Archive for março \30\UTC 2012

São Paulo 2×0 Catanduvense

30/03/2012

A Arena Barueri é a casa de Fernandinho. Lá, ele tem boas lembranças. Na estreia pelo São Paulo, o camisa 12 marcou quatro gols no estádio. No ano passado, sofreu a falta do centésimo gol do goleiro Rogério Ceni. Na noite desta quinta-feira, Fernandinho mostrou quem manda na Arena.

Depois de começar no banco de reservas, o atacante, que apareceu para o futebol brasileiro justamente no Barueri, entrou no segundo tempo para ser decisivo na vitória sobre o Catanduvense por 2 a 0, pelo Campeonato Paulista. Ele fez um gol e participou do segundo – cruzou e o zagueiro chutou contra o próprio patrimônio. Foi o terceiro gol do jogador na temporada, o 15° com a camisa são-paulina em 90 partidas.

Com o triunfo, o São Paulo aumentou a série invicta (11 jogos) e a sequência de vitórias, que chegou a oito. Além disso, os três pontos garantiram a permanência do Tricolor na liderança do Estadual, com 37 pontos, faltando apenas três rodadas para o término da primeira fase.

MARCAÇÃO DURA

O técnico Emerson Leão entrou em campo com a mesma escalação que venceu o Mirassol, fora de casa. A única alteração foi na lateral direita, já que Piris teve de cumprir suspensão automática. Dessa forma, o volante Rodrigo Caio foi novamente improvisado no setor.

O primeiro tempo foi de poucas chances criadas. A equipe do interior paulista dificultou bastante as ações do Tricolor com uma defesa bem postada. O atacante Willian José tentou duas vezes. Na primeira, um chute perigoso com a perna esquerda de fora da área.

No segundo lance, o camisa 19 driblou pela esquerda e cruzou. No rebote da zaga, Cícero tentou marcar, mas o zagueiro jogou para escanteio. O Catanduvense também teve suas oportunidades, com dois chutes cruzados, que obrigaram Denis a se esticar por segurança.

O REI DE BARUERI

Na volta do intervalo, Fernandinho entrou no lugar de Jadson. Aos dez minutos da etapa final, Casemiro cobrou falta pela esquerda e, por pouco, não enganou o goleiro com uma cobrança direta. Aos 18, mais duas substituições: Osvaldo e Maicon nos lugares de Willian José e Casemiro, respectivamente.

Melhor em campo, o Tricolor seguiu pressionando. Aos 25, Lucas arriscou de fora da área e Osvaldo quase marcou no rebote. De tanto insistir, o São Paulo foi recompensado. Aos 29, Maicon cobrou escanteio e Fernandinho, bem posicionado dentro da área, abriu o placar para os são-paulinos.

No fim do jogo, Fernandinho fechou o caixão do Catanduvense. Em um dos últimos lances do jogo, o camisa 12 fez a tradicional jogada pela esquerda e cruzou para a área. O zagueiro chutou contra e fez o segundo gol são-paulino. Vitória de quem procurou o gol os 90 minutos. Liderança mantida no Paulista.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta sexta-feira, no CT da Barra Funda. No próximo domingo, a equipe enfrentará o Ituano, em Itu. Para este jogo, Emerson Leão contará com o retorno de Piris, que cumpriu suspensão na noite desta quinta-feira.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 0 CATANDUVENSE

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 29 de março de 2012, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Público: 4.539 pagantes
Renda: R$ 106.822,00
Árbitro: Claudinei Forati Silva (SP)
Assistentes: Leandro Almeida dos Santos e Maria Eliza Correia Barbosa (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Philippe Lombard e Luciano Monteiro dos Santos (ambos de SP)
Cartões amarelos:Cortez (São Paulo); Douglas, Alex Willian, Moreilândia e Cleber (Catanduvense)

Gol: SÃO PAULO: Fernandinho, aos 29, e Cleber (contra), aos 48 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Denis; Rodrigo Caio, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Casemiro (Maicon), Cícero e Jadson (Fernandinho); Lucas e Willian José (Osvaldo)Técnico: Emerson Leão

CATANDUVENSE: Filippi; Chiquinho, Ednei, Cleber e Douglas; Ricardo Oliveira, Moreilândia, Nenê Bonilha (Diniz) e Alex Willian (Jeferson); Samuel e Alemão (Dairo) Técnico: Roberval Davino

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Com dores no adutor, Osvaldo será reavaliado

Fernandinho vibra com atuação: “Ajudo da melhor maneira”

Emerson Leão: “Hoje a vitória valeu por tudo”

Bastidores de São Paulo 2 x 0 Catanduvense

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Ituano x São Paulo, Paulistinha 2012,  Novelli Jr., Itú, domingo, dia 01.04 às 18h30.

Um Rastro de Sangue, Destruição e Impunidade

29/03/2012

Salve Soberania !

Que todas as torcidas organizadas tem pessoas de bem e pessoas más, de má índole, é ponto pacífico e nisto estamos de acordo certo ? Não vamos generalizar e dizer que torcida organizada é formada 100% por bandidos porque não é.

É fácil perceber que parte desta gente não quer saber de futebol, o desejo deles é dar espaço ao seu lado sombrio, transparecer a sua violência reprimida, seu ódio e frustração pelas suas vidas carregadas de sonhos desfeitos, de portas fechadas na cara. Tentam esquecer suas poucas possibilidades de mudar uma vida fadada ao fracasso.

Me lembro dos filmes de western que eu assistia antigamente, o famoso bang-bang. Em um destes filmes, um bandido riscava com uma faca o couro da cela do seu cavalo a cada assassinato que cometia. Carregava orgulhoso aquelas riscas, como um militar carrega as divisas da sua farda. Quanto mais riscos, claro, mais era temido.

Entre esta gente é a mesma coisa. Eles dizem:-“Mano, o maluco ali quebrou a cabeça de um otário da torcida x, o cara é firmeza, tá ligado ?”. Assim, mesmo sem farda, as divisas são as histórias de maldade e desrespeito a vida que carregam.

Uma destas torcidas lida com esta cultura de bandidagem de modo mais intenso. Tem orgulho de ser do mal. Parece que há prazer em serem criminosos. Não a toa, uma das facções que representa esse pessoal tem nome de setor de um presídio…

Começaram o ano mostrando o que viria pela frente. Barbarizaram a apuração do carnaval paulistano, invadindo a área de apuração, ameaçando os apuradores. Não satisfeitos, ainda colocaram fogo nos carros alegóricos de outras escolas de samba, simplesmente porque tiveram desempenho pífio.

Depois veio o campeonato paulista.

No clássico em Santos, em um local que recebe os ônibus das torcidas rivais do time da cidade –  perto do estádio Ulrico Mursa (da Portuguesa Santista) e próximo a Vila Belmiro – entre as avenidas Pinheiro Machado e Bernardino de Campos, desceram dos seus ônibus munidos de barras de ferro, paus e pedras. Agrediram torcedores do time rival, quebraram vidros de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais que tiveram que fechar as portas às pressas, temeresos de ter seu ganha pão depredado por marginais. Tudo isto a poucos metros de um hospital chamado Beneficência Portuguesa. Tal detalhe ilustra bem o desprezo que estes caras tem pela vida alheia.

Repare, em outros clássicos entre os demais clubes da elite do futebol paulista em 2012, não foram registradas ocorrências graves como os que ocorreram quando esta torcida em especial esteve presente. Logo, é possível detectar onde está o problema mais grave.

Mas ainda faltava morrer alguém, afinal ser temido é preciso. E a oportunidade veio no clássico contra o Palmeiras.

Eu encontrei no blog do Mauro Cézar Pereira, jornalista da ESPN, o relato de um morador sobre o que presenciou. Leia e veja que as armas e o modo de agir foi o mesmo, idêntico ao que aconteceu em Santos:

“Moro em uma travessa da Avenida Inajar de Souza e fui à feira livre de domingo. Eram 10h10 quando avistei cerca de 100 membros da Mancha Verde caminhando pela Inajar (…) Vinham dois carros da PM e quando os policiais viram a quantidade de palmeirenses, fizeram a volta e passaram a acompanhar os torcedores.

Logo depois, dois ônibus da Gaviões da Fiel chegaram ao local, pararam e desceram dois elementos mascarados e com camisetas amarelas parando o trânsito. Eles atravessaram os ônibus na avenida e desceram atirando rojões. Então os torcedores se confrontaram. Os PMs chamaram reforço policial, mas até chegar, a coisa foi feia, próximo a um Pet Shop e a um grande o posto de combustíveis. Paus, pedras, barras de ferros e rojões.

(…) Eu pelo menos não vi palmeirenses com paus e pedras. (…) O comércio fechou as portas e vi um elemento machucado buscando abrigo em um posto. Ele estava muito machucado e deve estar em estado grave em algum pronto socorro. Depois conversei com funcionários do posto de combustíveis e clientes que viram tudo de perto, apavorados. Eles ouviram os que batiam gritando: “É pra matar! É pra matar”.

A torcida do Palmeiras disse que sofreu emboscada. O morador disse que não viu palmeirenses armados. Perceberam onde está o problema ? Pois é, todo mundo sabe, menos a polícia que diz que as mortes estão sendo investigadas…

Por quê ninguém vai preso ?

Quem é que protege estes marginais ?

Será que isso acaba quando morrer o filho de um desembargador ou alguém importante ?

***(*) ******(*)

A Homenagem da globo a Ricardo Teixeira

28/03/2012

Salve Soberania !

Chega a dar nojo tamanha falta de consideração a inteligência popular, tamanha afronta ao povo brasileiro feita pela globo.

Com um atraso de duas semanas, eu acabo de assistir ao vídeo do programa Jornal Nacional, que foi ao ar no mesmo dia da renúncia do cartolão. Não posso dizer que aquilo é jornalismo, ao meu ver, é na verdade, a celebração pública de uma parceria comercial de sucesso, trata-se uma despedida que chega a ser uma homenagem em rede nacional.

Só faltou dizer até breve.

Não senhores, não escrevi errado. A reportagem (?) no vídeo abaixo é apenas isso. Não se vê nada além da exposição do currículo do parceiro e das conquistas alcançadas por ele, durante o período em que esteve a frente da CBF.

Ao falar dos escândalos que acompanharam o imperador durante seu tempo no cargo, o teor da notícia soa como uma defesa: “RT e um grupo ligado a FIFA, foram acusados de receber dinheiro da ISL, mas todos os processos foram arquivados”. Esta parte é tão irritante, que chega a ser engraçada. Querem nos fazer acreditar que o fato de um processo ter sido arquivado, presupõe inocência.

A reportagem (?) não fala das razões que levaram RT pedir seu afastamento. Não faz nenhuma menção a situação dos clubes brasileiros, endividados,  dos estádios sucateados ou do êxodo dos jogadores ao exterior.

Nada.

Eu fico imaginando aquele brasileiro, que mora onde o acesso a internet é escasso ou não há acesso, aquele cara que não tem dinheiro pra comprar uma revista ou um jornal. Para este cidadão, a imagem é de um santo que partiu.

Como não sentir revolta por tamanha manipulação ?

A globo acha que nós somos uma nação de acéfalos irracionais, e você ainda vai perder seu tempo sintonizando esta emissora ?

Pow cara, fala sério…

***(*) ******(*)

O Centésimo Gol do M1TO Faz Aniversário

27/03/2012

Salve Soberania !

27.03.2012

É pra comemorar, hoje faz 1 ano do centésimo gol “do cara”.

E foi em cima delas…

Vida longa ao rei.

.

.

Relacionados

Um ano do centésimo

***(*) ******(*)

Mirassol 0x1 São Paulo: Lider Novamente !

25/03/2012

O São Paulo está de volta à liderança do Campeonato Paulista. Após nove rodadas (a última vez foi na sexta), o Tricolor Paulista retomou o topo do Estadual. Tudo por conta da vitória por 1 a 0 sobre o Mirassol, na noite deste domingo, no Estádio José Maria de Campos Maia. Com 34 pontos, a equipe bate o Corinthians no critério de desempate – saldo de gols é maior (16 contra 11).

Liderança que saiu dos pés de Rhodolfo. Ou melhor, da cabeça. No segundo tempo, o camisa 4 fez de tudo. Capitão do São Paulo nesta noite, Rhodolfo avançou com a bola e só foi parado com falta no campo de ataque. Na cobrança, ele subiu mais que a zaga adversária e aproveitou cruzamento preciso do meia Jadson.

Foi o sétimo triunfo seguido do Tricolor na temporada. Além disso, já são dez partidas de invencibilidade. Se a meta é terminar entre os quatro primeiros a primeira fase do Paulista, como Leão já revelou, o São Paulo mostra a cada jogo que é um grande favorito ao título estadual deste ano.

SEM GOLS

O técnico Emerson Leão entrou em campo com a escalação prevista. Sem Luis Fabiano (lesionado) e Rodrigo Caio (suspenso), Willian José e Piris, respectivamente, foram titulares diante do Mirassol. Durante a primeira etapa, apesar de jogar fora de casa, o Tricolor foi pouco ameaçado.

No ataque são-paulino, Lucas e Jadson protagonizaram os principais lances de perigo. O camisa 7, sempre rápido pelo lado direito, infernizou a zaga adversária.  Aos sete, ele cruzou na medida para Jadson, que quase fez de cabeça. Aos 12, outra chance do camisa 10. Lançado por Lucas, o meia tentou passe para Willian José, mas a bola saiu muito forte dentro da área. Ele poderia ter concluído a gol, mas escolheu a assistência.

Em outra oportunidade, Jadson cobrou escanteio na cabeça de Paulo Miranda, que subiu mais que todos e quase marcou. Com um bom chute de fora da área, o polivalente Cícero também buscou o primeiro gol são-paulino no confronto. Mas as equipes foram para o intervalo sem gols.

CAPITÃO DECIDE

Na volta do intervalo, Emerson Leão deixou o Tricolor mais ofensivo. Tirou o volante Casemiro e colocou em campo o atacante Fernandinho. Aos quatro minutos, em cobrança ensaiada de falta, Jadson bateu com perigo, mas o goleiro Fernando Leal defendeu com segurança.

Mas, aos sete minutos, Fernando Leal cometeu pênalti em Fernandinho, após o camisa 12 tabela com Willian José. Na cobrança, o próprio Willian chamou a responsabilidade para bater, mas a bola explodiu na trave direita do goleiro do Mirassol.

O Tricolor não se abateu com o lance e seguiu pressionando o adversário, em um jogo de ataque contra defesa. Aos 18, Rhodolfo sofreu falta no campo de ataque. Jadson cobrou na cabeça do camisa 4, que fez o segundo gol na temporada – o primeiro foi na goleada sobre o Botafogo-SP por 4 a 0, no Morumbi.

Minutos depois, Lucas fez linda jogada pela direita e quase marcou mais um golaço em cima do Mirassol. Já aos 22, Jadson deixou a partida para a entrada de Maicon. No fim da partida, Lucas deu lugar a Osvaldo. O Mirassol não ofereceu perigo algum ao Tricolor, que soube administrar o placar até o apito final do árbitro.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. Na próxima quinta-feira, o Tricolor enfrentará o Catanduvense na Arena Barueri. Para esta partida, Emerson Leão não poderá contar com Piris, que recebeu o terceiro cartão amarelo.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
MIRASSOL 0 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol (SP)
Data: 25 de março de 2012, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Mauro André de Freitas (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Fabio de Jesus Volpato Mendes e Cássio Luiz Zancopé (ambos de SP)
Cartões amarelos: Sérgio Manoel, Alex Silva, Xuxa, Eric, Fernando Leal, Acleisson e Gilsinho (Mirassol); Casemiro, Piris e Maicon (São Paulo)

Gol:
SÃO PAULO: Rhodolfo, aos 18 minutos do segundo tempo

MIRASSOL: Fernando Leal; Eric (Samuel), Igor, Matheus e Willian Simões; Alex Silva (Gilsinho), Sérgio Manoel (Malaquias), Acleisson e Xuxa; Preto e Henrique Dias Técnico: Ivan Baitello

SÃO PAULO: Denis; Piris, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson. Casemiro (Fernandinho), Cícero e Jadson (Maicon); Lucas (Osvaldo) e Willian José Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Rhodolfo: “O mais importante é a liderança”

Lucas exalta liderança tricolor: “Dá moral para o time”

Invicto há 10 jogos, Leão vibra com boa fase da equipe

São Paulo receberá o Catanduvense na Arena Barueri

Bastidores de Mirassol 0 x 1 São Paulo

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Catanduvense, Paulistinha 2012,  Arena Barueri, Barueri, quinta-feira, dia 29.03 às 19h30.

O Que a Lei do Passe Tem a Ver com as Calças ?

24/03/2012

Salve Soberania !

Tive que voltar do meu convívio familiar, pra compartilhar com vocês o mais novo devaneio do ícone do jornalismo esportivo brasileiro. Ícone para os acéfalos estudantes de jornalismo diga-se, porque pra este lúcido, é só mais um torcedor “TRAVESTIdo” de cidadão politicamente correto.

Mas deixa ver se eu entendi bem a mais nova pérola. Pra ele, a vitória do São Paulo na justiça, representa a volta da lei do passe. Que lindo. Que maravilha. Uma nova bandeira que o ícone acaba de levantar no meio da gentalha: a liberdade de escolha profissional.

Sabia que trabalhar onde bem entender é uma garantia constitucional ? Sim amigos. Você que trabalha há anos na mesma empresa, agora tem o direito de mudar viu ? Titio ícone avisou ! Depois não reclama…

Como se ninguém soubesse.

Mas esta é a questão principal ? O direito que um cidadão tem de escolha ?

Não, não é.

A questão, o cerne do processo, o mérito da causa, diz respeito as razões que levaram os advogados do Oscar peticionar a um juiz, pedindo a rescisão contratual. Nela, a petição, o staff do jogador sugeriu que o São Paulo Futebol Clube não cumpriu suas obrigações contratuais: “O regulamento da Fifa proíbe o registro de contratos de atletas menores de 18 anos por prazo superior a 3 anos. Além disso, o jogador reclama salários e FGTS parcialmente atrasados desde setembro de 2008, o que daria causa à rescisão indireta de seu contrato e o que fundamentou a concessão da decisão liminar”.

Inverdades. Não  fossem, o São Paulo FC não teria vencido seu recurso de forma unânime: 3×0. Puxa, isso me lembrou Libertadores: São Paulo 3×0 Faz me rir.

E não adianta dizer “independentemente de quem tem razão ou não”, porque a lei, a justiça, vai dar razão a quem provar o que diz.

No mais, pra quem gosta de se colocar como o defensor do futebol, aquele que luta contra os corruptos cartolas brasileiros e que, disfarçadamente se jacta de ter indiretamente contribuido para o tal fim do chá de cadeira, deveria na verdade festejar esta vitória dos clubes formadores.

O ícone algumas vezes, parece aquela vaca que dá 40 litros de leite e chuta o balde. Lidera a derrocada do imperador e quer que os sanguessugas do futebol, os empresários,  vençam a luta que os clubes formadores valentemente travam na justiça.

Porquê é fácil pra quem torce pra um clube que tem as categorias de base relegadas ao abandono, não se importar com o clube formador, porque não sabe como é.

O clube formador cede camisa, cede abrigo, alimenta, providencia assistência médica, odontológica, psicológica, paga salários, faz o garoto estudar e no fim das contas, perde um talento para outro clube aproveitador, sem receber um mísero centavo ?!? Que absurdo é esse ?!?

Bem, felizmente e apesar dos ícones da vida, a justiça deu sua sentença. Quem trabalha dignamente e decentemente, recebeu seu devido reconhecimento. Uma luz, uma jurisprudência que vai guiar e principalmente guardar o direito daqueles que se dedicam a garimpar novos talentos no futebol brasileiro.

A propósito, o Oscar tem o direito de jogar onde quiser, até no São Paulo ou talvez no Internacional, ou em qualquer outro lugar, desde que o faça decentemente, sem invenções ou manobras juridicas torpes.

Quanto a você caro ícone, vai tomar na lei do passe antes que eu me esqueça.

***(*) ******(*)

Justiça Manda CBF e FPF Restabelecerem Contrato de Oscar Com o São Paulo

21/03/2012

A 16ª turma da 40ª Vara do Tribunal Regional de Trabalho de São Paulo (TRT-SP) determinou nesta quarta-feira que tanto a CBF quanto a FPF restabeleçam o contrato do meia-atacante Oscar com o São Paulo.

O texto, fornecido ao UOL Esporte pela assessoria de imprensa do Tribunal, é assinado pelo juiz relator Nelson Bueno do Prado, e informa que os magistrados determinaram “conhecer e acolher parcialmente os dois embargos opostos para, sanando a omissão apontada, declarar o restabelecimento do vínculo esportivo entre o autor (Oscar) e o reclamado (SPFC), expedindo-se, de imediato, ofícios à Confederação Brasileira de Futebol e à federação Paulista de Futebol, nos termos da fundamentação”.

A reportagem tentou entrar em contato com os advogados das duas partes e o empresário do jogador para comentar o assunto, mas não obteve sucesso.

Via UOL Esporte

Relacionados

Justiça manda reativar contrato de Oscar com o São Paulo

***(*) ******(*)

A Blitzkrieg Tricolor na Era Leão

20/03/2012

Por Ricardo Flaitt (MTb 40.939)

O primeiro tempo de São Paulo versus Santos serviu para findar qualquer questionamento das arquibancadas sobre o trabalho que a diretoria e Émerson Leão vem implantando, gradativamente, no Morumbi para a temporada 2012.

A diretoria mandou embora quem não estava comprometido, trouxe reforços de alto nível, manteve Leão no cargo e deu tempo para que um novo ciclo se formasse.

E o resultado desse trabalho começou a aparecer no segundo tempo da partida entre SPFC versus Portuguesa e, com mais intensidade, na extraordinária partida frente ao Santos, atual campeão paulista e da Libertadores.

No San-São a equipe foi uma mescla de garra, determinação, comprometimento conciliados à técnica, padrão/postura tática definida e ofensividade.

A BLITZKRIEG LEONINA

Blitzkrieg (termo alemão para guerra-relâmpago) foi uma doutrina militar em nível operacional que consistia em utilizar forças móveis em ataques rápidos e de surpresa, com o intuito de evitar que as forças inimigas tivessem tempo de organizar a defesa. Seus três elementos essenciais eram a o efeito surpresa, a rapidez da manobra e a força no ataque, e seus objetivos principais eram: a contenção do inimigo e a desorganização de suas forças (paralisando seus centros de controle).

Considerando os gramados como um campo de batalha, Leão implantou uma verdadeira blitzkrieg contra o Santos. Sufocou a equipe da Vila desde a saída de bola. Todos jogadores tinham função tática definida e marcavam sem proporcionar espaços.

O São Paulo com alma tanto deu certo que logo aos 8 minutos abria o placar com Casemiro chegando de trás. E a verdade é que o São Paulo poderia ter encerrado o primeiro tempo vencendo tranquilamente por uns quatro gols.

Vale lembrar que muitos jornalistas esportivos chegaram a zombar da diretoria Tricolor diante da contratação de Émerson Leão. Referiam-se a Leão como “o ex-técnico” e até mesmo com a frase “resgataram um técnico que estava aposentado”.

Outros afirmaram que Leão não entende de tática e está ultrapassado. Agora, fica a pergunta: o que Leão fez com a equipe do também consagrado Muricy não foi um “nó tático”?

Mas Leão mostrou (e vem mostrando) que não é à toa que levou o Sport Recife ao título nacional de 1987, conquistou o Brasileirão 2002 com uma equipe de garotos geniais, e chegou a comandar a Seleção Brasileira.

Leão foi fritado na Seleção, mas no curto período em que ficou tentou implantar um futebol bailarino.

Na verdade, futebol bailarino significa futebol arte, dos tempos passados (e não ultrapassados) quando Leão conviveu com grandes gênios da bola como Rivelino, Ademir da Guia, etc…

Muitos não enxergam (ou não querem enxergar), mas fato é que Leão arma equipes com forte marcação, de garra, mas também sempre privilegia o futebol jogado de forma vistosa, pra frente, ofensivo e objetivo.

O São Paulo 2012 só perdeu uma partida. Com Leão e os novos jogadores o SPFC não é mais aquela baba do ano passado…

Ricardo Flaitt é jornalista e historiador.
Colunista do site www.tricolorpaulista.net
Facebook: Ricardo Flaitt
Twitter: @ricardo_flaitt

***(*) ******(*)

E Este Lance ?

20/03/2012

Não vi o jogo inteiro, claro.

Não vejo, não gosto, não acompanho. Mas chamou a atenção a pressão que o árbitro do jogo Comercial 3×3 Travestis, sofreu ao final da partida, dos jogadores do time da casa.

Fui ver os melhores momentos disponíveis na internet.

Não deu outra.

Vocês também notaram um toque do atacante visitante, antes de fazer o gol de empate do time de centenária incompetência ?

É muita cara de pau…

***(*) ******(*)

São Paulo 3×2 Museu: Os Lances Polêmicos

19/03/2012

Salve Soberania !

Mal terminou o jogo e a choradeira já teve início. O São Paulo, diga-se, tem muito mais razão pra reclamar da arbitragem do que o Santos.

Foram 3 lances que a arbitragem “se equivocou” contra o Tricolor e não fosse a raça demonstrada pelos jogadores sãopaulinos, que jogaram 35 minutos com 10, o resultado final da partida poderia ser diferente:

1) No final do primeiro tempo, o Cícero avança pela esquerda, ganha na corrida do Paulo Henrique que empurra o jogador sãopaulino com as duas mãos, dentro da grande área, penalti que o juiz não deu.

2) Expulsão injusta do Rodrigo Caio, que recebeu um primeiro cartão amarelo discutível. Culpa das reclamações do Santos sobre as faltas que o Neymar recebe. A pressão funcionou.

3) Lucas escapa pela direita do ataque Tricolor e fica mano-a-mano com o Durval, que entra de carrinho no jogador. Falta. Como era o último homem da zaga no lance, deveria ter recebido cartão vermelho. Não recebeu.

Claro que ninguém vai levantar a voz por isso, afinal o choro pertence ao perdedor.

Mas vamos aos lances que estão reclamando. Falam de arbitragem “tendenciosa” a favor do time da casa. Parece piada, mas estão reclamando que o São Paulo foi beneficiado.

Rá !

O primeiro lance foi o do penalti do goleiro Rafael no Luis Fabiano. Depois de driblar o arqueiro santista, o Fabuloso cai na área após levar uma tesoura do goleiro adversário, houve o toque, portanto, penalti bem marcado. Repare que o goleiro santista toca na perna direita do centro-avante Tricolor na imagem congelada:

Aqui o vídeo com o lance completo:

No terceiro gol do São Paulo, Cortez chuta a bola que bate na trave e no rebote o Lucas marca o gol da vitória. Veja a posição do Edu Dracena no momento em que a bola sobra para o Lucas, a posição do auxiliar e sua visão na imagem congelada:

Veja o vídeo:

Então, vamos devagar. A vitória do São Paulo foi maiúscula, jogou melhor nas duas etapas, foi uma vitória com méritos.

Saber perder é uma arte.

Que tal aprender ?

Relacionados

Muricy e Rafael isentam arbitragem por derrota no clássico

***(*) ******(*)

São Paulo 3×2 Museu

18/03/2012

Há algum tempo Rogério Ceni vem dizendo: “Lucas é a maior revelação do São Paulo na década”. Experiente, o goleiro sabe o que fala. Neste momento, ele deve estar pensando: “Eu avisei”. Lucas foi Lucas. Foi o jogador estrela, jogador de Seleção, jogador do São Paulo Futebol Clube.

Com um gol decisivo do camisa 7 nos minutos finais, o São Paulo, mesmo com um a menos, bateu o Santos por 3 a 2, na tarde deste domingo, no Estádio do Morumbi, no Campeonato Paulista. Casemiro e Luis Fabiano, de pênalti, fizeram os outros gols da equipe.

O jogo se caminhava para um empate até os 41 minutos do segundo tempo. Diga-se de passagem, um resultado injusto. Um atuação quase perfeita, daquelas para ficar marcada na história. O São Paulo merecia mais do que isso. E foi atrás. Foi guerreiro. Buscou fôlego de onde não tinha e saiu de campo com a sensação de ter vencido uma guerra.

TRICOLOR SUPERIOR

O técnico Emerson Leão entrou em campo com a mesma equipe do último jogo. Com isso, o volante Rodrigo Caio seguiu improvisado na lateral direita e Piris foi para o banco. O camisa 25, inclusive, fez um excelente primeiro tempo, anulando Neymar praticamente em todas as jogadas. Mas, por um erro da arbitragem, Rodrigo recebeu um cartão amarelo.

Desde o primeiro minuto de jogo, o São Paulo mostrou uma disposição muito superior ao rival e poderia ter ido para o intervalo vencendo por um placar elástico. Aos oito minutos, o volante Casemiro, de esquerda, arriscou de longe e abriu o placar no Morumbi. Resultado justo e merecido para a melhor equipe em campo.

Mesmo com o gol, o Tricolor seguiu pressionando o adversário, marcando ainda no campo de ataque. Aos 19, Luis Fabiano tocou para Casemiro. Dentro da área, o camisa 28 quase fez o segundo, assim como Cícero, que aproveitou um corta-luz de Jadson, aos 22 minutos da etapa inicial.

Nos raros ataques de perigo da equipe santista, a defesa são-paulina se portou muito bem. Em um dos lances, Denis fez ótima defesa, no outro, Rhodolfo afastou o perigo com o chutão para frente. Ainda no primeiro tempo, Lucas arrancou pela direita e encontrou Jadson livre do outro lado. O camisa 10 invadiu a área, mas tocou por cima do gol na hora da conclusão.

TUDO IGUAL

O equilíbrio tomou conta do início do segundo tempo, com ataque para ambos os lados. Mas, aos seis minutos, o zagueiro Edu Dracena aproveitou rebote da zaga são-paulina e empatou o clássico. Minutos depois, o árbitro completou o erro do primeiro tempo e expulsou Rodrigo Caio por falta em Neymar.

Com um a menos, Emerson Leão colocou Piris no lugar de Jadson. Aos 12 minutos, Casemiro deu outro lindo lançamento para Fabuloso, que quase marcou de esquerda. Com a mesma garra e determinação da primeira etapa, o Tricolor não se intimidou com o fato de estar jogando com um a menos.

Aos 18, Piris cruzou da direita e encontrou Cortez entrando pela esquerda. O lateral-esquerdo dividiu com a zaga santista e a bola foi para escanteio. Minutos depois, em tabela com Lucas, Luis Fabiano foi derrubado dentro da área por Rafael. O árbitro marcou pênalti, mas não expulsou o goleiro. Na cobrança, Fabuloso colocou o São Paulo em vantagem.

O Tricolor seguiu melhor, mas vacilou aos 31 minutos, quando Casemiro perdeu a bola no meio de campo. Na sequência do lance, Neymar driblou Denis e empatou o jogo. Com o gol, Emerson Leão tirou Luis Fabiano e colocou Edson Silva. Quando saiu de campo, o camisa 9 deu a faixa para Lucas.

O camisa 7 fez o que dele era esperado. Com Mano Menezes nas tribunas do Morumbi, Lucas decidiu o jogo. Mostrou que é craque. Teve seu nome ovacionado no Morumbi. Aos 41 minutos, ele arrancou da direita e tocou para Cortez, que acertou a trave. No rebote, o garoto chutou para o fundo das redes adversárias e fez o Morumbi explodir.

SEMANA LIVRE

Sem jogo no meio desta semana, o técnico Emerson Leão terá tempo para treinar a equipe. O São Paulo só voltará a campo no próximo domingo diante do Mirassol, fora de casa. Para este jogo, o atacante Fernandinho estará à disposição após cumprir suspensão automática.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 2 SANTOS

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 18 de março de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Público: 31.085 pagantes
Renda: R$ 1.115.902,00
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Assistentes: Alberto Poletto Masseira e Alex Alexandrino (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Luiz Flavio de Oliveira e Raphael Claus (ambos de SP)
Cartões amarelos: Cícero (São Paulo); Ibson, Adriano, Durval, Paulo Henrique, Rafael e Fucile (Santos)
Cartão vermelho:Rodrigo Caio (São Paulo)

Gols: SÃO PAULO: Casemiro, aos oito minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano (pênalti), aos 19, e Lucas, aos 41 minutos do segundo tempo. SANTOS: Edu Dracena, aos seis, e Neymar, aos 31 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Denis; Rodrigo Caio, Paulo Miranda, Rhodolfo e Bruno Cortez; Denilson, Casemiro, Cícero e Jadson (Piris); Lucas e Luis Fabiano (Edson Silva) Técnico: Emerson Leão

SANTOS: Rafael; Fucile, Edu Dracena, Durval e Paulo Henrique (Alan Kardec); Adriano (Felipe Anderson), Arouca, Ibson (Elano) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges Técnico: Muricy Ramalho

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Deu gosto de ver: comemorações são-paulinas no clássico

Casemiro dá nome ao primeiro gol no ano: “Pombo sem asa”

Com 6 gols em uma semana, Fabuloso brinca: “Dá até para folgar”

Mano Menezes vê de perto show de Lucas

Lucas vibra: “Quem duvidava do time não duvida mais”

Eu no Morumbi: São Paulo x Santos

Bastidores de São Paulo 3 x 2 Santos

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Mirassol x São Paulo, Paulistinha 2012,  José Maria de Campos Maia, Mirassol, domingo, dia 25.03 às 18h30.