Vasco 0x0 São Paulo

Denis não era titular do São Paulo há dois anos. Viu o goleiro Rogério Ceni fazer 132 partidas seguidas na meta tricolor. Motivos para sentir a falta de ritmo de jogo? Com toda certeza. Mas Denis provou mais uma vez que é um forte candidato ao posto do camisa 01, assim que ele se aposentar.

Na tarde deste domingo, em São Januário, o goleiro foi o principal nome do Tricolor Paulista no empate sem gols com o Vasco. Grande atuação que ficou ainda mais evidente no segundo tempo de jogo, quando Denis fez, no mínimo, três excelentes defesas e salvou o São Paulo.

Com o empate, o Tricolor segue distante da liderança, mas diminuiu a distância para a zona de classificação para a Libertadores. Com 50 pontos, apenas dois separam o time paulista do Flamengo, que perdeu na rodada para o Grêmio por 4 a 2, em Porto Alegre.

TRICOLOR CHEGA COM PERIGO

O técnico Emerson Leão confirmou o esquema escalado no coletivo da última sexta-feira e montou o São Paulo com três zagueiros diante do Vasco – João Filipe, Xandão e Rhodolfo. Na frente, o meia Marlos ganhou a disputa com Rivaldo e foi titular ao lado de Lucas e Willian.

Mesmo desfalcado, o Tricolor levou perigo ao time carioca. Primeiro com Carlinhos, que acertou uma bomba de fora da área e obrigou Fernando Prass a se esticar todo para evitar o gol são-paulino. Depois, foi a vez de Willian exigir boa defesa do goleiro vascaíno.

Sem Rogério Ceni, Denis mostrou que está pronto para jogar. O camisa 33 fez um bom primeiro tempo e teve segurança quando foi ameaçado pelo ataque rival. Um primeiro tempo bom do São Paulo, que conseguiu suprir os desfalques com vontade e determinação.

DENIS SE DESTACA

O Tricolor voltou para o segundo tempo com o mesmo ritmo de jogo, sem deixar o Vasco pressionar em seu estádio. Aos 21 minutos, Emerson Leão colocou o argentino Cañete na vaga de Marlos. Foi a segunda partida do meia com a camisa do São Paulo.

Na sequência, Rivaldo e Henrique entraram nos lugares de Willian e Lucas, respectivamente. Apesar disso, o Vasco começava a chegar com mais perigo. No entanto, o time carioca esbarrou na excelente atuação de Denis, que fez duas excelentes defesas e evitou o gol dos anfitriões.

Sem atacar muito nos últimos minutos, o Tricolor apenas se defendeu e garantiu o empate em São Januário. A equipe terminou a partida com um jogador a menos, já que o Cañete teve de ser atendido pelos médicos do clube. Empate que deixa o São Paulo na disputa por uma das vagas na Libertadores.

SEMANA LIVRE

Sem jogo no meio de semana, o técnico Emerson Leão terá tempo para treinar a equipe do São Paulo. O Tricolor só voltará a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo sábado diante do Bahia, em Pituaçu. No primeiro turno, vitória tricolor no Morumbi: 3 a 0, com gols de Rogério, Dagoberto e Lucas.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
VASCO 0 x 0 SÃO PAULO

Local: estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 30 de outubro de 2011, domingo
Hora: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Assistente: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Kleber Lucio Gil (SC)
Cartões amarelos: Rômulo e Allan (Vasco); Xandão, Wellington e Henrique (São Paulo)

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé, Renato Silva e Jumar (Bernardo); Rômulo, Fellipe Bastos, Juninho Pernambucano (Nilton) e Felipe (Douglas); Éder Luís e Élton Técnico: Cristovão Borges

SÃO PAULO: Denis; João Filipe, Rhodolfo e Xandão; Piris, Wellington, Carlinhos Paraíba e Juan; Lucas (Henrique) e Marlos (Cañete); Willian José (Rivaldo) Técnico: Emerson Leão

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Denis mostra seu valor e segura um empate contra o Vasco em dia de São Januário lotado

Denis segura 0 a 0 com Vasco, mantém time vivo e ajuda Corinthians

Cortado por Leão, Cícero rebate treinador: ‘Não sou calado’ 

Vasco para em milagres de Denis, empata com São Paulo e perde ponta

Reserva de Rogério para o Vasco, e São Paulo ajuda Corinthians

Em jogo truncado, Vasco empata com São Paulo

Confusão com vascainos marca chegada da torcida do São Paulo em São Januário

Em breve serei o primeiro, diz reserva de Rogério no São Paulo

Denis celebra 0 a 0 e se apresenta como futuro titular do Tricolor

Leão revela acerto de Dagoberto com o Inter e pede dignidade ao atacante

Leão avalia empate do São Paulo como ‘mediano’

Meia do São Paulo Cañete tem lesão no joelho e será submetido a exames

Cañete deixa o jogo com suspeita de lesão no joelho

Presidente do Inter desconversa, mas praticamente confirma Dagoberto para 2012

Rhodolfo ganha faixa de capitão do Tricolor contra o Vasco

Emerson Leão exalta Denis e avalia atuação da equipe no Rio

Denis vibra com atuação: “Estou feliz para caramba”

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Bahia x São Paulo, Brasileirão 2011, Estádio de Pituaçu, Salvador, sábado, dia 05.11 às 19h00.

Anúncios

14 Respostas to “Vasco 0x0 São Paulo”

  1. Guedes Says:

    Estamos em novembro praticamente e o Leão teve que mudar esquema tático, colocou 3 zagueiros.
    Ontem, ele teve que mexer no time, e ficamos com 3 zagueiros e dois meias, Rivaldo e Cañete, na frente o Henrique que não tocou na bola.
    Tá tudo uma merda, mas pelo menos neste jogo, os chinelos foram mais guerreiros.
    Mérito do Leão.

    Lina: Bem lembrado. Estamos no final do ano e não temos time, padrão de jogo e nem ao menos vontade. Mas enquanto temos chances, vamos em frente com eles.

  2. Radar Soberano Says:

    Quatro vitórias seguidas mantêm sonho de título, calcula Leão

    Seg, 31 de Outubro de 2011 07:27. | |

    O São Paulo não vence no Campeonato Brasileiro há oito rodadas e caiu para a sétima colocação, a dois pontos da zona de classificação para a Libertadores.

    Mas ninguém no clube ainda abriu mão da disputa pelo título. Mesmo a oito pontos do líder Corinthians, até mesmo o técnico Leão faz contas para acreditar no heptacampeonato nacional.

    ‘Se engatarmos quatro resultados seguidos, voltamos a sonhar com título. Se ganharmos metade [dos seis jogos que faltam], não temos que pensar em título, mas em vaga na Libertadores’, falou o treinador em sua participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

    O comandante usa como argumento os duelos que restam ao Tricolor: contra Avaí, América-MG e Santos, no Morumbi, e Bahia, Atlético-PR e Palmeiras, como visitante. ‘Se olharmos para os nossos adversários, são dois ou três que correm risco de rebaixamento e clássicos contra o Palmeiras e o Santos sem preocupação. Temos que somar pontos’, exigiu.

    Nesse raciocínio, Leão definiu como bom ‘pensando no futuro’ o 0 a 0 com o Vasco, então dono da primeira colocação, em São Januário nesse domingo. Discurso que parece ter convencido os atletas. Existe bastante relutância no elenco em admitir que a taça não passa de um sonho.

    ‘Nosso primeiro pensamento é a Libertadores. Temos que chegar e nos classificar. Mas, se algum time der brecha, por que não o título? Sabemos que é difícil, mas por que não?’, indagou Denis à TV Gazeta ao desembarcar com a delegação são-paulina do Rio de Janeiro.

    Até quem considera o empate em São Januário um tropeço mantém o otimismo. ‘Nosso pacto era de vitórias. Precisávamos ganhar os sete jogos. Mesmo assim, se somarmos 18 pontos, podemos brigar lá em cima porque vão tropeçar. Vamos lutar ao máximo pelo título’, prometeu Marlos.

    Ao menos no pensamento, em parte, Leão parece ter conseguido mexer com um elenco tido como apático pela direção antes de sua contratação. ‘O São Paulo se acostumou a grandes emoções na ponta da tabela e está abaixo do que pode’, continuou cobrando o treinador, há uma semana no clube.

    Gazeta Esportiva

  3. Radar Soberano Says:

    Leão credita empate do São Paulo com o Vasco ao goleiro Denis

    O técnico Emerson Leão comandou o São Paulo pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro, no empate contra o Vasco, em São Januário, no domingo, e creditou o ponto conquistado ao goleiro Denis, que substituiu Rogério, contundido.

    “O resultado para nós, hoje [ontem] foi mediano. Mas a atuação também foi mediana. Fomos infelizes em perdermos o Cañete no segundo tempo, e ficarmos com dez, mas graças ao Denis a vitória do Vasco não se confirmou”, afirmou o treinador após a partida, que terminou empatada por 0 a 0.

    Leão elogiou Denis, que fez ao menos quatro importantes defesas no jogo, mas deixou claro que a vaga no gol é de Rogério.

    “O Rogério joga, sem dúvida. É titular e dono da vaga. Sobre o Denis, o conheci ainda na Ponte Preta. Já era um bom goleiro, e foi por isso que o São Paulo o contratou. No fim do jogo, até brinquei com ele, já que fui especialista como goleiro, e disse-lhe: ‘Se você continuar assim, tem tudo para se tornar um especialista também'”, afirmou.

    Denis começou uma partida pela primeira vez desde agosto de 2009. Rogério ficou 133 jogos sem desfalcar o São Paulo. Após o confronto contra o Vasco, ele chegou a dizer que em breve será o goleiro titular do time tricolor.

    Para Leão, a meta do São Paulo agora é somar pontos para terminar o Nacional em uma posição confortável. Ou, mais diretamente, na zona de classificação para a Taça Libertadores da próxima temporada.

    “Nosso objetivo é de somar mais pontos e melhorar o nosso índice em campo. Queremos terminar o ano tranquilos e com uma boa classificação”, afirmou.

    Folha

  4. Radar Soberano Says:

    Leão faz críticas públicas, expõe jogadores e começa ‘chacoalhão’ no São Paulo

    O discurso padrão entre dirigentes e técnicos de futebol é que os problemas têm que ser resolvidos internamente e é preciso preservar o grupo.

    Emerson Leão tem adotado estratégia contrária para dar o ‘chacoalhão’ que o São Paulo tanto precisava. Em menos de uma semana de trabalho, fez críticas abertas e expôs os jogadores.

    Leão foi contratado justamente para mudar a postura do time e tem o aval da diretoria para ser rígido com os pupilos. Isso porque boa parte do elenco é taxada de desinteressada e sem compromisso em seus jogos e, muitas vezes, até ‘folgada’.

    Após o empate sem gols com o Vasco, domingo, em São Januário, o técnico já mostrou suas garras ao responder sobre uma pequena rebeldia de Cícero. O meia ficou irritado e disse que se sentia injustiçado por não ter sido relacionado nem para o banco de reservas em São Januário. “Estou pronto para ir embora”, disse, se referindo à roupa que vestia com bermuda, tênis e camiseta.

    O técnico não gostou das reclamações e criticou a postura do atleta. “Não conversei com o Cícero porque todos os atletas são iguais. Ele não reclamou para quem tem que reclamar. O treinador sou eu. Que ele reclame para mim. Mas digo uma coisa: aquele que não sabe esperar não pode entrar”, afirmou.

    O comandante também não aliviou para o lado de Dagoberto, conhecido por ter um temperamento difícil. Enquanto jogador e diretoria ainda negavam o acerto com o Internacional, Leão não pensou duas vezes antes de dedurar o atacante. Revelou a assinatura de um pré-contrato com o Internacional a partir de abril do ano que vem, quando seu acordo se encerra com o clube do Morumbi.

    E sobrou até para o argentino Marcelo Cañete, que deixou o time de maca aos 44 minutos do segundo tempo sentindo dores no joelho direito, com suspeita de lesão grave no ligamento cruzado e menisco.

    Leão não perdoou o meia que havia entrado aos 19 minutos da etapa final no lugar de Marlos. Segundo a TV Globo, o técnico disse à reportagem: “Está vendo, a gente quer aproveitar, mas com um minuto machuca…”.

    Uol

  5. Radar Soberano Says:

    Leão diz para Dagoberto arrebentar, se quiser sair em dezembro

    Emerson Leão disse à TV Bandeirantes que Dagoberto já tem um pré-contrato com o Internacional porque teve uma conversa com o jogador sobre seu futuro. O atacante não escondeu que já decidiu jogar pelo time gaúcho em 2012.

    O técnico são-paulino, então, afirmou para o atleta que ele tem duas maneiras de sair do Morumbi: aplaudido ou vaiado pela torcida. Depende de como se comportar até o final de seu compromisso, em março.

    Leão usou ainda outra estratégia na tentativa de motivar Dagoberto a jogar em alto nível por um time que está prestes a deixar. Disse a ele que, se tem esperança de ser liberado pelo São Paulo já em dezembro, precisa arrebentar até o final do Brasileiro. Isso porque só assim o Inter ou outro time estaria disposto a oferecer uma compensação ao São Paulo para antecipar sua saída.

    Se o rendimento cair, terá de esperar até março, já que ninguém gastaria um centavo para tê-lo antes do final do contrato.

    Blog do Perrone, Uol

  6. Radar Soberano Says:

    Leão tem semana livre e deve ganhar reforços

    Dagoberto retorna de suspensão, enquanto Rogério e Fabuloso estão no REFFIS

    Emerson Leão chegou ao São Paulo na última segunda-feira, jogou na quarta e depois no domingo. Agora, pela primeira vez, o comandante são-paulino terá uma semana livre para treinamentos. O elenco tricolor já se representará nesta segunda-feira, às 16h, no CT da Barra Funda.

    O Tricolor voltará a campo no próximo sábado diante do Bahia, em Pituaçu. Tempo que Leão terá para escolher a melhor formação visando o confronto contra o time baiano. Para este jogo, o treinador não poderá contar com o zagueiro Xandão, que recebeu o terceiro cartão amarelo diante do Vasco.

    Por outro lado, Leão poderá ter importantes reforços. O goleiro Rogério Ceni se recupera de dores no tornozelo esquerdo e deverá voltar a treinar no campo no meio da semana. Já Luis Fabiano, com dores na coxa direita, vive a mesma expectativa de encarar o Bahia.

    Dagoberto tem a volta garantida. No último domingo, em São Januário, o camisa 25 teve de cumprir suspensão automática e foi desfalque. O são-paulino é o artilheiro do Tricolor na temporada com 22 gols. No jogo do primeiro turno contra o Bahia, ele fez um no triunfo por 3 a 0.

  7. Finorio Says:

    O Leão barrou o M1TO, senão o Denis nem teria jogado.

    Lina: O DM que vetou.

  8. Luiz Ferreira Says:

    Acho que melhorou alguma coisa.
    Mas não é ainda o São Paulo que queremos.

    Lina: Melhorou na vontade, mas algumas peças não merecem vestir a camisa do São Paulo.

  9. Radar Soberano Says:

    Retranca armada por Leão e grandes defesas do goleiro são-paulino Denis param o Vasco. O empate foi ruim para ambos os times

    Análise de jogos, Brasileirão

    De Vitor Birner

    Vasco 0×0 São Paulo

    O jogo foi equilibrado até os treinadores mexerem nos times.

    A retranca preparada por Leão conseguiu parar o Vasco na maior parte do confronto.

    Quando não o fez, Denis, o melhor em campo, evitou a vitória cruz-maltina

    O São Paulo, dependente dos contragolpes, não criou nada que mereça destaque por óbvias razões.

    Marlos e Lucas não foram capazes de começar e acabar as jogadas direito, e a equipe chegou com poucos jogadores.

    Ninguém deixou o gramado de São Januário feliz com o resultado.

    Escalações

    Vasco – Fernando Prass; Allan, Renato Silva, Dedé e Jumar; Romulo, Felipe, Juninho e Felipe Bastos; Éder Luis e Elton

    São Paulo – Denis: João Filipe, Xandão e Rhodolfo; Pirís, Wellington, Carlinhos, Juan, Lucas e Marlos; Willian José

    Tanto faz quem era o lateral

    O jogo de futebol é uma luta por espaços.

    Quem está com a bola tenta abri-los e colocá-la dentro do gol enquanto o que se defende trabalha para não dar espaço e recuperar a esférica.

    Os esquemas táticos são a forma de posicionar os atletas para o objetivo ser cumprido.

    Por isso os treinadores podem escalar volantes e zagueiros nas laterais, atacantes no meio-campo, volantes na meia…

    Tudo depende das características dos boleiros e necessidades da equipe dele.

    Muitas vezes leio, por exemplo, que o time ‘y’ atuou com 3 atacantes quando não é verdade. Ele entrou com 3 atacantes de origem, contudo 2 deles se posicionaram abertos, na meia, e ajudaram nos desarmes.

    Cristovão Borges, treinador interino do Vasco, parece compreender isso muito bem.

    Jumar cuidou da marcação na lateral-esquerda para Felipe aparecer na meia e auxiliar Juninho e Felipe Bastos na criação.

    Na hora da saída de bola defensiva, Felipe se transformou em lateral.

    Na prática, o Vasco não ficou desprotegido ali, apesar de não contar com o boleiro capaz de executar ambas as missões.

    No contragolpe

    Leão montou o São Paulo para se defender e contragolpear.

    Utilizou o 3-5-2 conservador, estático, previsível, simples, sem inversões de posição para confundir o adversário..

    Xandão, apesar de não ter a caraterística para ficar na sobra de João Felipe e Rhodolfo, lá atuou.

    Pirís marca razoavelmente bem e peca no apoio por falta de qualidade técnica. Juan costuma não fazer nenhuma das funções de forma correta.

    O time dependia deles para os cruzamentos em direção do Willian José, o centroavante de área.

    Os alas, na hora que o soprador inciou o jogo, ficaram na mesma linha dos volantes Wellington e Carlinhos. Os 4 protegeram o trio de zaga.

    Lucas e Marlos, os meias, jogaram pelos lados, cooperaram nos desarmes e ainda tinham a responsabilidade de cuidar dos contragolpes.

    Willian José não tem velocidade para executar os lances de velocidade na frente.

    Iniciativa vascaína

    Em casa e diante de seus torcedores que lotaram São Januário, o Vasco tomou a inciativa.

    Marcou a saída de bola sob pressão e impediu o rival de sair da defesa trocando passes.

    Mais bem preparados na parte tática e donos do meio-campo capaz de prender a gorduchinha, os vascaínos ficaram trocando passes na frente.

    Capenga e pouco criativo no 1 ºt

    A superioridade não se transformou em chances claras de gols.

    Os cruzmaltinos não encontraram espaço em meio ao congestionamento armado por Leão e usaram o lado direito do campo como alternativa de articulação ofensiva.

    Jumar, sem qualidade no apoio, e Felipe, muito centralizado, não deram opção de avanços na esquerda.

    Allan apoiou bastante, mas sem qualidade. A ausência de Fagner foi sentida.

    E Éder Luis do lado direito no ataque também deixou a desejar.

    Equilibrado

    O primeiro tempo foi equilibrado

    O São Paulo chutou mais em gol.

    Ambos os times levaram algum perigo contra os gols de Fernando Prasse e Denis, porém não houve oportunidades claras.

    Os visitantes falharam nos contra-ataques pelas mesmas razões de quase sempre.

    Marlos errou passes demais e Lucas tentou, em vão, jogadas individuais e arremates em gol.

    São Paulo muda posicionamento defensivo

    O Vasco voltou para o segundo tempo atuando da mesma forma.

    Leão repetiu a escalação, contudo adiantou o sistema defensivo.

    Os visitantes também pressionaram a saída de bola.

    Individualidade gera melhor chance

    Allan, aos 3 minutos, driblou Juan com muita facilidade, entrou na área e de frente para Denis chutou.

    O goleiro evitou que o Vasco ficasse em vantagem.

    O lance individual foi a exceção na partida.

    A mudança de postura do São Paulo não mudou a cara do equilibrado confronto.

    Várias mudanças em pouco tempo

    Os treinadores mexeram bastante nos times

    Aos 15, Juninho se machucou e Nilton o substituiu.

    A alteração seria medrosa se Cristovão Borges 5 minutos depois não tivesse colocado Bernardo no lugar de Jumar.

    O reserva é meia e se posiciona mais perto dos atacantes que os outros atletas da equipe.

    Aos 21, o comandante cruzmaltino tirou Felipe e colocou o zagueiro Douglas.

    Leão também também mudou o time.

    Tirou Marlos aos 19 e colocou Cañete, meia que joga bem perto dos atacantes.

    Aos 23, Lucas deu lugar ao centroavante Henrique.

    Aos 24, Rivaldo foi a campo na vaga de Willian José.

    O veterano e o argentino fizeram as funções de Lucas e Marlos, contudo de maneira diferente.

    Ambos prendem a mais a bola e Rivaldo é lento, diferentemente dos titulares que não foram bem de novo.

    Vasco cresce. Denis também

    Depois das alterações, o Vasco cresceu e criou chances de balançar as redes.

    Aos 29, Elton subiu livre, cabeceou cara-a-cara com o goleiro, que defendeu.

    Aos 30, Denis fez um milagre ao impedir a dita cuja de entrar depois de outro cabeceio de Elton.

    O Vasco seguiu, em vão, pressionando até o final.

    Teve a missão simplificada porque Cañete se machucou e Leão já havia alterado o São Paulo três vezes.

    Os rivais agradecem

    O empate sem gols permitiu ao Corinthians igualar o número de pontos do Vasco. Nos critérios de desempate, a equipe de Tite está na frente.

    O São Paulo sabia que precisava ganhar para não se distanciar de quem está na região de classificação da Libertadores.

    Não conseguiu, deixou Fluminense e Botafogo abrirem maior vantagem de pontos, e teve como consolo a derrotado Flamengo, única equipe que o time do Morumbi pode ultrapassar na próxima rodada.

    Escrito por Vitor Birner às 17:14

  10. Tri-Mundial Says:

    O negócio é começar a planejar 2012.
    Se Deus quiser com Felipão ou mesmo o Leão.

    Lina: Qualquer um dos dois, vai precisar de material humano em 2012. Esse time dificulta demais qualquer pretensão…

  11. Radar Soberano Says:

    Com dores na coxa, Juan só deve treinar com grupo na quarta-feira

    O Reffis, centro de recuperação do São Paulo, está cheio. Além de Rogério Ceni, Luis Fabiano, Casemiro e Cañete, o lateral-esquerdo Juan também ficará em tratamento até o meio da semana. Ele sente dores na parte anterior da coxa direita, mas não deve ser problema contra o Bahia, sábado, em Pituaçu.
    – O Juan disse que chegou a jogar com dores contra o Vasco, mas era uma dor suportável. Ele ficará em tratamento e deve treinar com todo o grupo na quarta-feira – explicou o médico José Sanchez.
    O mesmo deve acontecer com Ceni e Fabuloso. Segundo Sanchez, ambos se recuperam bem de seus edemas e podem treinar na quarta-feira no gramado. Caso isso não aconteça, as chances de viajarem para Salvador já na sexta-feira diminuem.

    Por outro lado, Casemiro está descartado. O volante ainda se recupera de um estiramento na coxa direita, e ficará no Reffis durante toda a semana.

    Lina: Isso é reforço

  12. Radar Soberano Says:

    Vice do SP diz que se arrependeu de vender Arouca e crê em volta futura de Muricy

    O vice-presidente de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, mostrou sentimentos distintos em relação a duas pessoas que estão no rival Santos, o técnico Muricy Ramalho e o volante Arouca.

    Sobre o meio campista do Santos, Jesus Lopes admitiu que o bom futebol apresentado por Arouca fez ele mudar seu pensamento em relação ao jogador. “Me arrependo de ter negociado o Arouca com o Santos”, declarou ao programa Jogo Aberto, da TV Bandeirantes, em sua versão na internet.

    Já a respeito do técnico Muricy Ramalho, que foi demitido em 2009 após ter sido eliminado pelo Cruzeiro na Libertadores, o dirigente diz não se arrepender da demissão, mas acredita em uma continuidade do trabalho do treinador no futuro. “Foi um até breve. Ele voltará a dirigir o São Paulo”.

    Após o empate sem gols contra o Vasco neste domingo, o técnico Emerson Leão dedurou que o atacante Dagoberto já tem um pré-contrato assinado com o Inter. Mas Jesus Lopes revelou que o São Paulo ainda não foi informado disso. “Temos apenas indícios que ele vai sair”.

    Sobre Leão, não faltaram elogios. O dirigente deu a entender que haverá uma continuidade do trabalho do treinador em 2012. “A gente precisa do Leão e o Leão precisa da gente”.

    Lina: Que beleza…

  13. Radar Soberano Says:

    Leão sobre mau momento de Lucas: ‘Falta confiança’

    Vendo de perto o mau momento de Lucas no São Paulo, Emerson Leão já está tomando medidas para recuperar o bom futebol do garoto. O treinador revelou que tem conversado com o jogador e que a falta de confiança é o que tem feito ele render abaixo do esperado.

    – É um menino que nesse momento perdeu o “time” (tempo). Só vai recuperar quando voltar a confiança. Ele não está tendo a chance de resolver, como é o esperado. Ele tem que jogar mais aberto e já estou conversando com ele. Eu estou lá há uma semana e vejo que ele está melhorando – disse, em entrevista ao canal SporTV.

    O comandante são-paulino também afirmou que a comparação com Neymar que o camisa 7 sempre sofreu, prejudica em alguns momentos. Para ele, o santista amadureceu precocemente e por isso está um passo a frente de Lucas.

    – O Neymar levanta a cabeça, calcula quanto vai percorrer com ela abaixada e só levanta na hora do chute, ele já consegue isso. Já o Lucas ainda perde tempo com a cabeça baixa, o “time” (tempo) de levantar e abaixar, ele vai ganhar com o tempo. O Neymar conseguiu isso mais rápido – explicou.

    – O Lucas falta definir na hora certa, às vezes demora um pouco para tomar a decisão certa. O potencial dele é muito grande. Tem a velocidade muito grande, igual ao Neymar. Tem um chute bom, mas às vezes chuta quando não precisa, falta a hora certa – completou o treinador.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: