Juvenal Exige: ‘Quero Espírito de Guerra Para Vestir a Camisa do São Paulo’

Em entrevista exclusiva ao LANCENET!, entre outros assuntos, presidente falou  sobre o perfil dos reforços que busca e deu adeus à Libertadores

O presidente Juvenal Juvêncio, definitivamente, não está satisfeito com o desempenho do São Paulo na temporada. Do Morumbi, enquanto recebia Zico para oficializar a realização da oitava edição do Jogo das Estrelas em um dos seus maiores xodós, o mandatário atendeu à reportagem do  LANCENET! , por telefone, no início da noite de segunda-feira. Ele quer mudanças, que estão em andamento.

Para 2012 ser diferente, alterações vão acontecer. Leão, com quem tem acordo verbal para seguir, pode não continuar. Vai depender de conversas nos próximos dias. No elenco, mais de quatro vão sair e três ou quatro vão chegar. Juvenal quer postura diferente, com jogadores que possam dar liga ao lado dos pratas da casa. E já não acredita mais em vaga para próxima Santander Libertadores.

– Temos de trazer figuras mais experimentadas, com grande espírito de luta, de guerra, para dar uma encorpada, o que não encontramos em 2011. Este ano já passou – explicou o mandatário.

Juvenal sabe que outro ano fora da competição sul-americana é sinal de fracasso – precisa vencer o Santos e torcer por tropeços de Coritiba, Figueirense e Inter. Por isso, está incomodado. Pensava em manter Leão, mas já não tem certeza. Tem consciência de que não pode mais errar, até porque, a própria paciência está no limite. A escolha do comando e comandados para nova temporada tem quer ser certeira.

Na entrevista, o presidente ainda falou, entre outros assuntos, sobre Luis Fabiano, Andrés Sanchez, Morumbi, aposta nos jovens e demonstrou otimismo na melhora de suas decisões para voltar ao topo.

LANCENET!: O que achou de fazer o último jogo do Brasileiro em Mogi, em vez do Morumbi (Corinthians e Palmeiras vão jogar na capital, por isso a troca de estádio)? Juvenal Juvêncio: É algo que já tinha sido falado. Quem fosse disputar o título, teria vantagem e os outros iriam para o interior. Algo que valeria também para os outros estados. Foi o que me falaram. Foi uma norma, que o São Paulo não poderia descumprir. Deixei para o pessoal do futebol resolver. Aceitaram, vamos para uma casa que de vez em quando jogamos, gosto de lá. Não foi a melhor coisa que poderia acontecer, mas valeria para todos estados.

L!.: Contra o Palmeiras, mais uma derrota em clássico este ano. Por que só uma vitória (em nove confrontos) diante dos rivais?  J.J.: A repercussão pode ser maior ou menor. Foi um jogo em circunstâncias naturais, normais, 1 a 0, uma bola que entrou. O São Paulo precisava mais, mas não conseguiu. Como não tem conseguido durante toda a temporada. Tem jogadores importantes, mas a soma não corresponde à eficácia e o que se espera. Estamos conscientes de que não produzimos o que tinha de produzir. Fizemos escolhas individuais corretas, mas coletivamente não correspondeu. Vamos fazer algumas alterações para ver se ano que vem enquadra e a equipe encaixa.

L!.: O que fazer para ser diferente ano que vem? Vai contratar?  J.J.: Minha ideia é que saiam mais de três ou quatro, mas entrem três ou quatro, que possam vestir a camisa. Não vai chegar por chegar. Porque tenho uma produção excelente na base, fortíssima, com jovens talentosos. Gostem ou não, é um fato. Quem produz sabe do que estou falando. Tanto que temos o Lucas, que não dá para discutir, já é realidade e um grande jogador.

L!: O São Paulo precisa de uma combinação de resultados para ir à Libertadores. Como será ficar fora dessa competição?  J.J.: Quando peguei como diretor de futebol (entre 2004 e 2005) fazia 12 anos que não entrava na disputa e retornou. Depois, comigo na presidência (está desde 2006), foram sete seguidos. E agora não foi. Temos vivência nesse processo, somos quem mais foi e conhece a competição. Mas não é uma cibernética (ciência que estuda as comunicações e o sistema de controle não só nos organismos vivos, mas também nas máquinas), algo eletrônico, que aciona um dispositivo e dá resultado. É momento, algo inexplicável. Hoje, um time médio pode ser campeão e um valoroso não consegue. São momentos e não conseguimos fazer time de alto poder de competição, de guerra, de luta. Faltou isso aqui e acolá. Mas vamos tentar recompor. Sabemos que não é algo científico e que nós tivemos altos e baixos.

L!: Preocupa passar mais um ano sem títulos e, de quebra, novamente fora da Libertadores?  J.J.: Sem dúvida é algo a pensar. Mas na última década fomos magnos nesta competição. Temos a nossa base, que é forte. Todas Seleções de sub isso, aquilo… A CBF sempre chama três, quatro lá de Cotia. Com os jovens, podemos estar por um instante mal, mas a expectativa de virar é rápida. E tenho certeza de que isso vai acontecer logo.

L!: O que significa ficar fora da Libertadores e ver o rival Corinthians já garantido para sua terceira participação seguida?  J.J.: Futebol tem este tipo de inesperado, mas essas alternâncias não são tão chocantes. Quem esperava que o Corinthians fosse cair (em 2007)? É desejável? Claro que não. Nesses momentos tem que ter autocrítica e estamos tento. Acho até que ano que vem vamos conseguir voltar.

L!: No mercado, está difícil encontrar jogadores com as características que procura? J.J.: Já vi alguns perfis, mas os custos são muito altos e proibitivos. Então, estamos vendo se é viável, procurando, mas gosto de alguns.

L!: Pelo alto custo e dificuldades, pode gastar cifras parecidas com as investidas no início do ano no Luis Fabiano (R$ 17,5 milhões)?  J.J.: É difícil, acredito que não. Ali foi uma situação especial, precisávamos daquilo. Com um jogador com total identificação no clube.

L!: O Leão tem contrato até o fim do Brasileiro. Decidiu se ele continuará para o ano que vem, já que existe acordo verbal disso?  J.J.: Ainda não temos nada ajustado, finalizado. Vamos fazer uma análise, examinar, ver as consequências nos próximos dias, mas sem uma data. Não tem nada de especial no assunto. Vai ser examinado, sabemos que não ganhou grandes coisas, mas precisar ter um time, que em certo ponto está afobado, abalado. Sabemos que houve dificuldades, o que complica o trabalho.

L!: E quanto a reforços, algum está contratado? Paulo Miranda (Bahia) e Fabrício já (Cruzeiro) são reforços do São Paulo?  J.J.: Não tem nada concreto. São nomes falados, mas nada certo. Vamos aguardar esta semana para não confundir as coisas. Vamos respeitar os clubes com quem eles têm contrato, cada um com sua dificuldade e ainda em disputa no campeonato. Temos este respeito.

L!: Pode anunciar oficialmente alguma contratação logo depois do Brasileirão?  J.J.: Na próxima semana vamos começar com uma agilidade maior, um avanço mais agressivo.

L!: Mas já será contratado?  J.J.: Não para a semana que vem. Tem questões burocráticas, contratos, acertos que precisam ser feitos.

L!: A cota de TV aumentou (vai receber R$ 75 milhões). Pode ser um fator para ajudar na contratação de jogadores caros?  J.J.: Melhorou do ano que vem e a maioria pode até usar para contratações. Mas tem de pagar a conta deles também. Então, não é por aí. Vamos ver as necessidade e depois tomar a decisão. Existe a possibilidade em relação aos custos, mas é preciso tomar uma posição serena e firme. Teve o Luis Fabiano, mas fazemos uma análise. Não que não cometemos erros, o que pode acontecer. Então, vamos ver.

L!: O Morumbi garantiu a cobertura e está se modernizando. Recentemente, o presidente da Federação Paulista, Marco Polo Del Nero, disse que pode usar o estádio para Copa das Confederações. Vê esta possibilidade? J.J.: Temos sempre buscado fazer melhorias no estádio, porque é um patrimônio do São Paulo. Temos gente, existe um pensamento cultural de fazer sempre os avanços, sem visar isso ou aquilo. Não pensamos em nada disso. Queremos ter uma casa importante para tudo e assim vamos continuar.

Via Lancenet

***(*) ******(*)

Anúncios

30 Respostas to “Juvenal Exige: ‘Quero Espírito de Guerra Para Vestir a Camisa do São Paulo’”

  1. Barman Says:

    Lina, você não acha que se o Juvenal deixar o cargo, é melhor para o clube ?

    Lina: Por quê você acha que ele tem que sair ?

    • Barman Says:

      Estamos 3 anos sem ganhar nada, o Morumbi está fora da copa e ele está irregular no cargo. Por isso eu acho que ele deveria sair.

      Lina: Então tá. Você lembra o que aconteceu com o São Paulo em 2009 na final do Brasileirão ? Inventaram de suspender o Jean, o Borges e o Dagoberto por 3 jogos injustamente. Em 2010 a arbitragem favorecendo os travecos de maneira explícita, além das convocações. Em 2011, o time rendeu pouco, mesmo assim tivemos várias convocações para atrapalhar. Que culpa tem o JJ ? Em relação ao Morumbi, foi um jogo de cartas marcadas. Inventaram várias mudanças no projeto original, para que ele ficasse caro o bastante e longe do que o clube poderia pagar. Junte a isso o posicionamento correto do JJ em lutar por melhores cotas de TV, além da desavença com a FPF ( chamaram o São Paulo de ladrões ! ), e pronto. Morumbi fora da copa. Mas tem uma coisa. O que você acha derrota hoje, vai se transformar em vitória lá na frente. A copa do mundo no Brasil vai ser vexame, anota ai. Não acho que ele está irregular no cargo. O estatuto foi alterado com maioria absoluta de votos no conselho. Ahhh, mas isso é imoral. Não pode ser imoral se foi uma escolha democrática. Pra terminar, a gente esquece que esse mesmo presidente conquistou muito pelo clube. O Tri-Mundial e Tri da Libertadores e o Tri-Hexa brasileiro, sem contrar outros títulos. A gente não pode ser massa de manobra da imprensa. Tem gente por ai que recebe dinheiro pra falar mal do JJ. Aliás hoje mesmo um dos “vendidos”, publicou um monte de porcaria sobre este assunto. Abre o olho.

      • blogdoluchetta Says:

        Grande Lina, é bem por aí.
        Sem contar que vai entregar o Morumbi reformado e coberto.
        Abraço,

        Lina: Eu quero ver o Morumbi coberto Luchetta, vai ser o grande cala a boca do JJ nesta imprensa de merda. Abraço

      • blogdoluchetta Says:

        Não sei se estamos falando do mesma porcaria, mas tem dois post naquela merda de blog atacando o Juvenal e o São Paulo.
        Aí moçada, cuidado para não ser massa de manobra dos pré-pagos.

        Lina: Eu estou falando do Risolis e você ?

      • Paulo Emílio Says:

        Blogdoluchetta para com isso, moçada NÃO, aqui é RAPAZIADA!!!! moçada e pra moças!! abraço

      • Papito Says:

        Moçada, rapaziada, que bobagem !

      • Sidney Says:

        Concôrdo com o Lina, alguem viu ou sabe sobre o projeto do estádio das frangas, foi aprovado e pronto saindo do terreno sendo que o Morumbi já estáva praticamente pronto, mais um dia essas cambadas vão pagar, já está começando com Kassab.

        Lina: As bichas não tinham nada e o estádio já estava aprovado ! Foda né ?

      • Paulo Emílio Says:

        Papito, veja o dicionário.

        Moçada – Moças

        Rapaziada – Rapazes

        não é bobagem, gosta que chamem vc de moça ok

        mas o certo quando se fala com homens é rapaziada.

  2. Paulo Emílio Says:

    Não consigo entender torcedor que critica juvenal por não ter o Morumbi na copa, impressionante a burrice desses negos, será que não conseguem ver que ja estava tudo marcado para de última hora construirem um estádio com dinheiro publico e entrega-lo para um marginal que se aliou a Ricardo Teixeira. Com Juvenal ficamos 7 anos SEGUIDOS indo para Libertadores, isso significa que ficamos praticamente uma DÉCADA entre os 3 melhores do brasil. Segundo, Juvenal vem enfrentando tudo e contra todas, quem não se lembra a palhaçada que fizerem para tirar o titulo com o caso madona? e o caso da pimenta no vestiário? Não esqueço que a FIFA obrigou o Inter a escolher a empreiteira parceira dela para reforma do estádio, impos, aqui não amigo aqui é São Paulo, andamos com as nossas pernas.

    Lina: Morumbi na copa significa pouco lucro para os cofres mafiosos, já o Privadão do Kassab, dizem que por baixo, tem um superfaturamento de aproximadamente R$ 160 milhões. Dá pra se aposentar, aposentar os filhos e os netos hein Paulo ?

    • Paulo Emílio Says:

      Nossa senhora e que bela aposentadoria. Pior é que não vão fazer naaada, estão roubando na cara dura. Engraçado que a imprensa do país resolveu calar sobre o ITAQUERÃO, ninguem mais fala nada.

      Lina: E quem vai fazer alguma coisa, se tá todo mundo com a mão na grana ?

  3. Guedes Says:

    O cara pra jogar no São Paulo, tem que ter vontade de vencer.
    Mas tem que ser politizado e entender contra o quê o São Paulo briga.
    Não pode ser esses deslumbrados com o que o clube proporciona, tem que entender qual a causa por trás da camisa.
    O São Paulo vai vencer tudo isso em 2012, na bola e nos bastidores.

    Lina: Isso mesmo. 2012 é o ano da virada.

    • Papito Says:

      Encontrar um jogador bom de bola e pensante deve ser complicado.
      Mas entender o clube e aceitar os desafios, deveria fazer parte das conversas antes de assinar contrato, ou então fica igual o Marlos, sem sal.

      Lina: O JJ quer o Marlos fora.

  4. Papito Says:

    Olhando a foto do post, é claro o cansaço do JJ.
    Até pela saúde, ele deve se retirar.

    Lina: Pode ser…

  5. Marcelo Abdul Says:

    A questão não é o Morumbi, FPF, Copa e o caralho a quatro. Isso é passado. Essa briga com a CBF vem antes do Juvenal ser presidente. O São Paulo foi o único clube que votava contra o Teixeira. Discordo de você Lina. Não teve nada de democrático a eleição do Juvenal. Essas alterações estatutárias foram feiras ilegalmente na calada da noite no meio do feriado e desrespeitaram a Constituiçao. Tanto que Juvenal vem tomando toba atrás de toba da Justiça porque pela nova lei alterações estatutárias tem que ser aprovada pelos sócios e não pelo conselho. Foi casuísmo.

    Todo mundo viu que aconteceu no Corinthians, Palmeiras e Vasco e Santos. Pra que se igualar a mediocridade dos rivais? Uma das coisas mais legais no São Paulo era a alternância no poder, a democracia e pluraridade de ideías. Como vamos combater os Teixeiras, Sanchez, e Del Neros da vida se o Juvenal copia os mesmos métodos deles na permanência de poder?

    Respeito a sua opinião mas não me sinto massa de manobra de ninguém. Acho que o Juvenal errou feio. Tem muita gente no Morumbi capaz de assumir a presidência e fazer uma boa administração.

    Lina: Abdul, a gente diverge nisso, mas pelo menos eu concordo com você. Rsrsrsrsrs. Quanto ao Fux, ele só deu um parecer, nada mais. Agora eu te pergunto. Claro que tem muito mais sãopaulinos, mas você já viu o que o São Paulo tem de sócio que não é sãopaulino ? Vai deixar essa gente escolher os destinos do clube ?

    • Marcelo Abdul Says:

      Cara, Tu acredita nessa cascata? Foram esses mesmos sócios que votaram na penúltima eleição na chapa do Juvêncio.Por que ele não disse isso? Por que era conveniente na época pra ele né? Se a maior parte dos sócios não torcem para o São Paulo pode fechar. É o fim da picada.

      Lina: Irmão, falei que tem mais sócio sãopaulino pow.

      • Paulo Emílio Says:

        não é o fim não, acredito sim que a maioria dos sócios não sejam são paulinos. Se eu fosse palmeirense, portuguesa ou qualquer outra coisa e minha residencia tivesse o mais perto o clube pq não iria me filiar? levaria minha familia para nadar na piscina, jogar bola, sauna e etc… Veja as cadeiras cativas, ou vc acha que também é cascata? Socio-torcedor não tem nada a ver com sócio do clube. Sobre não ser democracia então não sei o que essa palavra significa. Se vc tem uns 400 e deles vc tem 390 votos isso não é democracia?

        Lina: É democracia.

      • Marcelo Abdul Says:

        Você não Lina. Mas o Juvenal afirmou isso numa entrevista. A solução pra isso é simples. Sócio-torcedor com mais de 5 anos votam em eleições diretas.

        Lina: Isso sim seria justíssimo, além de ajudar a fortalecer o programa.

      • Marcelo Abdul Says:

        Me perdoe Paulo. Mas eu acho isso um absurdo. Há uns 30 anos atrás eu até poderia acreditar nisso, mas hoje o São Paulo é uma nação. Cresceu muito em torcida e patrimônio. Inclusive despertou muito o ódio de torcidas rivais com o crescimento do clube. Com certeza a grande maioria dos sócios torcem para o São Paulo. Hoje em dia os condomínios fechados suprem muito o divertimento das famílias nos fins de semana. Sobra a identificação com o clube. Se eu morasse no Tatuapé, jamais iria me filiar ao Corinthians. Questão de principios clubísticos.

        Quanto ao sócio torcedor acho a idéia genial. O carro chefe do São Paulo é o futebol. Está no nome do clube. Nada mais justo que os torcedores que ajudam a instituição financeiramente escolham também o presidente. Os sócios do clube em si tem outras preocupações como a piscina, campo de bocha, de carnaval e outras preocupações que não representam a vontade de maioria.

        Lina: A inveja aumentou depois que o São Paulo conseguiu em 5 anos, mais do que os rivais juntos em toda a sua história…

      • Paulo Emílio Says:

        Não penso assim e acredito que existem muitos como eu. Se eu morasse em tatuapé e a única area de lazer para minha familia mais proxíma eu iria ser sócio para poder desfrutar do clube, isso não me faria JAMAIS curintiano. Sobre o crescimento da torcida concordo, mas essa torcida não é sócia do clube e nem socio torcedor. Veja o número de socio torcedor do são paulo e o número de torcedores do clube. Não é todo mundo que mora em condominio fechado e que tem area de lazer e tem mais, em predios de luxo os moradores frequentam mais um clue do que o próprio prédio pois lá eles tem amigos, futebol, bocha e etc.. existe sim muitos palmeirenses e curintianos que frequentam o clube poi uma simples opção de logistica, mais próximo, mais barato e o clube oferece de tudo.

      • Marcelo Abdul Says:

        Paulo. Você não entendeu. Você pode frequentar o Corinthians no Tatuapé sem “virar corintiano”.A questão é que as torcidas se polarizaram de tal maneira que é bem complicado ter uma “maioria” de sócios rivais em algum clube. Que deve ter uns corintianos, palmeirenses e santistas jogando um tênis no Morumbi é plausível. O MAC por exemplo foi sócio (ou ainda é não sei) do Santos. Mas a maioria como o Juvenal falou na entrevista? No puedo crer! Parece mais uma desculpa do tipo “vou falar isso pro pessoal parar de falar do terceiro mandato”.

  6. blogdoluchetta Says:

    Lina, estou com você nessa do Juvenal.
    A reforma do Morumbi está sendo feita com o Juvenal como Presidente. Se ele saísse agora, as tratativas com os patrocinadores, etc, teriam que começar do zero. Seria um puta (eu ia escrever baita no lugar de puta, mas aquele debilóide se apossou do termo) atraso na reforma do Morumbi.
    Sei, vão dizer que o Juvenal continuaria na frente da reforma. Só que não é a mesma coisa. Os valores são altos e esse tipo de negócio deve ser feito por quem dá a última palavra. Alguém tem alguma dúvida que a imprensa iria dizer que o Presidente seria marionete do Juvenal.
    Não daria certo.
    E sobre tradição: a única que foi quebrada foi aquela que diz que roupa suja se lava em casa. Quebrada justamente pelo sujeito de 6 votos. Esse cidadão não tem a menor condição de Presidir o Tricolor.
    Nem sempre teve alternancia de poder. Para quem não acredita é só fazer uma pesquisinha.
    Pô, e dizer que pode acontecer as mesmas coisas que aconteceram em clubes pequenos, francamente…
    Paulo, meu amigo, eu sou do tempo em que não havia essa paranóia com homossexualismo. Moçada vêm de moços, rapazes.
    Abraços,

    Lina: Valew Luchetta. Vai reformar e vai ficar sensacional. Mas precisa ser reformado pra dar um basta nesse movimentinho mimimi total e seu mentor invejoso. A oposição é ridícula. Você viu do que o cara me chamou né ? Não tem condição nenhuma de ocupar a cadeira de presidente e jamais alcançará esta posição. Quem sabe um dia, em uma nova eleição, outro nome possa surgir. Adalberto Batista, JPJL, MAC, Casares, Athayde Gil Guerreiro ( meu preferido ) são nomes fortes que podem suceder o JJ. De uma coisa eu tenho certeza, em 2012 tudo vai melhorar.

    • Marcelo Abdul Says:

      Lina. O que aconteceu? O cara te ofendeu?

      Lina: Vou te mandar uma msg te mostrando a palhaçada. Eu como sãopaulino fico até com vergonha de dizer aqui o que um candidato a presidência disse a um torcedor.

      • Marcelo Abdul Says:

        Beleza. Quero conhecer o caráter do cidadão.

        Lina: Já enviei, checa teu email.

    • Paulo Emílio Says:

      ok, peço desculpa mas é que não me acostumo com moçada, aqui só chamo os camaradas de rapaziada. Mas vc tem razão, é besteira mesmo. Sobre o tal presidente de uma ong idiota, já pedi milhões de vezes para ver o estatudo, a ata, os membros da diretoria, qual é sua representatividade junto ao bairro, CNPJ. Sabe pq não responde, pq não existe nada, ele mente ao dizer que tem uma entidade denominada morumbi total e que é a população do bairro que briga contra o São Paulo.

  7. Radar Soberano Says:

    Juvenal Juvêncio diz que o Corinthians não é parâmetro para a Libertadores

    Quando você acha que a rivalidade entre Corinthians e São Paulo esfriou…

    Enganou-se!

    O presidente do São Paulo segue com a língua afiada.

    Mesmo diante de um ano muito irregular, Juvenal Juvêncio continua alimentando polêmicas.

    Em entrevista ao repórter Jesse Nascimento, da Rádio Globo, o dirigente não poupou criticas a participação do arquirival Corinthians na principal competição sul-americana e ao seu presidente Andrés Sanchez.

    “O Corinthians tem uma história muito ruim. Quando vão, não conseguem entrar e, quando entram, não ganham. Eles não são parâmetros para falarmos de Taça Libertadores”, declarou Juju.

    Sobre a nomeação de Andrés Sanchez como novo diretor de Seleções da CBF, o mandatário fez suspense. “Eu penso que o futuro indicará a resposta que você precisa. Eu não a tenho.”

    Seria essa uma maneira de tirar o foco do péssimo rendimento do Tricolor?

    Após sete anos consecutivos disputando a Libertadores, o São Paulo parece que perdeu o caminho.

    Já o Timão, continua na busca do seu título inédito, mas só vai ganhar a Libertadores quando o Saci Pererê cruzar as pernas.

  8. Radar Soberano Says:

    Juvenal aposta na permanência de Leão e debocha de Andrés na CBF

    Mesmo com possibilidades reduzidas de classificar o São Paulo para a Libertadores de 2012 na última rodada do Brasileiro, o técnico Emerson Leão conta o apoio do presidente do clube, Juvenal Juvêncio, para continuar na equipe. Em entrevista para a Rádio Globo, nesta quarta-feira, o dirigente disse confiar na permanência do treinador: “a tendência é que ele fique porque ele foi bem. Foi um trabalho sério que eu vi no cotidiano”, comentou. Já questionado sobre a renovação do contrato de Rivaldo, o mandatário adotou outro tom. “Gosto do Rivaldo, mas não sei falar se vai continuar”, disse.
    Juvenal não quis prometer títulos para a torcida no próximo ano e considerou difíceis as contratações de Taison, Breno e Nilmar, três reforços de peso especulados no time tricolor. O presidente também negou que tenha sido procurado por dirigentes do Internacional para liberar o atacante Dagoberto, mas confirmou que o São Paulo está analisando a proposta de um clube europeu não revelado para vender o meia-atacante Marlos. Ao fim da entrevista, questionado sobre a possibilidade de ver o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, assumir um cargo de importância na CBF, o são-paulino riu e alfinetou o desafeto: “o futuro indicará (o que vai acontecer)”, debochou.

  9. Radar Soberano Says:

    Com acordo, Juvenal diz que ‘tendência é que Leão fique’

    Em entrevista à Rádio Globo, presidente explica motivos que podem fazer treinador permanecer após término do contrato

    Emerson Leão tem contrato até o fim do Brasileiro. Mas o treinador tem apalavrado com a diretoria um acordo para seguir em 2012. Ambos, até domingo, não vão revelar o acerto.
    Na entrevista publicada nesta quarta-feira, o presidente Juvenal afirmou que vai tomar uma decisão nos próximos dias. À Rádio Globo, depois de falar com o técnico pela manhã, no CT da Barra Funda, foi questionado sobre a renovação:
    – Dizem que não tem opção, mas porque não falam que foi bem, razoável. Não pelo resultado, mas no cotidiano. Onde está a falha? No elenco, que teve técnicos e não correspondeu. A tendência é que fique, porque fez bom trabalho no cotidiano.
    – Um trabalho profundo, ele pega duro nesse processo, levando tudo a sério. Estive até aqui (CT da Barra Funda) para isso. Por enquanto, está correspondendo. Se não estiver, sai, porque não tem multa. Aqui não tem multa e vai embora quando desejar, sendo o vice-versa verdadeiro.
    Em sete jogos com o treinador, apenas duas vitórias. Além de um empate e quatro derrotas – 33% de aproveitamento. Pela Copa Sul-Americana, mesmo com vantagem, eliminação nas oitavas de final.

  10. Radar Soberano Says:

    Juvenal vê Corinthians muito ruim na Libertadores: “quando vai, cai antes de entrar”

    O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, não perdeu a oportunidade de ironizar o Corinthians em entrevista. Questionado sobre o rival estar na Libertadores ao contrário do seu time, ele zombou o histórico dos alvinegros na competição continental.

    “O Corinthians tem uma história muito ruim na Libertadores. Vai lá, não é campeão, quando vai cai antes de entrar. Ele não é parâmetro pra isso”, disparou para a Rádio Globo.

    Com mais de 100 anos de história, o Corinthians nunca venceu uma Libertadores. Na disputa pelo título do Brasileirão, o time alvinegro já tem vaga garantida na competição de 2012 ao contrário do São Paulo, que tem chances remotas. Mas Juvenal falou com desdém da possibilidade de não disputar o maior torneio das Américas.

    “Essa coisa da Libertadores para nós aqui é uma coisa cotidiana. Espanta quando não vamos, porque nós somos os que mais vão. A naturalidade nossa é ir. A estatística indica dessa forma. Embora isso não agrade muito, os fatos são esses”.

    Sobre o cargo que o seu desafeto Andrés Sanchez, atual presidente do Corinthians, ocupará na CBF (diretor de seleções), Juvenal ‘deixou no ar’ a sua ideia do assunto. “[Após rir alto] Eu penso que o futuro indicará a resposta que você precisa, eu não a tenho”.

  11. Radar Soberano Says:

    Leão discorda de Juvenal e acredita em Libertadores

    Assim como jogadores, treinador acredita que ano ainda não acabou. Presidente muda discurso em entrevista à Rádio Globo

    A declaração de Juvenal Juvêncio, em entrevista ao LANCENET!, de que “este ano já passou” para o São Paulo, foi contrária ao pensamento no CT da Barra Funda. Por telefone, na tarde desta quarta-feira, ao ser questionado sobre o objetivo do Tricolor na competição e a afirmativa do mandatário, Leão ainda não tinha conhecimento da posição. Ao ser comunicado pela reportagem:
    – Não sou eu que falo que existe possibilidade, é a tabela que mostra. Então, é minha obrigação buscar. Com respeito ao presidente, você tem de conversar com o presidente. Como treinador, que estou no campo, tenho de lutar até o fim.
    – Vamos fazer o máximo para que dê certo a Libertadores. É obrigação nossa, certo? Temos conversado diariamente para que isso. O foco é um só: vencer a partida e deixar as coisas acontecerem. Dependemos de resultados, mas podem acontecer – completou o treinador.
    Pelos jogadores, existe confiança de que ainda dá. O São Paulo tem de vencer o time reserva do Santos e torcer para Coritiba, Internacional e Figueirense não vencerem Atlético-PR, Grêmio e Avaí, respectivamente.

    Talvez por isso, Juvenal tenha voltado atrás no discurso. Nesta quarta-feira, ele esteve no CT da Barra Funda e tentou se explicar, coincidência ou não, após saber que o grupo teve opinião contrária.
    – O jogo termina quando acaba. Acredito, por isso vou lutar. Não acredito que fizemos uma boa apresentação em 2011. Isso está posto – revelou à Rádio Globo.
    Insatisfeito com o time, que pelo terceiro ano não levantará taça e, pelo segundo, pode ficar fora da Libertadores, Juvenal promete mudanças. Uma delas, pode ser a saída de Leão, que tem contrato até o fim do torneio. Apesar do acordo apalavrado, o presidente está em dúvida sobre a continuidade. Opinião que divide com pessoas próximas, muitas contra a renovação.
    Ficar fora da Libertadores fechará com fracasso o trabalho de Leão. Eliminado na Sul-Americana, chegou em sexto no Nacional e está em oitavo. As divergências entre técnico e presidente, que pensam (ou pensavam) diferente, estão no começo. Se o acordo pela renovação não for cumprido pela diretoria, novos capítulos podem vir. Com ou sem vaga.

  12. Radar Soberano Says:

    Juvenal responsabiliza elenco por mau ano e indica que Leão fica

    Juvenal Juvêncio se reuniu com Emerson Leão nesta quarta-feira e promete ter mais uma conversa em breve com o diretor de futebol Adalberto Baptista. Mas o assunto está praticamente definido: o técnico prorrogará o contrato que acaba em dezembro. O ex-goleiro é a solução encontrada pelo presidente do São Paulo diante de um elenco que pode terminar a temporada até sem uma vaga na Libertadores.
    “O cidadão foi bem, razoável. Não os resultados, mas no trabalho, no cotidiano. Vai ficar mais. Onde está a falha? No elenco, que teve uma série de técnicos e não teve produção correspondente”, falou à rádio Globo o dirigente que demitiu Paulo César Carpegiani e Adilson Batista neste ano.
    “A tendência é que [Leão] fique. Não houve resultados porque a equipe não está correspondendo, mas seu trabalho no cotidiano foi bom, sério, profundo. É o que estávamos precisando. Ele leva tudo muito a sério”, elogiou o presidente, ressaltando a necessidade de uma equipe com mais garra.
    O mandatário diz ainda ter uma mínima esperança de que a equipe bata o Santos no domingo, em Mogi Mirim, e que Coritiba, Figueirense e Inter não vençam Atlético-PR, Avaí e Grêmio, respectivamente. É a combinação necessária para que o Tricolor evite um segundo ano consecutivo fora da Libertadores.
    “Sou partidário do filósofo popular que diz ‘o jogo só termina quando acaba’. Eles vão lutar por isso. Se não formos à Libertadores, seria um fato não inédito, mas não corriqueiro. O normal é que o São Paulo vá para a Libertadores”, apontou. “Mas não acredito que tenhamos feito uma bela performance em 2011. Quero um time de guerreiros. O futebol hoje está muito nivelado.”
    Na busca por mudanças no elenco, Dagoberto deve deixar a equipe já neste ano rumo ao Internacional, Rivaldo dificilmente estará no clube em 2012 e Marlos está à espera da confirmação de uma proposta de um clube europeu – basta chegar que o meia-atacante será vendido. Com uma equipe reformulada, Leão terá a missão de ser campeão de alguma competição no ano que vem. Caso contrário, será demitido.
    “Por enquanto, está correspondendo. Amanhã, se não estiver correspondendo, sai. Aqui não tem multa. Ele vai quando desejar e vice-versa. O cidadão precisa trabalhar por amor, querendo. É esporte, não é burocrático ou administrativo, um gerente que faz por 30 anos um trabalho repetitivo. Tem que inovar, mudar. Vendemos emoção, o mundo é outro”, discursou Juvenal, incomodado por não ser campeão de nada desde o Brasileiro de 2008. “A prioridade é ganhar titulo, sempre.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: