Campanha #ForaCopa2014 #ForaOlimpíadas2016

Apesar da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos serem eventos bastante interessantes, eles não estão sendo conduzidos de maneira séria no país. E numa resposta contra a corrupção, resolvemos lançar a Campanha #ForaCopa2014 #ForaOlimpíadas2016

Obs. 1: Aproveite e assine o abaixo-assinado online contra a realização da Copa: http://www.petitiononline.com/Copa2014/petition.html

Obs. 2: Acesse o site do ‘Movimento Brasil Eficiente’ (http://www.brasileficiente.org.br/Home.aspx), e assine o abaixo-assinado deste movimento: http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/8425

Espalhe o link deste vídeo por aí.

Obs. 3: Após a etapa de conscientização, será preciso organizar grandes manifestações nas principais cidades do país.

Não sejamos tolos desta vez! Em entrevista concedida no dia 22/06, o deputado Romário disse que os custos com a Copa estão estimados em 100 bilhões de reais (isso mesmo… 100 bi)
http://esportes.r7.com/futebol/noticias/-copa-do-mundo-vai-custar-r-100-bilho…

Para aqueles que ainda duvidam de corrupção na FIFA – assistam ao documentário “FIFA Dirty Secrets”, exibido recentemente pela BBC (Inglaterra), em versão legendada em português:
Parte 1) http://www.youtube.com/watch?v=HggBZJUz-iQ&feature=player_embedded
Parte 2) http://www.youtube.com/watch?v=LnJt2c0zLYU&feature=player_embedded

Repasse aos seus contatos. O sucesso desta campanha depende de todos nós! Obrigado.

***(*) ******(*)

Nota: Achei o vídeo no You Tube. O texto está na descrição do vídeo. É indignação pura e opinião sincera. Merece a divulgação.

Anúncios

15 Respostas to “Campanha #ForaCopa2014 #ForaOlimpíadas2016”

  1. GUINA SP10 Says:

    eu assino aonde?

  2. Jorge Tri-Hexa Says:

    Assinei os dois.
    Abraço

  3. Radar Soberano Says:

    Antipatia da Globo e rejeição a Andrés travam criação de Liga

    A criação de uma Liga para substituir o Clube dos 13 está na geladeira. Segundo três cartolas ouvidos pelo blog, um dos principais motivos é o fato de a Globo não ver com simpatia a fundação de uma entidade. De acordo com eles, a emissora prefere deixar o controle da situação com a CBF, sua parceira.

    Oficialmente, a Globo diz não ter preferência e assegura não se envolver no assunto. Porém, durante a disputa pelos direitos de transmissão do Brasileirão, sua decisão de negociar separadamente com os times alimentou o desejo por uma nova associação.

    Agora, com as transmissões asseguradas, os executivos da emissora não demonstram o mesmo interesse. Além disso, Andrés Sanchez, antes favorito para presidir a nova Liga, já não tem o prestígio de outrora junto a alguns de seus colegas.

    Principalmente os do Rio de Janeiro. Cartolas cariocas avaliam que o corintiano quis aparecer demais no processo de implosão do C13, dando declarações desastrosas. Acreditam também que ele forçou a barra para virar o nvo líder do futebol brasileiro. Para evitar o desgaste de uma eleição, que provocaria novos atritos políticos, parte dos dirigentes prefere deixar tudo como está.

    Em reunião do C13 na última sexta, não se tocou no assunto destituição de Fábio Koff. Todo aquele ódio parece ter ido embora com a chegada dos milhões da Globo. Ficou combinado que cada clube pagará suas dívidas com os repasses que a emissora tem a fazer do contrato antigo. Quem tem mais dinheiro para pagar do que para receber ficou de procurar a Globo e o banco credor para trocar o avalista. Koff ficará livre da responsabilidade.

    Por causa da quitação dos débitos, é improvável que uma nova entidade seja criada antes de dezembro. O problema é que, sem administrar o contrato com a Globo, o Clube dos 13 não teria como sobreviver a partir de janeiro. Depois de todo o reboliço causado, é difícil imaginar as equipes tirando dinheiro de seus cofres para sustentar a associação. Para CBF e Globo, o cenário mais cômodo é o C13 fechar as portas e não ser substituído. As duas teriam controle total da situação.

  4. Radar Soberano Says:

    São Paulo torce contra europeus para levar joia do Goiás

    Anderson Rodrigues

    Para ter o zagueiro Rafael Toloi, o São Paulo vai precisar esperar a janela de transferências para o futebol europeu se fechar. O jogador de apenas 19 anos, considerado a joia do Goiás, seria o segundo reforço tricolor para ajudar o técnico Paulo César Carpegiani na busca pelo título do Campeonato Brasileiro (Cícero, do Wolfsburg-ALE, já foi contratado). Segundo a diretoria do clube goiano, a estratégia para negociar o jogador é tentar vendê-lo para o exterior até o final de julho. Mas um entrave, ou melhor, a falta do passaporte comunitário, pode facilitar sua chegada ao Morumbi.

    Segundo o gestor de Futebol do Goiás, Kleber Guerra, o clube já tem em mãos propostas de Udinese e Juventus, ambos da Itália, que estariam dispostos a pagar R$ 18 milhões por Toloi. “Nossa expectativa é que algum clube chegue aos 10 milhões de euros (R$ 22,2 milhões). O Toloi tem um perfil jovem, de potencial e com inúmeras convocações para as seleções de base do Brasil. Vamos cuidar do futuro dele com tranquilidade”, afirmou ao Terra.

    O Goiás renovou o contrato de Toloi, que vencia em março deste ano, até fevereiro de 2015. Atualmente na Série B e em busca do acesso, o time recebeu duas propostas do futebol brasileiro.

    “Fomos procurados por São Paulo e Fluminense, ambos por empréstimo. Para nós, esta possibilidade não existe. O São Paulo cogitou envolver alguns jogadores. Para o mercado interno, não vejo um clube para adquiri-lo, mas não descartamos uma evolução nas negociações. O Toloi está num alto nível, para sair em definitivo”, completou.

    Alternativas
    O São Paulo larga na frente para levar o jovem capitão do time goiano. Ele não possui passaporte comunitário e um destes clubes europeus precisaria se desfazer de um estrangeiro para contar com seu futebol imediatamente. Na Itália, por exemplo, os times podem ter apenas um jogador de outra nacionalidade – a não ser que possua a dupla nacionalidade, o que deve ocorrer com Toloi só em 2012.

    O Goiás espera uma proposta mais convincente do São Paulo, com a inclusão de valores e, quem sabe, de jogadores, para colocar Toloi num dos principais clubes do país. “Sabemos que o São Paulo é uma vitrine, mas o negócio precisa ser bom para todos. Temos uma boa relação com a diretoria paulista e ficamos contentes pelo interesse. Melhor aguarmos”, disse Guerra.

    Outra possibilidade é algum time do exterior investir e emprestar Toloi ao futebol brasileiro. No São Paulo, haveria a chance de o Goiás se reforçar e buscar o acesso.

  5. Radar Soberano Says:

    a não tem moral nem autoridade para puxar orelha, dispara ministro do Esporte

    A lentidão do Brasil nas obras para a Copa do Mundo de 2014 gerou críticas da Fifa na última semana. O secretário-geral da entidade, Jerome Valcke, chegou a expressar publicamente esta insatisfação, ao afirmar que “não temos estádios, nem aeroportos”. O “puxão de orelha” não foi bem recebido pelo ministro do Esporte brasileiro, Orlando Silva.

    “A Fifa não puxa a orelha de ninguém, até porque não tem moral nem autoridade para isso. Assim como o governo brasileiro não puxa a orelha dela. O que acontece é que às vezes ocorrem divergências entre o governo brasileiro e a Fifa, e isso é natural. Cada um defende seu interesse e não se surpreenda se houver mais divergências até a Copa do Mundo”, declarou, em entrevista à Rádio Estadão ESPN.

    Apesar das críticas da entidade às obras no Brasil, a Fifa segue com o respaldo do País para a garantia de alguns privilégios. Entre eles, está a isenção tributária. “Quando o Brasil se inscreveu para tentar sediar a Copa do Mundo, a Fifa pediu 11 garantias ao governo brasileiro. Uma delas, foi a garantia de isenção tributária para ela e para os parceiros envolvidos com a organização do evento em si. Então foi um acordo”, explicou o ministro.

    “O Brasil vai receber a Copa do Mundo e cada uma das 12 cidades receberão jogos da competição por decisão voluntária, não foi imposição da Fifa. O país se candidatou e cada cidade também, então foi um acordo”, completou.

    Entre essas cidades está São Paulo, que utilizará o novo estádio do Corinthians para sediar a competição. Apesar dos atrasos nas obras, Orlando Silva rechaçou a possibilidade de a capital paulista ficar de fora do torneio e garantiu que “prefeituras e governos estaduais vão cumprir o compromisso firmado”.

