São Paulo 2×2 Atlético-GO

Salve Soberania !

O que parecia ser um caminho fácil nas próximas rodadas, com três jogos em casa e um fora:  Atlético-GO (C), Coritiba (F), Vasco (C) e Bahia (C), começou esquisito.

O time do meio pra frente é bom. Denilson veio pra resolver a carência de um primeiro-volante. Wellington e CP ótimos roubadores de bola. Na frente Rivaldo, Lucas e Dagoberto dão a tônica deste time: contra-ataques mortais. Mas não pode perder tantos gols assim.

Temos um problema. E mais uma vez a responsabilidade é da diretoria que dormiu no ponto. O sistema defensivo é fraco, mais especificamente a defesa do lado esquerdo.

Por quê culpa da diretoria ? Porque vacilou na renovação do contrato do Miranda – a história vocês sabem – e não teve habilidade pra fechar a negociação com o Coates. Resultado, sobrou pro Xandão.

Ontem, o jogador falhou bisonhamente no primeiro gol dos goianos, e no segundo, se perdeu entre dois atacantes do Atlético, não marcou nenhum e tomamos o gol de empate em jogada aérea.

Não é pessimismo, mas ainda há um agravante. É sabido que o Adilson é bom pra armar times ofensivos, mas peca pra arrumar a defesa dos times que dirige. A diretoria tem que se mexer e encontrar algum zagueiro brasileiro, de bom nível, dando sopa por ai, tarefa fácil essa…

Rafael Tolói seria o nome da vez ?

***

Tudo conspirava a favor do São Paulo. A equipe vinha de duas vitórias no Campeonato Brasileiro e ainda contava com as estreias de Adilson Batista e Denilson, sem contar o retorno do meia Lucas. O gol logo no início marcado por Rhodolfo deu a sensação de que seria uma noite tranquila para a torcida.

Mas só pareceu. Mesmo com uma boa atuação na maior parte do jogo, o Tricolor Paulista ficou duas vezes na frente do placar, perdeu ótimas chances, mas cedeu o empate para Atlético-GO, neste sábado, no Morumbi, e ficou no 2 a 2, pelo Campeonato Brasileiro.

Foi o primeiro empate da equipe na competição. Com 22 pontos em 11 jogos, o São Paulo segue na vice-liderança do Brasileiro, mas pode ver o líder Corinthians se distanciar na ponta da tabela, caso o rival vença o Cruzeiro neste domingo.

GOL ANIMADOR

O técnico Adilson Batista entrou em campo com a escalação já esperada. O volante Denilson, outro estreante da noite, foi titular no meio de campo são-paulino. Desde o apito inicial, a torcida ficou com a sensação de que seria um jogo tranquilo para o São Paulo.

E de fato o começo foi. Aos oito minutos de partida, o atacante Dagoberto cruzou na cabeça de Rhodolfo, que não teve dificuldade para abrir o placar no Morumbi. Com mais posse de bola e controle do jogo, o Tricolor seguiu no ataque e Rogério Ceni era um mero espectador.

Dagoberto, por muito pouco, quase não ampliou o marcador. Mas o futebol é mesmo uma cixa de surpresa. E os são-paulinos foram surpreendidos aos 44 minutos, quando o Atlético-GO cobrou falta do meio de campo e Bida invadiu a área para deixar tudo igual no Morumbi.

FICOU NO EMPATE

No início do segundo tempo, uma alteração tática interessante. Lucas recuou para o meio de campo, enquanto Rivaldo foi ao ataque. E a mudança surtiu efeito. Aos oito minutos, Dagoberto, mais uma vez, cruzou na área e o camisa 10 cabeceou para o fundo da rede adversária.

O gol animou ainda mais o São Paulo. Primeiro Wellington, depois Dagoberto. A dupla quase ampliou o placar para delírio dos torcedores. Rivaldo, livre dentro da área, chutou muito alto e perdeu uma chance clara. E, aos 23, Anselmo pegou o Tricolor de surpresa mais uma vez e empatou o jogo.

Adilson, que já tinha colocado Rodrigo Caio na vaga de Denilson, também promoveu a entrada de Fernandinho no lugar de Carlinhos. Aos 31, Juan tabelou com Fernandinho e, sozinho na área, isolou. Minutos depois, Cícero entrou, Rivaldo saiu. Aos 47, Fernandinho fez linda jogada invidual e quase marca um golaço. E ficou nisso. Empate no Morumbi.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco tricolor está de folga neste domingo e voltará aos treinamentos na próxima segunda-feira, às 15h30, no CT da Barra Funda. Na quarta-feira, fora de casa, o Tricolor visitará o Coritiba. Para esta partida, Adilson Batista não tem problemas na escalação.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 2 ATLÉTICO-GO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 23 de julho de 2011, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Público: 23.487 pagantes
Renda: R$ 604.454,00
Árbitro: Alicio Pena Júnior (MG)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Cartões amarelos: Carlinhos Paraíba (São Paulo); Leonardo, Vitor Júnior e Thiago Feltri (Atlético-GO)

Gols:
SÃO PAULO: Rhodolfo, aos oito minutos do primeiro tempo; Rivaldo, aos nove minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-GO: Bida, aos 45 minutos do primeiro tempo; Anselmo, aos 24 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, Xandão, Rhodolfo e Juan; Denilson (Rodrigo Caio), Carlinhos Paraíba (Fernandinho), Wellington e Rivaldo (Cícero); Lucas e Dagoberto
Técnico: Adilson Batista

ATLÉTICO-GO: Márcio; Rafael Cruz, Gilson, Anderson e Thiago Feltri; Agenor, Rômulo (Felipe), Bida (Joílson), Thiaguinho (Leonardo) e Vítor Júnior; Anselmo
Técnico: Jairo Araújo

Via Gazeta Esportiva

Melhores Momentos

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Coritiba x São Paulo, Brasileirão 2011, Couto Pereira, Curitiba, quarta-feira, dia 27.07 às 21h50.

Anúncios

24 Respostas to “São Paulo 2×2 Atlético-GO”

  1. GUINA SP10 Says:

    Lina eu fui ao Morumbi, com mulher e filhas, foi o debut das minhas pequenas, e posso garantir que o jogo foi fraco, mas paramos no BOM goleiro do Atlético Goianiense, Márcio. O cara pega muito.
    Mas o que mais me chamou atenção, foi o posicionamento do Rivaldo no jogo, quase que um centroavante. Errado, ali não é o lugar dele.
    Começamos bem, mas falhamos na finalização. Faz parte, com os reforços vamos melhorar muito!

    Detalhe, minha caçula se encantou. Mais uma tricolor, agora (segundo estatisticas) somos 17 milhões e UM torcedores. Rsrsrsr
    Vai São Paulo.
    Abraços.

    • Finorio Says:

      Na verdade quem jogou na frente com o Dagoberto foi o Lucas, depois que o Adilson mudou o Rivaldo de posição.

  2. Tri-Mundial Says:

    Achei que faltou melhor marcação no meio.
    Os volantes também falharam.

  3. Franklin Says:

    Eu ia comentar mas perdi a vontade depois do video do cachorrinho.
    Deixa pra lá.

  4. Michel Toniato Says:

    … no momento em que o Coates é escolhido o melhor jogador jovem da Copa América! Diretoria de merda.

  5. Finorio Says:

    Lina, o se não entra no futebol, além disso o Miranda negociou sua saída e nem informou a diretoria.
    É do tipo mercenário e na minha opinião não fará falta.
    Não é este o tipo de jogador que precisamos.

  6. Luiz Ferreira Says:

    O Juan anda perdidinho.
    Não ataca e não defende.
    O Paraiba ou o Denilson tem que ajudar o lado esquerdo e o Adilson tem que empurrar o Juan pra frente.
    No melhor dos mundos, o menino da base, o Miranda pra resolver ali.
    O que aconteceu com o menino que não tem entrado ?

