Archive for abril \29\UTC 2012

A Tua História Não Tem Fim

29/04/2012

.

***(*) ******(*)

São Paulo 1×3 Santos

29/04/2012

Quem nunca ouviu: “Clássico é decido nos detalhes”. Mesmo jogando melhor boa parte da partida (até quando teve forças) deste domingo, no Morumbi, o São Paulo sentiu o amargo gosto do ditado popular. Com falhas, o Tricolor perdeu para o Santos por 3 a 1 e está fora da final do Campeonato Paulista.

Mesmo com o réves, a torcida tricolor viu em campo um time guerreiro. Raça que tem sido uma das principais características da equipe na temporada. O Tricolor tentou, deu carrinho, suou a camisa. Saiu de campo eliminado, mas com a sensação de que fez o possível para isso não acontecer.

Fora do Estadual, o São Paulo concentra todas as suas forças na Copa do Brasil, onde a equipe está nas oitavas de final. Com um elenco qualificado e de jogadores experientes e talentosos, o momento é erguer a cabeça e ver que tem muito pela frente ainda.

GOL NO INÍCIO

Sem Luis Fabiano, que teve de cumprir suspensão automática por conta do terceiro cartão amarelo, Emerson Leão colocou em campo Willian José ao lado de Lucas. No meio de campo, Casemiro completou o setor com Denilson, Cícero e Jadson.

Mas os planos do São Paulo tiveram de ser mudados logo no início do jogo. Aos três minutos, Paulo Miranda dividiu a bola com Neymar dentro da área e o árbitro marcou pênalti, convertido pelo santista. Mesmo com o gol, o Tricolor foi melhor em boa parte do primeiro tempo.

O próprio Paulo Miranda acertou uma bola na trave. Mas a bola pune, como dizem por aí. Aos 31 minutos, Neymar aproveitou vacilo da defesa são-paulina e arrancou para marcar o segundo no jogo. O Tricolor seguiu tentando, mas foi para o intervalo sem conseguir ao menos um gol.

DERROTA NO SAN-SÃO

Na volta do intervalo, Leão colocou Rodrigo Caio e Fernandinho nos lugares de Piris e Jadson, respectivamente. No início da etapa final, o meia Lucas arriscou um chute forte de fora da área. A bola não entrou, mas o lance empolgou a torcida são-paulina, que começou a jogar junto com o time.

O Tricolor seguiu com mais volume de jogo, mas o Santos assustou ao marcar um gol, corretamente anulado pelo árbitro. Aos 15 minutos, Willian José acertou a trave. Mas o camisa 19 não deixou passar aos 18, após receber dentro da área, cortar o zagueiro e diminuir  o placar. Pressão tricolor.

Aos 20, Cícero cobrou falta com categoria e Aranha se esticou todo para salvar o empate são-paulino. Aos 30, para deixar o time mais ofensivo, Leão fez a última mudança: Osvaldo entrou no lugar de Casemiro, que saiu aplaudido pela torcida.

Mas o dia parecia não ser mesmo do Tricolor. Minutos depois, Neymar arriscou de fora da área e Denis falhou. Gol santista que caiu como um balde de água fria para os são-paulinos. A partir daí, foi na base da raça, na vontade. Porém, clássico não se pode falhar. E o São Paulo está fora da final do Campeonato Paulista.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino se reapresentará na tarde desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. Na quarta-feira, o São Paulo enfrentará a Ponte Preta, em Campinas, pela primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil. A volta está marcada para o Morumbi, dia 10 de maio.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 3 SANTOS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 29 de abril de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Vicente Romano Neto (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Vinicius Furlan e Leandro Bizzio Marinho (ambos de SP)
Público: 47.771 pagantes
Renda: R$ 2.033.374,00
Cartões amarelos: Paulo Miranda, Piris, Cícero e Rodrigo Caio (São Paulo); Maranhão e Aranha(Santos)
Cartão vermelho:
Cícero (São Paulo)
Gols: SÃO PAULO: Willian José, aos 18 minutos do segundo tempo; SANTOS: Neymar, aos três (pênalti) e aos 31 minutos do primeiro tempo e aos 32 do segundo

SÃO PAULO: Denis; Piris (Rodrigo Caio), Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denílson, Casemiro (Osvaldo), Cícero e Jadson (Fernandinho); Lucas e Willian José Técnico: Emerson Leão

SANTOS: Rafael (Aranha); Maranhão, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec (Rentería) Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Gols

Relacionados

Em 1983, Darío Pereyra marcou o gol da vitória contra o Santos

Grupo lamenta derrota no clássico, mas pede rápida recuperação

Leão: “Amassamos o adversário, mas não conseguimos”

Bastidores de São Paulo 1 x 3 Santos

Torcida são-paulina bate recorde de público no Paulista

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Ponte Preta x São Paulo, Copa do Brasil 2012,  Moisés Lucarelli, Campinas, quarta-feira, dia 02.05 às 21h50.

Rapidinhas do Lina

23/04/2012

Sugestão ao marketing – Faltam 11 figurinhas pra eu completar meu álbum São Paulo Histórico. Achei o maior barato comprar, trocar figurinhas e tal. Mas já que fizeram o álbum falando da história Tricolor de forma geral, poderiam fazer agora um pra cada título conquistado. Um pra cada brasileiro, um pra cada libertadores e um pra cada mundial. Seria maravilhoso poder guardar a história destas jornadas e ter as fotos de todos os heróis destas conquistas. Atenção marketing Tricolor, vai nessa que é sucesso garantido.