    Para isso, o governo também está ajudando, através do BNDES. “O BNDES faz um empréstimo. Vai emprestar para os estádios no Brasil como empresta para outros segmentos. A operação é bancária, o BNDES ganha com isso, cobra juros por isso e não tem nada de aportar dinheiro do governo federal”, afirmou.

    “Fazer a Copa em São Paulo traz ganhos para a cidade. Na Fórmula 1, por exemplo, a cidade ganha três vezes mais em impostos do que aquilo que aporta de recursos para investimento em Interlagos. Se São Paulo tivesse uma solução mais rápida, estaria garantida na Copa das Confederações e se ficar fora vai ser uma perda de arrecadação e de receita. Acredito que a solução que São Paulo deu é uma solução acertada”, concluiu o ministro.

  6. Radar Soberano Says:

    Painel FC: Fla planeja ir à Fifa no caso da Taça das Bolinhas

    Cartolas flamenguistas afirmam que o clube já se movimenta para acionar a Fifa no caso da Taça das Bolinhas. Segundo eles, o Flamengo contratou um advogado na Suíça para entrar com ação na entidade contra a CBF. A motivação do processo é a omissão da confederação brasileira em relação ao Sport, que entrou na Justiça comum –prática condenada pela Fifa–, requerendo o título do Campeonato Brasileiro de 1987.

    A informação está na coluna Painel FC, assinada por Eduardo Ohata e Bernardo Itri, publicada nesta segunda-feira pela Folha. A íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

    O troféu relativo à conquista de cinco títulos brasileiros foi entregue ao São Paulo em fevereiro e permaneceu com o clube do Morumbi apesar de uma liminar obtida pelo time carioca junto ao Tribunal de Justiça do Rio –que caiu no final de junho.

    Esta passou a ser a segunda derrota recente do Flamengo na Justiça. No último dia 15 de junho, o Sport conseguiu decisão favorável na Justiça de Pernambuco.

    Na ocasião, a CBF finalmente foi notificada e publicou no seu site uma ‘resolução da presidência’ para revogar o reconhecimento do Flamengo também como campeão do Nacional de 1987.

    O Sport busca continuar sendo o único vencedor daquela edição, depois de a entidade resolver dividir a conquista com os cariocas em 21 de fevereiro. O Fla avisou que vai recorrer na Justiça

    A TAÇA DAS BOLINHAS

    O imbróglio do título de 1987 ganhou força nos últimos anos por causa da disputa da posse da Taça das Bolinhas, troféu oferecido pela Caixa Econômica Federal ao clube que fosse campeão brasileiro cinco vezes (ou três consecutivas).

    Com o título do São Paulo em 2007, o clube do Morumbi passou a brigar pela posse da taça enquanto o Flamengo afirmava ser merecedor do prêmio pelas conquistas de 1980, 1982, 1983, 1987 e 1992, embora o de 1987 não fosse reconhecido pela CBF.

    Naquele ano, o Nacional foi organizado pelo Clube dos 13 e substituiu o Brasileiro, ganhando o nome de Copa União. Com o campeonato em curso, a CBF determinou que os vencedores dos módulos verde (Flamengo e Internacional) e amarelo (Sport e Guarani) deveriam se enfrentar.

    O Sport foi declarado campeão e o Guarani vice porque os integrantes do módulo verde se negaram a jogar o quadrangular decisivo.

  7. Radar Soberano Says:

    Depois de semana conturbada, Carpegiani terá problemas e soluções

    Quando o elenco do São Paulo se reapresentar, hoje à tarde, no CT, o técnico Paulo César Carpegiani inicia uma semana recheada de problemas.

    Não bastassem as dificuldades com que o treinador tem convivido nas últimas semanas, como a pressão pelas duas derrotas — Corinthians e Botafogo — e a ausência de Lucas — o treinador precisará quebrar a cabeça para superar mais um obstáculo, os jogadores convocados para a seleção brasileira Sub-20, que disputará o Mundial da categoria, na Colômbia, no fim do mês.

    Além de Lucas, na Seleção que disputa a Copa América, na Argentina, Carpegiani já não conta mais com Casemiro, um dos principais jogadores da equipe, Bruno Uvini, Willian José e Henrique. Somando todos os problemas, o treinador tricolor terá, a partir de hoje, apenas 21 jogadores à disposição. Deles, três são goleiros e Henrique Miranda, lateral-esquerdo, está machucado e vai demorar, pelo menos, mais duas semanas para ser liberado. Um número muito baixo e que compromete o trabalho no Campeonato Brasileiro.

    “Temos que nos recompor durante a competição. No futebol, os momentos são bons e ruins, todos vão passar por isso. Depois de cinco vitórias, agora entramos em uma fase ruim e temos de saber conviver com isso. Perdemos e estamos do outro lado da medalha. Futebol exige isso”, diz Carpegiani.

    Para piorar, o atacante Luis Fabiano, contratado a peso de ouro, está longe de reestrear. Com todos esses problemas, o técnico tem dificuldades para escalar, principalmente, o ataque. Hoje, conta apenas com Fernandinho e Dagoberto, que não deverá continuar no clube — pode assinar um pré-contrato com qualquer equipe em novembro — e pode fechar com outra equipe em breve.

    “O torcedor jamais vai entender esses problemas, ele quer ver a equipe com vitórias. Temos buscar os resultados e trabalhar para superar isso. A diretoria está ciente dos problemas que estamos enfrentando”, observa o treinador, deixando claro que conta com reforços para que a situação seja menos problemática. O primeiro a chegar foi o meia Cícero.

  8. Radar Soberano Says:

    Cícero chega como primeira solução, mas clube vai atrás de outros nomes

    Para evitar ainda mais problemas para o técnico Paulo César Carpegiani, a diretoria começa a se mexer para reforçar o elenco.

    O primeiro a chegar foi o meia Cícero, que estava no futebol alemão. Mas ele precisa resolver problemas na Alemanha, onde defendia o Wolfsburg, e ainda não tem data para estrear — será apresentado na quinta-feira.

    “Precisamos de dois a três reforços para suportar bem o mês de julho, quando teremos muitos desfalques na equipe”, diz o diretor de futebol, Adalberto Baptista. Além de Cícero, que já chegou e assinou contrato até julho de 2013, a diretoria corre atrás de mais um jogador de meio de campo, que é o argentino Cañete, que disputou a última Taça Libertadores pela Universidad Católica.

    Os direitos do jogador pertencem ao Bica Juniors e entre São Paulo e o clube da Argentina já está tudo acertado. O São Paulo pagaria US$ 3 milhões para ficar com Cañete. A única pendência, agora, é conseguir a liberação junto ao time chileno, já que ele ainda tem contrato com a Universidad Católica até dezembro. Para liberá-lo agora, os chilenos pedem uma compensação financeira.

    Outro que está na mira há um bom tempo é o zagueiro Coates. O setor está muito vulnerável, uma vez que Rhodolfo está voltando agora de contusão e Bruno Uvini foi para a seleção brasileira Sub-20. Rafael Tolói, do Goiás, interessa.

  9. Radar Soberano Says:

    Apelação

    Cartolas flamenguistas afirmam que o clube já se movimenta para acionar a Fifa no caso da Taça das Bolinhas. Segundo eles, o Flamengo contratou um advogado na Suíça para entrar com ação na entidade contra a CBF. A motivação do processo é a omissão da confederação brasileira em relação ao Sport, que entrou na Justiça comum -prática condenada pela Fifa-, requerendo o título do Brasileiro de 1987.

  10. Radar Soberano Says:

    Rafael Tolói pode reforçar a retaguarda

    São Paulo tenta convencer o Goiás a emprestar o zagueiro por um ano com a promessa de valorizar o jogador antes de negociá-lo para o exterior

    Depois de anunciar a contratação do meia Cícero, a diretoria do São Paulo corre para reforçar o setor defensivo do time. Apesar das saídas dos experientes Alex Silva e Miranda, o Tricolor ainda não contratou ninguém para o setor. Nome que anima os dirigentes é o de Rafael Tolói, destaque do Goiás nos últimos dois anos.

    A diretoria são-paulina tenta convencer o clube goiano a emprestar o beque por uma temporada. Comprar os direitos econômicos do atleta está fora de cogitação ? Rafael já recebeu algumas sondagens do futebol europeu. O São Paulo acredita que, se atuar pelo clube do Morumbi, Tolói terá maior visibilidade e renderá ainda mais dinheiro ao Goiás numa futura transferência.

    “Nós precisamos de atletas para melhorar o elenco. A diretoria prometeu correr atrás nos próximos dias”, disse o técnico Paulo César Carpegiani.