  7. Radar Soberano Says:

    Mano saca seis da Copa América para amistoso contra a Alemanha
    Adriano, Elano, Jadson, Jefferson, Luisão e Sandro ficam fora do jogo em Stuttgart. Treinador convoca seis atletas diferentes em relação ao torneio
    O técnico Mano Menezes decidiu trocar algumas peças que disputaram a Copa América. Nesta segunda-feira, em São Conrado, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o treinador divulgou a lista de 23 convocados para o amistoso contra a Alemanha, no dia 10 de agosto, em Stuttgart. Dos 23 atletas lembrados para a competição na Argentina, apenas seis ficaram de fora (Adriano, Elano, Jadson, Jefferson, Luisão e Sandro). As novidades em relação ao torneio continental foram os zagueiros Dedé, os meias Fernandinho, Luiz Gustavo e Renato Augusto, o volante Ralf e o atacante Jonas.

    Essa é a primeira convocação de Mano Menezes após o fiasco da Copa América, conquistada no último domingo pelo Uruguai após vitória por 3 a 0 sobre o Paraguai, algoz do time canarinho. Na Argentina, a Seleção empatou três jogos e venceu apenas um. A eliminação aconteceu após a equipe desperdiçar quatro penalidades na decisão por pênaltis contra os guaranis, que venceram por 2 a 0.

    O amistoso contra a Alemanha, em Stuttgart, será o 13º da era Mano Menezes. Até o momento, sob o comando do treinador, a Seleção Brasileira obteve seis vitórias, duas derrotas (França e Argentina) e quatro empates.

    Após o amistoso contra a Alemanha, a Seleção tem mais dois compromissos agendados até o momento. Nos dias 14 e 21 de setembro, com um grupo de atletas que atuam no Brasil, a equipe vai encarar a Argentina, pela Copa Rocca. No dia 11 de outubro, o adversário será o México, na cidade de Torreón.

    A CBF já teria agendado também amistosos contra a Espanha e a Itália, sem locais definidos de forma oficial. As datas também não foram divulgadas.

    Confira abaixo a lista dos convocados por Mano Menezes:

    GOLEIROS
    Julio César (Inter de Milão)
    Victor (Grêmio)

    LATERAIS
    Maicon (Inter de Milão)
    Daniel Alves (Barcelona)
    André Santos (Fenerbahçe)

    ZAGUEIROS
    Lúcio (Inter de Milão)
    Thiago Silva (Milan)
    David Luiz (Chelsea)
    Dedé (Vasco)

    VOLANTES
    Lucas Leiva (Liverpool)
    Ramires (Chelsea)
    Elias (Atlético de Madri)
    Ralf (Corinthians)

    MEIAS
    Luiz Gustavo (Bayern de Munique)
    Paulo Henrique Ganso (Santos)
    Renato Augusto (Bayer Leverkusen)
    Lucas (São Paulo)
    Fernandinho (Shakthar Donetsk)

    ATACANTES
    Alexandre Pato (Milan)
    Fred (Fluminense)
    Neymar (Santos)
    Robinho (Milan)
    Jonas (Valencia)

  8. Radar Soberano Says:

    Adilson tenta quebrar “Dagoberto-dependência”

    Atacante teve participação em 27 dos 66 gols do São Paulo na atual temporada

    Depois de estrear com um empate diante do ameaçado Atlético-GO e aumentar a desconfiança em torno de seu trabalho à frente do São Paulo, o técnico Adilson Batista terá uma nova dor de cabeça para resolver: acabar, ou, ao menos, diminuir, a “Dagoberto-dependência” que impera no Tricolor.

    Na atual temporada, o camisa 25 participou de 27 dos 66 gols marcados pela sua equipe. Em números frios, isso quer dizer que em 40% das vezes em que o São Paulo foi às redes adversárias, Dagoberto ou fez o seu ou deu a assistência para um companheiro marcar. Foram 15 gols e 12 passes certeiros.

    O exemplo mais recente aconteceu justamente na estreia de Adilson no Tricolor. Foi justamente Dagoberto quem serviu o zagueiro Rhodolfo e o atacante Rivaldo para marcar no empate por 2 a 2 com o Dragão.

    Dagoberto também é um dos jogadores que melhor finalizam no Brasileirão, atrás apenas de Leandro Damião, Douglas, Jobson e Elkeson.

    O bom momento vivido pelo jogador pode trazer problemas para Adilson por um único motivo: a boca do jogador, quase sempre “aberta” demais.

    Dagoberto já acumulou suspensões por cartões amarelos causados por reclamações contra a arbitragem em 2010. Neste ano, adotou linha mais leve e chegou a dizer que “evita até peidar” para não criar polêmica.

    O que o jogador quer é ajudar o Tricolor a continuar caçando o líder Corinthians.

    – Meu objetivo é sempre ajudar o São Paulo. Estou conseguindo, seja com gols ou assistências. E a equipe jogou um bom futebol, mas infelizmente não conseguiu os três pontos. A intenção era conquistar esta vitória para a torcida.

  9. Radar Soberano Says:

    Torcida já sabe: Rhodolfo na área é gol

    Zagueiro marcou seu quarto gol com a camisa do São Paulo: todos de cabeça

    Desde o primeiro jogo no São Paulo, o zagueiro Rhodolfo mostrou que seria importante não só no sistema defensivo, mas como também no ataque. Com boa presença de área, o são-paulino já marcou quatro gols com a camisa Tricolor, todos de cabeça.

    Destes, três foram assistências de Dagoberto e uma de Marlos. O camisa 4 reconhece que tem sido uma jogada muito trabalhada e espera que continue surtindo efeito. Diante do Atlético-GO, ele marcou logo no início do jogo após passe de Dagoberto.

    “A gente tem usado bastante este tipo de jogada nos jogos e eu já marquei quatro gols assim. Vou tentar aperfeiçoar cada vez mais, pois está dando certo”, disse Rhodolfo, que marcou pela primeira vez no Morumbi (veja mais abaixo).

    Apesar da felicidade do gol, o zagueiro lamenta o empate diante dos goianos. Consciente, o jogador sabe que não tem jogos fáceis no Campeonato Brasileiro e o São Paulo terá de tratar todos como uma verdadeira final.

    “Não era o resultado que gostaríamos. O Brasileiro não tem jogo fácil e temos de nos concentrar mais cada vez mais. Temos de pensar que cada jogo é uma final”, completou o são-paulino.

    Os gols de Rhodolfo:

    Portuguesa 2 x 3 São Paulo
    No segundo tempo da partida no Canindé, pelo Campeonato Paulista, Dagoberto cobrou falta do lado esquerdo do ataque são-paulino e Rhodolfo subiu mais alto que todos e marcou o terceiro gol do Tricolor no jogo.

    São Caetano 0 x 2 São Paulo
    No ABC Paulista, foi a vez de Marlos dar a assistência para Rhodolfo marcar. Após falta pela direita, o camisa 11 encontrou o zagueiro livre na área para abrir o caminho da vitória tricolor.

    São Paulo 2 x 0 Santa Cruz
    Um gol muito importante. Dagoberto cobrou falta praticamente do meio de campo e Rhodolfo, muito bem colocado, fez o primeiro do São Paulo no jogo da Arena Barueri. A equipe acabaria classificada para a próxima fase da Copa do Brasil.

    São Paulo 2 x 2 Atlético-GO
    Primeiro gol de Rhodolfo no Morumbi. No último sábado, aos oito minutos de jogo, novamente Dagoberto cruzou da direita do ataque e Rhodolfo, de cabeça, colocou para o fundo da rede adversária.

  10. Radar Soberano Says:

    Cañete desembarca em São Paulo e se apresenta como um ‘meia clássico’

    Meia foi revelado no Boca Juniors, da Argentina, mas se destacou apenas na Universidad Católica, do Chile, no início desta temporada

    O argentino Marcelo Cañete, 21, novo reforço do São Paulo, desembarcou neste domingo à noite discretamente, sem nenhum torcedor para recepcioná-lo no Aeroporto de Cumbica. Ainda desconhecido dos são-paulinos, o meia não se mostra incomodado com o fato e se apresenta ao público.

    – Sou um meia clássico. Gosto de ter a bola sempre comigo e ditar o ritmo de jogo. Encaro os adversários e procuro deixar os companheiros na porta do gol. Foi dessa forma que fiquei conhecido no Chile e na Argentina.

    Revelado no Boca Juniors, Cañete era visto no país como sucessor de Juan Román Riquelme e fala com orgulho da comparação.

    – É uma honra que me comparem e até me chamem de Román, meu ídolo. Isso só me motiva a seguir crescendo como profissional. Espero evoluir agora no São Paulo, que é um dos maiores clubes da América do Sul.

    Por fim, ele falou sobre a negociação envolvendo sua transferência para o São Paulo. Por pouco, uma divergência entre o empresário do atleta e a diretoria tricolor não prejudicou a transação.
    – Não sei qual foi o problema. Preferi não me manter informado porque estava ansioso. Foi tudo muito demorado. Tinha muita vontade de jogar aqui e via as coisas se complicando, demorando a se concretizar. Mas ainda bem que deu tudo certo e agora já sou jogador do São Paulo.

    O interesse do clube por Cañete surgiu após um bom primeiro semestre do meia no Universidad Católica, do Chile, clube pelo qual estava emprestado. Para contar com ele, o São Paulo precisou desembolsar US$ 3 milhões (R$ 4,7 milhões). A apresentação oficial do jogador deve ocorrer nesta segunda-feira, no CT da Barra Funda.

  11. Radar Soberano Says:

    São Paulo sente falta de um centroavante

    Diversas oportunidades de gols perdidas evidenciam necessidade de um goleador, mas Adilson não terá esse jogador tão cedo

    Fazia tempo que o São Paulo não sentia tanto a falta de um centroavante como no empate em 2 a 2 contra o Atlético-GO, no último sábado. Diversas chances reais de gol foram criadas, mas a maioria acabou desperdiçada.

    O estreante Adilson Batista precisou de apenas um tempo para sentir a ausência de um camisa 9. No intervalo, o treinador conversou com seus jogadores e pediu especialmente a Rivaldo e Dagoberto para que se revezassem na tentativa de dar referência ao time.

    A instrução surtiu efeito e Rivaldo fez um gol típico de centroavante. Mas os erros se sobressaíram aos acertos. O próprio camisa 10, além de Juan e Fernandinho perderam oportunidades daquelas que um atacante matador precisa de apenas uma durante o jogo.

    A grande esperança para solucionar a carência na posição está dentro do clube, mais especificamente no Reffis (centro de recuperação). Luis Fabiano ainda não tem data para voltar, mas todos no Tricolor acreditam que, com ele, a equipe atingirá outro patamar.

    – Primeiro ele é talentoso, um jogador de Seleção Brasileira. Nós conhecemos o atleta, mas não adianta lamentarmos a sua ausência – analisou o ponderado Adilson Batista.

    Henrique e Willian poderiam ser duas opções, como foram no primeiro semestre. No entanto, os dois estão com Ney Franco em preparação para o Mundial Sub-20 e não voltarão tão cedo.

    A derrota de ontem do Corinthians causou um alívio. A distância que poderia ser de nove pontos, ficou em seis. Por outro lado, não fossem as inúmeras chances perdidas diante do Atlético-GO, a liderança estaria apenas a quatro pontos.

    Enquanto Fabuloso não volta, Adilson terá de encontrar uma fórmula para o time não vacilar.

    As opções para o ataque

    Dagoberto
    Artilheiro do time na temporada com 15 gols, ele tem atuado mais centralizado do que em outros anos.

    Rivaldo
    Apesar de ser o armador do time, seus dois gols pelo clube foram como um típico centroavante.

    Willian
    Centroavante de ofício, poderia ter chances, mas está com a Seleção sub-20 de Ney Franco.

    Henrique
    Situação igual a de Willian. A final da Copa do Mundo da categoria só acontece no dia 20 de agosto.

  12. Radar Soberano Says:

    Missão de Adílson é arrumar defesa tricolor

    Empatar no Morumbi contra um time que luta para não cair no Brasileirão não estava nos planos dos jogadores do São Paulo irritados. A equipe contava com os três pontos diante do Atlético-GO, sábado, para colar no líder Corinthians, mas acabou tropeçando e foi vaiada pela torcida, que compareceu em bom número ao estádio – 23.487 pagantes.

    O técnico Adílson Batista, recém-chegado ao clube, terá de dar uma resposta logo para recuperar os dois pontos perdidos. O trabalho da semana será ajeitar a defesa, que desandou a falhar.

    Os próprios jogadores não se entenderam na hora de avaliar de quem foi a culpa pelos erros. Xandão, que bobeou nos gols do Atlético-GO, disse que o erro foi no meio. “Tinha de ficar algum jogador do meio na bola”, afirmou, referindo-se à cobrança rápida da falta que deixou Bida livre para marcar.

    Rhodolfo concordou com ele. “Tem de ficar na frente da bola sempre. Tomamos o gol na hora que a gente estava mandando na partida.” Adílson Batista, que foi bom zagueiro antes de virar treinador, não deu razão aos seus defensores. “Nos gols que tomamos, havia três atletas na marcação. Faltou um ficar na bola na hora da cobrança da falta, mas o zagueiro tem de estar de frente para o jogo, não se vira as costas para a bola. Nunca. De qualquer forma, nós erramos, nós falhamos, nós empatamos e nós vamos tentar resolver isso agora”, explicou, colocando panos quentes na polêmica.

    Adílson aproveitou para elogiar o desempenho de Denilson, que fez sua reestreia no Tricolor, mas acabou saindo na segunda etapa por causa do cansaço. Ele atuou como primeiro volante, no lugar de Rodrigo Souto, que acertou sua saída do clube.

    “Ele pediu para sair, é uma coisa normal, pois estava vindo de 15 dias de pré-temporada, tinha a questão do fuso horário, acordando de madrugada… Mas o Denilson suportou, jogou muito bem e com certeza vai ser importante para a equipe.”

    SITE DDR

    Um dos problemas do São Paulo contra o Atlético-GO foi achar que poderia vencer a qualquer momento. Além de Denilson, a equipe contava com a volta de Lucas, que estava na Seleção para a disputa da Copa América. E o craque não esperava um resultado adverso em casa. “Acho que a gente achou que a partida estava dominada quando fizemos o gol. Futebol tem de estar ligado os 90 minutos. Temos de tirar de lição para não acontecer isso de novo.”

    Ele também não entrou na polêmica sobre os erros defensivos e garantiu que o ataque do Tricolor também pecou ao não transformar em gols as chances criadas. “Vacilamos na bola aérea, que era o forte da equipe deles, mas também erramos na conclusão. Todo mundo tem sua parcela de culpa. Temos de aprender com isso, pois muitas vezes a vitória esconde os erros.”

    Hoje o time volta aos treinos e Adílson não terá tempo para trabalhar a equipe, que quarta-feira enfrenta o Coritiba, fora. “Não sou de ficar lamentando, tenho é de passar confiança ao time.”

  13. Radar Soberano Says:

    Os italianos de olho nos craques do São Paulo

    http://video.gazzetta.it/lucas-casemiro-pronti-l-europa/4b5e0c3c-9e47-11e0-b8a3-b0c8dc3c6dff

  14. Radar Soberano Says:

    Coluna do Zanquetta: Mudança de Estilo

    Mudando o estilo. JJ é um notável teimoso. Daqueles que irritam.

    Depois do jogo contra o Avaí, JJ cansou de ver questionamentos e críticas e fez algo pouco peculiar a ele. Resolveu mudar sua forma de agir e pensar. Mudou de estratégia. Conversando com a fonte deste Blog, soube que ele conversou com seus pares a respeito do que pretendia. Conversou depois, na reunião conciliadora com PCC o que pretendia. Não apostaria mais no 3-x-x. Agora, queria seu time não com uma zaga poderosa e sim com um meio forte e compacto.

    Sim, agora o meio de campo é a menina dos olhos de JJ. Outro fator que mudou, foi a questão de pensar em jogadores como porte físico. Tanto que viu em Wellington e Lucas, um futebol que não vira em C. Santana, Léo Lima entre outros. Velocidade e compactação. Pegada. Não é sinônimo de Guiñazu como ele pensava. Não precisa disto. Quando viu o Santos de Muricy, avançando pensou o que mudara. E percebeu que o que Muricy fez, foi dar consistência ao meio. Colocou um meio compacto, prendeu um dos laterais e pronto.

    Com o talento de Neymar, Elano e Ganso, garantiu a taça, mesmo com um Zé Mané no ataque. Pouco antes, ao ver o Barcelona jogar, entendeu que hoje, o futebol não se vence apenas defendendo lá atrás, mas com um time que pegue muito à frente. Quando tomamos aquela sapatada do Corinthians, foi o ponto final. Lembrou do meio do Inter que nos derrotou em 2006 e depois em 2010. Edinho, Fabinho, Tinga e Alex depois Sandro, Guiñazu, Tinga, D’Alessandro. Já voltando ao Corinthians, depois de ver sempre o SPFC perdendo o meio desde os tempos de Cristian, Elias e Douglas, com J. Henrique compondo, depois passando a Paulinho, Elias, Ralf e J. Henrique; recentemente, Paulinho, Ralf, Danilo e J. Henrique, resolveu inverter a situação.

    Infelizmente, foi na marra e na porrada que mudou. Concordo que depois de 4 anos de soberania total, é difícil mudar assim. Mas, este ano veio a virada de página. Mudamos a filosofia, subiram os garotos, o time ficou solto. Faltava experiência. Rivaldo acordou, Cícero chegou, Denílson veio com tudo, Piris para a lateral direita (Meu Deus! Um LD de formação e disputado por inúmeros clubes!) e Cañete para a armação. Além de Lucas, Casemiro, e Wellington que formaram o meio titular das 5 vitórias seguidas. Realmente, agora temos um meio de campo de respeito. E isto, porque estou contando Marlos como um atacante e ainda temos Jean que com um LD, pode ser um meia novamente. Formamos um meio forte.

    Para o ataque, LF, Dagoberto, Marlos e Fernandinho. Ainda tendo Henrique e Will J com Bruno na espera de chances. O que nos falta, é zagueiro. Com Rhodolfo, Xandão, Luiz Eduardo e Uvini, precisamos de mais gente. O garoto Jackson que foi preparado psicologicamente, foi emprestado ao Criciúma até o final da Série B. E agora??? Precisa de mais um!! Não podemos ficar como em 2002 com um baita time do meio para frente e esquecermos da zaga. Certo JJ? Equilíbrio. Nem 8, nem 80. Nem 8 zagueiros, nem apenas 4…

    Empate com o Atlético GO. Não comentarei sobre o jogo de sábado, porque Adílson apenas começou, para mim, o time entrou achando que ia destruir e perdeu gols demais. Vamos dar tempo ao tempo. Quando pensei em 2011, já imaginava que seria um ano no estilo 2004. De formação, de reconstrução de algo que durou 4 anos de taças e hegemonia e só não durou 5, porque tivemos um RG pelo caminho. Já vi gente comemorando ponto contra o rebaixamento. Menos.

    Força real. Quando virmos em campo, um time com Piris, Cañete, Denílson mais em forma, Casemiro e L. Fabiano, aí sim, poderemos medir nossas forças.

    Casemiro. A melhor proposta é da Internazionale. Oferta 12 milhões de euros e ainda concederia Phillipe Coutinho, ex Vasco por 1 ano e meio de empréstimo. JJ já afirmou que não venderá agora.

    R. Souto. Podem falar, reclamar, mas o Souto fará falta. Ele era na dele, mas ajudava demais o Tricolor na posição em que atuava. Sem um jogador nas mesmas características, ficaremos órfãos. Agora, além de zagueiro, voltamos a carecer de um primeiro volante.

    Zagueiro. Por falar em zagueiro, o SPFC aumentou a oferta por Toloi, mas o Goiás está reticente e não abrirá mão do jogador. É o que afirma o próprio jogador ao São Paulo. Já em 2012, pelo visto, o São Paulo firmará pré contrato com Breno e Coates, bom, prefiro nem comentar…

    Há um outro zagueiro na mira e que nos foi oferecido. Acredito que até o final de Agosto, a situação esteja sob controle. É do mercado interno e está longe de ser nome dos sonhos.

    Ilsinho e Dagoberto. Ainda não acertaram renovação e nem demonstram vontade para que isto ocorra. Parece que os dias agora, são como contadores regressivos para eles no SPFC.

    Sérgio Motta. E o craque, hein? Tem proposta do Icasa e aceitou…

    Henrique Miranda. Renovou até 2016. O São Paulo está agindo de forma correta. Está seguro com a maioria de suas crias e não precisa se preocupar com empresários inescrupulosos. Uma pena que o outro Henrique, não esteja facilitando. É capaz que fique sem jogar ou seja emprestado…

    MP libera bandeiras nos estádios. Agora veremos se os animais que acham que estádio é ringue, saberão se comportar. E isso vale também para nossa torcida.

    #foraricardoteixeira. Vamos apoiar a campanha e detonar o nefasto senhor que destroça o futebol nacional e anda cagando pra todo mundo…

    E por falar em cagando… Como RT disse estar cagando para todo mundo, agora Dagoberto está “peidando para virar polêmica”. A que ponto chegamos no futebol? Às vezes, dá vontade de ter nascido apaixonado por automobilismo, iatismo, basquete, etc e menos fixação em futebol…

    Alexandre Zanquetta

    alexandrezanquetta@uol.com.br

    twitter.com/blogdosaopaulo

  15. Radar Soberano Says:

    MUITOS ERROS EM UM JOGO SÓ

    Adilson Batista e o São Paulo iniciaram muito mal o “caminho suave” que se avistava nos próximos sete jogos. Erraram muito, permitiram o empate ao Atletico Goianiense e hoje podem ver o Corinthians deslocar-se ainda mais na liderança.

    Os erros:

    1) Escalação inicial – O gol de Carlinhos Paraiba contra o Inter, no último minuto de jogo da semana passada custou caro. O volante-que-ataca-mas que também é um meia-que-defende grantiu um lugar no time. Jogou ao lado de Denilson e Wellingtonm, que teve mais liberdade para atacar. Rivaldo ficou no meio e Lucas foi para o ataque. Às vezes, Lucas recuava e Rivaldo avançava. Tudo muito complicado. O simples era entrar com Denilson e Wellington como volantes, Lucas e Rivaldo na meia, Fernandinho e Dagoberto no ataque.

    2) Erro de atenção – O time permitiu a cobrança rápida da falta pelo Atletico. Xandão conseguiu recuperar-se e, em vez de dar um bico na bola, tentou domina-la. Perdeu para Bida, que empatou no último minuto de jogo do primeiro tempo.

    3) Primeira substituição – O São Paulo vencia por 2 a 1 e Denilson precisou – porque não está em totais condições físicas – sair. Adilson o trocou por Rodrigo Caio, mantendo o esquema com dois volantes e mais o inexplicável Paraíba. Só para comparar: duas horas antes, a Portuguesa jogava com o Vitória. Depois de vencer o primeiro tempo por 1 a 0, sofreu um sufoco total. O treinador Jorginho tirou um meia (Ivo) e colocou um lateral superofensivo (Raí). E tirou outro meia (Marco Antonio e colocou um atacante pela direita (Clayton). Equilibrou o jogo e fez o segundo gol.

    4) Erros individuais – Rivaldo perdeu um gol feito quando estava 2 a 1. A zaga permitiu o empate, em uma jogada manjada. E Fernandinho não conseguiu fazer o terceiro quando dribou tres zagueiros e chutou em vez de servir Dagoberto.

    4) Segunda substituição – Não foi um erro, mas seria desnecessária se Adilson não tivesse feito a primeira. Quando o Atletico empatou, ele teve de tirar Paraíba para colocar Fernandinho. O time poderia estar assim ha tempos se ele não tivesse optado por Rodrigo Caio.

    5) Terceira substituição – Marlos e não Cícero é que deveria ter entrado. Marlos conhece mais os jogadores e Cícero está chegando agora. Adilson deve ter optado por uma jogada aérea, que não veio.

    Blog do Menon

  16. Felipe 6-3-3 Says:

    Lina, o time está forte mesmo sem um zagueiro.
    Pensa quando estiverem todos os reforços: Piris, Cañete, Luis Fabuloso.
    O Piris é um tremendo jogador.
    Vai ficar um timaço em breve.
    O Fabuloso disse que volta em 1 mes, o jogo de volta com as galinhas é em setembro eu acho.
    Eu só quero arregaçar elas, o resto tá tudo certo.

  17. Tri-Mundial Says:

    Agora é com o Coritiba, joguinho complicado.
    O SPFC pode sair com 3 pontos de lá, o Coritiba gosta de atacar, melhor para os contra-ataques do SPFC.

  18. william Says:

    cara , juan , xandao e dagoberto não merece jogar no são paulo !!!

  19. Papito Says:

    A torcida corneta demais, tá loco.
    Estamos em segundo na tabela meu !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: