Archive for setembro \30\UTC 2011

Rapidinhas do Lina

30/09/2011

Entre brigar e bater o penalti, eu preferi ajudar na briga” – Luis Fabiano em 2003

STJD – Não é de hoje que o STJD costuma dar uma mãozinha para o Botafogo de Palha. No jogo contra o São Paulo, objetos foram lançados para dentro do gramado pela torcida local. O árbitro relatou na súmula, vamos ver no que vai dar.

Diverticulite x Consciência – Com essa internação de urgência do cancro do futebol brasileiro, eu entrei em guerra comigo mesmo. Fico entre desejar que esse lixo desapareça da face da terra e entre não desejar nada, deixando que o destino cuide de tudo. Como é duro ter consciência…

Breno e Rhodolfo – Diziam à boca pequena, mas nada confirmado, que o jogador voltaria para o clube em 2012. Não sei se procede, mas vamos dizer que sim. Se o Breno for condenado, acho que atrapalharia e muito seu retorno para o clube no próximo ano. Quem sairia perdendo seria o Rhodolfo e a Juventus, que insiste em contar com o zagueiro.Portanto se o São Paulo não conseguir repatriar o Breno, certamente não vai se desfazer do Rhodolfo.

Dagoberto – Eu já tinha ouvido a respeito do assunto e até comentei que se fala muito por aqui, sobre o tal acordo verbal que o jogador teria com o Santos. O blog do Menon confirma as especulações e diz que quem passou a informação para alguns jornalistas teria sido o Pelé. Como diz o ditado, onde há fumaça, há fogo.

Fabuloso – Finalmente vai estreiar. Como os estudiosos da bola afirmam que com ele jogando o time vai melhorar de rendimento, a torcida fica nesta expectativa monstruosa a ponto de acabar com todos os ingressos colocados a disposição.

Morumbi, 51 anos – Tão contestado, tão invejado, tão humilhado e tão querido. Domingo, 2 de outubro,  é aniversário da nossa casa. E coincide com a estréia do Fabuloso. 62 mil ingressos vendidos e a promessa de uma festa digna do tamanho da sua história. Parabéns Morumbi ! É NOSSO, SÓ NOSSO !

Cotia – Quase caí  da cadeira quando li a notícia que dizia: Com o Morumbi fora, São Paulo não quer nada com a copa. O CFA é um dos lugares aprovados pelo COL para receber seleções. É isso mesmo, não tem que ceder nada pra essa gente. Eles que se virem. Espero que o que foi publicado no artigo seja realmente verdade, se for, parabéns a diretoria pela decisão.

Fora de hora – No momento em que o São Paulo começa a dar mostras de um bom futebol, como o do segundo-tempo da última partida contra o Botafogo no Engenhão, surge esta notícia que o presidente sãopaulino deve se retirar do comando do clube imediatamente. Logo agora que o Fabuloso está de volta e o time tem, teoricamente, tudo pra deslanchar de vez no campeonato, a diretoria do clube vai ter que gastar energias com cachorro morto, quando deveria olhar apenas para o time.

Fora de hora 2 – Acho que esse pessoal ainda não engoliu o placar da última eleição: 167×3 para o Juvenal. Algumas coisas são básicas para quem quer ser presidente de um clube deste tamanho, uma delas é saber ganhar e saber perder, faz parte do jogo. Mas pelo visto, falta muito gabarito e esportividade pra esse pessoal…

Crédito da Imagem: Tumblr São Paulo FC

***(*) ******(*)

Lei Geral da Copa: Vale Tudo Para a FIFA?

30/09/2011

Por Raquel Rolnik

Sob forte chantagem da Fifa, que ameaça cancelar a realização da Copa do Mundo no Brasil caso o país não aceite todas as suas exigências, o Congresso Nacional começa a discutir a Lei Geral da Copa, criação de verdadeiro regime especial, paralelo e sobreposto à legislação em vigor no país.

A lei trata de exclusividades e privilégios de que a Fifa deve gozar – desde o estabelecimento do preço dos ingressos, vistos de entrada no país para competidores e espectadores, exclusividade no marketing e na transmissão dos eventos e até a tipificação de novos crimes e novas varas para julgá-los.

Em suma, para poder sediar a Copa entre “o vigésimo dia anterior à realização da primeira partida e o quinto dia após a realização da última partida”, ou seja, por quase dois meses, passamos a ser geridos pelas leis da Fifa, entidade privada, com um currículo nada marcado por valores como lisura, ética, democracia ou respeito aos direitos humanos.

De acordo com estas leis, por exemplo, nos chamados “locais de competição”, que incluem – pasmem! – não apenas os estádios, mas também todos os locais onde ocorrerão transmissão de partidas com ingressos pagos, áreas “de lazer destinada aos fãs” (?!) localizadas OU NÃO nas cidades que irão sediar as competições, a Fifa e as pessoas por ela indicadas terão exclusividade de venda, distribuição e propaganda de produtos, inclusive nas vias de acesso a estes chamados “locais de competição” e suas imediações.

Traduzindo em português claro, a Fifa e sua curriola – com o apoio das “autoridades competentes” – podem decretar “territórios Fifa” Brasil afora, onde só funcionarão pontos de venda Fifa, onde valerão as regras de segurança da Fifa, onde, por exemplo, o sujeito que inserir o símbolo da Copa na sua cadeira de praia para alugar poderá ser preso, julgado na mesma hora, e encarar de três meses a um ano de prisão!

Na preparação do país para a Copa, as autoridades brasileiras já cederam bastante às exigências da Fifa – muitas delas totalmente estapafúrdias, como a criação de alas e estacionamentos vip para cartolas ou critérios para o padrão dos estádios que inflaram os custos de construção e reforma das arenas e levaram a mais e mais remoções e desapropriações de indivíduos e comunidades que poderiam ser evitadas.