Dinheiro não deveria ser prioridade – Tava pensando comigo, se esses boleiros não fossem tão burros e decidissem suas próprias vidas por si mesmos. Se isto fosse assim, no time do São Paulo hoje teríamos Nilmar e Oscar formando um dos melhores times do Brasil. Já é forte, mas seria poderosíssimo. Do meio pra frente, um time de dar inveja a muita equipe de ponta da europa. Viajei aqui e fiz a minha escalação se todo mundo que eu queria ( e que foi noticiado ) viesse para o Morumbi: Rogério Ceni, Cicinho, Breno, Rhodolfo e Cortez. Wellington, Cícero, Lucas e Oscar. Nilmar e Fabuloso. Que pena, que gente burra !

Como não aliciam ? – Se o Escóriacional não alicia o Oscar, por quê eles e o staff do jogador não deixam ele falar com a diretoria do São Paulo ? Medo de quê ?

90 dias – O Oscar não vai segurar a pressão. Pelo que eu entendi do parecer do juiz do TST, o processo foi extinto e ele sugeriu que voltasse ao TRT-SP para que seja julgado o mérito da causa. Bom, no TRT o jurídico Tricolor já ganhou por 3×0 seu recurso, que diga-se demorou um bom tempo pra ser julgado. Se demorar muito, o moleque vai perder as olimpíadas, libertadores, brasileiro e etc. Se o São Paulo ganhar no TRT novamente, o que é bem provável, já que tinha ganho de forma unânime, ai o processo volta para o TST em novo recurso do jogador e se o Tricolor ganhar de novo vai para o STF. Como o jurídico do São Paulo conhece os trâmites, afinal são advogados de primeira linha, o São Paulo soltou nota dando 90 dias para a volta do mal-orientado jogador. Isto não quer dizer em hipótese alguma que o clube cantou vitória como aquele imbecil gambá falou em seu blog.

Wilson Seneme – Ainda que o Fabuloso tenha entrado forte no adversário, o critério e o rigor aplicados por ele não foram o mesmo para o outro time. Por exemplo, no primeiro-tempo, um jogador do Bragantino levou um drible do Cortez e ficou no chão. Sem titubear, ele deu um rapa no Cortez e nem amarelo levou. O Cortez sentiu e reclamou. Foi uma falta muito pior que a do Fabuloso. Por isso que o centro-avante matador saiu revoltado com o zé mané. Mas não me surpreende a sua atuação, basta ver aqui, o histórico dos erros crassos desse cidadão contra o Tricolor em momentos decisivos.

São Paulo x Santos – Jogo complicado, mas se até o Barcelona que é o melhor time do mundo levou duas piabas seguidas ( Chelsea e Real Madrid ), por quê o museu que não é nada demais não pode também ? O São Paulo tem Lucas, WJ e Casemiro, além de Cortez, Cícero e Rhodolfo. Confio nesses caras.

Casemiro – Não sei quanto a vocês, mas o Casemiro anda enfiando cada bola pros companheiros fazer gols, que se eu fosse o Leão arrumava lugar de titular no time pra ele. Contra o museu que gosta de atacar, uns passes rápidos na hora do contra-ataque, matava o jogo pra gente. O famoso pega ratão.

O verdadeiro derby – Ponte Preta e Guarani honraram suas cores e mostraram pra que vieram. O curica amigos sem padrinho, não vai ganhar nem torneio de bolinha de gude daqui pra frente. Mesmo assim o péssimo juiz,  arrumou um gol pra elas depois de uma falta em um jogador da macaca que o apitador fingiu que não viu. O técnico pontepretano ficou tão revoltado que foi expulso. No outro jogo, o dos Guaranis, claro deu o Guarani original. A torcida do Fasci Me Rir estava toda feliz com Barcos e sei lá mais quem. Comemoraram tanto que não pagaram salários… Como querem passar de fase desse jeito ?

Cobertura – Complicado sair o tal alvará para a cobertura não ? Hoje li que pode sair em 15 dias. Que dificuldade ! Para o estádio assassino, aquele que mata gente em filas de hospitais por falta de médicos e leitos – afinal pra saúde não tem dinheiro, tudo saiu voando. Eles não querem correr o risco de ver a nossa casa reformada antes daquela aberração arquitetônica, até porque cá entre nós, o projeto da reforma do Morumbi além de muito mais show, é muito mais digno afinal, não terá dinheiro sujo de sangue.

Abandonados a própria sorte – De quê adiantou rachar o C13, puxar o saco do imperador, fazer média com a globo ? Conseguiram a copa do Brasil 2009, o brasileiro de 2011 e um estádio feito as custas de sangue de inocentes. E dignidade, cadê ? Isso não se compra e não se conquista com puxa-saquismo, aliás a dignidade e o puxa-saquismo nunca são vistos juntos. A globo tirou jogos dos “aliados” para dar para Museu e Fasci Me Rir no brasileirão. E o puxa-saco mor já sabe que depois das olimpíadas vai pegar o caminho da roça junto com o seu treinador . O padrinho se mandou, e não quis nem saber dos protegidos. Muy amigo…

Mala rosaCoisa feia a informação que surgiu que ofereceram presentinho para o Linense no jogo contra o São Paulo hein ? Eles ganharam, aliás voaram em campo. De qualquer maneira, nós estamos nas semi-finais. Não adiantou nada.

Quanta fidelidade… – O tempo passa e os mitos vão caindo, um por um. O programa mais visto na TV fechada no primeiro trimestre do ano, foi São Paulo e Mirassol. Por outro lado, o time que não tem libertadores, marcou o pior índice de audiência na globo ( tv aberta ), nesta temporada: 21 pontos. Detalhe, o São Paulo foi mais visto em TV paga e os gambás os piores em TV aberta. E era jogo de libertadores ! Nem elas acreditam que conseguem ganhar uma.

Por quê o Kaká não é convocado ? – O técnico da seleção, que está na corda bamba, tem optado por não chamar o jogador do Real Madrid nas suas últimas convocações. Na pré-lista das Olímpiadas, costam Ronaldinho Gaúcho e Ganso. Brincadeira, mas o Kaká está voltando a ser o velho jogador que decidia, enquanto o gaúcho está em plena decadência, portanto não faz sentido. Bom, não fazia sentido até eu ver o vídeo a seguir. Assista e veja como a seleção brasileira está curicanizada. Não vão querer dar moral pra um cara que declarou pra quem quer ouvir, pra onde ele quer voltar assim que deixar a europa.

***(*) ******(*)

Faça Como o Curica

22/04/2012

Veja as semi-finais do paulistinha pela TV.

***(*) ******(*)

São Paulo 4×1 Bragantino

21/04/2012
By Queco

By Queco

O atacante Luis Fabiano foi o grande nome deste sábado, em todos os sentidos. Pelo lado positivo, o camisa 9 fez dois gols na vitória sobre o Bragantino por 4 a 1, no Morumbi, e classificou o São Paulo para as semifinais do Campeonato Paulista. Dos 136 gols pelo Tricolor, 76 foram no estádio são-paulino.

Mas, por outro lado, Fabuloso perdeu um pênalti diante da equipe de Bragança. Se fosse só isso estava bom. No entanto, o atacante tomou o terceiro cartão amarelo e está fora da semifinal. Lance que gerou muita revolta do jogador, que fez críticas ao árbitro.

Além de Fabuloso, Fernandinho e Osvaldo também marcaram neste sábado. Com o resultado, o Tricolor agora espera o vencedor de Santos e Mogi Mirim, que jogarão neste domingo, na Vila Belmiro. O vencedor será o adversário do São Paulo, no Morumbi, por uma vaga na final do Paulista.

TRICOLOR NA FRENTE

O São Paulo entrou em campo com a escalação já prevista. Cícero e Fernandinho, desfalques no último jogo, voltaram. Sem dar espaços para o Bragantino, o Tricolor tomou conta do primeiro tempo e teve as principais chances. Tanto que chegou ao gol.

Aos 19 minutos, o meia Jadson deu linda assistência para Fernandinho, que só teve o trabalho de tocar na saída do goleiro. Foi o segundo gol do camisa 12 no Morumbi neste ano, o sexto no geral. Além do gol, Fernandinho seguiu buscando o jogo e foi bastante acionado pelos companheiros.

Do outro lado, Lucas, como de costume, seguiu infernizando os adversários. Com velocidade, o camisa 7 tentava ampliar o marcador. No fim do primeiro tempo, entretanto, uma lamentação. Luis Fabiano recebeu o terceiro cartão amarelo e está fora das semifinais do Paulista.

FABULOSO DECIDE

O Bragantino começou melhor o segundo tempo. Nos primeiros minutos, duas boas chegadas. Na segunda, o goleiro Denis fez ótima defesa com o pé e evitou o empate. Para esfriar o rival, a torcida são-paulina começou a gritar nas arquibancadas e incentivar os atletas.

Mas, aos sete minutos, Luis Fabiano tratou logo de mostrar quem manda no Morumbi. Em cobrança precisa de falta, o camisa 9 marcou um golaço e ampliou o placar. Minutos depois, Fernandinho sofreu pênalti. Na cobrança, Fabuloso poderia ter feito o segundo no jogo, mas errou o pênalti. A bola acertou a trave.

O Bragantino diminuiu aos 19, com o zagueiro Júnior Lopes. Logo após o gol, Leão fez a primeira mudança na equipe e colocou Casemiro no lugar de Jadson. E o camisa 28 demorou apenas alguns minutos para dar lindo passe para Luis Fabiano, que fez o terceiro do Tricolor.

No fim, Leão tirou Lucas, que merecia um gol do tanto que chutou. No seu lugar, Osvaldo entrou cheio de pique. Aos 38 minutos, o camisa 17 fez um golaço e completou a goleada. Na comemoração, o atacante correu no símbolo do São Paulo e a torcida foi ao delírio. Festa e classificação para o Tricolor.

REAPRESENTAÇÃO

Após o jogo deste sábado, o elenco são-paulino descansará no domingo e poderá curtir o dia livre com a família. O grupo só se reapresentará na segunda-feira, em horário a ser definido pela comissão técnica tricolor.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 4 x 1 BRAGANTINO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de abril de 2012, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Renda:  R$ 828.845,00
Público:  25.555 pagantes
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Assistentes: Herman Brumel Vani e Danilo Ricardo Simon Manis
Assistentes adicionais: Marcelo Aparecido de Souza e Marcelo Rogério
Cartões amarelos: Paulo Miranda e Luis Fabiano (São Paulo); Wellington, Eder, Luiz Henrique e Victor Ferraz (Bragantino)
Gols:
SÃO PAULO: Fernandinho, aos 18 minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano, aos sete e aos 23, Osvaldo, aos 38 minutos do segundo tempo.
BRAGANTINO: Júnior Lopes, aos 19 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Dênis; Piris, Rhodolfo (João Filipe), Paulo Miranda e Cortez; Denilson, Cícero e Jadson (Casemiro); Fernandinho, Lucas (Osvaldo) e Luis Fabiano Técnico: Emerson Leão

BRAGANTINO: Rafael Santos; Júnior Lopes, André Astorga, Luiz Henrique (Léo Jaime) e Eder; Serginho, Cambará (Wellington), Victor Ferraz e Fernando Gabriel; Romarinho (Paulo Roberto) e Giancarlo Técnico: Marcelo Veiga.

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Goleada no Morumbi deixa elenco satisfeito: “Um grupo vencedor”

Fora da semifinal, Fabuloso: “Lamentável”

Careca “estreia” no Navio Tricolor

Em 1989, o São Paulo eliminou o Bragantino no Paulistão

Seis anos sem o mestre Telê Santana

Leão: “Nosso time mereceu vencer”

Bastidores de São Paulo 4 x 1 Bragantino

Eu no Morumbi: São Paulo x Bragantino

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Ponte Preta x São Paulo, Copa do Brasil 2012,  Moisés Lucarelli, Campinas, quinta-feira, dia 26.04 às 21h50.

O Jornalistinha Marrom

16/04/2012

Salve Soberania !

Eu me surpreendo com a facilidade que nosso país tem de colocar qualquer porcaria no mesmo patamar dos gênios. Porque dizer que este cara faz parte do primeiro escalão dos jornalistas esportivos do Brasil, é de uma imbecilidade sem tamanho.

Jornalista de primeira linha é Thomaz Mazzoni, Nelson Rodrigues, Armando Nogueira, Orlando Duarte. PVC, pra falar dos mais novos, e mais alguns outros poucos.

Tirando estes caras que foram e são gigantes, temos algumas porcarias por ai, todos torcedores como os citados acima, mas com um imensa dificuldade de esconder sua paixão clubística.

Alguns, como este, que faz um tempo anda falando bobagem atrás de bobagem, é discípulo do jornalismo marrom.

Jornalista marrom é aquele cara que pega uma informação e faz da versão distorcida da mesma a defesa do seu pensamento, na tentativa de engajar outros na sua “luta”.

Então vejamos.

Disse o sr. Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo ao blog do Perrone ( e não JJ como usado pelo jornalistinha, afinal ele não tem esta intimidade ):

“O Internacional comprou 50% dos direitos do jogador, o BMG também. Quem recebeu esse dinheiro, se o São Paulo era o dono e não recebeu? (…)”

O São Paulo “é dono” dos direitos econômicos, mas obviamente não é “dono” do jogador e deveria ter recebido pelos tais 50% que foram adquiridos pelo Escóriacional e BMG. Também é ” dono” dos direitos federativos, porque o BID da CBF diz que o atleta pertence ao São Paulo FC, conforme determinou a justiça que reconheceu tal contrato de forma unânime.

Outro trecho da fala do sr. Juvenal Juvêncio ao blog do Perrone:

“Não mudei minha posição, eu quero o jogador de volta.”

Viram como funciona ?

Ele pega uma frase, coloca em negrito uma parte, e a partir dai distorce de modo a fazer crer que está certo na sua retórica.

Mas por favor, entendam que o sr. Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo quis dizer. Existe um contrato em vigor com o atleta, contrato este reconhecido pela justiça. Ponto. Considerando que um contrato prevê 50% de direitos e deveres para cada parte envolvida, o presidente decidiu, como representante de uma das partes, que quer o jogador de volta afinal ele tem contrato !

O São Paulo quer apenas, de forma legítima, que o acordo seja cumprido ou que então a multa em caso de recisão unilateral seja paga, porém, R$ 17 milhões estão muito além dos R$ 7 milhões oferecidos pela filial gaúcha do clube da marginal.

Além do mais, o atleta diz que não quer jogar, mas fala isto “orientado”, uma vez que foi cooptado pelos seus representantes e pelo clube aproveitador do sul do país.

Nostagia escravagista

Cabe dizer que um clube que prima pela excelência nas suas categorias de base, dando todo tipo de conforto e acesso a cultura, saúde e informação padece de nostalgia escravagista ?

Como levar a sério um jornalistinha que faz uma afirmação destas ?

Como levar a sério um jornalistinha que defende o não cumprimento de contratos ?

Sãopaulino reflita, isso ai merece sua audiência ?

Relacionados

“Oscar tem direito de cumprir contrato. Ao Inter digo: quem compra mal, compra duas vezes”, afirma Juvenal

Assim falou JJ, o dono…

Imprensa marrom

***(*) ******(*)

Linense 2×1 São Paulo

15/04/2012

Nem o mais pessimista torcedor poderia imaginar uma derrota do São Paulo para o Linense. Afinal, a equipe vive ótima fase e vinha de 11 vitórias seguidas na temporada. Mas, com muitos desfalques (apenas seis jogadores no banco de reservas), o Tricolor perdeu por 2 a 1, na tarde deste domingo, em Lins.

A derrota causa alguns danos ao São Paulo. Além de perder a invencibilidade de 14 partidas, o Tricolor deixou a liderança do Campeonato Paulista e terminou a primeira fase da competição na segunda colocação. Desta forma, o Bragantino será o adversário nas quartas de final.

O último revés – e único até então – havia sido no dia 12 de fevereiro para o Corinthians, no Pacaembu. Desde então foram 12 vitórias e dois empates. Apesar do “estrago” da derrota, o São Paulo chegará às finais do Paulista forte e pronto para disputar o título estadual.

ZAGUEIRO ARTILHEIRO

Com desfalques, o técnico Emerson Leão promoveu as entradas de Maicon e Osvaldo na equipe titular. Apesar disso, os anfitriões abriram o placar no interior. Aos nove minutos, Andrade cobrou falta, a bola desviou na barreira e enganou o goleiro Denis, que nada pode fazer.

Mesmo com o gol, o Tricolor seguiu melhor que o adversário e começou a tomar conta da partida. Aos 23 minutos, Jadson cobrou escanteio pela direita e Rhodolfo, de cabeça, completou para o fundo da rede. Foi a quinta assistência do camisa 10 para o zagueiro na temporada.

Luis Fabiano e Denilson levaram perigo ao gol do Linense, mas foi novamente o time da casa que ficou em vantagem no placar. No fim do primeiro tempo, o zagueiro são-paulino Paulo Miranda tentou cortar cruzamento, mas tocou contra o próprio gol.

DERROTA NO INTERIOR

Na volta do intervalo, Willian José, artilheiro do time no Campeonato Paulista, entrou no lugar de Osvaldo. Com o camisa 19 em campo, o São Paulo buscava jogada com os seus centroavantes, mas não encaixa um bom ataque. Aos 14 minutos, o atacante Rafinha entrou no lugar de Piris.

Um minuto depois, em jogada iniciada por Rafinha, Cortez teve ótima chance, porém errou o chute. Leão ainda faria uma última alteração: Jadson por Rodrigo. Com mais posse de bola, o Tricolor seguiu com o controle do jogo. No entanto, nenhum ataque que assustasse o Linense.

Aos 31 minutos, Rodrigo Caio tentou de cabeça e a bola passou muito perto do travessão. Na sequência, Rafinha fez ótima jogada pela direita, a bola passou por todo o gol e Willian José chegou atrasado no lance. A equipe buscou o empate até o último minuto, mas não consegui. Agora é levantar a cabeça e se preparar para o mata-mata.

SEMANA LIVRE

Como já está classificado para as oitavas de final da Copa do Brasil, o São Paulo terá a semana livre para treinos. A equipe só voltará a campo no próximo fim de semana para encarar o Bragantino, pelas quartas de final do Campeonato Paulista.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
LINENSE 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Gilberto Siqueira Lopes, em Lins (SP)
Data: 15 de abril de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Luis Vanderlei Martinucho (SP)
Assistentes: Carlos Alberto Funari e Renata Ruel Xavier de Brito (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Fabio de Jesus Volpato Mendes e Regildenia de Holanda Moura (ambos de SP)
Cartões amarelos: Fábio Lima, Elias e Douglas (Linense); Denilson (São Paulo)

Gols: LINENSE: Andrade, aos nove, e Paulo Miranda (contra), aos 44 minutos do primeiro tempo, SÃO PAULO: Rhodolfo, aos 24 minutos do primeiro tempo

LINENSE: Douglas; Marcelo, Fabão, Bruno Quadros e Fábio Lima; Elias, Andrade, Éder e Lenilson (Ademir Sopa); Chimba (Wellington) e André Luiz (Fausto) Técnico: Pintado

SÃO PAULO: Denis; Piris (Rafinha), Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Maicon e Jadson (Rodrigo Caio); Lucas, Osvaldo (Willian José) e Luis Fabiano Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Para Leão, derrota em Lins fará Tricolor amadurecer

Fabuloso: “Mata-mata não permite erros”

Emerson Leão terá reforços contra o Bragantino

Elenco lamenta derrota, mas diz: “Um jogo não apagará tudo que fizemos”

Bastidores de Linense 2 x 1 São Paulo

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Bragantino, Paulistinha 2012,  Morumbi, São Paulo, sábado, dia 21.04 às 18h30.

Lição Básica

12/04/2012

***(*) ******(*)

Novas Informações Sobre o Paulista 1990/1991

12/04/2012

Salve Soberania !

Que o Maior Clube do Mundo nunca caiu, isso é fato e página virada. Só os bobalhões seguidores da mitologia fascista é que ainda repetem essas baboseiras por ai.

O amigo Marcelo Abdul já tinha enterrado o defunto em um artigo sobre o tema, link a seguir, mas eu encontrei novas e surpreendentes informações, todas com fonte jornalística pra sepultar de vez esta história, que de tão mentirosa e repetitiva, já ficou enfadonha.

De agora em diante, quando algum invejoso vir com esta conversinha, nem precisa responder, apresente este vídeo e cale o zé mané.

Saudações Tricolores

Relacionados

A Maior Farsa do Futebol Paulista em Todos os Tempos

***(*) ******(*)

Nota: A propósito, quem deu a dica do vídeo, foi o Ribeiro do site Lunaticos FC: http://lunaticosfc.com.br/ribeiro/

Bahia de Feira 2×5 São Paulo

12/04/2012

Quando retornou ao São Paulo no ano passado, Luis Fabiano chegou com a missão de recolocar o time na Copa Libertadores. Mas uma lesão interrompeu esse objetivo. No entanto, Fabuloso se recuperou, voltou a fazer gols (e muitos), e começa a colocar o Tricolor no caminho da América.

Na noite desta quarta-feira, fora de casa, o camisa 9 fez dois gols (e deu passe para outro) na vitória sobre o Bahia de Feira por 5 a 2, resultado que classificou o Tricolor para as oitavas de final da Copa do Brasil. Rhodolfo, Maicon e Osvaldo completaram o marcador. O campeão da competição nacional tem vaga garantida na Libertadores da próxima temporada.

Com a dobradinha, Fabuloso chegou a nove gols em nove partidas na temporada. Na Copa do Brasil, ao longo da história, ele já tem 19 gols e está a dois de França, maior artilheiro do clube no torneio. De quebra, o atacante assumiu a artilharia da edição deste ano com seis gols marcados. Ele já havia feito quatro na goleada sobre o Independente-PA por 4 a 0, no Morumbi.

O triunfo no Nordeste foi o 11⁰ seguido do São Paulo na temporada – são oito pelo Campeonato Paulista e três pela Copa do Brasil. Com isso, a equipe igualou os recordes de vitórias consecutivas alcançados também em 1943 e 1982. No próximo domingo, diante do Linense, pelo Campeonato Paulista, os comandados de Emerson Leão poderão consolidar esta marca.

TRICOLOR NA FRENTE

Com um time ofensivo, o Tricolor mostrou que tomaria conta do jogo desde o início. Antes mesmo do primeiro minuto de jogo, Luis Fabiano recebeu dentro da área e por pouco não marcou. Fernandinho, pela esquerda, foi bastante acionado nas jogadas de ataque do São Paulo.

Aos nove minutos, a equipe paulista foi coroada com um gol. O meia Jadson cobrou falta da esquerda e Rhodolfo subiu mais que a zaga adversária para abrir o placar. Mesmo com o gol, o Tricolor seguiu pressionando o rival e chegou duas vezes com perigo, ambas com o atacante Luis Fabiano.

Mas após falha da zaga tricolor, o Bahia de Feira empatou com Carlinhos, aos 29. Porém, nem deu tempo para o time da casa comemorar. Aos 32, Fabuloso sofreu pênalti do goleiro Dionathan, que foi expulso. Na cobrança, goleiro para um lado, bola para o outro. São Paulo novamente em vantagem.

CLASSIFICADO

Na volta do intervalo, Fernandinho, que deixou o primeiro tempo mancando, foi substituído por Osvaldo. Com um a mais, o São Paulo não deu chances para o Bahia. Aos 12 minutos, Lucas sofreu pênalti. Mais uma vez, Luis Fabiano bateu com precisão e fez o segundo gol na partida.

Aos 29, Jadson e Denilson deixaram o jogo para as entradas de Maicon e Casemiro, respectivamente. Pouco depois, Maicon recebeu bom passe de Luis Fabiano, ampliou a vitória são-paulina e marcou o primeiro gol com a camisa do São Paulo. Aos 39, após pênalti de Paulo Miranda, João Neto diminuiu para o Bahia de Feira.

O São Paulo não se abateu e foi para cima. Luis Fabiano perdeu um gol que não costuma perder. Porém, aos 42, Osvaldo não deixou passar. Aniversariante do dia, o camisa 17 arriscou da entrada da área e a bola entrou após desviar nos zagueiros. O primeiro gol do jogador no Tricolor. Classificação garantida para o time paulista.

RETORNO PARA CAPITAL

O elenco tricolor voltará nesta quinta-feira para São Paulo. No próximo domingo, a equipe enfrentará o Linense, fora de casa, pela última rodada do Campeonato Paulista. Com 43 pontos, uma vitória garante o Tricolor como o primeiro colocado da primeira fase da competição estadual.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
BAHIA DE FEIRA 2 X 5 SÃO PAULO

Local: Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana (BA)
Data: 11 de abril de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Público: 15.834 pagantes
Renda: R$ 650.040,00
Assistentes: Carlos Titara da Rocha (AL) e Leonardo Mendonça (ES)
Cartões amarelos: Raylan, Jackson, Paulo Paraíba e Rogério (Bahia de Feira); Lucas e Paulo Miranda (São Paulo)
Cartão vermelho: Dionantan (Bahia de Feira)

Gols: BAHIA DE FEIRA: Carlinhos, aos 29 minutos do primeiro tempo; João Neto (pênalti), aos 39 minutos do segundo tempo SÃO PAULO: Rhodolfo, aos nove, e Luis Fabiano (pênalti), aos 35 minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano (pênalti), aos 13, Maicon, aos 33, e Osvaldo, aos 42 minutos do segundo tempo

BAHIA DE FEIRA: Dionantan; Tiago Granja, Paulo Paraíba, Menezes e Edson (Jonnathan); Carlos, Rogério, Jackson (Filipe) e Raylan; Carlinhos (Zé Roberto) e João Neto Técnico: Arnaldo Lira

SÃO PAULO: Denis; Piris, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson (Casemiro), Cícero e Jadson (Maicon); Lucas, Fernandinho (Osvaldo) e Luis Fabiano Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Fabuloso: “Quando eu puder ajudar com gols, vou fazer”

Rhodolfo vibra com quinto gol no ano e agradece a Jadson

Fabuloso, Lucas e Denis divertem crianças na Bahia

Em 1968, único jogo da história do São Paulo em Feira de Santana

Cercado de emoção, Tricolor chega à Bahia

Bastidores de Bahia de Feira 2 x 5 São Paulo

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Linense x São Paulo, Paulistinha 2012, Gilbertão, Lins, domingo, dia 15.04 às 16h00.

Juvenal Juvêncio Estrutura o São Paulo do Futuro

08/04/2012

Por Ricardo Flaitt

A mídia de massa, como é compreensível do sistema de busca pela audiência, constrói e/ou potencializa os personagens do futebol.

Caricaturar tem seu lado engraçado e simpático, mas, geralmente, nos faz incorrer ao erro de não mais enxergarmos as grandes realizações do jogador ou dirigente de futebol.

Ou seja, resenhas são importantes para o mundo do futebol, devem existir, são legais, no entanto, não podem ofuscar as análises ou diminuir os feitos dos personagens em questão.

Um desses casos, em que a imagem do personagem criado passou a aparecer mais (porque vende mais, é mais polêmico) é a do presidente do São Paulo Juvenal Juvêncio.

Mas o fato é que, se deixarmos de lado o Juvenal folclórico, enxergaremos um profundo conhecedor de futebol e das questões administrativas que envolvem um clube de futebol.

Juvenal vem ampliando e fortalecendo a boa estrutura física do clube. Nesse sentido moderniza o Morumbi, com o projeto de cobertura do estádio; constrói hotel no CF de Cotia, dentre outras medidas.

Na parte imaterial (patrimônio não palpável), Juvenal mantém a tradição de um clube que sempre teve como marca a ponderação nas ações administrativas, fazendo prevalecer diretoria e comissões técnicas pensantes.

As questões são amplas, então, para compreender a estruturação positiva que Juvenal vem promovendo no SPFC vou evidenciar dois pontos, que sintetizam a política da nova diretoria: a reestruturação/reformulação do elenco profissional e a contratação de René Simões para a base.

1) REFORMULAÇÃO, COMPROMETIMENTO, CONFIANÇA E TEMPO
O São Paulo, que sempre primou pela estabilidade, em 2011, oscilou. O time era capenga em campo, faltavam jogadores de expressão, comando técnico e comprometimento com a camisa de um clube três vezes campeão das Américas e do Mundo.

Diante desse quadro, Juvenal não se omitiu. Identificou o problema e teve coragem de expô-lo publicamente. Em 25 de outubro de 2011, Juvenal inverteu acertadamente a lógica dos gramados, onde sempre se joga para a torcida, ao declarar que o problema no SPFC não era técnico, mas estava relacionado com um elenco não comprometido, pouco competitivo e, deste modo, mandaria embora boa parte do time para iniciar um novo ciclo.

E não só identificou os problemas, declarou à imprensa, ponderou com a diretoria e iniciou um processo de reengenharia com ações práticas.

Juntamente com os competentes diretores Adalberto Baptista e João Paulo de Jesus Lopes, Juvenal manteve Leão no comando, mandou meio time embora e contratou oito bons jogadores.

A diretoria deu um passo atrás. Pensou, traçou um projeto e fez prevalecer a razão não cedendo à pressão passional da torcida.

Em suas declarações demonstravam que tinham consciência de que naquele momento de reavaliação/reformulação era preciso ponderar e planejar o SPFC 2012 de forma sólida, longe de decisões imediatistas, midiáticas e paliativas.

Uma das primeiras medidas foi proporcionar confiança a Leão. Um técnico que tem um currículo vencedor, tanto dentro como fora dos gramados, e com a marca de ter dirigido a Seleção Brasileira. O São Paulo, sem dúvida, precisava de um comandante de peso.

Além de transmitir confiança, a diretoria foi sábia ao entender que era preciso conceder o tempo necessário (e consciente) para se forjar um novo padrão de jogo na equipe. Desta forma, ao invés de colocar pressão sobre resultados, afastou-se da mídia e deu tempo ao tempo, pois o que o São Paulo mais precisava era de tranquilidade.

E essa nova postura adotada vem se mostrando eficaz. Prova disso é que o São Paulo só perdeu um jogo na temporada 2012 e vem numa sequência de 12 jogos sem derrotas, sendo nove vitórias consecutivas.

São dados expressivos diante da equipe irregular e apática do ano passado.

Porém, vale destacar que, além dos resultados positivos, o importante é que o São Paulo 2012 mudou sua postura. Agora o time é aguerrido, corre os 90 minutos e não desiste nunca, mesmo com o placar adverso.

O São Paulo de hoje pode até perder, mas o torcedor não sentirá tanto, pois vê em campo que houve muita transpiração e vontade de vencer. Perder faz parte da vida, mas se entregar é uma opção que, diga-se, deixou de existir no Tricolor.

Se a raça e a gana por títulos voltaram com a chegada do profissionalismo exacerbado de Émerson Leão e os novos jogadores, fato é que ainda falta um encaixe perfeito, um aprimoramento técnico. O que melhoram as perspectivas com uma conciliação de raça, tática e técnica.

Mas isso é fruto de um processo que já avançou positivamente, mas ainda está em desenvolvimento.

2) AMPLIAÇÃO MATERIAL E IMPLANTAÇÃO DE ALMA PARA A BASE
Juvenal nunca escondeu que tem verdadeira paixão pela formação de novos jogadores. E vem investindo pesado no Centro de Atletas de Cotia tanto na parte física como na formação de um corpo técnico pensante, que sempre foi uma das marcas do São Paulo.

Ao contrário do que a mídia tenta vender, Juvenal não é só paixão. Juvenal é cerebral e tem plena visão de que os clubes que não investirem na formação de novos atletas encontrarão dificuldades para adminitrá-los.

O investimento maciço na base se faz valer sobremaneira se considerarmos o mercado da bola. Os bons jogares, diferenciados, mesmo jogando nos lugares mais longínquos do globo estão cada vez mais caros e, consequentemente, as folhas salariais cada vez mais elevadas.

Assim, do ponto de vista administrativo, Juvenal compreende que, mesmo o futebol moderno com os altos patrocínios nas camisas, ações de marketing se profissionalizando e as verbas dos direitos de transmissão, caso não invistam nas equipes de base, futuramente, isso poderá significar um desastre nas economias dos clubes brasileiros.

Se por um lado o SPFC possui uma das maiores e melhores estruturas físicas do mundo no profissional e nas categorias de base, Juvenal e a diretoria perceberam que de nada adianta essa estrutura sem alma para vibrar entre os metais e concretos.

JJ acompanha de perto as equipes de base e ficou decepcionado com a participação dos meninos na Copa São Paulo 2012. Mais uma vez, agora na base, Juvenal identificou o problema e partiu, juntamente com a diretoria, em busca de soluções sólidas.

Desta maneira revolucionaram mais uma vez ao contratar o inteligente e estrategista técnico René Simões, com objetivo de implantar uma filosofia e estabelecer um padrão de alto nível às categorias de base.

René Simões tem o perfil do São Paulo e mais uma vez a diretoria foi precisa na contratação.

Para conhecer melhor a ter a dimensão do que estou falando, Simões é formado em Educação Física, é membro do painel de instrutores da FIFA.

Muitos não sabem, mas é o único treinador do mundo que já dirigiu seleções masculinas e femininas em competições oficiais da Fifa e que já comandou todas as categorias de Seleções em Copas do Mundo da FIFA.

René também já comandou os selecionados Sub-17 com Trinidade e Tobago e Sub-20 com o Brasil, além da seleção principal da Jamaica na Copa do Mundo de 1998.

De acordo com o site FIFA, quando Simões assumiu a seleção da Costa Rica: “O técnico conquistou fama em 1998, quando levou a Jamaica à sua primeira Copa do Mundo da FIFA, na França. Foi a primeira participação de um país caribenho de língua inglesa no mundial, e a reestruturação que aconteceu no futebol jamaicano a partir daí pode ser atribuída em grande parte ao expressivo treinador.”

Na mesma matéria, a reportagem da FIFA destaca um perfil ainda pouco valorizado no meio do futebol, o lado pensador: “Não é por acaso que René Simões é frequentemente chamado de ‘o professor’. O técnico carioca é um verdadeiro pensador, um estudioso do futebol, uma presença marcante à beira do campo.”

Para finalizar, em mais um trecho na matéria, destaca-se a postura de Simões. “Contratado para executar uma missão de resgate, o brasileiro fala com romantismo sobre a sua filosofia de futebol. ‘Para mim o futebol é como uma tourada,’ diz Simões, para em seguida esclarecer que não é a favor da matança de animais. “O toureiro é obrigado a abater o touro, mas ele não pega uma arma e atira na cara do animal. Tem toda uma arte, uma dança, um balé. Quero que o meu time vença, mas que vença bonito.”

A mídia esportiva não deu tanto destaque para essa contratação técnica. Num mundo instantâneo, exibir os gols e mostrar jogadores presos por falta de pagamento de pensão proporciona mais audiência.

Exibir gols é mais compreensível ao torcedor passional do que analisar os desdobramentos e os impactos da contratação de um técnico como René Simões para dirigir a base Tricolor.

Considerando há política em tudo na vida, ao contratar Simões para a base tricolor, Juvenal e a diretoria inverteram/quebraram mais uma vez a lógica do sistema. Priorizaram a razão, e não o marketing.

Para efeito comparativo, em época de política, os prefeitos investem em pontes, fazem o recapeamento das vias públicas, reformam praças, pois, são os segmentos de obras/benfeitorias que estão ao alcance dos olhos do povo e, desta forma, geram muitos votos e muitas aparições na imprensa.

O que Juvenal e a diretoria vem fizeram e vem fazendo é investir em Cultura. No caso, na cultura futebolística, formando uma base padronizada, estabelecendo fundamentos, determinando a postura e a filosofia do Clube.

Não são ações que geram muitos votos, não erguem verdades imediatas para os torcedores, mas representam mudanças estruturais que determinarão o São Paulo do futuro, tanto no patrimônio físico como no imaterial, a filosofia do clube.

Ricardo Flaitt é jornalista (MTb 40.939) e historiador.
Colunista do site Tricolor Paulista.net

E-referência
Site da Fifa. Consulta em 6 de abril de 2012. http://pt.fifa.com/worldcup/archive/southafrica2010/news/newsid=1125367/

***(*) ******(*)