O São Paulo Futebol Cascudo Está de Volta

Salve Soberania !

Quem acompanha o blog sabe que desde a saída do técnico Ricardo Gomes, o nome do técnico Emerson Leão sempre foi lembrado por aqui.

O problema do Tricolor, é aquilo que chamam de “zona de conforto”.

Muitos jogadores do time estão vivendo a glória de suas conquistas pessoais: assinar com um clube gigante, onde o mês tem 30 dias, ótimos salários e estrutura. O ápice da carreira. A tendência, é a acomodação.

Tirar os jogadores do São Paulo deste lugar vizinho ao fracasso ( o time está em sexto lugar na tabela de classificação ), é tarefa para treinadores com pulso firme, enérgicos e disciplinadores.

Dentre os que passaram pelo clube na era pós-Muricy, o Carpegiani talvez tenha sido o que mais se aproximou deste perfil, coincidentemente, foi com ele que o São Paulo teve seu melhor desempenho no ano: 5 vitórias seguidas no início do campeonato brasileiro.

Portanto, a escolha de Emerson Leão para o comando técnico do time neste momento em que “precisamos” terminar o campeonato no G4, é acertada.

O técnico assina um contrato de risco até dezembro, com possibilidade de extensão.

Benvindo e boa sorte !

Leão no São Paulo:

Aproveitamento:
45 jogos, com 27 vitórias, 12 empates e apenas seis derrotas – aproveitamento de 68,8% dos pontos disputados.

Média:
Desde a sua saída, nenhum técnico teve desempenho melhor no comando do São Paulo. Muricy Ramalho, tricampeão brasileiro, fez 64,4%. Paulo César Carpegiani, que treinou o time em 2011, obteve 66,6%.

Estreia:
8/9/2004: Paraná 0 x 2 São Paulo (GOLS: Rodrigo e Danilo).

Maior vitória:
28/9/2004: São Paulo 7 x 0 Paysandu (GOLS: Cicinho (2), Nildo, Grafite (2), Souza e Jean Carlos)

Títulos:
Campeonato Paulista de 2005 – 19 jogos, 14 vitórias, 3 empates e duas derrotas – aproveitamento de 78,9%.

Clássicos:
Contra as equipes grandes de São Paulo, Emerson Leão disputou oito jogos no comando do São Paulo – quatro vitórias, três empates e uma derrota – 62,5%.

Último jogo:
17/4/2005: Mogi Mirim 1 x 2 São Paulo (GOLS: Grafite e Souza).

Relacionados

Emerson Leão é o novo técnico do São Paulo

Emerson Leão: desempenho de campeão no Tricolor

Émerson Leão é o novo técnico do São Paulo

Emerson Leão dirige o time contra o Libertad e diz: “Vou à luta”

Pró-Memória: Marco Aurélio faz críticas a Juvenal e sugere Leão para técnico do São Paulo

Leão: a melhor opção do momento

Antes do treino, Emerson Leão conversa com grupo tricolor

Emerson Leão comanda primeiro treino no Tricolor

***(*) ******(*)

Anúncios

20 Respostas to “O São Paulo Futebol Cascudo Está de Volta”

  1. Radar Soberano Says:

    Chinelinhos

    http://terratv.terra.com.br/videos/Esportes/Futebol/Campeonato-Brasileiro/5015-381098/Rogerio-Ceni-se-exalta-e-berra-em-prelecao-veja.htm

    • Sidney Says:

      Parece que todos estão surdos, assinaram belo contrato agora que se dane o Clube, Seleção Brasileira últimamente é um mal para o São Paulo. esse tal de Lucas tinha mais é que chamar o seu Empresário e cobrar produção.

      Lina: O SPFC é que deveria fazer contratos baseados no rendimento. Ai acabava a folga.

  2. Radar Soberano Says:

    O duro recado de Rogério Ceni foi para Casemiro?

    21 de Out. de 2011 às 17:01, por [ Menon ] [ @blogdomenon ]

    Rogério Ceni acredita que alguns jogadores do São Paulo não têm o comprometimento que o clube merece. E deixou isso bem claro na preleção que fez antes do jogo contra o Ceará, dia 17 de setembro, quando o time venceu por 4 a 0. Vejam o link abaixo.

    http://terratv.terra.com.br/videos/Esportes/Futebol/Campeonato-Brasileiro/5015-381098/Rogerio-Ceni-se-exalta-e-berra-em-prelecao-veja.htm

    Ele fala sobre o São Paulo e a seleção. “Seleção é bom:? É bom, mas estão lá por causa daqui. Aqui é minha vida. Aqui é a vida de cada um de vocês. Então (muito exaltado) esse é o jogo mais importante da minha vida. Esse é que eu quero ver. Esse é que eu quero ganhar. Então, vamos lá ganhar essa porra”.

    O recado tem toda a pinta de não ser genérioc. Se for, é muita coincidência. A lógica índica que Ceni estava falando com Casemiro. No dia 12, ele havia estreado na seleção brasileira contra a Argentina. E, antes da partida, dissera o seguinte. “É o jogo da nossa vida, mais um clássico”. (http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2011/09/artilheiros-da-selecao-revivem-emocao-de-estrear-contra-argentina.html)

    O São Paulo ganhou por 4 a 0 e Casemiro fez um golaço. Foi o último bom momento de clube e jogador antes da crise que terminou com a demissão de Adilson Batista.
    A bronca do goleiro com atitudes que considera desinteressadas de alguns jogadores não vem de hoje. Aislan, zagueiro que atua no Guarani, revelado pela base do São Paulo, levou há dois anos, uma bronca enorme do goleiro. O diálogo foi assim.

    “Aislan, você vai ter uma chance agora. Tem de aproveitar”
    “Não vai dar, Rogério. Estou com dores nas costas”
    “Como assim? Está todo mundo machucado, você pode entrar, mostrar serviço e garantir um lugar. E não vai por causa de dores nas costas”.
    Aislan não foi. Quando o contrato terminou foi dispensado. Não aproveitou a chance.

    Há uma reserva entre dirigentes do clube em relação a alguns jogadores criados em Cotia. Acreditam que tem tudo na mão, não passam por dificuldades e que chegam ao profissional já ganhando um bom salário. Muitos defendem que devam ser emprestados para “sofrerem” um pouco antes de jogar no time de cima. Outros sonham com a contratação de jogadores de times menores, como Ralf e Paulinho, pouco badalados e de muito sucesso no Corinthians.

    Rogério vive um dilema. Seu contrato termina no final de 2012. Ele gostaria de renová-lo, mas apenas se continuasse a ter condições de sonhar com títulos. De preferência, da Libertadores, seu campeonato preferido. E, quando percebe que o descaso de quem conseguiu menos de 0,1% das suas glórias, reage com dureza.

    • Sidney Says:

      Não sei a data da divulgação desse video, mas pode ter certeza que a imprensa Amestrada irá falar que Rogério Ceni é quem manda no Morumbi e que o Técnico ou ?, não manda nada.

      Lina: Foi logo depois da convocação do Casemiro pra seleção. Era o Adilson Batista.

  3. Radar Soberano Says:

    Urge, e ruge, um tratamento de choque no Morumbi

    Na última “Tabelinha” aqui na TV UOL o nome de Emerson Leão foi citado por um internauta como a solução que o São Paulo poderia buscar para dar um tratamento de choque em seus mauricinhos, quer dizer, seus jogadores.

    E os dois tabeladores concordaram que seria uma boa.

    Porque o time tricolor está evidentemente acomodados e vai ver agora o que é bom para tosse.

    Leão pode não ser uma solução para muito tempo, mas, provavelmente, porá o São Paulo para morder tanto na Copa Sul-Americana como no Brasileirão.

    Vai que consegue ganhá-los.

    Ouve-se um rugido no Morumbi.

  4. Radar Soberano Says:

    Juvenal cede e aposta na medida paliativa chamada Leão: São Paulo continua em busca do treinador para 2012

    Birnadas, De primeira

    De Vitor Birner

    Paliativo

    A direção do São Paulo não pretende ver Leão no comando do time em 2012.

    A escolha dele é uma medida paliativa para lidar com a acomodação e mimos de parte do elenco.

    A cartolagem continua em busca de outro técnico.

    Os preferidos foram citados, semana passada, neste blog.

    Juvenal cedeu

    Juvenal Juvêncio era diretor de futebol do São Paulo na passagem anterior de Leão pelo clube (2005).

    O treinador gerou alguns problemas por causa das crises de nervos e por tratar mau alguns funcionários do CT.

    O atual presidente são-paulino ficou com impressão ruim do técnico.

    Dava para dizer que a chance de eles trabalharem juntos, por opção de Juvenal, era ínfima.

    “Quase zero”, tal qual uma fonte me falou faz alguns dias.

