Archive for fevereiro \29\UTC 2012

Funcionário do Guarani Ganhou Carro de Luxo Para Revelar Marmelada Pró-Palmeiras em 68

29/02/2012

O Palmeiras escapou matematicamente do rebaixamento no Campeonato Paulista de 1968 graças a um empate com o Guarani em Campinas, em partida com circunstâncias nebulosas. Parte afetada diretamente pelo resultado em questão, o Comercial de Ribeirão Preto conseguiu evitar o seu descenso provando o acerto prévio entre os dois alviverdes, em atuação nos bastidores que contou até com um suborno usando um carro de luxo Simca Chambord.

Presidente do Comercial à época, o advogado José Fernando de Ataíde contou à reportagem do UOL Esporte que deu um carro deste modelo para um funcionário do Guarani em troca de documentos que atestassem a entrega de resultado ao Palmeiras, ou pelo menos que identificassem o “compromisso” de que apenas reservas bugrinos fossem mandados a campo.

“Eu estudei em Campinas e sempre tive muitos contatos por lá. Cheguei a fazer estágio em uma delegacia da cidade. Portanto, conhecia bem as pessoas. Me passaram o contato de um funcionário do Guarani que talvez pudesse me ajudar. A pessoa pediu inicialmente 50 milhões [de cruzeiros]. Depois pediu um carro igual ao meu. Na época, tinha um Simca Chambord azul claro. Mandei buscar em Ribeirão Preto”, relata José Fernando de Ataíde, hoje com 75 anos, sem identificar o interlocutor em questão.

Os documentos que provam o acerto entre Palmeiras e Guarani antes do jogo decisivo de 1968 foram publicados na revista dos 100 anos do Comercial, lançada em 2011, com edição do jornalista Luiz Eduardo Arruda Rebouças. Os papéis, no entanto, hoje estão com o ex-presidente Ataíde. A história era conhecida, mas a novidade é a papelada que assegurava o acordo.

Naquele ano, o Palmeiras havia priorizado a disputa da Libertadores e acabou tendo de jogar uma série de partidas seguidas, anteriormente adiadas, no Paulista. Foi então que o Guarani escalou um time reserva e com um jogador em situação irregular, de maneira que, se a equipe do interior vencesse, o rival da capital poderia buscar na Justiça esportiva os pontos perdidos.

O Palmeiras entrava na penúltima rodada com chances remotas de rebaixamento, em situação amenizada pela vitória sobre o América de Rio Preto na partida anterior. Neste cenário, um empate asseguraria matematicamente a permanência na elite.

“Na época os times podiam escalar até dois jogadores amadores por vez. Neste dia o Guarani escalou três”, conta o jornalista Luiz Eduardo Arruda Rebouças, responsável pela pesquisa histórica a respeito desta partida.

Mas a brecha para manobra no tapetão acabou não precisando ser utilizada, pois o placar de 1 a 1 no Brinco de Ouro, no dia 29 de junho de 1968, um sábado à tarde, assegurou o Palmeiras na divisão de cima do Paulista.

Prejudicado pelo empate em Campinas, o Comercial acabou destinado ao rebaixamento. Mas, inicialmente, o clube de Ribeirão Preto foi à Justiça esportiva contra a Portuguesa Santista, protestando contra escalação irregular de um jogador, e não reclamando de qualquer problema na partida entre palmeirenses e bugrinos.

“Perdemos de 8 a 1 na Federação Paulista, de 9 a 0 na antiga CBD [Confederação Brasileira de Desportos] e de 9 a 0 no pleno da mesma entidade. Somente no CND [Conselho Nacional de Desporto] conseguimos a vitória por 11 a 0. Foi só neste último julgamento que conseguimos anexar os documentos do jogo do Palmeiras”, descreve o ex-presidente do Comercial, responsável pela “compra” da papelada.

Assim, o Comercial conseguiu anular seu rebaixamento e ainda fez a Federação Paulista suspender o descenso no Estadual por alguns anos. Tudo graças ao suborno do Simca Chambord e à ingenuidade dos dirigentes da época, que firmaram compromisso de favorecimento registrado em cartório.

“Temos toda a autenticidade e o reconhecimento destes documentos. Temos a prova do acerto entre os dois clubes. Um caso inédito no Brasil de entrega de jogo comprovada”, afirma o jornalista Luiz Eduardo Arruda Rebouças.

Via Uol Esporte

Relacionados

Um pouco mais sobre um tal Guarani x Palmeiras em 1968

***(*) ******(*)

Rapidinhas do Lina

28/02/2012
Cortez by Queco

Cortez by Queco

Choque-rei – Incrível o chororô pós jogo do time que tem a torcida que mais encolhe no país. Reclamaram de um penalti no Cortez, pra eles, enfiar a mão na garganta do colega é normal. Estão falando em fazer protesto formal na FPF. Isso, mandem fax, não esqueçam de mandar outro pro papa também, aquele que foi da juventude fascista de Hitler. Pode ser que com ele dê algum resultado. Questão de afinidade.

Cortez – A melhor contratação do São Paulo na temporada. Joga demais, apoia muito, marca bem, enfim é um lateral-esquerdo perfeito. Vai fazer história no São Paulo. Tem uma história de vida sofrida e venceu porque é um guerreiro que não se entrega, assim como no campo ele é na vida.

Lucas – O cara se preparou a semana inteira pra se juntar a seleção no exterior e no último instante, recebe a notícia que antes da viagem vai jogar um clássico. Concorda que essa mudança repentina de planos pode diminuir a sua performance ? Uma coisa é passar um período focado em um objetivo, outra é ter que jogar, do nada, um clássico ao qual não se preparou. Não participo do dia-a-dia do clube, não sou setorista e não acompanho os treinamentos. Mas pensem comigo, qual foi o time que o Leão colocou em campo no último coletivo antes do jogo contra as porcas ? O Lucas estava no time titular ? Se não estava, a preparação não foi a mesma. Portanto, antes de falar bobagens sobre o talento de um jogador, no mínimo é preciso fazer alguns questionamentos básicos. O Lucas pode não ser um craque, mas também não é nenhum perna de pau, fosse um jogador qualquer, não teria recebido oferta de R$ 92 milhões pelos seus direitos federativos. Como diz o ditado antigo do interior: “quem desdenha, quer comprar”.

Defesa, lateral e ataque – Eu ando repetindo isso faz tempo aqui. Estamos carentes de jogadores na zaga pelo lado direito, na lateral até a recuperação do Douglas e no ataque pelas beiradas do campo. O São Paulo tomou gols por conta de falhas nestes setores e o Fernandinho jogou bem ontem, mas ele não é “o cara” pra jogar por ali. Precisa contratar no mínimo mais 2 bons jogadores.

Oscar – Outro dia em entrevista a um jornal, o advogado do Oscar disse que o problema do jogador nada tem a ver com o Internacional, que o Inter terá seus direitos garantidos. Acho engraçado isso. O tribunal decidiu de forma unanime que o São Paulo cumpriu “com todas as suas obrigações trabalhistas” e deu ganho de causa ao Tricolor, devolvendo os direitos federativos ao clube formador e cancelando a decisão anterior da justiça. Que direito tem quem decidiu correr riscos e fechar contrato – a revelia do contrato vigente – com um jogador que tinha seus direitos em litígio com outro clube ? Perderam, mais cedo ou mais tarde esse muleque vai ter que retornar. A multa para tirar o jogador do São Paulo não será os R$ 9 milhões alardeados pela mídia, será muito mais conforme informou o vice-presidente de futebol do São Paulo em entrevista para a Estadão ESPN. Cabe recurso, mas como aconteceu em primeira instância, o jogador desta vez “tem que se reapresentar” até que o recurso seja julgado. O direito é do São Paulo. Apenas como parâmetro de valores de multa, a Inter de Milão estaria disposta a pagar R$ 34 milhões de reais pra conseguir a transferência do atleta, este valor certamente não iria –  caso ocorra a negociação em um futuro próximo – para os cofres do clube gaúcho. Eu só não entendi porque a CBF ainda não alterou no BID o contrato desse muleque se a justiça do trabalho já tinha publicado em seu site e mais tarde no diário oficial a sua decisão. Por conta do BID é que o Internacional tem escalado o jogador em seus jogos pelo campeonato gaúcho e pela Libertadores. O assunto esfriou, mas tenho certeza que o Tricolor vai detonar esse bando de oportunistas e aproveitadores. Não vejo a hora de ver o final desta história.

William José – O TJD-SP – aquele do delegado do gás – já se vingou do choque-rei do último domingo. Deram 2 jogos de gancho para o artilheiro sãopaulino por uma expulsão injusta contra o Paulista. Ele que já tinha cumprido a suspensão automática contra o Bragantino, fica de fora agora contra o Guaratinguetá. Tudo bem, o Cícero segura a bronca.

Discurso – Sabe uma coisa que me irrita profundamente ? É quando o cara joga bem pelo Tricolor e sai falando na imprensa que quer ser lembrado pela seleção. É legitimo, tudo bem, eu entendo, mas não fala. Quem paga o salário é o São Paulo. O Cícero, o Wellington e até o Cortes – que depois disse que o São Paulo era mais importante – andaram declarando isso. Será que esses caras lêem jornal ? Não sabem da relação entre São Paulo e CBF ? Como eu gostaria de ver um jogador que fosse verdadeiramente torcedor do São Paulo e em uma hipotética convocação dissesse não. Ia ter o nome guardado por gerações por ter mostrado posicionamento. Tem casos piores no próprio elenco Tricolor. O Jadson que ainda não jogou nada, disse que quer voltar a vestir a camisa amarela. O Lucas disse estar supreso pela polêmica envolvendo sua convocação. Que mundo será que estes caras vivem ?

Del Nero e JJ – Dizem por ai que a relação entre a FPF e o JJ está mais amena. Pelo que eu acompanho do notíciario do São Paulo, entendi que isso está acontecendo por duas razões. A primeira é que azedou o relacionamento entre o Del Nero e o Mico de Circo, por conta da briga pela cadeira de presidente da CBF que vai ficar vaga em breve. É questão de tempo, não fosse, o RT não estaria se desfazendo dos seus bens repentinamente. A segunda razão é que o nome mais forte entre todos os possíveis sucessores é o do ex-governador paulista José Maria Marin, que tem bom relacionamento com os cardeais sãopaulinos. Assim, o presidente da FPF está tendo que rever suas posições. O cenário está mudando e as coisas estão ficando nebulosas para os lados da marginal. Em breve vão abrir a caixa de pandora.

De cartucho ele entende  – Por conta desta mudança de cenário, a atitude do JJ mudou. Tanto que ele cobrou a federação que intercedesse a favor do São Paulo na CBF, em relação a liberação do Lucas e conseguiu. Do lado de lá, percebendo que perdeu a queda de braço, o mobral inconcluso veio falar de “queima de cartucho”. Expressão aliás perfeita pra quem anda meio sem bala na agulha, afinal os tempos são outros e um analfabeto sem padrinho nada mais é que um analfabeto sem cartucho.

O pianista do Titanic – Genial a sacada do João Paulo de Jesus Lopes ao dizer que o mico de circo era o pianista do Titanic. O mico ainda não percebeu que o navio que “nem Deus afundaria”, topou um iceberg e tem um buraco no seu casco. A água começou a invadir o navio, os passageiros já estão deixando o barco, mas o pianista continua dando seu show, achando que a festa nunca vai acabar…

E os clubes ? – O presidente da CBF está se movimentando e preparando terreno para deixar a entidade. Políticos e cartolas de carreira, antenados, se mexem e procuram fazer aliados para ter mais influência, senão tomar o poder na confederação, casos das federações regionais. Mas e os clubes ? Ninguém fala nada ? Não seriam eles os mais interessados ?

Coisas que a grande mídia não fala – Quarta-feira passada, dia 22 de fevereiro, a TV do monopólio registrou uma média de 18 pontos de audiência na grande São Paulo para São Paulo e Bragantino. Dias antes, a mesma TV na mesma região, registrou 11.5 pontos na partida entre Travestis e São Caetano.  Agora é que vem o pulo do gato. O público no Anacleto Campanela em São Caetano, região do grande ABC, cidade colada a capital paulista, foi de 5.609 pagantes. Quanta fidelidade…

***(*) ******(*)

Penalti Bem Marcado no Cortez

27/02/2012

Salve Soberania !

Escolheram campo, escolheram camisa, a FPF não quis mudar a data do jogo a pedido do São Paulo por causa do Lucas, receberam da prefeitura de Presidente Prudente pra jogar por lá enquanto o Tricolor teve prejuízo e etc.

Tudo arrumado pro Fasci me Rir ganhar.

Não ganharam, lógico. E não venham dizer que foi por causa da arbitragem porque não foi.

O jogador Cicinho do clube verde, mete a mão na garganta do Cortez dentro da área, impedindo o avanço do lateral esquerdo Tricolor.

Foi penalti.

Eles que chorem na cama.

***(*) ******(*)

Fasci Me Rir 3×3 São Paulo

26/02/2012

Foi um grande clássico. Daqueles para ser revisto diversas vezes. O ataque são-paulino voltou a funcionar bem, mas o do rival também esteve em tarde inspirada. Em jogo de seis gols, Palmeiras e São Paulo ficaram no empate em 3 a 3, na tarde deste domingo, em Presidente Prudente.

E o Tricolor mostrou, mais uma vez, que é um time que não se entrega. No Choque-Rei, a equipe ficou três vezes atrás do placar e foi buscar o empate. Destaque para o trio Cícero, Willian e Fernandinho. Os dois primeiros, titulares, marcaram mais uma vez na temporada.

Já o camisa 12 colocou fogo no jogo na etapa final. Depois de entrar no lugar de Jadson, ainda no intervalo, Fernandinho foi para cima do rival. Com suas jogadas características, infernizou os palmeirenses. Mas foi num lance de direita que ele fez um golaço e encerrou o jejum de gols.

Com a igualdade, o São Paulo ficou com 19 pontos, na zona de classificação para a próxima fase. Se por um lado o ataque foi bem, a defesa são-paulina voltou a apresentar algumas falhas. Nos últimos dois jogos, o Tricolor sofreu seis gols. Algo que tem feito Emerson Leão chamar a atenção do time.

GOL RELÂMPAGO

O São Paulo entrou em campo com o quarteto ofensivo formado por Cícero, Jadson, Willian e Lucas. Na zaga, Paulo Miranda retornou de suspensão e completou o setor ao lado de Rhodolfo. Apesar disso, o Palmeiras abriu o placar logo nos primeiros minutos do Choque Rei.

Após falta de Casemiro na entrada de área, o meia-atacante Daniel Carvalho surpreendeu Denis e colocou o rival em vantagem no placar. O Tricolor tentou empate com bons chutes de Lucas e, principalmente, Cortez, um dos melhores da equipe na etapa inicial.

E o tão esperado gol chegou aos 30 minutos. No lance, Casemiro recebeu dentro da área pela direita e cruzou na medida para Cícero, que apareceu como homem surpresa no meio da zaga alviverde. Tudo ficaria bom para o São Paulo não fosse Barcos recolocar o Palmeiras na frente do placar aos 37.

TUDO IGUAL

Na volta do intervalo, Emerson Leão colocou Fernandinho no lugar de Jadson. E aos cinco minutos, o atacante Willian José aproveitou vacilo dos zagueiros palmeirenses, dominou dentro da área, mas Deola fez boa defesa após o chute do camisa 19 são-paulino.

Se ele não fez neste lance, o artilheiro não perdoou aos nove minutos. Depois de Cortez sofrer pênalti de Cicinho, Willian José chamou a responsabilidade e converteu com precisão a cobrança de pênalti. Tudo igual em Presidente Prudente.

Minutos depois do gol, Leão tirou Casemiro e promoveu a entrada de Rodrigo Caio. Aos 16, o Tricolor quase virou o placar. Em cobrança de falta, Cícero acertou o travessão. As equipes buscavam, a todo o momento, o gol e quem conseguiu foi o Palmeiras, aos 26, novamente com o atacante Barcos.

Mesmo atrás, o São Paulo não se entregou e foi buscar mais uma vez o empate. Aos 30, Fernandinho, de direita, fez um golaço de fora da área. Lá atrás, Denis apareceu para fazer linda defesa em cobrança de falta de Marcos Assunção. O Tricolor, melhor em campo, tentou o quarto gol, mas ficou tudo empatado no Choque-Rei.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. O próximo jogo da equipe no Campeonato Paulista acontecerá na quinta-feira diante do Guaratinguetá, no Estádio do Morumbi.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 3 SÃO PAULO

Local:  estádio Eduardo José Farah, o Prudentão, em Presidente Prudente (SP)
Data: 26 de fevereiro de 2012, domingo
Horário:  16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Assistentes: Herman Brumel Vani e Danilo Ricardo Simon Manis
Adicionais: Rodrigo Braghetto e Raphael Claus
GOLS: PALMEIRAS: Daniel Carvalho, aos cinco minutos do primeiro tempo, Barcos aos 37 do primeiro tempo e aos 28 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Cícero, aos 30 minutos do primeiro tempo, Willian José aos oito do segundo tempo e Fernandinho aos 32 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Marcos Assunção e Henrique (Palmeiras); Paulo Miranda e Rodrio Caio (São Paulo)

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor (Chico) e Daniel Carvalho (Patrik); Maikon Leite (Ricardo Bueno) e Barcos Técnico: Luiz Felipe Scolari

SÃO PAULO: Dênis; Piris, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denílson, Casemiro (Rodrigo Caio), Cícero e Jadson (Fernandinho); Lucas e Willian José Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Fernandinho desencanta em 2012 e faz mais um no Choque-Rei

Leão e Rhodolfo alertam para erros defensivos no clássico

Cícero confirma fase goleadora e recebe elogios de Leão

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Guaratinguetá, Paulistinha 2012, Morumbi, São Paulo, quinta-feira, dia 01.03 às 19h30.

Tenha Coragem, Juvenal

23/02/2012
Fernando Dantas/Gazeta Press

Fernando Dantas/Gazeta Press

O São Paulo caiu em desgraça na Federação Paulista de Futebol depois do, até hoje, mal explicado caso Madonna em 2008. Jurou que seria oposição ríspida, que não daria tréguas e que passaria a exigir mais respeito.

Nada disso ocorreu. Ao contrário, o São Paulo tem sido prejudicado, faz tempo e mantém uma postura de carneirinho. O inimigo ideal, aquele que fala, porém não tem coragem de agir.

Novamente o Tricolor está sofrendo com isso e, de novo, não parece esboçar reação.

A transferência do clássico de domingo para Presidente Prudente gera prejuízos e desconfortos ao clube, que, com uma postura firme poderiam ser evitados.

O Palmeiras, entenda-se Federação, que parece ter convênio com a cidade, mudou seu mando do Pacaembú para o Farazão. As despesas do mandante são pagas. As do visitante, não. Se o São Paulo reagisse, uma vez que fosse, a esse tipo de coisa, por certo essas retaliações já teriam acabado. Como é mansinho, continua pagando, para dar renda ao adversário, beneses aos políticos de Prudente e dividendos para Marco Polo Del Nero.

E nada seria mais simples. Era só esvaziar o jogo. Time totalmente reserva. Mesmo que perdesse não teria grandes problemas, já que vai se classificar facilmente, como todos os outros grandes, nesse campeonato de nível tão baixo.

Isso diminuiria público, ibope da tv e as cobranças iriam parar na FPF. O São Paulo mostraria sua verdadeira força. Ao invés disso, chegou até a pensar em levar Luiz Fabiano, sua grande atração, para o evento.

A viagem será brava. Na volta, por exemplo, vai ter que descer em Campinas e seguir de onibus até a Capital. E bancando tudo.

Está na hora do presidente Juvenal Juvencio deixar a retórica bonita de lado e sair para a ação.

Quando ele brigou com Andrés Sanchez foi tão retalhado, que não há mais clássicos no Morumbi. Os patrocínios estão mais difíceis e o adversário tirou de lá a Copa do Mundo e consegue incomodar até na hora dos alvarás para shows. Esse é um inimigo complicado.

Enquanto isso, o São Paulo faz o jogo de Del Nero. Protesta, porém aceita. Em síntese, passa recibo.

Até consigo ver o presidente da FPF rindo do documento enviado, como o máximo que o “inimigo” pode fazer.

Parece que Juvenal perdeu a noção da força do São Paulo.

Talvez seja o caso de fazer as pazes com Andrés e pedir a ele alguns conselhos de como se faz para incomodar, aqueles que não lhe agradam.

Via Blog do Flávio Prado

***(*) ******(*)

Nota: Será que tem gente que ainda acha que o São Paulo não deve “lutar” pelos seus direitos ?

Bragantino 3×3 São Paulo

23/02/2012

Além da técnica de muitos jogadores no elenco, o São Paulo do técnico Emerson Leão tem se especializado em ser um time muito guerreiro, que não se entrega nunca. E provou desta determinação no empate em 3 a 3 com o Bragantino, na noite desta quarta-feira, em Bragança Paulista.

O Tricolor precisou driblar a torcida adversária, resultado adverso em campo e os inúmeros desfalques – sete no total. Com menos de 25 minutos de jogo, o Bragantino vencia por 2 a 0. Leão, que perderia Fabrício, teve de colocar Casemiro. E antes do intervalo, Jadson e Cícero empataram para o São Paulo.

Empolgado, o São Paulo voltou para o intervalo querendo mais, e fez mais um com Cícero. No entanto, os anfitriões chegaram ao empate e deram números finais ao jogo. Com a igualdade, o Tricolor ficou com 18 pontos, mas segue próximo dos líderes do Campeonato Paulista.

DOIS PRA CADA LADO

Sem Willian, suspenso, e Luis Fabiano, lesionado, o técnico Emerson Leão improvisou Cícero no ataque são-paulino. No meio de campo, o volante Fabrício fez sua estreia. Mas o camisa 8 ficou em campo por apenas 22 minutos. Com dores musculares, ele deixou a partida para a entrada de Casemiro.

Com o apoio da torcida, o Bragantino abriu o placar. Aos oito minutos, após cruzamento da direita, Giancarlo aproveitou para deixar sua marca. Depois do gol, o Tricolor chegou bem ao ataque, com Fernandinho e Rhdolfo, mas novamente os anfitriões conseguiram marcar.

Aos 24 minutos, após rápido contra-ataque, Fernando aumentou a vantagem do Bragantino. A parti daí, entretanto, só deu São Paulo. Aos 28, Cícero deu lindo lançamento para Jadson, que foi derrubado dentro da área. De pênalti, o camisa 10 fez o primeiro gol pelo clube. Já aos 35, Fernandinho fez jogada pela esquerda e Cícero, como o típico centroavante que Leão queria, empatou o jogo em Bragança Paulista.

EMPATE FORA DE CASA

O segundo tempo começou com a mesma pegada do primeiro. Com mais posse de bola, o Tricolor atacou mais, mas o adversário também chegava com perigo. Aos 14 minutos, Cícero soltou a bomba de fora da área e colocou o São Paulo em vantagem. Mas, aos 16, Romarinho empatou o jogo.

Cícero seguiu impossível no jogo. Aos 25, ele recebeu de Jadson dentro da área e, mais uma vez, soltou um petardo e a bola explodiu no travessão. No mesmo lance, Rhodolfo arriscou um perigoso chute de esquerda. Aos 35, Leão mudou em dose dupla. Tirou Jadson e Fernandinho para as entradas de Maicon e Osvaldo, respectivamente.

O jogo seguiu com oportunidades para os dois lados, mas a fonte secou. Com três gols para cada lado, São Paulo e Bragantino fizeram uma grande partida nesta quarta. Se o empate, na visão de alguns, foi um mau resultado, para outros, o Tricolor foi guerreiro fora de casa e mostrou que poderá ir longe neste Estadual.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará a treinar na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda. No próximo domingo, o Tricolor Paulista enfrentará o Palmeiras, em Presidente Prudente. Para esta partida, Emerson Leão poderá contar com os retornos de Paulo Miranda e Willian José, suspensos contra o Bragantino.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
BRAGANTINO 3 x 3 SÃO PAULO

Local: estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Data: 22 de fevereiro de 2012, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima
Assistentes: Marcio Luiz Augusto e Daniel Luis Marques
Adicionais: Philippe Lombard e Mauricio Antônio Fioretti
Cartões Amarelos: Giancarlo, Rafael Santos, Júnior Lopes, Cambará e Diego Paulista (Bragantino); Denilson e Jadson (São Paulo)

GOLS: BRAGANTINO: Giancarlo, aos oito minutos do primeiro tempo, Fernando Gabriel, aos 25 do primeiro tempo, e Romarinho, aos 15 minutos do segundo tempo
SÃO PAULO: Jadson, aos 27 minutos do primeiro tempo, e Cícero, aos 35 do primeiro tempo e aos 14 do segundo tempo

BRAGANTINO: Rafael; Luiz Henrique, André Astorga e Júnior Lopes (Patrick); Victor Ferraz, Cambará, Serginho, Fernando Gabriel (Diego Paulista) e Léo Jaime; Romarinho (Wellington) e Giancarlo Técnico: Marcelo Veiga

SÃO PAULO: Dênis; Piris, Rhodolfo, Edson Silva e Cortez; Denílson, Fabrício (Casemiro) e Jadson (Maicon); Lucas, Fernandinho (Osvaldo) e Cícero Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Leão chama atenção para erros após empate em Bragança

De pênalti, Jadson faz primeiro gol pelo São Paulo

Com dores na panturrilha direita, Fabrício será reavaliado

Em noite de camisa 9, Cícero: “Posição não é minha, mas posso ajudar”

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Fasci Me Rir x São Paulo, Paulistinha 2012, Eduardo José Farah, Presidente Prudente, domingo, dia 26.02 às 16h00.

A Criançada e o Papel(ão) no Carnaval

22/02/2012

***(*) ******(*)

São Paulo 3×1 Paulista

16/02/2012

Nem mesmo a expulsão no final do jogo atrapalhou os aplausos da torcida. Willian José, Willian José, Willian José. Este é o nome que tomou conta do Morumbi na noite desta quinta-feira. O camisa 19 são-paulino só não fez chover no estádio. Com três gols (o famoso Hat-Trick), o artilheiro foi o nome do São Paulo na vitória sobre o Paulista por 3 a 1, pelo Estadual. Com o resultado, o Tricolor subiu para 17 pontos e continua entre os líderes.

É a primeira vez que Willian faz três gols em um mesmo jogo com a camisa do São Paulo. Neste ano, no confronto diante da Ponte Preta, em Campinas, o atacante fez dois gols na vitória por 3 a 1. Em 2012, a média dele é excelente. São sete gols em seis jogos no Campeonato Paulista.

Desempenho que garante a Willian o posto de artilheiro da competição. Se a torcida estava preocupada com a ausência de Luis Fabiano, encontrou um ótimo substituto. Com a volta de Fabuloso, certamente o São Paulo fica muito bem servido no sistema ofensivo.

ARTILHEIRO COMEÇA O SHOW…

Com problemas na lateral direita, o técnico Emerson Leão improvisou o volante Rodrigo Caio no setor. Ele venceu a disputa contra o zagueiro Luiz Eduardo. Já Denilson entrou no lugar do suspenso Wellington. E logo no primeiro minuto, Paulo Miranda subiu mais que a zaga adversária e quase abriu o placar.

Bem melhor em campo, o Tricolor seguiu pressionando o rival. Aos oito, Willian José recebeu dentro da área e tocou na saída do goleiro, mas a bola não entrou. Não entrou neste lance, pois ainda no primeiro tempo o camisa 19 mostrou que está em excelente fase no São Paulo.

Aos 11 minutos, após o zagueiro do Paulista cometer pênalti, Willian mostrou personalidade e pediu a bola para bater. Com precisão, abriu o placar no Morumbi. Já aos 18, após toque de cabeça de Denilson, o garoto só precisou empurrar para o fundo da rede e comemorar.

O São Paulo poderia ter ido para o intervalo com um placar mais elástico. Pela esquerda, Cortez recebeu ótimas bolas de Jadson e foi muito bem na parte ofensiva. Pela direita, Lucas e Casemiro tentaram em chutes de fora da área e, por pouco, não marcaram também.

… FAZ MAIS UM, MAS É EXPULSO

No início da etapa final, o Paulista quase diminuiu o placar, mas Richelly errou a cobrança de pênalti. Com a vantagem no placar, o São Paulo seguiu com posse de bola, sem levar perigo. Aos 17, Leão fez a primeira alteração. Tirou Cícero e colocou Maicon em campo.

Apesar da superioridade, as coisas ficaram ruins para o Tricolor aos 20 minutos, quando Paulo Miranda cometeu falta perto da entrada da área e foi expulso. Logo após o cartão vermelho, Emerson Leão recompôs o sistema defensivo com a entrada de Edson Silva na vaga de Jadson.

Mas a noite era de Willian José. Aos 33 minutos, o garoto voltou a atacar. Após lançar para Lucas, o artilheiro correu para dentro da área e fez o que dele se espera: gol. O terceiro dele na partida. Logo depois do feito, Leão tirou o volante Casemiro e colocou o zagueiro Luiz Eduardo. Reinaldo ainda descontou, mas parou por aí. No fim, aos 47, Willian se desentendeu com o adversário e foi expulso de campo.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta sexta-feira, no CT da Barra Funda. O Tricolor só entrará em campo novamente na próxima quarta-feira diante do Bragantino, fora de casa. Para esta partida, Leão contará com o retorno de Wellington e João Filipe, que cumpriram suspensão automática.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 x 1 PAULISTA

Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi), em São Paulo (SP)
Data: 16 de fevereiro de 2012, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Assistentes: Marco Antônio Gonzaga da Silva e Miguel Caetano Ribeiro da Costa
Adicionais: Luiz Vanderlei Martinucho e Edson Reis Pavani Junior
Cartões amarelos: Paulo Miranda, Casemiro (São Paulo), Junior Alves, Fabryzzio (Paulista)
Cartões vermelhos: Paulo Miranda e Willian José (São Paulo)
Público pagante: 5.656 torcedores
Renda: R$ 65.941,14

GOLS: São Paulo – Willian José, aos 13 e aos 18 do primeiro tempo e aos 31 do segundo tempo. Paulista – Reinaldo, aos 37 do segundo tempo.

SÃO PAULO: Dênis; Rodrigo Caio, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denílson, Casemiro (Luiz Eduardo), Cícero (Maicon) e Jadson (Edson Silva); Lucas e Willian José
Técnico: Emerson Leão

PAULISTA: Vagner; Samuel Xavier, Júnior Alves, Diego Ivo e Reinaldo; Wellington, Bruno Octávio (Chiquinho), Fabryzzio e Danilo Gomes (Barboza); Ricardinho (Rychely) e Renan Marques Técnico: Sérgio Baresi

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Leão ressalta alegria antes da partida contra o Paulista

Willian José vibra com trinca: “Espero continuar assim”

Elenco elogia atuação com vontade no pós-clássico

Leão perde Paulo Miranda e Willian José, mas ganha Wellington

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Bragantino x São Paulo, Paulistinha 2012, Nabi Abi Chedi, Bragança Paulista, quarta-feira, dia 22.02 às 22h00.

Apito Amigo Ataca na Libertadores

16/02/2012

Impressionante, agora até na Libertadores.

Imagem congelada no momento do segundo passe.

Posição legal do atacante do Deportivo. Árbitro seguiu indicação do bandeira mal posicionado.

De novo, outro erro.

Mais do mesmo.

Relacionados

Mídia venezuelana acusa árbitro de ajudar Corinthians em empate contra o Táchira

O apito amigo corintians voltou.

***(*) ******(*)

Rapidinhas do Lina

15/02/2012

Majestoso – A torcida tem todo o direito de se irritar. Perdemos mais uma vez dos travestis, mas com alguma boa vontade, dá pra ver que o São Paulo desta vez, mostrou disposição e vontade de vencer, o que por si já é uma evolução. Além disso, não dá pra cobrar vitória, jogando fora, com um time que está sendo formado agora. Ainda vai chegar gente pra se juntar ao time titular. A torcida tem que ter paciência, o time vai se acertar.

Tamo junto  – Viram que sensacional ? O Cícero e o Wellington correram até o nosso meia e abraçaram o cara depois que ele perdeu o penal. É assim que se faz um time ! Um ajuda o outro, todos ganham e todos perdem juntos. Foi o melhor lance do ano até aqui. Um pequeno detalhe que vai fazer toda a diferença lá na frente.

João Felipe – A lateral direita do São Paulo já queimou muita gente. Começou com o Zé Luis, que pra ajudar o time, caiu por ali nos tempos do Muricy. Alguém lembra dele ? Sumiu. Depois foi o Jean, que pelas mãos do mesmo Muriçoca, foi foi jogar na lateral. Chegou a desempenhar bem a função, mas se perdeu entre a lateral e o meio, até não saber mais qual era a sua. Fechou com o Fluminense, e na sua apresentação, reclamou com razão que sua posição é volante. O mais novo vilão é João Felipe, que ao ser destacado para substituir o Piris, não correspondeu e corre o risco de sair queimado por estar “disponível”.  O que a gente vai fazer ? Vai vaiar o cara na próxima partida em que ele cometer um erro ? Ou vai entender que ele parou ali porque obedeceu ao seu superior ? Versatilidade não pode ser crucificada. Espero que haja alguma inteligência desta vez…

Leão – Eu gosto do treinador. Tem gente que pega no pé, diz que ele é ultrapassado. Se você considerar que os melhores times da europa atualmente jogam no 4-3-3, formação usada nos anos 70/80, você verá que ele está é na crista da onda, afinal no tempo em que esse era o esquema tático dos times brasileiros, ele era jogador em atividade. Eu só não entendo porque ele anda tirando o WJ,  pra colocar ou o Fernandinho ou o Osvaldo em seu lugar, como aconteceu nos dois últimos jogos. Sem um homem de área, o time perde a referência no ataque professô !!!

Arbitragem – É sempre complicado falar de arbitragem, a gente tem um histórico de roubalheira contra, que deixa o torcedor do São Paulo com a pulga atrás da orelha.  O tal de Raphael Claus, teria feito uma partida bem acima da média, se tivesse expulso o Fábio Santos e o Chicão que bateram forte no Lucas, bem mais forte aliás que a entrada que o João Felipe deu no Jorge Henrique, o pocket travesti. Mas não expulsou e ai fica a dúvida, afinal o erro foi a favor de quem sempre recebe ajuda.

Contratações – Acho que pelo menos um zagueiro central daqueles que impõe respeito o São Paulo deveria contratar. Ainda não sinto firmeza na nossa defesa. Será que o Paulo Miranda vai aguentar a pressão ?

Convocação – Já querem tirar o Lucas do clássico contra o Fasci me Rir. O banana de pijama que anda todo amiguinho do cara de areia, já começa a ganhar seus presentinhos. É assim que funciona no submundo,  na hora da partilha, todo mundo ganha…

Só acredito vendo – Circulam na internet rumores de uma possível renúncia do imperador do futebol brasileiro.  Quem de nós, torcedores do São Paulo, ao tomar conhecimento desta notícia, não se sentiu aliviado ? Acho que ninguém não é mesmo ? Pode até ser que o final seja esse mesmo,  tem ordem judicial na Suiça para que a FIFA apresente o dossiê ISL. Se isso acontecer, vou festejar demais, mas na boa, com o histórico de viradas a favor dos poderosos que tem no Brasil, eu só acredito vendo. Só acredito quando acontecer.

O povo não é bobo – A audiência da globo em janeiro, foi menor que a média alcançada no ano passado em todos os períodos do dia. Em 2011 entre 7h e 0h marcava 17,3 pontos, em janeiro deste ano 15,6. Uma queda de 10%. Tomara que isso seja um sinal de conscientização e que o povo se mantenha longe de quem quer manipulá-lo.

O povo não é bobo 2 – Em protesto a péssima cobertura sobre a greve dos bombeiros e policiais cariocas, durante passeata no Rio de Janeiro, os manifestantes expulsaram uma equipe da globo do evento. Dá até orgulho…

***(*) ******(*)

Travestis 1×0 São Paulo

12/02/2012

Uma tarde para ser esquecida. Para Jadson, o pênalti perdido. Para João Filipe, a expulsão. Mas principalmente para o São Paulo. Com um a menos, o Tricolor perdeu para o Corinthians por 1 a 0, na tarde deste domingo, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista.

Foi a primeira derrota da equipe no Estadual. Agora, com 14 pontos, o São Paulo perdeu a liderança para os seus rivais Palmeiras e Corinthians, que subiram para 17 pontos. Após sete rodadas, o Tricolor soma quatro vitórias, dois empates e uma derrota no Paulista. Apesar da derrota, é hora de levantar a cabeça pois ainda tem muito campeonato pela frente.

PÊNALTI PERDIDO

O técnico Emerson Leão entrou em campo com João Filipe na lateral direita e Wellington, poupado diante do Comercial, no meio de campo. O camisa 5 completou o setor com Casemiro, Cícero e Jadson. E o clássico no Pacaembu começou tenso, com muitas faltas.

Logo no início da partida, o próprio Wellington levou cartão amarelo. Lance que causou revolta dos são-paulinos. Apesar da pressão inicial do Corinthians, o São Paulo chegou bem ao ataque aos oito minutos, com um forte chute do lateral-esquerdo Cortez. Lá atrás, Denis, em duas oportunidades, fez ótimas defesas.

Porém, aos 21 minutos, o goleiro nada pode fazer para evitar o gol corintiano. Após cruzamento da esquerda, o meia Danilo subiu mais que a zaga tricolor e abriu o placar no Majestoso. O empate poderia ter saído nos minutos finais da primeira etapa, mas o meia Jadson desperdiçou uma cobrança de pênalti.

EXPULSÃO E DERROTA

Com mais posse de bola no segundo tempo, o São Paulo foi atrás do empate. Aos 13 minutos, o volante Casemiro arriscou chute da entrada da área e Júlio Cesar defendeu com segurança. Já aos 14, Emerson Leão mexeu na equipe. Tirou Jason para a entrada de Ferndinho, Osvaldo no lugar de Willian e Maicon na vaga de Casemiro.

O Tricolor que iria para cima, perdeu João Filipe, expulso após falta em Jorge Henrique, no minuto seguinte das alterações de Leão. Aos 19, Denis evitou o segundo gol do Corinthians após defender chute do atacante Willian. O goleiro espalmou para escanteio.

Com um a menos, o São Paulo sentiu a dificuldade de encaixar um bom ataque e tinha de segurar lá na defesa para conter o Corinthians. Aos 30 minutos, Fernandinho teve grande oportunidade, mas mais uma vez o goleiro Júlio Cesar evitou o gol são-paulino. O Tricolor não se entregou e foi a luta, mas o gol não saiu.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta segunda-feira, no CT da Barra Funda. Na próxima quinta-feira, no Morumbi, o Tricolor enfrentará o Paulista. Para esta partida, Emerson Leão não contará com Wellington, que recebeu o terceiro cartão amarelo no clássico, além de João Filipe, expulso.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 x 0 SÃO PAULO

Local: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP)
Data: 12 de fevereiro de 2012, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Público: 26.166 pagantes
Renda: R$ 786.728,00
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Vicente Romano Neto
Assistentes adicionais: Luiz Flavio de Oliveira e Leandro Bizzio Marinho
Cartões Amarelos: Wellington, Cícero, Paulo Miranda (São Paulo); Paulinho, Fábio Santos, Alessandro, Chicão (Corinthians)
Cartões Vermelhos: João Filipe (São Paulo)

Gols:
CORINTHIANS: Danilo, aos 21 minutos do primeiro tempo.

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo (Douglas); Jorge Henrique, Willian (Gilsinho) e Elton Técnico: Tite

SÃO PAULO: Denis; João Filipe, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Casemiro (Maicon), Cícero e Jadson (Fernandinho); Lucas e Willian José (Osvaldo) Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Elenco enaltece luta mesmo com um jogador a menos

“O campeonato não se decide com um jogo só”

Leão perde Wellington e João Filipe contra o Paulista

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Paulista, Paulistinha 2012, Morumbi, São Paulo, quinta-feira, dia 16.02 às 19h30.