Archive for agosto \30\UTC 2012

São Paulo 4×0 Botafogo-RJ

30/08/2012

Salve Soberania !

Festa no Morumbi para comemorar os 200 jogos do Fabuloso.

O time ajudou e não faltaram gols. Foram 4, mas com certeza poderia ter sido mais. A arrancada Tricolor no campeonato deixa o São Paulo agora com 34 pontos e em quinto lugar, um ponto apenas separa o time do G4. O Vasco em quarto tem 35.

No início do jogo o Tricolor pressionava bastante, verdadeira blitz pra cima do time da estrela solitária. Eram 5 minutos de jogo quando o homenageado do dia deixa o seu. Cortez rouba a bola no meio de campo e toca para Jadson que serve com categoria para a corrida do Fabuloso, ele dribla o zagueiro, o goleiro e toca para o gol no contrapé do zagueiro que tentou tirar a bola do gol. 1×0 Maior do Mundo.

O São Paulo jogava solto, leve, animado pela boa vitória sobre o timinho que rouba escolas e hospitais do povo brasileiro. A partir do gol só dava São Paulo que teve ainda, antes do final do primeiro-tempo, duas chances com Luis Fabiano aos 16 que chutou por cima do goleiro botagoguense e com Maicon pela esquerda, que chutou no canto direito do goleiro carioca, mas a bola perigosa foi pra fora.

No segundo-tempo tentando reagir, o Botafogo veio mordido e em uma jogada de escanteio cobrada pelo Seedorf, Renato cabeceiou na defesa que rebateu em direção ao gol. O M1TO teve que fazer grande intervenção pra manter o zero do placar do time visitante.

O segundo gol Tricolor começou com um cruzamento do Jadson pelo lado esquerdo do ataque, Fabuloso tentou marcar mas a bola rebatida pela defesa carioca sobrou nos pés de Osvaldo, que tinha entrado na partida no lugar do Paulo Assunção, o atacante não perdoou e fez 2×0.

A torcida ainda comemorava o segundo quando Lucas, em um daqueles repentes que só jogadores diferenciados tem, dribou três jogadores adversários e bateu forte no canto. 3×0.

A vitória já estava garantida já que o Botafogo não dava sinais de reação, Ney Franco então colocou Wellington no lugar de Maicon e Cícero no lugar de Luis Fabiano que sentiu a perna.

De novo pela esquerda, vem o lance que fecha a partida com chave de ouro e com o placar  clássico de goleada. Osvaldo em jogada de ponta-esquerda, dribla o goleiro Jefferson e toca para Cícero marcar o tento final quando fechavam-se as cortinas no Morumbi. 4×0 para alegria da nação que mais cresce no país.

Fim de jogo.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 4×0 BOTAFOGO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 30 de agosto de 2012, quinta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves (RS)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Fábio Pereira (TO)
Cartões amarelos: Luis Fabiano (São Paulo); Amaral (Botafogo)
Público: 15.576 pagantes
Renda: R$ 204.628,88

GOLS: São Paulo – Luis Fabiano, aos 5 minutos do primeiro tempo. Osvaldo, aos 13, Lucas, aos 15, e Cícero, aos 45 do segundo tempo.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Paulo Assunção (Osvaldo), Denilson, Maicon (Wellington) e Jadson; Lucas e Luis Fabiano (Cícero) Técnico: Ney Franco

BOTAFOGO: Jefferson; Lennon (Gabriel), Brinner, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Amaral, Renato, Seedorf (Jéferson), Cidinho (Willian) e Lodeiro; Elkeson Técnico: Oswaldo de Oliveira

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Eu no Morumbi: São Paulo x Botafogo

Bastidores de São Paulo 4 x 0 Botafogo

Wellington agradece carinho da torcida no retorno

Dono da noite, Fabuloso vibra com vitórias do Tricolor

Atuação “perfeita” agrada a Ney Franco

Rogério Ceni enaltece disposição tricolorFabuloso é homenageado no Morumbi

Tricolor dá show no Morumbi e encosta de vez no G4 do Brasileiro

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Bahia x São Paulo,  Brasileirão 2012,  Estádio de Pituaçu, Salvador, domingo, 02.09 às 16h00.

Dúvida: Drible da Vaca ou da Galinha ?

29/08/2012

(http://www.youtube.com/watch?v=IffT2L9bYps)

***(*) ******(*)

As Transformistas 1×2 São Paulo Tri-Mundial

26/08/2012

Põe no pôster: Fabuloso cala o Pacaembu

Em campo, quatro títulos da Libertadores. O São Paulo, como não poderia ser diferente, colabora com o seu tricampeonato e fez prevalecer a história. História de quem já disputou Copa do Mundo, como Luis Fabiano e fez gols por todos os lugares em que passou. História também de quem é M1TO como Rogério, um gigante na pressão corintiana.

História que está começando a ser escrita por Lucas, que infernizou a zaga do rival. Um time de guerreiros, que não se deixou abater pelo gol do Corinthians, logo no início do jogo. Em uma tarde em que o Corinthians queria festa e provocar o rival, Fabuloso calou o Pacaembu e foi o dono do jogo.

Com dois gols do camisa 9, que chegou a seis em seis Majestosos, o Tricolor venceu o clássico da tarde deste domingo por 2 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. Com a vitória, o São Paulo subiu para 31 pontos, encostou no G4 do Brasileiro e acabou com o jejum no Pacaembu.

Se a palavra guerreiro foi usada, ela serve bem para definir a atuação de Denilson em campo. O camisa 15 foi um dos destaques da equipe, com uma marcação impecável. E o quê dizer de Jadson? O nosso 10, que colocou Fabuloso na cara do gol, deu ao time o toque de bola na hora da pressão.

VEJA A FICHA TÉCNICA DA VITÓRIA TRICOLOR

FABULOSO MARCA

O técnico Ney Franco entrou em campo com a equipe já anunciada durante a semana. No entanto, nos primeiros minutos de jogo, o Corinthians fez uma pressão grande no Tricolor. Tanto que chegou ao gol logo aos sete minutos do clássico com o atacante Emerson.

Com o gol, o time alvinegro cresceu ainda mais e teve outras chances de marcar. Em pelo menos três delas, o goleiro Rogério Ceni fez ótima defesa. Na segunda metade do primeiro tempo, o São Paulo equilibrou a partida. Além disso, Douglas e Paulo Miranda inverteram de lado.

Quando passou a tocar mais a bola e ficar com ela no pé, o Tricolor chegou ao empate no Pacaembu. Aos 24 minutos, Luis Fabiano tabelou com Lucas, que devolveu em ótima condição para o camisa 9 marcar. Frente a frente com Cássio, Fabuloso mostrou que é artilheiro e deixou tudo igual no Majestoso.

Depois do empate, o São Paulo foi para cima do rival e criou duas boas oportunidades com Maicon e Lucas. Lá na defesa, o Corinthians também assustou o time são-paulino, mas a primeira etapa terminou empatada.

FABULOSO MAIS UMA VEZ

No início do segundo tempo, o São Paulo teve a primeira boa chance. Após passe de Jadson, Maicon apareceu livre dentro da área, mas o árbitro marcou impedimento do camisa 18. Depois do lance, o Tricolor seguiu com mais posse de bola e dominou o rival no começo da etapa final.

Com toque de bola, o Tricolor conseguiu a virada. Aos 16 minutos, Jadson, principalmente assistente da equipe na temporada, lançou Fabuloso, que driblou Cássico e tocou para o fundo da rede adversária. Minutos depois, Rogério Ceni teve uma cobrança de falta da entrada da áreas, mas Cássio defendeu dessa vez.

Aos 41 minutos, Cícero entrou no lugar de Maicon. O Corinthians pressinou no final, mas o Tricolor se segurou. Fez o que dele é esperado. Raça e técnica. Uma tarde para o são-paulino festejar demais. Para teer orgulho da atuação de sua equipe.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará a treinar na tarde desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. Na quinta-feira, a equipe enfrentará o Botafogo, no Morumbi, pela primeira rodada do returno. Para essa partida, Ney Franco poderá contar com o retorno de Cortez, suspenso contra o Corinthians.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
TRANSFORMISTAS 1 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 26 de agosto de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Renda bruta: R$ 1.035.952,56
Público: 36.644 espectadores
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Cartões amarelos: Rafael Toloi e Maicon (São Paulo); Chicão, Paulo André e Romarinho (Transformistas)
Gols: TRANSFORMISTAS: Emerson, aos cinco minutos do primeiro tempo
SÃO PAULO: Luis Fabiano, aos 23 minutos do primeiro tempo e aos 16 minutos do segundo tempo.

AS TRANSFORMISTAS: Cássio; Alessandro (Ramirez), Chicão, Paulo André (Guilherme) e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas (Martinez); Romarinho e Emerson Técnico: Tite

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rhodolfo, Rafael Toloi e Douglas; Denilson, Paulo Assunção, Maicon (Cícero) e Jadson; Lucas e Luis Fabiano (Casemiro) Técnico: Ney Franco

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

EXCLUSIVO: Bastidores de Corinthians 1 x 2 São Paulo

Bastidores de Corinthians 1 x 2 São Paulo

Símbolo de raça, Denilson dedica vitória à torcida

Ney Franco: “Equipe foi soberana no segundo tempo”

Fabuloso: “Tenho vontade de vestir essa camisa maravilhosa”

No 1° Majestoso, Fabuloso brilhou em dose dupla

Soberano 2 inspira Tricolor para clássico no Pacaembu

***(*) ******(*)

O Pacaembú é Nosso !

26/08/2012

***(*) ******(*)

Impressões Sobre a Negociação do Ganso

23/08/2012

Salve Soberania !

O cenário está claro.

Você não vende um jogador para um rival sem antes preparar o terreno. Pode criar problemas com a sua torcida.

Por isso o LAOR diz que não vende, ao mesmo tempo revela que o jogador externou desejo de  deixar o clube praiano. O Ganso diz que não disse, mas quer sim, está claro. Há um histórico de desavenças entre clube, DIS e atleta.

O desejo dele é vir para o São Paulo, rejeitou conversas com Inter e Flamengo.

Pagando a multa recisória ou próximo a ela, já que o Juan entra no negócio, o jogador vem, não há como segurá-lo.

Em fevereiro a multa cai, então melhor fazer o negócio agora e não perder dinheiro depois, pior, manter um jogador descontente no elenco.

Perder dinheiro em uma negociação futura, criaria problemas do mesmo jeito com a sua torcida.

Mas agora é que vem o pulo do gato.

Alguém se conforma com a saída traumática e injusta do Oscar do São Paulo ?

Acredito que nenhum sãopaulino engoliu esta sujeira de advogados e empresários.

O que quer o Juvenal ? Penso eu.

Tratar o jogador, deixá-lo em plena forma, elevar ainda mais o nome do Reffis e além de contar finalmente com um meia armador clássico, fazer com que ele seja o títular do Brasil na copa de 2014, o 10 da camisa amarela.

Com isso, o Oscar iria para o banco assistir uma copa do mundo sem jogar.

E isso seria muito mais lindo agora, com a crônica esportiva enchendo o Judas de elogios…

O castigo vem a cavalo.

O tempo dirá.

Relacionados

Birner: Ida de Ganso para o São Paulo tem interesse de todas as partes e está perto de acontecer

Menon: Os quatro motivos de Ganso para trocar o Santos pelo São Paulo

***(*) ******(*)

São Paulo de Ontem e de Amanhã

23/08/2012

Denilson na cabeça de área, Maicon à direita, Cícero à esquerda e Jadson na ligação dum 4-4-2 em losango. Esse foi o meio campo escalado por Ney Franco, nesta terça, no Morumbi, na partida de volta da Sul-Americana, diante do Bahia. Na frente, Ademilson e Lucas – sendo esse bem aberto na direita, como de praxe.

No entanto, antes da metade do primeiro tempo, o técnico tricolor promoveu uma alteração curiosa: transformou Cícero em centroavante, enfiado entre os zagueiros adversários – sinal de duas coisas, a meu ver: um plano B ensaiado no bolso, pois modificações táticas dessa estirpe demandam treinamento; e falta de confiança em Ademilson ou até mesmo em Willian José como substituto de Luis Fabiano.

É verdade que Ademilson rendeu pouco na ponta esquerda, tanto é que foi trocado por Osvaldo na segunda etapa. Cícero, por sua vez, até trabalhou bem como 9. Maicon idem, como segundo volante. A equipe subiu de produção e chegou aos 2 a 0 (com Willian José em campo, autor de um golaço, inclusive).

Me vem à cabeça, porém, o onze e o esquema que Ney pode utilizar daqui pra frente, como todo o elenco à disposição, evidentemente. A primeira mudança em relação ao time de ontem é Douglas na lateral direita, óbvio, na vaga de Paulo Miranda. A segunda é a presença de Wellington ao lado de Denilson. Antes de se machucar, no ano passado, o 5 era titular absoluto, com potencial para participar das Olimpíadas. Resta saber como ele vai voltar depois de tanto tempo parado. E a terceira é a titularidade de Osvaldo, jogador rápido e habilidoso, pronto para a ponta esquerda.


Não sei o que Ney tem em mente daqui pra frente. Contudo, baseado no plantel e na proposta de jogo que ele pode oferecer, um 4-2-3-1, com dois pontas agudos (Lucas e Osvaldo, ou Ademilson), um 9 de referência, goleador (Luis Fabiano), um organizador que sabe chegar na área e finalizar de fora (Jadson), dois laterais que sabem apoiar (Douglas e Cortez), e dois volantes de qualidade com a bola no pé, que podem se revezar no avanço (Wellington e Denilson), talvez seja a formação mais indicada.

Só para não perder o gancho da notíca da semana, sobre a possível chegada de Ganso, Ney Franco poderia adotar o mesmo 4-2-3-1, com o santista centralizado e o destro Jadson deslocado à esquerda (Osvaldo no banco). Me parece, todavia, que não é uma negociação fácil de ser concretizada. De qualquer forma, com ou sem Ganso, o Tricolor tem peças e comissão técnica para buscar uma vaga no G4 do Brasileirão. Basta a equipe encontrar sua cara, ter continuidade, e engrenar.

Via Blog do Carlão

***(*) ******(*)

São Paulo 2×0 Bahia

21/08/2012

Na noite desta terça-feira, no Estádio do Morumbi, o São Paulo repetiu o placar de Pituaçu, voltou a vencer o Bahia e se classificou para as oitavas de final da Copa Sul-Americana. O resultado de 2 a 0 foi construído no segundo tempo, com gols de Willian José e Maicon.

Na próxima fase da competição continental, o Tricolor vai enfrentar o vencedor de LDU Loja, do Equador, e Nacional, do Uruguai. Na partida de ida contra o Bahia, Rogério Ceni e Ademilson marcaram para o time são-paulino e garantiram o triunfo fora de casa.

Nesta terça-feira, após um primeiro tempo morno, o São Paulo esquentou na segunda etapa. Willian José, que ainda teve a oportunidade de fazer outro, saiu do banco e marcou 13° gol na temporada, sendo o vice-artilheiro da equipe. Já Maicon, em boa fase na equipe titular, fez o quarto dele com a camisa do São Paulo.

VEJA A FICHA TÉCNICA DO JOGO

SEM GOLS

Ainda sem poder contar com Douglas, lesionado, o técnico Ney Franco escalou o zagueiro Paulo Miranda na lateral direita. A equipe, que atuou no 3-5-2 nos últimos jogos, voltou ao 4-4-2. Cícero completou o meio de campo com Denilson, Maicon e Jadson.

Ao longo de toda a primeira etapa, o Tricolor não conseguiu encaixar um bom ataque para assustar o goleiro Marcelo Lomba. Pela esquerda, o camisa 7 Lucas foi o mais acionado. Já Rogério Ceni viu o Bahia atacar algumas vezes, mas também sem muita eficiência.

CLASSIFICAÇÃO GARANTIDA

Na volta do intervalo, Osvaldo entrou no lugar de Ademilson. Com a mudança, Cícero foi avançado ao ataque, com Lucas e Osvaldo aberto pelas pontas. Aos 11 minutos, Ney Franco fez mais uma mudança na equipe e colocou Willian José na vaga de Jadson.

Aos 16 minutos, a primeira grande chance do São Paulo. Cícero recebeu pela esquerda e soltou a bomba, obrigando Marcelo Lomba a fazer grande defesa. E foi com um pé esquerdo que o gol são-paulino saiu, mas de Willian José. Aos 19 minutos, o camisa 19 recebeu da entrada da área, girou e soltou o petardo para abrir o placar.

O que já estava de bom tamanho para o Tricolor, melhorou ainda mais aos 23 minutos. Maicon recebeu dentro da área e ampliou o marcador. Minutos depois do segundo gol, Willian José teve outra grande oportunidade após jogada de Osvaldo, mas a defesa do Bahia afastou o perigo.

O camisa 17, de letra, também quase marcou depois de passe de Paulo Miranda. Uma vitória que valeu muito pela atuação do Tricolor no segundo tempo de jogo. Após duas vitórias seguidas na temporada, a equipe chegará embalada para o clássico contra o Corinthians. Fora de casa, a meta é vencer o rival e confirmar o bom momento.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino treinará na tarde desta quarta-feira, no CT da Barra Funda. O próximo compromisso do Tricolor será no domingo diante do Corinthians, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 0 BAHIA

Local:  Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de agosto de 2012 (terça-feira)
Horário: 21h15 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)
Cartões amarelos: Rafael Toloi (São Paulo); Lulinha (Bahia)

Público: 10.097 pessoas (total)
Renda: R$ 193.586,00

Gols: SÃO PAULO: Willian José, aos 19, e Maicon, aos 23 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi (Edson Silva), Rhodolfo e Cortez; Denilson, Maicon, Cícero e Jadson (Willian José); Lucas e Ademilson (Osvaldo) Técnico: Ney Franco

BAHIA: Marcelo Lomba; Diones, Danny Morais, Titi e Victor Lemos; Fahel, Mancini, Zé Roberto e Gabriel (Vander); Lulinha e Júnior (Ciro) Técnico: Caio Junior

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de São Paulo 2 x 0 Bahia

Eu no Morumbi: São Paulo x Bahia

Ney Franco: “Vitória valeu pela classificação”

Ney Franco aguarda por reforços para o clássico

Lucas: “Queria vencer e comemorar meu aniversário”

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Transformistas x São Paulo,  Brasileirão 2012,  Pacaembú, São Paulo, domingo, 26.08 às 16h00.

Rapidinhas do Lina

19/08/2012

Ganso – Já ouvi por ai que entre o jogador, empresário e Tricolor já está tudo certo, falta convencer o LAOR a aceitar a proposta do São Paulo. Ele ganha por volta de R$ 130 mil no litoral – muito pouco pela sua importância – e por isso sempre está em rota de colisão com o clube que o revelou, se sente desvalorizado. Guardadas as devidas proporções, lembra um pouco o caso do Judas que foi vendido pelo escóriacional ao Chelsea e que já tinha deixado o Morumbi pelas portas da ingratidão. Pode ser a solução para o meio campo Tricolor que não cria, por outro lado pode ser mais um problema, porque quem trai uma vez sempre repete a dose…

Ou Conca ou Montillo ? – Se não der negócio com o Ganso, o Tricolor tem que fazer um esforço e trazer um dos dois argentinos. Uma coisa é certa, em breve teremos um meia esquerda depois de tantos anos sem um pensador no meio campo.

Acordo, não negócio – Existe uma diferença enorme entre vender um jogador e fazer um acordo judicial por ele. Acho que o colunista do Estadão não refletiu corretamente sobre a questão. O São Paulo foi pressionado pela justiça – que tinha vínculos com o clube gaúcho – para resolver a questão rapidamente. Pelo que eu me lembre, o São Paulo só vendeu mal uma vez quando negociou o Kaká por menos de US$ 8 mi, negócio aliás até hoje mal explicado.

Ingratidão – Não tem jeito, no São Paulo hoje em dia ganhou é gênio, perdeu é burro. Indistintamente os comentaristas de resultados agem assim. A coisa é tão estúpida que até aquele que tem crédito eterno não é poupado. Nem o fato do manto ter uma estrela vermelha costurada pelas suas próprias mãos, o livra dos torcedores imbecis. Lavem sua boca pra falar do Rogério Ceni !

Rafael Toloi – Eu tenho um amigo que costuma dizer o seguinte: ”quem não tem grana pra comprar um quilo, compra cem gramas”. O São Paulo andou comprando cem gramas em algumas posições e pagou um preço caro por isso no paulistinha e na copa do Brasil. A tal economia sempre custa mais se a equação custo-benefício não for bem resolvida. Se é assim quando se vai ao supermercado, que dirá no futebol. O Tolói é a prova definitiva que gastar um pouco a mais faz muita diferença. Jogou demais contra a Ponte Preta e é regular, o que é mais importante.

Ney Franco, Paulo Miranda e Assunção – Contra a macaca, o Tricolor começou o jogo no 3-5-2 pra dar uma segurança maior ao sistema defensivo com o Paulo Assunção jogando na lateral direita, assim como o Muricy fazia com o Jean. Funcionou. Na sequência da partida, já a frente no placar, o Ney mudou para o 4-4-2. Colocou o Paulo Miranda para jogar por ali enquanto o Paulo Assunção voltou para sua posição no meio protegendo a defesa. Deu certo a tal ponto que o Toloi jogou uma das melhores partidas pelo clube.

Desfalque ou reforço ? – Pelo que vem jogando depois de ter começado o ano ganhando troféu como melhor lateral-esquerdo do campeonato paulista, acho que o Cortez sai em boa hora suspenso automáticamente pelo terceiro cartão amarelo no campeonato brasileiro. Contra as transformistas, coloca o Henrique Miranda que ele resolve.

Profissionalização do marketing – Outro dia me disseram que departamentos importantes do Tricolor estão entregues a pessoas que usam apenas seu tempo livre para tocar assuntos relacionados a eles. Acho louvável que um profissional gaste seu período de descanso para cuidar do clube, mas será que isso é razoável ? Acredito que não. O São Paulo é muito gigante para não ter ainda uma gestão profissional. Departamentos como o marketing por exemplo, tão sensível para as finanças do clube, era administrado desta maneira. Há a promessa de uma gestão profissional de agora em diante depois da saída do conselheiro Rogê David. Bem provável que um patrocínio master já estivesse no manto caso alguém cuidasse deste assunto com afinco em horário comercial.

Travessia a nado – Segundo o blog do Menon, o Juvenal teria prometido um supertime ao Ney Franco para a temporada 2013 caso o treinador conquiste a copa Sul-americana este ano. É mais ou menos como o papai do céu dizer a Moisés para se livrar dos egípicios no encalço sem antes abrir o mar vermelho. Vai ter que ser nadando amigo, haja coração…

Frase – “Se a bola naum bate na mão do Rafael Toloi é gol. Penalti bem marcado” – Neto ao comentar pela Band, penalti inexistente marcado a favor do Náutico na derrota Tricolor por 3×0 no meio da semana…

Frase 2 – “Não estamos fazendo nada de errado, não estamos no Mensalão, não estamos roubando ninguém”, Ney Franco, técnico do São Paulo, após ser questionado se a derrota por 3 a 0 para o Náutico havia sido vergonhosa.

Justa e coerente indignação – Rá ! Ainda dá pra desistir da Copa???

***(*) ******(*)

Duas Pinturas: Lucas e Osvaldo

18/08/2012

É pra sair, comprar outro ingresso e entrar de novo…

.

***(*) ******(*)

São Paulo 3×0 Ponte Preta

18/08/2012

Rogério Ceni é um dos maiores ídolos da história do São Paulo. Lucas é fortíssimo candidato a se tornar um. Com a dupla em campo, o Tricolor voltou a vencer no Campeonato Brasileiro após três partidas. Na noite deste sábado, no Estádio do Morumbi, sobrou para a Ponte Preta.

Com um gol de cada, alé de um golaço de Osvaldo, o São Paulo venceu por 3 a 0 e chegou a 28 pontos na tabela de classificação. Com o complemento da rodada neste domingo, a equipe paulista poderá ficar apenas a três pontos do G4 do Brasileiro.

Lucas voltou ao Tricolor após a medalha de prata na Olimpíada de Londres. Voltou mostrando que será o jogador de sempre, que todos aprenderam a admirar e respeitar, mesmo agora com a venda confirmada para o PSG, da França. Em campo, ele deu outra cara ao Tricolor.

Já Rogério Ceni, com o gol diante da equipe de Campinas, chegou a 105 na carreira e, além disso, fez boas defesas em campo. Foi apenas uma vitória, mas que dá ao torcedor a certeza de que Rogério Ceni e Lucas poderão recolocar o Tricolor na briga pelos títulos em 2012.

VEJA A FICHA TÉCNICA DO JOGO

LUCAS VOLTOU

Ney Franco entrou em campo com Paulo Assunção na função de ala pela direita. Mas, com poucos minutos de jogo, o treinador deslocou Paulo Miranda para o setor e Assunção compôs o meio de campo com Denilson. Nessa formação, o Tricolor  tomou conta de toda a primeira etapa no Morumbi.

Superioridade que se transformou em gols. O primeiro, dos pés de Rogério Ceni. Aos 21 minutos, Roger colocou a mão na bola dentro da área. Na cobrança, o camisa 01 bateu com categoria e abriu o placar. O segundo tinha de sair dos pés de Lucas, que voltou com tudo ao time são-paulino.

Aos 26 minutos, após boa troca de passes do ataque, Ademilson rolou para o camisa 7, que chutou com força de fora da área para ampliar o placar. Antes do intervalo, o São Paulo poderia ter ampliado com Jadson. O meia arriscou com muito perigo da entrada da área e assustou Edson Bastos.

VITÓRIA CONFIRMADA

Na volta do intervalo, Lucas seguiu infernizando a defesa adversária. Seu parceiro Ademilson também. Aos nove minutos, o camisa 11 chutou de dentro da área e o grito de gol ficou preso na garganta, já que a bola estufou a rede, mas pelo lado de fora. Muito aplaudido, Lucas deixou o campo aos 15 minutos do segundo tempo para a entrada de Osvaldo.

Aos 22, o garoto João Schmidt entrou no lugar de Denilson. Minutos depois, Cícero ficou com a vaga de Cortez, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Aos 33, Osvaldo apareceu frente a frente com Edson Bastos, que fez grande defesa e evitou o terceiro gol do Tricolor. O camisa 17 ainda marcaria um golaço no fim da partida para coroar seu retorno ao time após lesão.

No dia em que estampou na camisa o nome do filme Soberano 2, que estreia no próximo dia 24 e contará a história do título mundial de 2005, o Tricolor voltou a vencer e deixou o Morumbi aplaudido pela torcida. Inspiração que contagiou essa nova geração são-paulina.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará a treinar na tarde da segunda-feira, no CT da Barra Funda. Na próxima terça-feira, o Tricolor enfrentará o Bahia, também no Morumbi, pela Sul-Americana. Na partida de ida, em Pituaçu, a equipe venceu por 2 a 0, com gols de Rogério Ceni e Ademilson.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 18 de agosto de 2012, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo (SP)
Assistentes: Alex Alexandrino e Ricardo Pavanelli (ambos de SP)
Cartões amarelos: Lucas, Denilson, Cortez, Osvaldo (São Paulo); Somália, Roger, Tiago Alves, Baraka (Ponte Preta)
Público total: 9.900 pessoas
Renda líquida: R$ 106.387,28
Gols: SÃO PAULO: Rogério Ceni, aos 21, e Lucas, aos 26 minutos do primeiro tempo; Osvaldo, aos 42 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi e Edson Silva; Paulo Assunção, Denilson (João Schmidt), Maicon, Jadson e Cortez (Cícero); Lucas (Osvaldo) e Ademilson Técnico: Ney Franco

PONTE PRETA: Edson Bastos; Cicinho, Tiago Alves, Diego Sacoman (Ferron) e Uendel; Baraka, Somália (Lucas), Ricardinho e Luan (Bruno Sabino); Rildo e Roger Técnico: Gilson Kleina

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de São Paulo 3 x 0 Ponte Preta

Lucas volta e comprova importância com números

Antes do Mundial, Raí dá show contra a Ponte Preta

Ney Franco revela convite a Juvenal e elogia vitória

Rogério Ceni: “Lucas é um dos melhores do Brasil”

Lucas: “Vou honrar essa camisa”

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Bahia,  Sul-americana 2012,  Morumbi, São Paulo, terça-feira, 21.08 às 21h15.

Náutico 3×0 São Paulo

16/08/2012

Quando a fase não é das melhores, tudo parece dar errado. Em uma noite com essa descrição, o São Paulo foi derrotado pelo Náutico por 3 a 0, no Estádio dos Aflitos, e chegou à terceira derrota seguida no Campeonato Brasileiro. Kieza, Araújo e Rogério Ceni, contra, marcam os gols da equipe pernambucana.

Com a derrota, o Tricolor Paulista permanece com 25 pontos e cai para a oitava colocação na tabela de classificação. Antes do Náutico, a equipe do Morumbi foi derrotada pelo Fluminense (2 a 1, em São Januário) e para o Grêmio (também por 2 a 1, no Morumbi).

VEJA A FICHA TÉCNICA DO JOGO

DERROTA PARCIAL

O técnico Ney Franco promoveu o retorno de Rafael Toloi ao time titular do São Paulo. Mas, logo no início da partida, o comandante são-paulino tirou João Filipe. O camisa 21, que acabara de tomar cartão amarelo, foi substituído por Casemiro, que atuou como terceiro zagueiro diante Náutico.

Aos 12 minutos, o árbitro marcou mão na bola de Toloi dentro da área. Na cobrança, Kieza venceu Rogério Ceni e abriu o placar nos Aflitos. O Tricolor foi ao ataque tentar o empate, mas não conseguiu encaixar um bom lance para fazer o gol. Por outro lado, os pernambucanos chegaram ao segundo.

Em contra-ataque, aos 28, Rogério Ceni até salvou no primeiro lance com grande defesa, mas Araújo aproveitou o rebote para ampliar. O time paulista fez um primeiro tempo abaixo do esperado e foi para o intervalo com a derrota parcial no placar. Em um dos lances, Rogério tentou de falta, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

PRA ESQUECER

O segundo tempo começou muito tumultuado, com as equipes reclamando com a arbitragem. Aos 12 minutos, Ney Franco colocou Paulo Assunção na vaga de Douglas. Já aos 15, Souza cobrou falta de longe com muita força e obrigou Rogério Ceni a fazer grande defesa para evitar mais um gol do adversário.

No lance seguinte, o camisa 01 foi afastar a bola, mas ela acabou entrando contra a sua própria meta. Depois do gol, Ney Franco fez a última mudança na equipe: Jadson por Willian José. Com isso, Cícero voltou a atuar no meio de campo. Aos 27, o camisa 16 quase marcou de cabeça, mas Marlon tirou antes de a bola entrar.

Com o placar praticamente decretado, o São Paulo ainda tentou reagir. Aos 37, Paulo Assunção cruzou e Willian José chutou por cima do gol. Em uma partida em que nada deu certo para os paulistas, o momento é de refletir para reagir, pois ainda tem muito campeonato pela frente.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino está com o dia livre nesta quinta-feira e voltará a treinar na manhã da próxima sexta-feira, no CT da Barra Funda. No sábado, o São Paulo enfrentará a Ponte Preta, no Morumbi. O meia-atacante Lucas, que estava com a Seleção Brasileira, poderá reforçar o Tricolor no Campeonato Brasileiro.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 3 X 0 SÃO PAULO

Local:  Estádio dos Aflitos, no Recife (PE)
Data: 15 de agosto de 2012 (quarta-feira)
Horário:  21h50 (de Brasília)
Árbitro: José de Caldas Souza (TO)
Assistentes: Carlos Manzolillo (TO) e Lucio da Silva de Mattos (PA)
Cartões amarelos: Kieza, Ronaldo Alves, Souza, Ramirez (Náutico); João Filipe, Douglas, Rhodolfo, Cortez (São Paulo)

Gols: NÁUTICO: Kieza, aos 12, e Araújo, aos 28 minutos do primeiro tempo; Rogério Ceni (contra), aos 16 minutos do segundo tempo

NÁUTICO: Gideão; Patric, Marlon, Ronaldo Alves (Jean Rolt) e Douglas Santos; Elicarlos (Ramirez), Martinez, Souza (Lúcio) e Rhayner; Kieza e Araújo Técnico:Alexandre Gallo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; João Filipe (Casemiro), Rafael Toloi e Rhodolfo; Douglas (Paulo Assunção); Denilson, Maicon, Jadson (Willian José) e Cortez; Cícero e Ademilson Técnico: Ney Franco

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Bastidores de Náutico 3 x 0 São Paulo

Com dois jogos no Morumbi, Ney Franco quer reação tricolor

Suspenso, Rhodolfo não enfrentará a Ponte Preta

Rogério Ceni lamenta: “Algumas coisas estão faltando”

Em 1995, goleada paulista nos Aflitos

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Ponte Preta,  Brasileirão 2012,  Morumbi, São Paulo, sábado, 18.08 às 21h00.