Archive for outubro \31\UTC 2013

Três Pérolas Jornaleirísticas

31/10/2013

chimp_at_typewriterMais três pro arquivo.

Luis Fabiano em coletiva na Barra Funda ouve esta: “Você falou do palmeiras. O palmeiras é o melhor time do estado estando na série B.” Fabuloso balançando a cabeça negativamente responde: “-Eu não queria estar no melhor momento deles na série B.”

Outro dia era o desembarque do time do governo após derrota em algum lugar por ai. Acho que era copa do Brasil. O repórter vira pro Alessandro e solta esta: “-O Tite deve ficar ou deve ser conversado Alessandro ?”, o atleta incrédulo responde:  “-Cara, isso não é pergunta que se deva fazer pra jogador né ?”

Ontem foi a vez do Felipão. Algum dos jornaleiros presentes, quis comparar o caso Deco/Portugal com Diego Costa/Seleção Brasileira. Na minha opinião a propósito, nada a ver uma coisa com a outra já que o Deco salvo engano, não tinha sido convocado pela seleção brasileira, caso do Diego Costa que recebeu a convocação e deu de ombros, preferindo defender a Espanha. Mas voltando ao jornaleiro, ele diz: “-Qual a diferença entre estes casos ?”. O Felipão então a la Boi Bandido soltou a voadora com os dois pés no peito: “-Não faça uma pergunta ridícula dessa porque há uma desconexão total entre as situações”. Então o jornaleiro já sob supervisão médica diz: “-Eu sou jornalista, tenho que fazer pergunta”. E o Felipão sem pena, finaliza: “Eu sei e eu tenho que responder se quiser”.

***(*) ******(*)

Anúncios

Boi Bandido

31/10/2013

***(*) ******(*)

São Paulo FC 3×2 Atlético Nacional-COL

30/10/2013

VovoadoraEm noite inspirada do zagueiro Antonio Carlos, de novo, nesta quarta-feira (30), o Tricolor venceu o Atlético Nacional-COL por 3 a 2, no Morumbi, e deu um importante passo para seguir adiante na Copa Sul-Americana de 2013. Com dois gols do camisa 4 – o segundo já nos minutos finais do duelo – e um de Jadson, o São Paulo mostrou que está firme no torneio continental atrás de uma vaga na semifinal.

Uribe e Duque anotaram os tentos dos colombianos, mas não conseguiram impedir a derrota dos visitantes. O segundo jogo está marcado para o dia 6 de novembro, às 21h50m (de Brasília), em Medellín. O vencedor deste confronto enfrentará Libertad, do Paraguai, ou Itaguí, da Colômbia, nas semifinais. Com o resultado (3 a 2), na capital paulista, o Tricolor precisa apenas de um empate fora de casa.

Com as voltas de Antonio Carlos e Luis Fabiano, recuperados de lesões, o técnico Muricy Ramalho escalou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Reinaldo; Denilson, Maicon, Douglas e Jadson; Aloísio e Luis Fabiano. Ganso, suspenso, Rafael Toloi e Carleto, lesionados, não puderam encarar os colombianos.

No primeiro tempo, o Tricolor controlou o jogo e criou as melhores jogadas. Porém, na única investida que conseguiram antes do intervalo, os visitantes igualaram o marcador. Logo após o apito inicial na capital paulista, o São Paulo partiu pra cima do adversário e levou perigo. Aos 3 e 7 minutos, as redes só não balançaram, porque a defesa do Atlético travou os atacantes são-paulinos.

E se penetrando na grande área não era possível passar pelo goleiro Franco Armani, o meio-campista Jadson tratou de arriscar de fora da área. Aos 13 minutos, o camisa 10 recebeu passe de Denilson, ajeitou e acertou um belo chute. O arqueiro rival ainda se esticou todo, mas não conseguiu impedir o golaço, de cobertura, do meia: 1 a 0.

Nervoso, o time colombiano assistia aos são-paulinos tocarem a bola. O Tricolor, amplamente melhor na partida, tocava e bola e procurava os espaços para ampliar o marcador. Douglas e Reinaldo, bem abertos, tentavam acionar os atacantes Aloísio e Luis Fabiano. O cronômetro já registrava mais de meia hora de jogo e o Nacional de Medellín não conseguiu criar uma jogada ofensiva.

Assim, dominando o confronto, o Tricolor quase anotou o segundo gol. Aos 35, Maicon deixou Aloísio na cara do gol. O Boi Bandido tirou do goleiro, mas a bola foi fraca e a zaga colombiana conseguiu chegar a tempo de evitar que ela parasse no fundo das redes. E quando os brasileiros ditavam o ritmo do duelo, os visitantes deixaram tudo igual. Fernando Uribe, aos 38, marcou o tento do Nacional e as equipes foram para o vestiário com tudo igual no placar: 1 a 1.

Na segunda etapa, o São Paulo criou a primeira chance com Jadson, em chute forte do bico da área, mas o Atlético Nacional-COL voltou melhor. Aos 7 e 10 minutos, o time da Colômbia passou perto de virar o marcador. Ao contrário do que aconteceu no primeiro tempo, quando praticamente não levaram perigo, os colombianos mudaram a postura em campo e se lançaram ao ataque.

Para mudar o panorama do jogo, o Tricolor apostou nas bolas longas e conseguiu equilibrar a partida. Pelo alto, duas vezes, aos 19 e 22 minutos, Luis Fabiano recebeu na grande área, mas foi bloqueado pelos defensores rivais. E se as jogadas pelo alto surtiram efeito, Antonio Carlos foi eficiente para anotar o segundo gol são-paulino. Aos 26, Douglas cobrou escanteio, Rodrigo Caio desviou na primeira trave e o xerifão cabeceou para o fundo do gol: 2 a 1.

No entanto, quando a torcida comemorava e ainda festejava o tento do zagueiro, o Atlético-COL empatou novamente. Jefferson Duque, aos 34 minutos, tocou na saída de Rogério Ceni e igualou tudo. Mas, como tem sido nos últimos jogos do Tricolor, sempre na base do sofrimento e determinação, o São Paulo conquistou a vitória. Aos 45 minutos, aproveitando nova cobrança de escanteio, Antonio Carlos apareceu bem pelo alto de novo e garantiu o suado triunfo são-paulino: 3 a 2.

O segundo jogo está marcado para o dia 6 de novembro, às 21h50 (de Brasília), em Medellín. O vencedor deste confronto enfrentará Libertad, do Paraguai, ou Itaguí, da Colômbia, nas semifinais da Copa Sul-Americana de 2013.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 2 ATLÉTICO NACIONAL-COL

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 30 de outubro de 2013 (quarta-feira)
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (PER)
Assistentes: Jonny Bossio (PER) e Cesar Escano (PER)
Público: 22.441 pagantes
Renda: R$ 572.190,00
Cartão amarelo: Rodrigo Caio (São Paulo)

Gols: SÃO PAULO: Jadson, aos 13 minutos do primeiro tempo; Antônio Carlos, aos 26 e aos 45 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO NACIONAL: Uribe, aos 39 minutos do primeiro tempo, e Duque, aos 33 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio e Antônio Carlos; Douglas, Denilson, Maicon, Jadson (Osvaldo) e Reinaldo; Aloísio e Luis Fabiano (Ademilson) Técnico: Muricy Ramalho

ATLÉTICO NACIONAL: Armani; Nájera, Henríquez, Murillo e Diaz; Medina, Mejía e Valencia; Bernal (Calle), Uribe (Duque) e Cárdenas Técnico: Juan Carlos Osorio

Via Gazeta Esportiva

Gols

Relacionados

VÍDEO Bastidores: São Paulo 3 x 2 Atlético Nacional-COL

VÍDEO Coletiva de Imprensa:Muricy Ramalho

Craques da Arquibancada: São Paulo x Atlético Nacional-COL

Nome nas arquibancadas motiva Ademilson

Rodrigo Caio tira lição e celebra assistência

 #3Cores1SóTorcida: São Paulo x Atlético Nacional

Douglas completa 100 jogos, e enaltece força da equipe

Eu no Morumbi: São Paulo x Atlético Nacional-COL

Após golaço, Jadson mira mais oportunidades

Bastidores de São Paulo x Atlético Nacional-COL

Muricy: “O time não se entrega”

Empenho motiva ainda mais elenco tricolor

Antonio Carlos: “Muito feliz pela vitória”

***(*) ******(*)

Internacional 2×3 São Paulo FC

27/10/2013

Segura o boi AloisioVivendo o seu melhor momento na temporada 2013, o Tricolor venceu mais uma partida. Na tarde desde domingo (27), no Estádio Centenário, o São Paulo venceu o Internacional por 3 a 2 em tarde inspirada do atacante Aloísio, que marcou os três gols do time são-paulino. Com o resultado, o clube registrou a sua sétima partida consecutiva de invencibilidade no ano (seis vitórias e um empate).

Leandro Damião e Jorge Henrique, que marcaram os tentos dos anfitriões, ainda tentaram brecar a reação dos comandados de Muricy, mas não conseguiram impedir a derrota dos gaúchos, que foram ultrapassados pelo Tricolor na tabela. Agora, após 31 rodadas na competição nacional, os paulistas somam 43 pontos e ocupam a nona colocação.

Mesmo a partida sendo no interior gaúcho, lembrando que o jogo foi no Estádio Centenário, em Caxias do Sul, pois o Beira-Rio, casa do Inter em Porto Alegre, está em obras para a Copa do Mundo, a torcida do São Paulo compareceu em bom número ao duelo e empurrou o time durante os 90 minutos.

O técnico Muricy Ramalho, que não pôde contar com Antonio Carlos, Carleto, Luis Fabiano (lesionados), além dos suspensos Maicon e Denilson, escalou a equipe com: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Reinaldo; Rodrigo Caio, Wellington, Douglas e Paulo Henrique Ganso; Ademilson e Aloísio.

Nos primeiros minutos do confronto, os gaúchos tomaram a iniciativa e chegaram ao ataque. No entanto, aos 9 minutos, Aloísio foi preciso e precisou de apenas uma oportunidade para abrir o placar. O volante Rodrigo Caio fez linda jogada, driblou o zagueiro e tocou para o Boi Bandido que bateu firme na saída do goleiro Muriel. Na comemoração, que já virou sua marca registrada, o camisa 19 saiu distribuindo ‘voadoras’ nos companheiros!

Em vantagem, o time são-paulino cadenciou a partida e só arriscava algumas descidas pela esquerda, com Reinaldo. Os donos da casa, então, partiram para cima e foram prendendo o Tricolor no campo de defesa. Assim, aos 32 minutos, Leandro Damião marcou o gol de empate na serra gaúcha. Mas, ao invés de sentir o golpe e apostar nos contra-ataques, o São Paulo se lançou ao ataque e anotou o seu segundo tento no duelo.

Ademilson recebeu na grande área e acabou derrubado por João Afonso. Pênalti. Aloísio, aos 44 minutos, cobrou e recolocou os visitantes na frente novamente. Na comemoração, o Boi Bandido fez questão de dedicar o gol ao goleiro Rogério Ceni, que recebeu duras críticas após desperdiçar uma cobrança de penalidade máxima no clássico contra o Corinthians (0 a 0).

E se no primeiro tempo não faltaram emoções, o segundo manteve o ritmo. Logo aos 2 minutos, Jorge Henrique aproveitou bate e rebate na pequena área e deixou tudo igual no Estádio Centenário: 2 a 2. Porém, apesar da festa dos torcedores do Internacional, a tarde era mesmo do atacante Aloísio. Aos 7, assim como na primeira etapa, Ademilson foi derrubado na grande área. Com categoria, o Boi Bandido converteu a cobrança e anotou o seu terceiro gol no jogo.

Atrás no placar, os anfitriões se lançaram ao ataque e até criaram boas chances. No entanto, quando não pararam nas mãos do goleiro Rogério Ceni, viram a trave impedir o tento de empate no chute de Alex, aos 12 minutos. Empurrados pela torcida, os jogadores do Inter pressionaram e ficaram mais tempo com a posse de bola.

No entanto, nos contragolpes, o Tricolor assustava. Ademilson aos 17 parou no travessão. Já Douglas, aos 31, viu Muriel espalmar o seu chute cruzado. Para dar mais velocidade e sangue novo ao time, Muricy colocou Welliton no lugar do cansado Aloísio. Como não poderia deixar de ser, o camisa 19 deixou o gramado aplaudido de pé pela torcida são-paulina.

Welliton ainda teve a oportunidade de ampliar o marcador, já nos minutos finais da partida, mas a bola passou rente a trave. Apesar das investidas gaúchas em busca do gol de empate, as redes não balançaram novamente e o São Paulo acumulou o seu sétimo jogo consecutivo de invencibilidade na atual temporada.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 x 3 SÃO PAULO

Local: Estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS)
Data: 27 de outubro de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (Fifa-RJ)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Luiz Antônio Muniz (RJ)
Cartão amarelo: João Afonso e Juan (Internacional); Aloísio e Wellington (São Paulo)
Gols: INTERNACIONAL: Leandro Damião, aos 33 minutos do primeiro tempo; Jorge Henrique, aos 2 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Aloísio, aos 9 e, de pênalti, aos 44 minutos do primeiro tempo; e, de pênalti, aos 8 minutos do segundo tempo

INTERNACIONAL: Muriel; Gabriel (Rafael Moura), Jackson, Juan e Fabrício; João Afonso, Jorge Henrique, Alex (Caio), D’Alessandro e Otávio; Leandro Damião (Scocco) Técnico: Clemer

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Tolói e Edson Silva; Douglas, Rodrigo Caio, Wellington, Ganso e Reinaldo; Ademílson (Lucas Evangelista) e Aloísio (Welliton) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

VÍDEO: Bastidores

Bastidores de Internacional x São Paulo

Jogadores celebram confiança e boa fase do Tricolor

Muricy: “Vencemos na organização”

Rogério: “Vamos viver jogo após jogo”

Herói da tarde, Aloísio assume artilharia do Tricolor no Brasileiro

***(*) ******(*)

Universidad Católica 3×4 São Paulo FC – Jogo Completo

26/10/2013

Pra baixar e guardar.

***(*) ******(*)

Rogério Ceni Em Noite M1TOlógica

24/10/2013

Veja as defesas do goleiro.

E a sua entrevista pós jogo.

***(*) ******(*)

#FICAM1TO !

Universidad Católica 3×4 São Paulo FC

24/10/2013

M1TO UniversidadQue noite! Que jogo! A noite desta quarta-feira (23), em Santiago, garantiu a classificação do Tricolor nas quartas de final da Copa Sul-Americana de 2013. Por algumas horas, o São Paulo esqueceu a luta para fugir de uma vez por todas da briga contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro e sonhou um pouco mais alto. Com grandes atuações de Rogério Ceni e Aloísio, o time são-paulino bateu a Universidad Católica por 4 a 3 e, assim, avançou no torneio continental.

Com dois gols do atacante, um de Ademilson e outro de Welliton – Sosa, Cordero e Mirosevic anotaram os tentos dos chilenos -, os brasileiros mostraram que têm condições de continuar na briga para defender o título da competição, conquistado em 2012. Na próxima fase, o Tricolor terá pela frente Nacional de Medellín, da Colômbia, ou Bahia. O 1 a 1 no primeiro duelo, no Morumbi, obrigou o Tricolor a ter que vencer por qualquer placar ou buscar uma igualdade a partir de dois gols. Os atletas entenderam a missão e trataram de honrar o manto são-paulino.

Antonio Carlos, Reinaldo, Carleto e Luis Fabiano, lesionados, Clemente Rodríguez (suspenso) e Lucas Silva (na Seleção Brasileira Sub-17), não viajaram com a delegação são-paulina. Assim, Muricy Ramalho escalou Douglas na lateral esquerda e montou o time com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Douglas; Rodrigo Caio, Denilson, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Ademilson e Aloísio.

No primeiro tempo, não faltaram emoções e logo as oportunidades foram surgindo com as duas equipes buscando o gol, as chances iam aparecendo e empolgando o torcedor. Os anfitriões começaram melhor e chegaram com perigo. No entanto, aos 12 minutos, Aloísio carimbou o travessão e mostrou que o Tricolor também estava ligado no jogo.

Mas, quando os brasileiros haviam levado perigo, os chilenos abriram o placar. Sosa, aos 15, tocou na saída de Rogério e colocou os donos da casa em vantagem. A torcida da Católica ainda comemorava o gol, quando Aloísio recebeu de Maicon, girou e deixou tudo igual em Santiago, aos 18 minutos. Festa dos jogadores são-paulinos, que lutavam para conseguir ficar em pé no escorregadio gramado do Estádio San Carlos de Apoquindo.

Com o confronto empatado, por 1 a 1, a decisão caminhava para a decisão nas grandes penalidades. Porém, o ímpeto dos clubes mostrou que o primeiro tempo continuaria agitado. Aos 23, Fernando Cordero recolocou a Universidad na frente. Mas, repetindo a tática do susto anterior, o São Paulo deixou tudo igual novamente. No minuto seguinte, Ganso achou Aloísio na grande área. O camisa 19 driblou o goleiro adversário e balançou as redes: 2 a 2.

O tento do atacante fez com que os chilenos perdessem a vantagem de atuar pelo empate sem gols. Precisando marcar de novo, os anfitriões se lançaram ao ataque e deram trabalho ao goleiro Rogério Ceni. Foram pelo menos três grandes defesas do M1TO, que se esticou todo para conter as investidas do rival e assegurar o placar na primeira etapa. Além das intervenções difíceis do camisa 01, a trave salvou o Tricolor duas vezes.

Na volta para a segunda etapa, para tentar brecar as chegadas da Católica, Muricy promoveu a entrada de Wellington no lugar de Denilson. Mas, nos primeiros lances, o time do Chile manteve a mesma pressão e encurralou os são-paulinos. Rogério, em noite inspirada, praticou mais lindas defesas e minou a confiança da Universidad.

E sentindo que não poderiam passar novamente pelo goleiro Tricolor, os chilenos tiraram o pé e foram dando espaço ao São Paulo. Assim, os brasileiros conseguiram virar o marcador e dar um grande passo para assegurar uma vaga nas quartas de final. Aos 19, Ademilson recebeu assistência de Aloísio e bateu no alto: 3 a 2. Seguindo o cenário dos tentos anteriores no duelo, logo houve mais um gol. De pênalti, Mirosevic, aos 25, igualou novamente: 3 a 3.

Daí em diante, satisfeito com o resultado que garantia a classificação, o time são-paulino tratou de tocar a bola e fazer o tempo passar. Welliton, que entrara na vaga de Aloísio, ainda teve tempo de marcar o quarto gol do São Paulo, aos 40, e fechar a noite espetacular em Santiago, digna de briga por um lugar na Libertadores da América da próxima temporada.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
UNIVERSIDAD CATÓLICA 3 X 4 SÃO PAULO

Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago (Chile)
Data: 23 de outubro de 2013 (quarta-feira)
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Antonio Arias (PAR)
Assistentes: Rodney Aquino (PAR) e Carlos Cáceres (PAR)
Cartões amarelos: Sosa e Mirosevic (Universidad Católica); Edson Silva, Wellington e Rodrigo Caio (São Paulo)
Cartões vermelhos: Tomás Costa (Universidad Católica); Ganso (São Paulo)

Gols: UNIVERSIDAD CATÓLICA: Sosa, aos 16, e Cordero, aos 22 minutos do primeiro tempo; Mirosevic, aos 25 minutos do segundo tempo – SÃO PAULO: Aloísio, aos 19 e aos 23 minutos do primeiro tempo; Ademilson, aos 19, e Welliton, aos 40 minutos do segundo tempo

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Cristopher Toselli; Cristián Álvarez, Marko Biskupovic (Ramiro Costa), Hanz Martínez e Alfonso Parot; Fernando Meneses (Muñoz), Tomás Costa, Fernando Cordero e Milovan Mirosevic; Ismael Sosa e Nicolás Castillo Técnico: Martín Lasarte

SÃO PAULO: Rogério; Paulo Miranda, Toloi, Edson Silva e Douglas; Rodrigo Caio, Denilson (Wellington), Maicon e Ganso; Ademilson (Lucas Evangelista) e Aloísio (Welliton) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Gols

Relacionados

VÍDEO: Bastidores

Decisivos, atacantes estão com a pontaria em dia

Superação do elenco agrada comandante

M1TO é destaque no noticiário internacional

Bastidores de Universidad Católica-CHI x São Paulo

Símbolo da raça tricolor, Aloísio mantém a humildade

Muricy elogia destaques da noite: “Eles se dedicam muito”

Um dos heróis da noite, Rogério agradece carinho da torcida

***(*) ******(*)

Mar de Contradições – Por Juca Kfouri

22/10/2013

Um Mar(acanã) rubro-negro

”(…)Show nas cadeiras, quase 25 mil vozes enlouquecidas como se fossem 100 mil, resposta no campo, aos 19.829 pagantes(…)”

Morumbi vê Majestoso corintiano

”(…)Ao contrário, disputaram cada espaço do gramado do Morumbi vazio (pouco mais de 21 mil torcedores), às vezes com excesso de virilidade(…)”

Via Tumblr Taison ou Messi?

***(*) ******(*)

PS. Depois dizem que eu implico.

Bahia 0x1 São Paulo – Gol Mal Anulado

22/10/2013

Salve Soberania.

Em levantamento feito pelo PVC, o árbitro Sandro Meira Ricci já expulsou nada mais nada menos que 10 jogadores do time em 17 jogos. Por ai dá pra perceber como ele é cheio de “boa vontade” com o Tricolor.

Veja a lista de jogos que eu encontrei (desde quando comecei a postar as fichas técnicas), em que jogadores do São Paulo foram expulsos por ele:

São Paulo 4×3 Santos – Brasileirão 17.10.2010 – Vermelho: Richarlyson
Ceará 2×1 São Paulo – Brasileirão 10.08.2011 – Vermelho: Denilson
Atlético-MG 1×0 São Paulo – Brasileirão 12.09.2012 – Vermelho: Douglas
Atlético-MG 0x0 São Paulo – Brasileirão 02.06.2013 – Vermelho: Denilson
Bahia 0x1 São Paulo – Brasileirão 20.10.2013 – Vermelho: Denilson e Maicon

O M1TO chegou a questionar a expulsão do Maicon, disse: “cotovelada pode, bater palma não ?”.  Não vou dizer que as expulsões neste último jogo foram injustas, não foram. O que chama a atenção é o rigor e a diferença de tratamento em lances iguais.

O Ganso levou uma entrada do Souza e chegou a cair, o jogador baiano levou apenas amarelo, lance parecido com o da entrada do Denilson.

O grande erro do árbitro no jogo, foi anular o gol legítimo do Paulo Miranda, no lance ele não toca no goleiro, se houve um choque foi posterior ao gol. Na minha opinião, gol mal anulado.

Imagem:

Gol mal anulado Paulo Miranda

Vídeo:

***(*) ******(*)

Memória. Brasileirão 2010: Time do Governo 1×0 Cruzeiro

22/10/2013

Salve Soberania.

Lembram daquele jogo em que o Cruzeiro foi sumariamente operado no Pacaembú pelo brasileirão em 2010 ?

Aquele jogo em que o Cuca e o Zezé Perrela (presidente do clube mineiro na época) desabafaram, socaram a mesa na hora da coletiva, aquele jogo em que os jogadores do Cruzeiro quebraram o vestiário do estádio municipal ?

Pois é amigos, aquele árbitro é o mesmo que apitou o último jogo do São Paulo na Fonte Nova.

Naquela oportunidade o cara tomou tanta trombada e recebeu tantas palmas que deve ter gerado um trauma, daí a expulsão do Maicon.

Relembre.

35a. Rodada, Data: 13/11/2010, Jogo: Corinthians 1×0 Cruzeiro
Árbitro
: Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Alessandro de Matos (Fifa-BA)
Obs: Três impedimentos absurdos dados contra o Cruzeiro no primeiro tempo pelo auxiliar Alessandro de Matos; dois lances de pênalti sobre Tiago Ribeiro não marcados; e o vergonhoso pênalti marcado sobre Ronaldo aos 43 do segundo tempo fizeram o técnico Cuca dar até murros na mesa de indignação.

***(*) ******(*)

Quebrou o Relógio, Clube Gigante Não Cai.

20/10/2013

Gigante nao cai

***(*) ******(*)