    Mas o momento futebolístico, as necessidades do time, e a impossibilidade de contratar agora o técnico que deseja, levaram Juvenal a aceitar Leão até dezembro.

    Incendiário

    O São Paulo começou o brasileirão com elenco mediano (sem volante de marcação, lateral-direito, centroavante e cheio de promessas) e resultados bons.

    E ameaça terminar o campeonato com bom elenco, pois se reforçou bastante e alguns jovens ganharam experiência, e resultados ruins.

    Quem vê os jogos do time percebe a falta de personalidade e até de motivação, apesar do excelente tratamento dispensado aos atletas.

    A contratação de Leão até o final da temporada é o antídoto que a direção decidiu usar para tentar acabar com a vida mansa de certos profissionais.

    O experiente treinador não é grande conhecedor de tática. Sabe montar times, mas não de acordo com o estilo do adversário.

    O ex-goleiro está por baixo, não é técnico de ponta faz alguns anos. A escolha teria sido absurda se as coisas estivessem bem no Morumbi.

    Não foi contratado para ‘apagar incêndios’, tal qual se diz no ‘futebolês’.

    A idéia é botar fogo no elenco. Transformar a acomodação em tensão.

    E sem demora.

    Tiro no escuro

    Dentro de campo, não há como prevêr a reação dos jogadores nem os pensamentos do novo treinador sobre o atual grupo de atletas.

    Como não se trata de um estudioso do futebol, Leão pode tirar qualquer conclusão sobre quem escalar.

    A chance de o time se recuperar ou afundar de vez agora é bem maior que a de manter o marasmo, o tédio futebolístico atual.

    Fundamental

    Os analistas de resultados devem entender uma coisa.

    Nem se o São Paulo vencer os todos os jogos restantes do Brasileirão e da Copa Sul-Americana (obviamente não acontecerá) a direção deve apostar em Leão para 2012.

    A tentativa é válida agora porque o time não corre risco de cair e o futebol demonstrado tanto impede a conquista do título da segunda divisão continental quanto dificulta a presença na zona de classificação da Libertados no Brasileirão.

    Você sabe como as coisas funcionam.

    Os bons resultados geram elogios da opinião pública, ela pressiona, e os dirigentes cedem.

    Isso não pode acontecer.

    O treinador tem prazo de validade independentemente do desempenho na curta empreitada.

    Escrito por Vitor Birner às 13:14

  5. guinablog Says:

    Agora vai!!!!!

    Lina: Você gostou ou não ? Eu acho o Leão um bom treinador…

  6. Michel Toniato Says:

    Sei não Lina, sei não…

    Lina: Toniato, olha o caminho: Leão, Autuori, Libertadores e Mundial. Amém.

  7. blogdoluchetta Says:

    Lina, nunca gostei do Leão, mas desta vez parece que não tem jeito.
    De tanto tempo que acompanho futebol, o São Paulo, não me lembro de um grupo de jogadores tão acomodados, totalmente sem alma.
    Se tiver que mandar todo mundo embora, que mande. Começa tudo de novo, com os cascudos do Leão.
    Abraço,

    Lina: Luchetta, não é um primor de treinador, faz o arroz com o feijão, como diz o Birner. Mas faz a rapaziada correr. A receita é essa: Leão, Autuori ou Felipão ( meu preferido ), Libertadores e Mundial.

  8. Marcelo Abdul Says:

    Vamso ver qual vai ser o Leão que treinará o São Paulo nos próximos meses. O cara que foi campeão paulista em 2005 ou o treinador que foi mal nos últimos anos. Acho que a parada dele foi até importante para uma reciclagem. E já que o tricolor busca uma vaga na Libertadores do ano que vem nada como um treinador como o Leão.

    Mas eu acredito que o problema principal tá no elenco composto por mimadinhos e que não sabem nem dar um passe ou chutar uma bola. Alguns não tem nem mesmo noção de poscionamento em campo. Se o Leão corrigir isso já vai ser meio caminho andado. Mas que é uma outra aposta do Juvenal isso é. E ele já perdeu até as calças.

    Lina: Abdul, se não der certo com o Leão, ninguém mais resolve. O problema notório é o chinelo. Então, neste caso, é o nome mais apropriado. Acho que o tempo que ele ficou parado ajudou, tanto que ele está maleável nas entrevistas, mas ainda afiado. A essência é a mesma, quem sabe com mais auto-controle agora. Tô botando fé no cara. Abraços

    • José Roberto Says:

      Grandes Lina e Abdul.
      Estou afastado por motivos de saúde, mas vou dar um pitaco nesse assunto.
      Conheço bem o Leão, estudamos juntos na FEFIS, o cara é f___! É o que ele quer e pronto, não tem negociação.
      Agora, os chinelinhos que se cuidem, e ele sabe muito bem quem é quem.
      Na sua primeira passagem pelo clube na minha opinião foi não dar chances ao Falcão do futsal, ali mostrou que quem manda no elenco é ele, não fez as vontades do presidente MPG.
      Vocês lembram como o time voava baixo, marcava a saída de bola ainda no campo do adversário era um time pegador.
      Agora, quero ver neguinho perder a bola e dar uma de Migué inclinando o corpo para frente ajeitando a meia para não correr atrás do adversário.
      Título? já era.
      Classificação para Libertadores? Só por milagre.
      Limpeza no elenco? Começou ontem.
      Vocês vão ver a correria daqui pra frente.!

      Lina: Acho que pra Libertadores ainda temos tempo. Se ele tivesse escolhido o Leão no lugar o Adilson, já teriamos a vaga assegurada e quem sabe lutando pelo título, mas isso já é advinhação. KKKKK. Correria e vontade não faltarão, e é isso que precisamos. O que aconteceu com vc ? Melhorou ? Abraço

      • José Roberto Says:

        Se bobearem ele coloca o time de quarentena no CT.
        Ele chegou com fala mansa, mas foi só na entrevista, o primeiro a ser chamado à responsabilidade foi o preparador físico, nesse ponto ele é muito exigente porque como atleta treinava muito. O que mata no Leão é que gosta de dar muitos palpites, até no serviço de segurança e portaría, mas na atual conjuntura tudas suas manias serão toleradas.
        Tem que fazer é aqueles merdas se empenharem mais.
        É um técnico com data de validade.

        Lina: Concordo que tem prazo de validade, é o que dizem, mas veio na hora certa.

  9. Radar Soberano Says:

    Quem vai rugir por último?

    Ter, 25 de Outubro de 2011 09:32. | |

    Emerson Leão chega no Tricolor com duas missões: colocar ordem na casa e conquistar vaga na Libertadores

    Para conquistar uma vaga na Libertadores e salvar a temporada, o São Paulo acertou nesta segunda a contratação de um novo treinador. Preocupada com a queda de rendimento da equipe, sem vencer há sete confrontos no Campeonato Brasileiro, a diretoria tricolor resolveu apostar em um técnico com pulso forte: chamou Emerson Leão.

    Após o empate sem gols contra o Coritiba, no domingo, o diretor de futebol são-paulino, Adalberto Batista, disse, inclusive, que faltava comprometimento a alguns jogadores.

    “O Leão se encaixa perfeitamente no que desejamos. É um técnico vitorioso, de comando e com forte identificação com o torcedor. Além disso, é claro, temos como referência seu excelente trabalho deixado no passado”, afirmou Batista.

    MORAL/ Entre 2004 e 2005, Leão trabalhou no clube do Morumbi e conquistou um Campeonato Paulista. “Embora tenha tido uma passagem rápida, ele nos levou à Libertadores, foi campeão e, depois, deixou uma equipe montada para sermos campeões da Taça Libertadores e do Mundial de Clubes da Fifa”, acrescentou o vice-presidente de futebol do Tricolor, João Paulo de Jesus Lopes.

    Afastado do futebol desde o começo do ano passado, quando deixou o Goiás, Emerson Leão tem uma excelente oportunidade para dar a volta por cima na carreira e voltar à linha de frente dos treinadores do país.

    Por isso, ele até aceitou as condições impostas pelo São Paulo e assinou contrato válido somente até o fim do ano. No entanto, se conquistar uma vaga na Taça Libertadores de 2012, deverá ter o vínculo renovado com o clube do Morumbi.

    Apresentado nestas segunda no CT da Barra Funda, Leão já treinou o time para o duelo desta quarta, contra o Libertad, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. No confronto de ida, em casa, o São Paulo venceu por 1 a 0.

    Opinião
    Marco Aurélio Cunha,
    Vereador e ex-diretor do Tricolor

    ‘Sem dúvida, era a hora do Leão’
    Fiquei muito satisfeito com a contratação de Emerson Leão. Trabalhamos juntos no São Paulo e ele mostrou muita competência na primeira passagem pelo clube. Cada treinador tem um momento certo para ser contratado. Dependendo da situação da equipe, um técnico pode ser melhor do que o outro. Sem dúvida, era a hora do Leão. Faltando sete partidas para o término do Campeonato Brasileiro, ele pode ser a solução para colocar o time no caminho certo. Leão impõe respeito e os jogadores sabem que precisam mostrar serviço. O futebol do São Paulo deverá melhorar agora.

    João Pontes, Diário de São Paulo

  10. Radar Soberano Says:

    Tratamento de choque

    Ter, 25 de Outubro de 2011 08:34. | |

    Confira

    Tratamento de choque. “É para dar um choque.” Essa foi a frase usada por Juvenal Juvêncio para definir o que espera de Emerson Leão. As características do treinador justificam a escolha: “É um técnico de foco, com espírito aguerrido, tem jeito rústico”, disse o presidente são-paulino. Os alvos do “choque”, para Juvenal, não são só os jovens, mas também os experientes do elenco, que não rendem o esperado. “Vamos ver como o time irá se comportar.”

    Reflexo. Os humildes resultados do time sob o comando de Milton Cruz -vitória por 1 a 0 contra o Libertad-PAR e empate em 0 a 0 ante o Coritiba, ambos em casa- motivaram o presidente são-paulino a não demorar para contratar um técnico efetivo.

    O passado… Leão discute até hoje valores referentes a seu último trabalho, no ano passado, no Goiás.

    …condena. De acordo com Marcelo Segurado, superintendente de futebol do Goiás, Leão já levou do clube mais de R$ 600 mil entre salários e luvas desde que foi demitido. Ainda move processo avaliado em R$ 1,8 milhão na Justiça do Trabalho local.

    Ufa. A notícia de que o São Paulo fechou com Leão trouxe alívio à diretoria do Palmeiras. Dirigentes estavam receosos com o interes-se do rival por Luiz Felipe Scolari, que está insatisfeito no Parque Antarctica.

    Um problema a menos. Agora, com o cargo ocupado no São Paulo, esperam que diminuam as notícias sobre a saída de Scolari. Dizem que esse era um dos pontos que prejudicavam a equipe.

    Folha

  11. Radar Soberano Says:

    Juvenal coloca jogadores do São Paulo na berlinda

    Ter, 25 de Outubro de 2011 08:29. | |

    Emerson Leão acertou sua volta ao São Paulo ciente de que sua passagem pelo clube tem prazo de validade curto.

    Mas não é apenas o treinador que está na berlinda. A diretoria são-paulina entende que, se a equipe não der resultado até o fim do ano, os jogadores serão os responsáveis pelo insucesso no ano.

    “Se até o final deste ano a equipe se mostrar impotente em relação aos resultados, conclui-se que o problema não é mais o treinador, mas o time”, declarou o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, ontem, à Folha.

    Com contrato até o fim deste ano, Emerson Leão, então, tem a chance de salvar não apenas a sua pele como também a de jogadores que não têm rendido o esperado.

    Ninguém no Morumbi, porém, imagina que o vínculo com o treinador possa ser estendido para o ano que vem.

    A reportagem apurou que o São Paulo continua em busca de um treinador de primeiro escalão para a próxima temporada. A intenção é aguardar as mudanças do mercado de dezembro para tentar buscar nomes como o de Luiz Felipe Scolari, Paulo Autuori ou Muricy Ramalho.

    “Sobre o ano que vem, depende deste ano. Cada um tem que demonstrar o dia a dia, a qualidade, o resultado”, afirmou Leão, ontem, em entrevista coletiva.

    João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, propaga que são grandes as possibilidades de Leão continuar no clube em 2012.

    João Neto – 24.out.2011/Divulgação Vipcomm

    Leão conversa com os jogadores no primeiro treino no São Paulo

    “A intenção é que ele fique. Isso fez parte da nossa conversa. Vamos sentar após a última partida da temporada. Se os resultados forem muito bons e ele estiver feliz com o trabalho, ele pode até se aposentar aqui”, disse o cartola.

    O discurso é o mesmo da apresentação de Adilson Batista, que também tinha contrato curto e foi demitido.

    Na realidade, o plano original da diretoria era manter o auxiliar Milton Cruz como interino o máximo de tempo possível, à espera de um dos “medalhões” desejados.

    Mas a sequência de sete jogos sem vencer no Brasileiro e a apatia mostrada nas duas partidas depois da demissão de Adilson Batista fizeram o clube mudar de ideia.

    Daí a contratação de um técnico desempregado há 14 meses –desde que deixou o Goiás “atirando” contra a diretoria–, mas com fama de chacoalhar ambientes e obter resultados rapidamente.

    São justamente essas as características que o São Paulo deseja para não ficar fora da Libertadores do próximo ano.

    Leão terá de oito a 14 jogos (se for à final da Copa Sul–Americana) para alcançar o objetivo de convencer a diretoria a mudar de plano e desistir de buscar outro técnico.

    Bernardo Itri e Rafael Reis, Folha

  12. Radar Soberano Says:

    Nem com títulos Leão se garantirá em 2012 no São Paulo

    Ter, 25 de Outubro de 2011 08:19. | |

    Diretoria acredita que técnico não tem o perfil para um contrato a longo prazo

    Emerson Leão chegou ao São Paulo nesta segunda-feira, mas não está garantido para a próxima temporada, nem mesmo se conquistar algum título neste ano. A diretoria continua de olho em Luiz Felipe Scolari, do Palmeiras, e na situação de Paulo Autuori, que está dirigindo a seleção olímpica do Qatar.

    Isso porque os cartolas entendem que Leão não tem o perfil ideal para um trabalho a longo prazo. Até por isso o contrato foi feito apenas até o fim de 2011.

    A diretoria tomou a decisão ciente de que pode criar um problema para si mesma. Caso o treinador seja campeão do Brasileirão ou da Sul-Americana, passaria a ter o apoio da torcida, o que colocaria os dirigentes em uma situação delicada. Mas, devido ao atual momento, decidiram correr o risco e, claro, torcem pelo sucesso do técnico.

    Publicamente o discurso é outro. Em entrevista coletiva após a do técnico Emerson Leão, João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, minimizou o fato do contrato ser curto.

    – Nós temos feito por temporada. Contratar com contrato de dez anos ou até o fim do ano, para nós, é a mesma coisa porque há muito tempo temos feito o contrato sem multa. Não existe nenhuma camisa de força no Leão para sair do São Paulo. E ambas as partes tem a liberdade para achar e agir como considera ideal – declarou.

    A fama de tampão não tira do treinador o desejo de seguir na próxima temporada no comando do São Paulo. Para isso, ele sabe que será preciso convencer nesses poucos jogos que tem pela frente até o término da temporada.

    – Depende deste ano. Então, cada um tem de demonstrar no dia a dia, a qualidade, e o resultado. O São Paulo me conhece. Conheço parte do São Paulo. Agora temos de unir as duas coisas e adiar qualquer pessimismo – enfatizou Leão.

    O mesmo fato aconteceu com Adilson Batista que tinha contrato só até o fim do ano, mas não conseguiu cumprir e foi demitido, após derrota para o Atlético-GO.

    Alexandre Lozetti, Bruno Quaresma e Marcio Porto, Lancenet

  13. Radar Soberano Says:

    São Paulo quer repetir efeito Leão para reconquistar “glórias máximas”

    Ter, 25 de Outubro de 2011 07:50. | |

    Quando Emerson Leão chegou ao São Paulo pela primeira vez, em 2004, o clube vivia um jejum e buscava retomar o caminho dos títulos importantes

    Títulos que haviam sido conquistados pela última vez no início da década de 1990. Seis anos depois da saída rumo ao japonês Vissel Kobe, o treinador volta em situação parecida e a diretoria espera que a história se repita.

    “Eu lembro que muitas circuntâncias daquele época são semelhantes às de hoje. Era um período de aquisição de novos valores, ajustes de comissão técnica e de time. A passagem dele, embora tenha sido rápida, nos levou à Libertadores. Fomos campeões paulistas e ele deixou uma equipe bem montada para que conquistássemos nossas glórias máximas”, disse o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes.

    Os dois sucessores de Leão colecionaram títulos. Paulo Autuori, substituto imediato, deu sequência à campanha já iniciada na Libertadores e faturou o título da competição sul-americana. No fim do ano, ainda sagrou-se campeão mundial antes de sair e abrir espaço para Muricy Ramalho, tricampeão brasileiro em 2006, 2007 e 2008 – o Tricolor não ganha títulos desde então.

    “Nesse momento nós vivemos muitas coisas iguais. Estamos numa posição semelhante à daquela época. Hoje estamos em sexto, antes estávamos em sétimo (no Campeonato Brasileiro). A vinda do Leão, com toda sua experiência, ja com conhecimento da nossa cultura, nos dá a expectativa de que ele consiga repetir o mesmo índice de aproveitamento (68,8%), o melhor que o São Paulo teve nos últimos dez anos”, acrescentou Jesus Lopes.

    A maior diferença entre os períodos é que, ao substituir Cuca em 2004, Leão teve 19 rodadas do Brasileirão para garantir a terceira colocação. Agora no lugar de Adilson Batista, são apenas sete rodadas para o fim da liga nacional. O técnico deu início à campanha são-paulina na Sul-americana daquele ano, mas perdeu para o Santos nas oitavas de final. Na nova passagem, pega o time já no segundo jogo da mesma fase, com vantagem de 1 a 0 sobre o Libertad.

    GazetaEsportiva.net

  14. Radar Soberano Says:

    Leão vê garotos são-paulinos como realidades, mas detecta inexperiência

    Ter, 25 de Outubro de 2011 07:47. | |

    Um dos melhores trabalhos da carreira de Emerson Leão como treinador foi no Santos, em 2002.

    Quando a segunda geração de Meninos da Vila faturou o título brasileiro, guiada por jovens como Diego e Robinho. Agora no São Paulo, ele se sente pronto para dirigir outras promessas do futebol brasileiro, como Lucas e Casemiro.

    “O treinador de uma grande equipe não precisa de recomendação em relação a garotos. Nossa obrigação é preparar sempre o futuro e às vezes o futuro é também o presente. Eles já passaram pela Seleção, não são mais garotos, são realidades”, comentou Leão.

    Entre os jovens são-paulinos, Lucas e Casemiro já defenderam a Seleção Brasileira principal, enquanto Bruno Uvini, Henrique, Wellington, Henrique Miranda e Willian José (o único que não foi formado em Cotia) têm passagens pelas divisões inferiores. Outras promessas do elenco são Luiz Eduardo e Rodrigo Caio.

    Apesar da experiência com a amarelinha, dos altos salários e da fama precoce, Leão ainda detecta certa falta de experiência e espera auxiliar os jovens com sua vivência. “Eles têm muito caminho para percorrer. Se você observar as idades desses jogadores, vai ver que estão em fase de aprendizado e qualquer ajuda é benéfica. Nós estamos aqui para ajudá-los”.

    O comandante fará sua estreia pelo Tricolor nessa quarta, no jogo de volta pelas oitavas de final da Sul-americana, contra o Libertad, no Paraguai. Wellington e Lucas devem ser titulares.

    GazetaEsportiva.net

  15. Radar Soberano Says:

    Palhinha desabafa como são-paulino: “Desse time, só sobra o Ceni”

    Ter, 25 de Outubro de 2011 07:38. | |

    Ex-atacante tricolor falou o que pensava.

    Cerca de meia hora depois de ter comentado com Vampeta que o Morumbi estava “cada vez maior”, Palhinha, aos 40 anos, encerrou nessa segunda-feira sua participação em um jogo festivo da Fundação Gol de Letra, comandada pelos ex-colegas de São Paulo Raí e Leonardo. Deixou o campo consciente de que sua irritação formada das tribunas do estádio era justa.

    Bicampeão mundial e da Libertadores pelo Tricolor em 1992 e 1993, o ex-atacante, mesmo após atuar em um palco ainda cheio de falhas por conta dos shows de Justin Bieber e Eric Clapton, ficou convicto de que nenhum dos jogadores que passaram a ser comandados por Emerson Leão merecem vestir a camisa que ele ama – com exceção de Rogério Ceni.

    Um bate-papo sobre a atual situação do time se tornou um sincero desabafo de torcedor. Começou com as comparações da pressão que o time pode receber nesta quarta-feira, em Assunção, contra o Libertad, pela Copa Sul-americana. “Principalmente em Libertadores, quando íamos ao Paraguai, colocavam caixas de som em cima do vestiário para evitar que conversássemos um com o outro, deixavam tudo fedendo. Mas, quando o time é bom, pode ter qualquer situação que qualquer lugar é bom para jogar.”

    Não é o caso do São Paulo atual na opinião do ex-atleta. Confira a conversa com Palhinha, que até abriu mão da carreira de empresário por não suportar jogadores como os que vestem a mesma camisa com a qual ele fez sucesso no início dos anos 1990.

    O que você achou da contratação do Leão?
    O São Paulo precisa mudar muita coisa. Contrataram mal em todos os sentidos. O time precisava de uma equipe melhor. O Leão, com sete jogos para terminar [o Brasileiro], não vai fazer praticamente nada. Está vindo em uma fogueira. Os jogadores que estão aqui ainda não sabem o que é a camisa do São Paulo.

    A diretoria é a principal culpada?
    Para quem viu o São Paulo sempre bem montado, o que precisa são os jogadores atuais olharem um pouquinho para a história, ver os times que o clube tinha, o respeito que havia pela camisa. Hoje, ganhar ou perder está dando igual. Eu, que venho ao estádio torcer pelo São Paulo, vou embora sempre chateado.

    Para você, então, tanto faz para os jogadores do São Paulo: ganhar ou perder?
    Nós os acostumamos mal. Ganhávamos sempre. Podíamos perder, mas sempre honrávamos realmente a camisa do São Paulo. Que me desculpem os jogadores que estão aí, mas muitos deles não têm qualidade para jogar com a camisa que estão jogando. Esse é o time do São Paulo. E nós, que fizemos um pouquinho para o clube ter os méritos de hoje, ficamos chateados. Deve se pensar muito para que, no ano que vem, o São Paulo tenha um time melhor.

    Por serem jovens, ainda há salvação?
    Não é questão de ser jovem. Tem que ser profissional. Se ele não joga no São Paulo, que tem toda a estrutura e dá condição para desenvolver seu futebol, imagine em clube que não der… Não vai jogar em lugar nenhum. Se não joga em um campo desse [falou, apontando para o gramado do Morumbi], estão brincando com coisa séria.

    O ideal seria trocar de time?
    Trocar todo mundo. Deixa o Rogério e, do resto, só um ou outro. E é muito pouco, hein? É muito pouco. Deveriam respeitar muito mais a camisa do São Paulo. O torcedor ficou mal-acostumado. O São Paulo teve vários times bons, honrando seu nome, e hoje não se vê isso.

    Você demonstra uma tristeza como torcedor…
    O problema do futebol é que muitos que comandam nunca entraram em campo, nunca treinaram, não sabem o que é isso. Colocam pessoas que não têm qualidade para cuidar dos times. Quem é o presidente do Vasco hoje? Roberto Dinamite, cara. Olha o nível, o jogador que foi. Tem um cara lá que cuida, que é o Rodrigo [Caetano, diretor de futebol], que jogou futebol, que viveu isso, estudou, foi se profissionalizando. O Ricardo [Gomes, treinador] chegou lá, ajeitou o time dentro de campo. E os jogadores colocam isso na cabeça porque tiveram exemplo. É tão simples. Não é difícil. Futebol não tem segredo, é trabalhar. Hoje, existem vários jogadores em times grandes que, quando acaba o treino, nem tomam banho. Eles saem correndo para ir embora. Vai jogar onde? Não joga em São Paulo, Flamengo, Vasco, Corinthians, Palmeiras… E vemos essa tristeza que está hoje.

    É muito dirigente de ar-condicionado no futebol?
    Sempre teve. Mas também sempre houve pessoas como treinadores e gente no campo que sabem como funciona isso aqui [falou apontando para o gramado novamente]. Jogar futebol não é só entrar em campo. Talvez seja por isso que o Palhinha está deixando o futebol. Não sirvo porque não aceito a forma como trabalham.

    Você gostaria de participar mais ativamente do futebol?
    Não participo porque não quero. Para participar um pouquinho, com o nome que conquistei como profissional… Pode levantar minha ficha em todos os grandes clubes por que passei. Posso falar de cabeça erguida que vou a jogos de São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Santos, e nunca fui desrespeitado em lugar nenhum porque quando jogava respeitava o adversário e ainda mais a camisa que eu vestia.

    GazetaEsportiva.net

  16. José Roberto Says:

    Lina.
    Com a cirurgia de intestino (gastroplastia) feita em 25/11/2010 emagreci até o momento 56 quilos, com isso perdi muita massa muscular, resultado, fraqueza e algumas quedas, já levei 3 tombos na rua.
    Tenho perda de proteinas o que promove inchaço nos membros inferiores, se fico 1 hora sentado em frente ao computador parece que vou estourar.
    Agora vou fazer musculação e hidro-terapia.
    Por isso minha ausência.
    Mas vou melhorar se DEUS quiser.
    Um abraço

    Lina: Já melhorou cara. DEUS quer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: