Archive for agosto \27\UTC 2013

Entrevista Kalil e MAC

27/08/2013

Kalil admite dividir gestão do SP com Juvenal em caso de apoio

***(*) ******(*)

O Jornalismo Esportivo Em Seu Esplendor

27/08/2013

Incoerências…

Via Tumblr Taison ou Messi ?

***(*) ******(*)

Nilton De Sordi: 19.02.1931 – 24.08.2013

25/08/2013

Autografo De SordiO ex-jogador Nilton De Sordi morreu aos 82 anos, neste sábado, em Bandeirantes, no Paraná, em decorrência de  falência múltipla dos órgãos.. Ex-lateral do São Paulo, ele esteve na conquista da Copa do Mundo de 1958. De Sordi sofria de Mal de Parkinson.

Nascido em Piracicaba, em 1931, De Sordi começou a carreira no XV de Piracicaba. Depois jogou no São Paulo por mais de uma década. Na seleção, o principal título foi a Copa de 1958. Ele foi titular nas primeiras partidas, mas perdeu a vaga na final devido a uma lesão. O titular no jogo contra a Suécia foi Djalma Santos, que faleceu no final de julho.

Pelo São Paulo , De Sordi conquistou dois títulos paulistas: 1953 e 1957. Ele jogou 536 partidas no clube. Entre os anos de 1952 e 1965, segundo o “Almanaque do São Paulo”, de Alexandre da Costa, foram 289 vitórias, 131 empates e 116 derrotas.

De Sordi morava há dois anos em Bandeirantes com o filho. Após se aposentar como jogador, ele chegou a trabalhar de técnico. Comandou União Bandeirante, do Paraná, nas décadas de 1960 e 1970.

Via UOL Esportes

Relacionados

Nota de Falecimento

SC Express: Morre campeão mundial de 1958

Pepe lamenta morte de De Sordi: ‘simples fora de campo, e duro dentro dele’

***(*) ******(*)

São Paulo 2×1 FluminenC

25/08/2013

Foi uma tarde perfeita no Morumbi. Com excelente público (mais de 55 mil pessoas) e tarde ensolarada, o Tricolor bateu o Fluminense por 2 a 1, garantiu o presente ao técnico Paulo Autuori, que completou 57 anos neste domingo (25), e aos torcedores que empurraram o time e entraram no clima do #3cores1sótorcida. Com gols de Luis Fabiano e Reinaldo, Eduardo descontou, o São Paulo respirou no Campeonato Brasileiro de 2013 e, agora, detém 14 pontos em 15 jogos.

Pela primeira vez desde que reassumiu o comando do time, o treinador são-paulino pôde contar com uma semana cheia de atividades no Centro de Treinamento da Barra Funda e colocar o seu método de trabalho em prática. E após treinar a equipe e poder conversar com os atletas, Autuori montou o Tricolor com Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Rafael Toloi e Reinaldo; Wellington, Fabrício, Jadson e Paulo Henrique Ganso; Ademilson e Luis Fabiano.

No primeiro tempo, o Tricolor aproveitou a força das arquibancadas e dominou as ações da partida. Com mais posse de bola e buscando o gol desde o apito inicial, o São Paulo não deu espaço aos cariocas e pressionou o adversário. Com Jadson, Paulo Henrique Ganso, Ademilson e Luis Fabiano articulando as jogadas ofensivas, as redes balançaram duas vezes antes do intervalo.

Bem aberto pelas pontas, Ademilson arriscou algumas investidas e levou perigo ao goleiro Diego Cavalieri. No entanto, foi dos pés de Luis Fabiano que o grito de gol saiu da garganta da torcida, que não parou de cantar o jogo inteiro e empurrou o time. Aos 27 minutos, o camisa 9 aproveitou belo passe de Ganso e tocou na saída do arqueiro rival. Festa nas arquibancadas e incentivo extra aos jogadores, que treinaram durante toda a semana para não desapontar nesta tarde.

Melhor no jogo e com quase 70% de posse de bola, o Tricolor não deixou o Fluminense jogar e, assim, continuou criando as melhores jogadas. Rogério Ceni, em cobrança de falta, e Lucas Evangelista quase anotaram o segundo gol, mas foi o lateral-esquerdo Reinaldo que garantiu a vantagem por 2 a 0 antes do intervalo. Aos 45 minutos, depois de escanteio cobrado curto, a bola fica com o camisa 38. O atleta tentou o cruzamento, a bola voltou e na sobra o lateral encheu o pé para estufar as redes. Golaço que agitou novamente os torcedores são-paulinos e fechou o marcador no primeiro tempo.

No retorno para a segunda etapa, o técnico Paulo Autuori promoveu a entrada do estreante Antonio Carlos na vaga de Fabrício e deslocou Rodrigo Caio para o meio de campo. Em vantagem no placar, os donos da casa não se expuseram tanto e adotaram uma postura mais cautelosa. O ritmo do jogo caiu, mas o Fluminense não conseguiu assustar o São Paulo.

Quando os cariocas conseguiram finalizar, na maioria das vezes de fora da área, o goleiro Rogério Ceni apareceu bem e neutralizou as investidas rivais. Nos contragolpes, principalmente com Douglas pela direita, a equipe são-paulina criou boas investidas e não deixou os visitantes tomarem conta do jogo.

Aos 27 minutos, Ganso e Reinaldo brigaram pela bola no campo de ataque e, por pouco, as redes não balançaram novamente no Morumbi. O camisa 8 pegou firme, de perna esquerda, mas a bola passou rente a trave de Cavalieri. Apesar de buscar o terceiro gol e garantir mais um presente aos torcedores, o duelo se manteve parelho. Aos 46, no entanto, Eduardo descontou para os cariocas, mas não conseguiu diminuir a festa da torcida são-paulina.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 FLUMINENSE

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 25 de agosto de 2013 (domingo)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Kléber Lúcio Gil (SC) e Bruno Boschilia (PR)
Público: 55.256 pagantes
Renda: R$ 658.280,00
Cartões amarelos: Anderson, Gum, Diego Cavalieri, Kenedy (Fluminense); Luis Fabiano, Wellington, Aloísio (São Paulo)

Gols: SÃO PAULO: Luis Fabiano, aos 27 minutos, e Reinaldo, aos 45 minutos do primeiro tempo
FLUMINENSE: Eduardo, aos 47 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Rafael Toloi e Reinaldo; Wellington, Fabrício (Antônio Carlos), Jadson (Aloísio) e Ganso; Ademilson (Lucas Evangelista) e Luis Fabiano Técnico: Paulo Autuori

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Gum, Anderson e Edinho; Igor Julião, Jean (Kenedy), Diguinho, Felipe (Eduardo) e Carlinhos; Samuel e Wagner (Biro Biro) Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Eu no Morumbi: São Paulo x Fluminense

Contra o Fluminense, Tricolor somou o seu 200º triunfo em pontos corridos

Bastidores de São Paulo x Fluminense

Autuori: “Era um resultado fundamental

Fabuloso dedica vitória aos torcedores do Tricolor

Suspensos, Luis Fabiano e Aloísio não encaram o Botafogo

***(*) ******(*)

Pautando a Mídia: Fato Versus Factóide

20/08/2013

distraindo pessoasSalve Soberania.

Não é a primeira vez que acontece.

Empresas de comunicação e interesses corporativos costumam agir desta maneira. Para desviar a atenção de um fato, cria-se e repercute-se outro, de modo a fazer com que o foco das massas se desprenda da questão principal.

Exemplo. Durante o julgamento do mensalão, surgiu a questão da cura gay, fundamentalismo religioso e ativismo homossexual. Foi uma bela briga que ainda ecoa na mídia, agora já com ímpeto menor.

As duas polêmicas na rodada do último final de semana no brasileirão foram o penalti inexistente no Pacaembú e o selinho do jogador do time do governo em um amigo.

Mas fique ciente disto: nenhum dos dois é homossexual.

O jogador do time do governo é conhecido por ser “pegador” com várias das mulheres mais bonitas do país no currículo e o amigo da foto polêmica é o chef/dono de um restaurante famoso e bem frequentado em São Paulo, casado e pai.

Qual a razão que dois heterossexuais teriam para levantar a bandeira dos direitos da comunidade gay especificamente neste momento ? Você daria um selinho no seu amigo para defender tal causa ou entende que respeitar as diferenças já é suficiente ?

Então com a permissão do assessor de imprensa do time do governo, o atacante convidou o amigo para polemizar, postou a foto no instagram e claro, a imagem se transformou em um dos assuntos mais comentados da segunda-feira.

Polêmica criada, o penalti inexistente marcado no Pacaembú ficou em segundo plano e o mundo do futebol esqueceu o que deveria ser a questão mais importante a ser discutida.

Enquanto isso, o Coritiba ficou sozinho na sua indignação contra os poderes do futebol.

Fique atento, não se deixe manipular.

***(*) ******(*)

O Craque Alex e a Lisura do Futebol Brasileiro

19/08/2013

Salve Soberania.

Há exatos 10 dias, o jogador Alex do Coritiba em entrevista ao portal Lance, presenteou os torcedores de futebol do Brasil com sua forte opinião e uma visão geral do futebol nacional muito interessante.

Entre as declarações, a que mais causou polêmica foi a seguinte: “Quem cuida do futebol brasileiro é a Globo, a CBF é apenas a sala de reuniões”.

Assista ao vídeo.

Naquele momento, o Coritiba era então o 3o. colocado no campeonato com 23 pontos. Seus jogos seguintes foram:

Coritiba 0x1 Vasco – 11.08
Coritiba 1×1 Portuguesa – 14.08
Time do governo 1×0 Coritiba – 18.08 (clique pra ver o lance capital)

Com esta sequência, o time do Paraná deixou o G4 e está hoje na 6a. colocação.

Caso o Coritiba não tivesse seu ponto honesto retirado indevidamente ontem no Pacaembú, estaria hoje com 25 pontos e em 4o. lugar na tabela de classificação, a frente do seu rival Atlético-PR.

Daí a revolta com toda razão do presidente do Coxa em entrevista para a TV logo após o jogo.

Para o treinador travesti, o beneficiado é na verdade o prejudicado.

Não é interessante o futebol brasileiro ?

Vale a pena prestar atenção nos próximos jogos do time da capital paranaense.

****(*) ******(*)

Papo de Boleiro Com Luis Fabiano

19/08/2013

***(*) ******(*)

Flamengo 0x0 São Paulo

19/08/2013

São Paulo e Flamengo se entregaram, mas ficaram no empate sem gols, em Brasília, na tarde desde domingo (18), em confronto válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro 2013. Apesar de se entregarem no jogo, que contou com público no Estádio Mané Garrincha, os clubes não conseguiram balançar as redes e garantir o grito de gol do torcedor. Com o resultado, no Distrito Federal, a equipe são-paulina somou mais um ponto na competição e, agora, detém 11.

Com uma série de desfalques e contando apenas com o retorno do lateral-direito Douglas, que cumpriu suspensão automática contra o Atlético-PR (1 a 1), o técnico Paulo Autuori montou o time titular com Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Rafael Toloi e Reinaldo; Wellington, Fabrício, Jadson e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Aloísio.

Na partida contra os cariocas, Paulo Miranda, Edson Silva, Carleto, Denilson e Luis Fabiano, todos entregues aos cuidados dos profissionais do REFFIS, estão lesionados e não viajaram para o Distrito Federal. Além dos cinco, o recém-contratado Antonio Carlos, que veio do Botafogo, ainda não teve a sua documentação regularizada junto a CBF e, assim, não pôde atuar.

No primeiro tempo, os flamenguistas criaram as melhores jogadas, mas a equipe são-paulina também levou perigo. Com Paulo Henrique Ganso na vaga de Lucas Evangelista, o time até trocou passes no meio de campo, porém, não conseguiu finalizar com precisão. Jadson, mais aberto pela esquerda, buscou a tabela com os homens de frente e tentou levar o Tricolor ao ataque.

Na frente, Aloísio e Osvaldo abusaram das investidas em velocidade e, por pouco, não balançaram as redes nos primeiros 45 minutos. O camisa 17, logo no início do jogo, matou no peito com categoria, mas finalizou sem força. Já o camisa 19, que não deu vida fácil aos zagueiros e até conseguiu balançar as redes, aos 30 minutos. No entanto, no lance após cobrança de falta, o jogador tocou com a mão na bola e o tento acabou invalidado pelo árbitro Ricardo Marques Ribeiro.

Já no campo de defesa, o São Paulo contou com as grandes intervenções do goleiro Rogério Ceni, que foi exigido algumas vezes, mas soube conter as investidas dos cariocas. Assim, apesar do confronto ser bem aberto e com as duas equipes buscando o gol, o primeiro tempo terminou sem gols e os clubes foram para o intervalo no zero a zero.

Na volta para o segundo tempo, o panorama do jogo pouco mudou. O Flamengo continuou sendo mais agressivo e pressionando o Tricolor. Para dar mais mobilidade ao time, Autuori promoveu a entrada de Evangelista na vaga de Osvaldo, aos 13 minutos, mas foi somente quando Ademilson entrou na partida que a equipe conseguiu reagir.

Aos 22 minutos, o jovem atacante entrou no lugar de Aloísio e, em dois lances seguidos, levou perigo ao gol do goleiro Felipe. Arriscando as jogadas individuais e apostando na troca de passes com Jadson, o camisa 11 deu trabalho ao sistema defensivo adversário.

Melhor no jogo, o São Paulo continuou atacando e criou a melhor jogada do encontro aos 27 minutos. Após linda jogada individual, o volante Wellington driblou o marcador e bateu firme. O chute saiu rasteiro e o arqueiro rival teve que se virar para mandar para escanteio.

Ademilson teve outra boa chance, aos 34, mostrando que o Tricolor melhorou na partida, mas mandou por cima do gol. E apesar de insistir, a equipe são-paulina não conseguiu balançar as redes e o duelo contra os flamenguistas acabou empatado sem gols, em Brasília, válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro 2013. Jadson ainda teve uma oportunidade, em cobrança de pênalti, aos 42 minutos, mas Felipe defendeu.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 0 X 0 SÃO PAULO

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 18 de agosto de 2013, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Cartões amarelos: Nixon, Luiz Antônio (Flamengo). Jadson, Aloísio (São Paulo)

FLAMENGO: Felipe, Luiz Antônio, Chicão, González e João Paulo (Marcelo Moreno); Cáceres, Elias, André Santos e Gabriel; Hernane (Adryan) e Nixon (Paulinho) Técnico: Mano Menezes

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Rodrigo Caio e Reinaldo; Wellington, Fabrício (Maicon), Ganso e Jadson; Aloísio (Ademilson) e Osvaldo (Lucas Evangelista) Técnico: Paulo Autuori

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Flamengo x São Paulo

Autuori: “Jogamos para ganhar”

Garotos de Cotia deixam boa impressão em Brasília

Wellington elogia espírito de entrega do elenco

Pelo Brasileiro, vantagem nos números é do Tricolor

***(*) ******(*)

São Paulo 1×1 Atlético-PR

15/08/2013

O São Paulo pontuou novamente no Campeonato Brasileiro 2013. Na noite desta quinta-feira (15), no Morumbi, o Tricolor recebeu o Atlético-PR e ficou no empate por 1 a 1. Os gols do confronto, válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro 2013, foram marcados por Rodrigo Caio e Paulo Baier (de pênalti). Mesmo empurrado pela torcida, que fez linda festa nas arquibancadas, os comandados do técnico Paulo Autuori não conseguiram bater os paranaenses e, agora, somam 10 pontos na competição nacional.

Para a partida contra o clube do Paraná, o São Paulo não pôde contar com os zagueiros Paulo Miranda e Edson Silva, o lateral-esquerdo Carleto, o volante Denilson e o atacante Luis Fabiano (todos lesionados). O lateral-direito Douglas, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo, abriu uma vaga no time para o argentino Clemente Rodríguez e, dessa forma, o Tricolor começou o jogo com Rogério Ceni; Clemente Rodríguez, Rafael Toloi, Rodrigo Caio e Reinaldo; Wellington, Fabrício, Jadson e Lucas Evangelista; Osvaldo e Aloísio.

Apesar do frio e garoa na capital paulista, o primeiro tempo foi agitado. Pressionando desde o apito inicial, o Tricolor criou boas chances no começo do confronto e encurralou os paranaenses. Antes mesmo que o cronômetro pudesse marcar 10 minutos de jogo, o time já tinha chegado duas vezes com perigo. Jadson, em cobranças de faltas em ambos os casos, deu trabalho ao goleiro Weverton.

Empurrado pela torcida, que compareceu em bom número e incentivou os comandados do técnico Paulo Autuori, o São Paulo conseguiu balançar as redes e agitar os torcedores nas arquibancadas. Aos 17 minutos, Rodrigo Caio aproveitou cobrança de falta, testou e abriu o placar no Morumbi. Na jogada, o auxiliar tentou invalidar o gol, alegando que Aloísio estaria impedido e participara do lance, mas o árbitro Anderson Daronco validou o tento são-paulino e zero saiu do marcador.

Melhor no jogo, o Tricolor continuou com mais posse de bola e buscando o segundo gol. No entanto, aos 37 minutos, Paulo Baier cobrou pênalti e deixou tudo igual no duelo. Apesar do gol, o São Paulo não se abalou e manteve a mesma postura. Aos 43, Osvaldo só não ampliou o placar, porque parou na boa defesa do goleiro paranaense. Rogério Ceni também apareceu com eficiência quando exigido e, assim, os times foram para o intervalo empatados: 1 a 1.

Na segunda etapa, a equipe são-paulina manteve a mesma postura em campo e o adversário no campo defesa. Pelo alto, Rodrigo Caio continuou levando perigo e assustando o arqueiro do Atlético-PR. Porém, bem fechado na marcação, os visitantes não deram tantos espaços o jogo esfriou.

Para dar novo ânimo ao time, Paulo Autuori apostou nas entradas de Paulo Henrique Ganso e Ademilson nos lugares de Fabrício e Jadson, respectivamente. Nas arquibancadas, o torcedor não parou de incentivar e cantar para empurrar a equipe. Mas, mesmo trocando passes e tentando abrir o jogo, o São Paulo não conseguiu finalizar com precisão e as redes não balançaram novamente no Morumbi.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 1 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 15 de agosto de 2013, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Fabio Pereira (TO)
Público: 25.827 pagantes
Renda: R$ 269.012,00
Cartões amarelos: Rafael Toloi, Wellington e Lucas Evangelista (São Paulo); Bruno Silva, Pedro Botelho e Dellatorre (Atlético-PR)

Gols: SÃO PAULO: Rodrigo Caio, aos 17 minutos do primeiro tempo – ATLÉTICO-PR: Paulo Baier, aos 37 minutos do primeiro tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Clemente Rodríguez, Rafael Toloi, Rodrigo  Caio e Reinaldo; Wellington, Fabrício (Paulo Henrique Ganso), Lucas Evangelista e Jadson (Ademílson); Osvaldo e Aloísio Técnico: Paulo Autuori

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Bruno Silva (Juninho), João Paulo, Everton e Paulo Baier (Elias); Marcelo e Dellatorre (Ederson) Técnico: Vagner Mancini

Reforço na Zaga

15/08/2013

Antonio Carlos do Botafogo-RJ pode pintar no Morumbi.

Segundo o presidente, a situação com o atleta e seu representande Eduardo Uram é a seguinte: “Está conversado, precisa se passar alguns detalhes que ainda estão por definir. Será um empréstimo”.

antonio carlos botafogo-rjFicha técnica do defensor segundo o site oficial do clube carioca:

Nome: Antônio Carlos dos Santos Aguiar
Nascimento: 22/06/1983, no Rio de Janeiro (RJ)
Altura e Peso:  1,85m e 85kg
Clubes: Fluminense, Ajaccio (FRA), Atlético-PR, Atlético-GO e Botafogo.

Veja lances do zagueiro.

***(*) ******(*)

#3Cores1SóTorcida – Abrace o Morumbi !

15/08/2013

***(*) ******(*)