Ontem a presidenta Dilma anunciou que fará uma conversa franca com os dirigentes da Fifa, que, apesar de todas as concessões já feitas, parecem considerar insuficientes as abusivas excepcionalidades incluídas no Projeto de Lei Geral da Copa enviado pelo governo ao Congresso. É absolutamente necessário que seja estabelecido um limite para este vale-tudo, sob pena de frustrar a expectativa do Brasil em consolidar sua imagem de potência soberana e séria.

Via Nosso Mundo

***(*) ******(*)

Atitude e Posicionamento

28/09/2011

Dois momentos na semana que passou que lavaram a alma.

O primeiro foi com Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial que fez um breve discurso antes de começar o clássico do rock nacional Que Pais É Este em show da banda no Rock in Rio, ele dedicou a música ao presidente do senado José Sarney.

O outro foi a porrada do Loco Abreu, jogador uruguayo do Botafogo, detonando as bobagenzinhas da TV Lixo, como um quadro que ridiculariza jogadores que perdem gols feitos.

Merecem registro.

.

***(*) ******(*)

Desviando o Foco

27/09/2011

Acredito que os amigos do blog tomaram conhecimento do artigo intitulado: “Os sucessivos erros de Juvenal Juvêncio. Paga o preço da ambição de ser presidente eterno no São Paulo. Pior para o clube…”, do jornalista Cosme Rímoli.

Cabe uma argumentação do ponto de vista do torcedor, sobre alguns pontos deste artigo. A começar pelo final, onde o jornalista faz uma comparação esdrúxula ao ligar a figura do ex-presidente corinthiano, sr. Alberto Dualib com o atual presidente do São Paulo por causa do seu terceiro mandato.

O presidente do São Paulo foi eleito em 2006 para o seu primeiro mandato nesta oportunidade,  sendo re-eleito em 2008 para um segundo mandato maior, de 3 anos. Em abril de 2011, foi novamente eleito para mais um mandato, o segundo do ponto de vista jurídico, já que o segundo do ponto de vista cronológico, teria sido o primeiro juridicamente, visto que teve seu tempo de duração aumentado de 2 para 3 anos.

Assim, a comparação é pobre. Primeiro porque todas as alterações no estatuto foram feitas através de votos no conselho. Segundo porque até mesmo o tempo em que um ocupou e o outro ocupará no poder não são equivalentes, nem se aproximam. O presidente do rival, foi presidente do seu clube durante 15 anos, o máximo de tempo que JJ poderá alcançar no clube como presidente nesta passagem será de 8 anos respectivamente, portanto, pouco mais que a metade do tempo do seu colega alvi-negro.

Como a história dos outros pouco me importa, vou me apegar ao perfil do nosso presidente. JJ nunca foi flagrado em conversas telefônicas relacionadas a Máfia do Apito. Não existem escândalos financeiros em sua gestão e pelo que consta, não existe nenhuma relação do São Paulo com nenhum parceiro que investe no clube dinheiro de origem duvidosa, muito menos mafiosa.

O São Paulo não comprou briga com o time da marginal, como citado em outro ponto do artigo. Em 2009 fez valer seu direito, ao destinar 10% da carga de ingressos para a torcida visitante no campeonato paulista. Estava no regulamento do campeonato, mas como retaliação, o presidente do rival proibe desde então, sua equipe de jogar no Morumbi.

A grande verdade é que não foi bem idéia do presidente corintiano e todos sabem disso. Outros clubes de São Paulo como Palmeiras e Santos, que não tiveram nada a ver com o ocorrido, também não jogam porque cumprem “determinações”, como foi revelado pelo treinador do Palmeiras Luis Felipe Scolari e pelo seu goleiro Marcos.

E por quê isto é assim ? Revanchismo barato.

O caso Madonnão é bem conhecido, o dirigente da FPF e a entidade foram condenados por queixa infundada, conforme artigo 221 do código brasileiro de  justiça desportiva ( oferecer queixa infundada ou dar causo, por erro grosseiro ou sentimento pessoal ), pena: de 90 a 360 dias de suspensão e multa de R$ 1 a R$ 10 mil. O dirigente pegou gancho de 90 dias e a FPF pagou multa de R$ 10 mil.

Portanto, se a justiça desportiva condenou o desafeto, fez bem o São Paulo em cortar relações com quem colocou em dúvidas sua honra. Importante ver a posição do São Paulo neste vídeo bem esclarecedor.

Ao mesmo tempo em que ocorria esta condenação, JJ se unia ao Fábio Koff na eleição do clube dos 13, contrariando os interesses do imperador e da globo, que por sua vez, ao ver naufragar o plano de eleger um homem da sua confiança na presidência do C13 e negociar os direitos de transmissão do campeonato brasileiro nos próximos anos conforme seus interesses, teve que negociar separadamente com cada clube após a re-eleição do Koff.

Todos ganharam mais dinheiro da TV por causa das novas cotas negociadas e isto se deve em grande parte aos esforços do JJ, mas claro, o jornalista não vai revelar isto em seu artigo, afinal trata-se de apenas bater no presidente sãopaulino.

O cenário se complica então para o clube que não se enverga. Presidente da federação condenado por queixa infundada, Koff reeleito contrariando RT e globo, e um aproveitador à espreita, esperando para dar o bote. Natural que todos se unissem para se levantar contra os interesses do Soberano Tricolor.

De forma conjunta então, se formula os pontos do grande embargo a Cuba Tricolor ( sim amigos, hoje somos uma ilha: cercados de beijadores de mão e incompetentes por todos os lados ):

– Expandir a retaliação ao Morumbi para os demais grandes times de São Paulo;

– Tirar o Morumbi da copa e construir outro estádio;

– Impedir que shows ocorram no estádio sãopaulino, através de denúncias de um testa de ferro local e sua ONG de fachada, tentando trazer problemas financeiros ao clube e fazendo com que mude sua atitude política, considerada por eles arrogante;

– Impedir que o clube ganhe novos títulos usando todos os poderes possíveis: convocações, arbitragens, tribunais e tudo o mais que for necessário.

Mas claro, estas coisas que fazem com que o São Paulo não consiga títulos e que é uma das razões das críticas do jornalista, não foram mencionadas no artigo, afinal trata-se de demonizar o único presidente Tri-Campeão Brasileiro consecutivo da história do campeonato brasileiro.

Finalizo meu post deixando a seguinte reflexão e questionamento aos leitores.

Não é estranho que um artigo como este surja logo agora que o queridinho da máfia perdeu o primeiro lugar no campeonato e depois de mais uma trapalhada do presidente gambá com o Dagoberto e o Santos ?

Desvio de foco ?

Vai saber…

***(*) ******(*)

Soberano 2 – Três Vezes no Topo do Mundo

27/09/2011

Minha Escolha

Faltava este filme.

Assim como faltam, ainda, especiais sobre as Libertadores e os Mundiais de 92 e 93 que devem ser feitos separadamente, um pra cada conquista; um documentário sobre a história do São Paulo, sua fundação em 1930 e reinício em 1935 após problemas de ordem política, mostrando a história do clube, que nós conhecemos bem mas que precisa ser contada de maneira oficial.

Gostaria de ver também algo sobre o Morumbi. Imagens, vídeos se houver sobre este templo que eu costumo chamar de “um troféu a céu aberto”, que é sem sombra de dúvidas o monumento da nossa grandeza. Uma homenagem feita em concreto para os fundadores e idealizadores deste clube.

Deveriam ser feitos, ainda, especiais com os grandes jogadores e treinadores, sua história de vida e como chegaram a se tornar ídolos do clube.

Passaporte

Garanto que venderia muito DVD.

Sobre o novo filme Soberano 2, tema do post, novamente a interatividade vai ser parte crucial do documentário, onde o torcedor pode contar em vídeo, como foi viver este momento, o que fazia, o que sentiu e como comemorou esta conquista única.

O São Paulo mais uma vez abre espaço para o seu torcedor participar da sua história.

Eu acho isso sensacional.

É possível, além de participar em vídeo, escolher qual a capa do DVD. Existem 6 layouts que foram colocados em votação. O layout escolhido será o ponto de partida para o trabalho a ser realizado.

De cara, quando vi todas as opções eu já escolhi a opção 5, que remete àquela bola do Gerrard em que o M1TO defendeu no ângulo e que, neste ponto de vista, é o grande momento daquela conquista.

Mas gostei do passaporte com os três carimbos de 92,93 e 2005.

Acho que não preciso falar mais nada.

O site do filme com informações é este, mande seu vídeo, escolha o pôster, isso é só pra NOI_X_ !

http://www.filmesoberano.com.br/soberano2/index.php

Relacionados

São Paulo convoca torcida para produzir filme do Mundial de 2005

São Paulo FC e G7 Cinema anunciam produção de “SOBERANO 2 – A Heroica Conquista do Mundial de 2005”

Vídeo: São Paulo lança filme “Soberano 2”, sobre conquista do Tri Mundial

‘Soberano 2’ vai retratar a conquista do Mundial de 2005 

***(*) ******(*)

Em Pé de Guerra

26/09/2011

Está muito mais esgarçada do que aparenta a relação entre a FIFA e o governo. No início do mês, Joseph Blatter enviou para Dilma Rousseff uma carta em que reclamava da morosidade das obras da Copa e com a demora de o governo enviar para o Congresso a Lei Geral da Copa(LGC).

O Planalto considerou a cobrança “fora de padrão” — é exatamente esse o eufemismo usado, de forma irônica, claro. Dias depois, o governo mandou para a Câmara a LGC. Mas o clima esquentou ainda mais.

A FIFA considerou inaceitável o projeto. Feriria o que foi acordado quando o Brasil ganhou o direito de sediar a Copa e lhe traria prejuízos comerciais enormes. Meia entrada para estudantes e descontos para maiores de 65 anos no preço dos ingressos são um dos motivos da briga. Só que a própria Dilma diz que “não há a menor possibilidade de restringir direitos existentes no Brasil”.

Essa briga promete ir longe. A FIFA para pressionar o governo ameaça até com um plano B, que retiraria a Copa do Brasil. Sabendo disso, os EUA já se movimentam. Nos bastidores os dois lados falam tudo uns dos outros — menos palavras de elogios.

Por Lauro Jardim

***(*) ******(*)

Nota: Tô falando que esse negócio não vai dar certo. O cagalhão, pelo andar da carruagem, não vai se sentar no Privadão do Kassab…

Botafogo de Palha 2×2 São Paulo

25/09/2011

Salve Soberania !

Convicção é qualidade ou defeito ?

Pode ser qualidade quando se tem convicção baseada em um fato concreto. Por exemplo. Eu estou convicto que tomar dois litros de água por dia fazem bem a saúde e por isso não deixo de fazê-lo sempre que possível, afinal é cientificamente comprovado que isso ajuda a reduzir as toxinas do organismo e etc.

Mas pode ser defeito quando por vaidade talvez, a convicção não permite enxergar o óbvio: o Rivaldo tem que ser titular. Ou alguém acha que o Marlos é melhor que o Rivaldo seja na posição que for ?

Tinhamos desfalques, João Filipe, Casemiro e Dagoberto, mas mesmo assim eram nítidos os problemas que o Tricolor tem com algumas peças que são titulares deste time. As laterais não funcionam. Hoje, Juan e Piris estavam péssimos. O Piris é ótimo marcador mas peca no apoio ao ataque. O Juan, sinceramente, não serve pra jogar no São Paulo, nem para o banco serviria.

O Lucas não pode jogar sozinho no ataque. Enquanto não temos o Luis Fabiano no time, quem deve jogar na área é o Rivaldo ou no mínimo o Henrique.

Meu time com as peças que temos hoje, jogaria no 4-2-2-2 dessa forma:

RC, Piris, Rhodolfo, João Filipe e Carlinhos Paraiba.

Denilson e Wellington.

Lucas e Dagoberto.

Luis Fabiano e Rivaldo.

No caso de algum problema com Lucas, Dagoberto ou Rivaldo, o Cícero entraria pra substituir qualquer um deles, porque ele é coringa do meio ao ataque. Na falta do Fabuloso por exemplo, jogariamos como hoje no segundo-tempo, Rivaldo e Henrique na frente, com o Rivaldo saindo mais da área buscando o jogo.

O que vocês acham ?

Viagens táticas a parte, já que cada torcedor é um técnico e tem seu time ideal, o que vimos hoje no Engenhão foi mais um dia M1TOlógico que vai entrar para a história do MAIOR GOLEIRO QUE JÁ EXISTIU no futebol mundial.

Me emociona até falar desse sujeito porque ele é predestinado. Confesse, você via alguma possibilidade do São Paulo fazer mais um gol aos 40 e poucos do segundo-tempo ?

Eu já tinha fechado a conta, sinceramente.

Mas ele vai lá e coloca a bola na cabeça do Rivaldo como se ela tivesse sido lançada com a perfeição de um arremesso feito com as mãos.

O que era resignação, se transforma como um milagre de São Jason, em uma alegria infinita.

E como a vida é bonita de viver por causa dos reparos feitos aos injustiçados, eis que no finalzinho do jogo, no último lance, a bola do gol da vitória sobrou nos pés do Rivaldo e craque como ele é, tentou por cobertura.

Quis o destino, caprichoso, que ela não entrasse.

Mas não faz mal. É pra mantermos os pés no chão. Foi empate, mas o sabor é de vitória.

O São Paulo mostrou o time que pode se tornar, neste segundo-tempo que vai ficar guardado na memória…

***

Foi na raça. Na juventude de Henrique. Na experiência de Rivaldo. Na categoria de Rogério Ceni. O São Paulo, desfalcado de três titulares, foi buscar um resultado perdido no Engenhão e mostrou ser uma equipe muito guerreira. Na tarde deste domingo, o Tricolor empatou em 2 a 2 com o Botafogo, no Engenhão.

Após um primeiro tempo abaixo do esperado, o São Paulo foi para o intervalo perdendo por 2 a 0, com dois gols de Loco Abreu. No entanto, após as mudanças de Adilson Batista, Henrique e Rivaldo, que saíram do banco, ajudaram o Tricolor. Primeiro o garoto, depois o experiente jogador, que marcou nos acrésimo após assistência de Rogério Ceni.

Com a igualdade heróica, o Tricolor segue próximo da liderança com 46 pontos, três a menos que o Vasco, que venceu o Cruzeiro na rodada. Para quem estava perdendo por 2 a 0, fora de casa, para um candidato ao título, o empate deste domingo tem de ser muito comemorado pelos são-paulinos.

RIVAL SAI NA FRENTE

Sem o artilheiro Dagoberto, o meia-atacante Marlos ganhou a disputa que travava com os garotos Willian e Henrique. O camisa 11 fez dupla de ataque com Lucas. Já nas vagas de João Filipe e Casemiro, Xandão e Denilson foram os escolhidos, respectivamente.

Apostando no toque de bola do meio de campo e nos contra-ataques, o São Paulo iniciou melhor a partida, com mais posse de bola. O Botafogo, porém, era mais perigoso quando chegava ao ataque. Aos 20 minutos, Cícero quase abriu o placar de cabeça.

Três minutos depois, Lucas tentou encobrir o goleiro Renan e perdeu ótima chance. Foram as duas únicas oportunidades do Tricolor no primeiro tempo. Já o time carioca abriu o placar aos 24, com Loco Abreu. Aos 39, de pênalti, o atacante uruguaio ampliou o marcador.

BRILHA A ESTRELA DE RIVALDO

Na volta do intervalo, o técnico Adilson Batista fez a primeira alteração na equipe. Colocou Rivaldo no lugar de Juan. Com isso, o volante Carlinhos foi deslocado para a lateral esquerda. Aos 14, quem chegou mais uma vez foi o Botafogo, mas Loco Abreu perdeu ótima chance.

Aos 16, o zagueiro botafoguense recuou a bola para o goleiro Renan, que pegou com as mãos. O árbitro marcou falta em dois lances dentro da área. Rivaldo e Lucas tentaram, mas o time carioca aliviou o perigo. Xandão de cabeça, no lance seguinte, também quase marcou.

Já aos 18, Henrique entrou no lugar de Marlos. E o camisa 17 entrou ligado. Aos 20, aproveitou rebote e diminuiu para o Tricolor. O gol empolgou o São Paulo, que seguiu pressionando o rival. Aos 24, Henrique tabelou com Wellington, que acertou a trave.

Na última tentativa de empatar o jogo, Adilson colocou Jean na vaga de Piris. O Tricolor seguiu em busca do segundo gol, mas o time carioca armou uma barreira difícil de furar. Difícil: a especialidade de Rogério Ceni! Nos acréscimos, o goleiro bateu falta dentro da área e achou Rivaldo, que fez o gol de empate. No fim, Rivaldo ainda teve a chance da virada, tocou por cobertura, mas a bola foi alta e, caprichosamente, não entrou.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino se reapresentará na próxima terça-feira, às 15h30. O técnico Adilson Batista terá uma semana livre para treinamentos, já que o São Paulo só voltará a campo no domingo diante do Flamengo, no Estádio do Morumbi.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 2 x 2 SÃO PAULO

Local: estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 25 de setembro de 2011, domingo
Hora: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Fabio Pereira (TO)
Cartões Amarelos: Juan, Wellington, Piris (São Paulo)

Gols: BOTAFOGO: Loco Abreu, aos 24 e aos 40 minutos do primeiro tempo.
SÃO PAULO: Henrique, aos 20, e Rivaldo, aos 46 minutos do segundo tempo.

BOTAFOGO: Renan; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel (Felipe Menezes); Herrera (Cidinho) e Loco Abreu (Lucas Zen) Técnico: Caio Junior

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris (Jean), Xandão, Rhodolfo e Juan (Rivaldo); Denílson, Carlinhos Paraíba, Wellington e Cícero; Lucas e Marlos (Henrique) Técnico: Adilson Batista

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Rivaldo marca no fim e livra São Paulo de derrota para o Botafogo

Rivaldo marca no fim, e São Paulo empata com o Botafogo no Engenhão

Fogão abre dois, mas Sampa arranca o empate no Engenhão

Após tomar 2 gols, São Paulo reage e empata com o Botafogo

Elkeson lamenta empate: ‘Quem não faz, leva’

Rivaldo marca no fim e São Paulo arranca empate heroico

Autor do gol de empate, Rivaldo lamenta não ter feito o terceiro do São Paulo

Decisivo no empate, Rivaldo cobra Adilson: ‘tem que me colocar 90 minutos’

Apór perder gol claríssimo, Loco Abreu afirma: ‘Inacreditável FC é uma sacanagem’

Rivaldo vibra com gol, lamenta chance perdida e clama por titularidade

Herói de empate, Rivaldo pede para virar titular do São Paulo

Mudança tática veio muito tarde contra o Botafogo

Henrique exalta qualidade dos reservas do São Paulo

Adilson vê brilho de reservas, elogia grupo e lembra que tem L. Fabiano

Após empate no fim do jogo, Caio Júnior reclama de cansaço e lamenta lances decisivos

Loco faz dois, mas São Paulo arranca empate heroico

Ceni elogia reação e já pensa em “final” contra o Fla

Piris desfalca o São Paulo diante do Flamengo, no Morumbi

Adilson Batista elogia: “Vejo um crescimento no São Paulo”

Herói no Engenhão, Rivaldo elogia raça do Tricolor em campo

No aniversário do Morumbi, o presente é Fabuloso

***(*) ******(*)

Próxima Partida: São Paulo x Flamengo, Brasileirão 2011, Morumbi, São Paulo, domingo, dia 02.10 às 16h00.

É Várzea, Mas Não Surpreende

24/09/2011

Salve Soberania !

A maioria das pessoas que acompanha futebol já ouviu histórias como estas.

Relatos de boleiros que passaram maus bocados quando jogavam pelo time visitante. Cheiro forte de tinta no vestiário, água fria no chuveiro, quando não falta de água e falta de luz, acesso ao gramado vetado com portões trancados para evitar o aquecimento dos atletas, gás no vestiário e outras mediocridades como estas.

Não amigos, isto não acontecia apenas no tempo em que Dondon jogava no Andaraí e a bola era feita de capotão. Isto acontece hoje em dia, quando deveria ter ficado no passado.

Objetos de atletas e de jornalistas ainda desaparecem em São Januário. Quem não se lembra quando o São Paulo teve que sair do estádio Olímpico direto para o hotel por falta de água quente para o banho ? 2007 ou 2008 se não me engano. Na mesma semana o Internacional já havia se queixado do mesmo problema. E o caso do gás ? De longe o mais patético de todos, com aquele pessoal negando a autoria do “crime” e como forma de defesa, acusavam o time visitante de “fingir” intoxicação por algo que supostamente teria sido feito pela própria vítima !?! Hoje, todo mundo já sabe quem foi o responsável, as lagartixas da pompéia não nos deixam mentir.

Coisas como estas – pra nós que não fazemos parte da época romântica do futebol – deveriam ficar apenas no imaginário dos que amam o futebol, mas não é assim que acontece.

Talvez inspirados pelas atitudes ridículas dos cartolas de outrora, hoje os dirigentes “modernos” e aclamados pela mídia como ícones de administração, quando acuados, lançam mão de tais ferramentas.

Em 2006, o Ricardo Oliveira foi impedido de jogar a segunda partida da final da Libertadores contra o Internacional, devido a uma manobra dos seus dirigentes malandros. Vinculou-se a não participação do jogador naquela partida pela prioridade na compra de jogadores do clube gaúcho. Proposta prontamente aceita pelo Real Betis, dono do passe do centro-avante Tricolor na época.

O caso mais recente é o do patético presidente travesti, que disse à imprensa que o jogador Dagoberto teria assinado um pré-contrato com o Santos, às vésperas do clássico. Disse valor de salários, luvas, tempo de contrato e todos os detalhes. Tentou na verdade, desestabilizar a equipe rival no jogo e no campeonato, já que o jogador ainda tem contrato até meados do próximo ano e o São Paulo segue firme rumo ao seu hepta campeonato nacional.

Isto é o que chamam de dirigente modelo.

E é por “estas” e por “outras“, que este cidadão tem o nome cotado para dirigir a confederação a partir de 2014.

A julgar pelo que temos atualmente, até que é bem coerente…

Relacionados

Após blefe, Andrés é desmentido por Dagoberto, Muricy e Luís Álvaro

Muricy desconfia que Andrés ‘plantou’ Dagoberto no Santos para desestabilizar SP

Para Muricy, Andrés quer desestabilizar o Tricolor com caso Dagoberto

***(*) ******(*)

São Paulo 0x0 Sem Estádio e Sem Libertadores

22/09/2011

Salve Soberania !

Quando se acostuma a caminhar com ajuda de bengalas, fica difícil se levantar quando elas não estão por perto. Os bajuladores sem a ajuda externa, são isso: pequenininhos.

Só a ajuda da arbitragem já não é mais suficiente. Um monte de impedimentos inexistentes marcados e nada de amarelar a defesa travesti no primeiro tempo.

O timinho da máfia veio pra jogar igual um Bragantino da vida. Duas linhas de quatro com até, acreditem, a Lacraia recuada.

Vai ser SMALL assim lá no Privadão do Kassab !

***

Dentre muitos esportes, o futebol não costuma ser justos em certas ocasiões. E uma delas certamente foi na noite desta quarta-feira. Se tivesse que ter um vencedor no clássico do Morumbi, este seria o São Paulo. Mas, aí que entra o fator de ter sido justo ou não.

O Tricolor foi muito superior ao rival Corinthians, principalmente na primeira etapa. Em um placar moral do primeiro tempo, o torcedor tranquilamente poderia dizer que o São Paulo foi para o intervalo vencendo por uns 3 a 0. Mas se a vitória não veio, a liderança foi alcançada.

Com a igualdade, o Tricolor chegou a 45 pontos e igualou o Vasco. No entanto, o time paulista leva vantagem no saldo de gols. Com isso, ao menos até esta quinta-feira, o São Paulo é o novo líder do Brasileiro. Nesta quinta, o Vasco enfrentará o Atlético-GO, no Rio de Janeiro.

MUITAS CHANCES DE GOL

O São Paulo entrou em campo sem muitas modificações em relação ao último jogo. A única mudança foi a volta do atacante Dagoberto ao ataque são-paulino. O camisa 25, inclusive, foi muito participativo ao longo de todo o primeiro tempo do clássico no Morumbi.

Durante os 45 minutos iniciais, o Tricolor foi amplamente superior ao rival. Criou diversas oportunidades de gol. Logo aos quatro minutos, Dagoberto arriscou de esquerda e Julio Cesar teve de se esticar para evitar o gol. No lance seguinte, Lucas também chegou com perigo.

Com mais posse de bola, o São Paulo seguiu no ataque e viu um Corinthians abusar das faltas, um rodízio de jogadores.  Aos 43, Casemiro aproveitou cruzamento de Dagoberto e cabeceou na trave corintiana. No rebote, Piris também quase marcou. Um primeiro tempo muito superior do Tricolor.

EMPATE COM LIDERANÇA

O São Paulo voltou melhor na etapa final e seguiu pressionando o rival. Mas, nos primeiros minutos, não criou uma chance clara de gol. Aos 24 minutos, Dagoberto recebeu de Lucas, partiu em velocidade e chutou com perigo, mas Julio Cesar defendeu.

Aos 25, Adilson Batista fez a primeira alteração no clássico. Tirou Piris e colocou Rodrigo Caio. Com isso, Wellington foi para a lateral direita. Na sequência, Rivaldo, muito aplaudido pelos torcedores, entrou na vaga de Cícero.

Ao contrário de boa parte do primeiro tempo, o Corinthians igualou o jogo. E chegou com perigo duas vezes, ambas com Emerson. Aos 36, Marlos ficou no lugar de Dagoberto. O São Paulo insistiu até o último minuto. Mas, se por um lado a vitória não veio, o Tricolor dorminará na liderança do Campeonato Brasileiro.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino voltará aos treinamentos na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda. Pelo Campeonato Brasileiro, o próximo compromisso da equipe será no domingo diante do Botafogo, no Rio de Janeiro. No primeiro turno, vitória carioca por 2 a 0, no Morumbi.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 0 CORINTHIANS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de setembro de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Público: 44.631 pagantes (44.950 total)
Renda: R$ 1.282.520,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)

Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)
Cartões amarelos: Casemiro (São Paulo); Paulinho e Emerson (Corinthians)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris (Rodrigo Caio), João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Carlinhos Paraíba, Casemiro e Cícero (Rivaldo); Lucas e Dagoberto (Marlos) Técnico: Adilson Batista

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Wallace, Paulo André e Leandro Castán (Fábio Santos); Ralf, Paulinho e Alex (Jorge Henrique); Willian, Emerson e Liedson (Danilo) Técnico: Tite

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

Relacionados

Em clássico ruim, Corinthians segura São Paulo no Morumbi e alivia crise

Timão e Tricolor ficam no zero em Majestoso sem sal

São Paulo empata com o Corinthians e assume a ponta

Empate com o Corinthians deixa o São Paulo na liderança provisória do Brasileirão

São Paulo pegará o Libertad na Sul-Americana

Jogo no Uruguai é interrompido, e Flamengo deve enfrentar Universidad do Chile; Libertad pega o São Paulo

Ceni se irrita com postura do Corinthians: ‘Só o São Paulo quis jogar’

“Só uma equipe quis jogar”, afirma Rogério Ceni

Clássico termina empatado: Corinthians alivia pressão e São Paulo assume ponta

Amarelou: No Corinthians, Ralf critica atitude do capitão Chicão

Sem gols, São Paulo e Corinthians deixam caminho livre para Vasco

Apesar do empate, São Paulo se diz superior no Majestoso

Rivaldo: ‘Seria injusto se o Corinthians marcasse’

São-paulinos lamentam tropeço em casa, enquanto corintianos celebram empate

Adilson admite que faltou um ‘Luis Fabiano’ para vencer clássico

Técnico admite que o Corinthians jogou nos contra-ataques 

São Paulo fica na bronca com retranca rival e diz que merecia vencer

Adilson lamenta chances perdidas e diz que disputa está aberta

São Paulo abusa da velocidade e bate recorde de impedimentos

Partida do Brasileiro, entre Cruzeiro e São Paulo, sofre modificação

“Burro” para a torcida, Adilson vê até atletas elogiarem Rivaldo

Adilson enxerga ‘dívida’ de pontos a ser sanada contra o Botafogo

Adilson afirma que Fabuloso participará de jogo-treino

Luis Fabiano participará de jogo-treino contra o juvenil

Adilson Batista lamenta: “Merecíamos um resultado melhor”

Erros de finalização do ataque podem apressar estreia de Luis Fabiano no São Paulo

São Paulo organiza jogo-treino para Luis Fabiano

Luis Fabiano não irá ao Rio, e estreia deve ser contra o Fla no Morumbi

São Paulo perde Casemiro para a partida contra o Botafogo

Casemiro recebe terceiro amarelo e Piris sai do clássico machucado

Casemiro: desfalque do Tricolor diante do Botafogo

Tenho o objetivo de sair do São Paulo, confessa Dagoberto

Agente de Dagoberto nega pré-acordo com o Santos e diz que prioridade é do São Paulo

Dagoberto recebe proposta do Santos para deixar o São Paulo

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Botafogo x São Paulo, Brasileirão 2011, Engenhão, Rio de Janeiro, domingo, dia 25.09 às 16h00.

Não é Mérito Meu, Nasci Sãopaulino Por Sorte…

21/09/2011

Não me dê os parabéns, nasci sãopaulino por sorte…

O  destino me presenteou com o privilégio de poder vestir uma camisa bela e ímpar, cujo escudo se impõe frontalmente entre duas listras gloriosas e não sem motivos.

Um símbolo que já nasceu vitorioso por se destacar no peito sustentado transversal e unicamente… por suas cores. Representação incontestável de sua Dignidade nata.

Eis um emblema, na acepção do termo…

Um claro sinal a quem quiser ostentá-lo de que o preço da conquista limpa é o ônus da independência, pois isso está gravado em sua história desde o nascimento e para sempre.

E que naturalmente provoca incômodo nos fracos, nos maliciosos e nos oportunistas, por lembrá-los eternamente do que desejariam sufocar:

Que conquistas de fato – aquelas obtidas sem ajuda indevida – podem ser muito mais árduas, mas têm um sabor inigualável, pois que sem mácula.

E só assim podem ser chamadas verdadeiramente de Vitórias.

Assim, incomparável, é o orgulho e o sentimento de poder carregar um símbolo que reluz e vibra no lugar justo: no centro do peito.

Pois é ali que bate o coração de verdade. E não de lado…

Não me dê os parabéns, nasci sãopaulino por muita sorte…

Generoso,  o destino colocou em meu destino uma tradição famíliar com amor às coisas certas e às conquistas com mérito.

Nasci no seio de uma família que, no passado, abraçou na primeira hora a causa de erguer uma agremiação à altura da grandeza do nome de sua cidade.

E principalmente de seu lema: “Non ducor. Duco“. Não sou conduzido. Conduzo.

Por isso, não me dê os parabéns, os méritos não são meus: nasci sãopaulino por sorte.

Apenas segui o amor incondicional despertado nos anos 30 em meu avô, abraçado por meu pai, levado adiante por meus irmãos mais velhos.

Não pense que foi fácil, no início, para aquele garoto do Jardim Paulistano, anos 60, sustentar essa paixão como aquelas listras sustentam um escudo que, hoje, é reconhecido internacionalmente.

Aquele menino amargou por mais de uma década interminável a tristeza de ver sua equipe fragilizada diante de poderosos adversários, que cantavam vitórias – e por goleadas.

Pois o clube-caçula trabalhava abnegada e silenciosamente para construir um Patrimônio.

E assim como na fábula da Cigarra e da Formiga, decidira o São Paulo Futebol Clube abrir mão da festa e da cantoria dos títulos, para construir, unicamente com seu esforço, a tão sonhada Casa Própria: o Estádio Cícero Pompeu de Toledo.

E o preço era alto: ficar sem recursos, por quase duas décadas, para montar também times à altura de seus mais tradicionais adversários.

Eu vi isso. Presenciei e sofri com isso, nas gozações de colegas de escola.

Foram anos minguados em títulos e conquistas, que testemunhei.

Embates injustos, que pareciam ainda mais deprimentes naquele cenário confuso aos olhos de um menino: em arquibancadas em obras num Morumbi construído lentamente por décadas, ver seu time apanhar seguidamente, com jogadores inexpressivos.

Mas, engraçado… Mesmo que os jogos aos domingos fossem de trágicos presságios, eu, de calças curtas, jogando bola na rua, ainda assim ostentava orgulhosamente a Camisa 7 do humilde ponta Faustino – pois, pequenino, queria ser como ele.

Comprada a duríssimas penas por papai, ela era o meu manto sagrado: com a camisa branca com as listras vermelha e preta no peito eu, o baixinho, me sentia um gigante.

Era o escudo no peito…

Mesmo que, na pureza de meus nove anos, ao comprar pães no final da tarde de domingo na Padaria Europa, ouvisse repetidamente a brincadeira do Sr.  Manoel atrás do balcão:

“Ó baixinho, Faustino… De novo teu time tomou uma sapecada! É todo domingo… Não ganha um titulozinho que seja. .. Não queres mudar pra Lusinha?!”

Meu pai ria da história e vaticinava: “Tudo na vida tem um preço. Hoje você sofre, mas um dia o teu orgulho de ser sãopaulino ainda vai ser do tamanho do Morumbi”.

Eu eu vi, um dia, enfim, o meu time terminar de construir o Morumbi. E nele ser campeão.

E ser campeão, campeão e campeão…

Ano após ano, campeão de tudo. Nacional. Da Libertadores. Do Mundial…

Mas, não me dê os parabéns. Nasci sãopaulino por sorte.

Muita sorte.

Marcio M. Castanho

http://www.redatorbipolar.com.br

@RedatorBipolar

***(*) ******(*)

Rapidinhas do Lina

20/09/2011

Sonhar Não Custa Nada – Sem curicanizar, mas achei engraçado o presidente do Santos dizer que se o Neymar ficar até 2014, a torcida vai ser a terceira maior do Brasil ( deu no Painel FC da Folha de ontem ). Claro que é uma aspiração legítima de um clube conseguir crescimento da sua torcida, mas acho que o presidente mirou muito longe pra quem está em 7º e na sua frente tem torcidas fanáticas como Grêmio, Cruzeiro e Internacional em 6º, Vasco em 5º e Palmeiras em 4º. Tem coisas que não se resolvem com uma canetada…

Virando as Costas – Política é uma das coisas mais asquerosas que existem, concorda ? Pois é. O governo de São Paulo, leia-se Geraldo Alckmin, cogita suspender a construção do VLT que ligará a estação Jabaquara ao Morumbi. Nossa sorte é que o governo federal é contra e vai mantê-lo. O projeto é importante para o trânsito de São Paulo durante a copa 2014.

Scolari – O treinador mandou a torcida verde ir caçar tatú lá em Santa Catarina. Tem vídeo na rede mostrando o episódio e é nítido o que foi dito. Se não pegar gancho é marmelada e prova da força do Guarani da Turiassú nos bastidores. Eles podem não ganhar nada, mas sempre se ajeitam.

Justiça Cega ? – Isto não é só no Brasil, mas no mundo inteiro. Quem tem grana, não vai em cana. O jogador Edmundo, acusado de homicídio culposo com 3 mortes em 1995, recebeu um presente da morosa justiça brasileira: seu processo foi extinto porque, segundo o STF, o caso prescreveu. Será que o caso prescreveu para os parentes das vítimas ?

Justica Cega 2 ? – Depois de trabalho árduo da Polícia Federal, que conseguiu evidências contra crimes praticados pela família Sarney, o STJ e seus ministros decidiram pela anulação de todas as provas obtidas, porque entenderam que os grampos que originaram a quebra de sigilo foram ilegais.  Entenderam ? Os caras provaram irregularidades e o STJ ignorou. Não é pra se revoltar ?

Mais Uma do Toma Lá, Dá Cá – Segundo o Josias de Souza – que tem um blog na Folha – Dirceu, Lula e cia., decidiram escolher o ministro da educação, Fernando Hadad como candidato à prefeitura de São Paulo ao invés da senadora Marta Suplicy que deseja concorrer ao pleito. O problema é que em pesquisa do Datafolha, a senadora teria 31% das intenções de voto contra 2% do ministro da educação.  Entenderam a ajuda ? O Kassab entendeu, e agradece.

Sem Resposta – Pra não emporcalhar o espaço dos outros, onde diga-se sempre fui bem tratado, eu evitei responder a um comentário em um post com um adjetivo a mim dirigido, por uma pessoa com aspirações políticas dentro do São Paulo Futebol Clube. Apenas faço esta menção pra que fique registrado que eu li o que foi escrito. A resposta demonstra bem, aliás, o quanto esta pessoa é despreparada para assumir a posição que tanto almeja. Vontade de falar umas verdades não me falta e eu bem que poderia fazer isso. Mas o cuidado que esse cidadão não tem com o nome do clube por ai, a gente tem aqui.

Locais de Treinamento 2014 – O COL, aquele presidido pelo cagalhão, incluiu o CFA Laudo Natel na lista de locais com capacidade de receber seleções para a copa do mundo. O São Paulo não deveria ceder NADA para esta copa. Eles que se virem com o CT dos travestis.

Estréia do Fabuloso – Pode jogar na quarta-feira contra o timinho da máfia, mas ninguém no clube diz que sim e nem que não. Pelo jeito a confirmação só virá momentos antes da partida. No treino desta segunda, o homi jogou e já deixou 2…

Majestoso – A expressão criada por Thomaz Mazzoni e que é usada até hoje pra mencionar o clássico contra os travestis, foi profética. Trata-se de uma corte: sua Majestade o Soberano Tricolor ( seis vezes campeão do Brasil sem asterisco, três vezes campeão da libertadores e do mundo ) e o bobo, com seu presidente analfabeto e um papagaio no marketing.

Majestoso 2 – O escolhido para apitar este jogo foi Wilson Seneme. Espero que ele faça uma boa arbitragem, mas a história diz o contrário. Pelo campeonato paulista em 2005, contra o museu, o arbitro em questão expulsou o Grafite na final. Em 2008, na semi-final contra as porcas, ele expulsou o André Dias. Em 2009 foi a vez do Rodrigo contra as galinhas na segunda partida da semi-final. Neste mesmo ano, o Sálvio Spindola já tinha expulsado o André Dias no primeiro jogo contra elas. É pra se preocupar…

Majestoso 3 – Este é mais que um jogo. Trata-se de uma luta contra um sistema sujo e maquiavélico. Trata-se do jogo contra o clube que se rendeu a máfia em troca de benesses por falta de competência. Trata-se de um jogo contra os sangue-sugas do estado brasileiro, contra quem se aproveita do momento político do rival para tirar proveito. Beijadores de mão e bajuladores. Acho bom que os jogadores entendam isso e corram muito, até a exaustão.  NÓS TEMOS QUE VENCER ESTE JOGO.

Homenagem ao M1TO – Toda e qualquer homenagem aos 1000 jogos e 100 gols do capitão são mais do que merecidas. Na internet tem várias coisas legais: photoshop, vídeos, poesias e músicas. O amigo @jean_miranda também fez a sua e ficou demais, o mais legal é que é no estilo que a gente gosta, o bom e velho Rock n´Roll.

***(*) ******(*)