e Souza, no rebote, livre de marcação, bateu por cima do gol. Pouco antes, Pato também havia dado trabalho ao goleiro fluminense, que espalmou o chute do camisa 11.

E quando era melhor novamente, o time são-paulino sofreu o gol. Walter, aos 42, deixou tudo igual no Maracanã. Sem acusar o golpe ou ficar na defesa, os comandados de Muricy partiram para cima do adversário e conseguiram anotar o segundo gol.

O ataque do São Paulo trocava constantemente de posição e, assim, confundia a marcação carioca. Aos 44 minutos, Osvaldo desceu pela esquerda e cruzou na medida para Alexandre Pato, que se antecipou a Carlinhos e cabeceou no canto direito de Felipe: 2 a 1 e placar final no primeiro tempo.

Na volta para a segunda etapa, atrás no marcador, o Fluminense se atirou ao campo de ataque e conseguiu empatar o confronto aos 7 minutos, com Lucão, contra: 2 a 2. O gol logo cedo frustrou os planos da equipe são-paulina, que havia dominado a maior parte do primeiro tempo e caminhava para conquistar um bom resultado.

No entanto, empurrado por sua torcida, o Fluminense conseguiu a virada. Aos 20, Walter de novo balançou as redes: 3 a 2. Sem conseguir se impor no jogo novamente, o São Paulo foi perdendo espaço para os donos da casa e acabou sofrendo mais gols. Aos 27 e 30, Wagner e Rafael Sobis, respectivamente, fecharam o marcador no Maracanã.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 5 X 2 SÃO PAULO

Local:   Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 21 de maio de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Paulo Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Conca (Fluminense). Paulo Miranda, Reinaldo, Luis Fabiano e Alexandre Pato(São Paulo)
GOLS: FLUMINENSE: Walter, aos 41 minutos do primeiro tempo e aos 20 minutos do segundo tempo. Lucão (contra), aos sete, Wagner, aos 27, e Rafael Sobis, aos 30 minutos do segundo tempo.
SÃO PAULO: Rogério Ceni, aos 25, e Alexandre Pato, aos 44 minutos do primeiro tempo

FLUMINENSE: Felipe Garcia; Wellington Silva, Gum, Elivélton (Marlon) e Carlinhos; Diguinho, Jean, Wagner (Chiquinho) e Conca; Rafael Sobis (Kenedy) e Walter Técnico: Cristóvão Borges

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lucão, Antônio Carlos e Reinaldo; Souza, Maicon (Pabon) e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato, Luis Fabiano (Boschilia) e Osvaldo (Hudson) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Fluminense x São Paulo

“Infelizmente, mudou tudo”

Jogadores lamentam chances perdidas

Pé-quente, Divena Mercedes-Benz segue no manto são-paulino

Pela 50ª vez, tricolores se enfrentarão pelo Brasileiro

Novamente no Maracanã, Tricolor busca mais uma vitória fora

São Paulo está de volta ao Rio de Janeiro

Partiu Rio!

Relacionados para Fluminense x São Paulo

***(*) ******(*)

Segundo PVC, Rogério Ceni Sofreu 91 Gols do time.gov

20/05/2014

Salve Soberania.

O centésimo gol do M1TO mexeu com as meninas de Itaquera a tal ponto, que até a contagem de gols sofridos por ele foi sabotada.

Estatisticamente falando, não se usa gols das categorias de base em contagens oficiais, mas há quem na ânsia de fazer graça, cometa tal erro (?) metodológico.

Considere sempre e apenas a opinião do jornalismo esportivo sério, apesar de ser raro encontrá-lo atualmente.

***(*) ******(*)

Jogo Limpo Com Plihal: Carlos Miguel Aidar

16/05/2014

***(*) ******(*)

Três Toques

12/05/2014

que se dane a copa e a selecaoMiranda, Ganso, Fabuloso e Scolari – Se antes eu já tinha motivos sociais e políticos de sobra pra torcer contra esta seleção e esta copa, imagine agora que o Scolari fez esta palhaçada com ídolos do São Paulo. Começando pelo Miranda que não joga mais no clube mas convenhamos, está jogando muito no Atlético Madrid. Olha que situação bizarra. Um cara que pode ganhar a Champions League, vai ficar de fora do mundial porque foi preterido pelo Henrique. Sabe meu, convicções pessoais têm limites. Você não pode jogar o sonho de um profissional no lixo assim. Ele tem 30 anos, é de 1984. Será que ele vai ter outra chance na seleção ? Bem difícil… E o Fabuloso ? Olha o que o cara tem jogado, olha o comportamento, a entrega, a regularidade. Recebeu até elogios do Muricy. Foi trocado pelo Fred. O Fabuloso joga mais que todos os convocáveis. Sem exageros. Tremenda injustiça com os dois jogadores. Correndo por fora da convocação final estava o Ganso. É craque, veja o passe que ele deu ontem para o gol do Fabuloso com 3 caras em cima dele, sem contar o que ele fez durante toda a partida. E tem gente na imprensa que se especializou em pegar no pé do craque e falar mal. Um destes babacas chegou a filosofar: “o Ganso é uma Ferrari a gás”. Se fosse convocado não seria nenhuma surpresa e seria merecido.

Muricy e Boschilla – Não quero criar clima contra o Muriçoca, adoro o cara de verdade, mas estranhei muito o tratamento que ele deu a jovem promessa Tricolor no domingo. E não é a primeira vez que o garoto é destratado. No jogo entre São Paulo 3×0 CRB, o Boschilla entrou aos 45´ do segundo-tempo, deu um pique e o juiz terminou o jogo. Nem deu tempo pra transpirar, não chegou a tocar na bola. Achei desnecessário colocar o moleque no final. Era realmente necessária a substituição ? Pra mim não era. O que você muda aos 45 do segundo-tempo ? Lembrando que ele entrou no lugar do Ganso ( melhor do jogo ) que não estava machucado e nem cansado. Se falar que mudou porque o Ganso tinha amarelo, não deveria ter feito a substituição tão tardiamente. Ontem contra o time do governo, o treinador esbraveja na frente das câmeras contra o garoto que é defendido pelo Ganso: “é um garoto ainda !”. O esculacho ganha as manchetes do pós jogo e olha que assunto não faltou. Pra quem costuma dizer nas coletivas que não fala de jogador individualmente pra não criar atritos no grupo, além de dizer acreditar – pelo menos na teoria – que problemas de grupo devem ser discutidos internamente, a atitude ao final do jogo me pareceu totalmente incoerente com o discurso. Será que a cena toda aconteceu apenas por se tratar de uma promessa e não de uma estrela ? Agora eu quero ver esporro no Maicon quando ele erra passes de 3 metros, quero ver esporro no Ganso quando preciso, quero ver esporro no Pato quando ele chuta pra fora estando dentro da área, quero ver esporro no Fabuloso quando ele discute com juiz, senão vai parecer encenação pra dizer que tem comando. Comando é pra todos e não para os mais humildes. Se não for assim não é grupo, é panela.

Inauguração do Privadão – Tem coisas que só acontecem na Zona Lost amigo. O lance que originou o primeiro gol do Itaquerão foi de penalti,  muito simbólico não acham ? No lance, o ex-jogador Palhinha acabou se machucando e fraturou o braço. Ele foi hospitalizado e segundo informações passaria por cirurgia nesta segunda, sabe onde ? No HOSPITAL SÃO LUIZ MORUMBI. Não é pra dar risada ? Como é que o Itaquerão não é longe meu Deus do céu ?!? Será que vão fazer aqueles vídeos ridículos medindo distâncias desta vez ?…

***(*) ******(*)