    Enquanto não consegue trazer um defensor para reforçar seu elenco, o São Paulo valoriza os garotos formados na base. Atualmente titular da equipe, Luiz Eduardo, de apenas 18 anos de idade, ganhou aumento salarial e renovou contrato até julho de 2016.

    “Eu espero retribuir com muito trabalho e dedicação toda a confiança que estou recebendo aqui no São Paulo. Só tenho de me empenhar cada vez mais para buscar meu espaço no clube”, disse Luiz Eduardo, que foi promovido ao elenco profissional do Tricolor em janeiro deste ano

  11. Radar Soberano Says:

    Ademilson marca, Brasil vence e está na semifinal do Mundial sub-17

    Equipe enfrentará o Uruguai na disputa por uma vaga na decisão

    A seleção brasileira sub-17 venceu mais uma partida no Mundial da categoria, disputado no México, e mais uma vez contou com ajuda de um são-paulino para continuar no torneio. Ademílson marcou na vitória por 3 a 2 sobre o Japão, jogo no qual Lucas Piazon foi desfalque por suspensão automática, e o time se classificou às semifinais da disputa.

    O primeiro gol brasileiro foi marcado por Léo, aos 15minutos, que abriu o placar após completar de cabeça a cobrança de escanteio feita por Adryan. Na volta do intervalo, quando a equipe sofria pressão do adversário, apareceu o tricolor Adelmilson para dar tranquilidade ao Brasil. O são-paulino recebeu a bola na entrada da área, dominou e bateu sem dó!

    Aos 14 minutos Adryan fez o terceiro do Brasil, um lindo gol. O jogador driblou o zagueiro, pela esquerda, e bateu forte para o gol, ampliando a vantagem.

    O Japão descontou com Nakashima aos 32. O jogador recebeu o cruzamento rasteiro na área e completou para o gol. Aos 43 mais um gol japonês. Hayakawa completou de cabeça após o rebote do escateio. Mas não houve tempo para mais sustos e a Seleção se garantiu na semifinal do torneio.

    A equipe vai enfrentar um adversário conhecido e tradicional para tentar uma vaga na decisão do Mundial: o Uruguai será o rival brasileiro. O jogo está marcado para a próxima quinta-feira (07), às 17h (de Brasília), e o técnico Emerson Ávila poderá utilizar Lucas Piazon no confronto.

  12. Radar Soberano Says:

    São Paulo acerta com o Boca, mas depende do Universidad para anunciar Cañete

    O São Paulo recebeu resposta afirmativa do Boca Juniors, que aceitou negociar o meia Marcelo Cañete, 21, ao clube paulista. A concretização do acordo agora depende do Universidad Católica. O jogador está emprestado até dezembro ao clube chileno, que considerou baixo o valor oferecido para liberar o meia seis meses antes.
    A negociação está sendo conduzida pelo diretor de futebol do São Paulo, Adalberto Baptista, com o auxílio de empresários. O time do Morumbi enviou fax na quinta-feira ao Boca Juniors destacando que não aumentará a proposta de US$ 3 milhões feita para contratar Marcelo Cañete.

    Os clubes argentino e chileno terão de acertar a divisão dos valores. Para assinar a saída de Cañete, o Universidad estuda receber um jogador do Boca por empréstimo, além da recompensa financeira (acima de US$ 1 milhão).

    A negociação de Cañete ao São Paulo é bem recebida pelo Boca Juniors, que acumula dívida de mais de R$ 40 milhões.

    Cañete não tem espaço no clube argentino, pois Riquelme atua na mesma função do alvo do São Paulo. No entanto, Cañete é visto como um atleta promissor e se destacou defendendo o Universidad Católica na Libertadores.

    Carente de meias armadores no elenco, o São Paulo contratou o meio-campista Cícero, que estava no futebol alemão. Além de Cañete, o time paulista espera confirmar a aquisição do zagueiro Coates, do Nacional-URU e que integra o Uruguai na Copa América.

  13. Radar Soberano Says:

    ENTREVISTA COM JOSÉ TRAJANO

    “PARA O GALVÃO, TODO ARGENTINO É FILHO DA PUTA E TODO BRASILEIRO É VIRGE”

    Você é um homem de esquerda?

    Eu me considero assim, mas o difícil é definir o que é ser de esquerda em 2011. Parece que tudo está de ponta cabeça. Quem era adversário, hoje é aliado e tem prestígio junto ao governo. Estou falando de Collor, Sarney e Renan Calheiros. Em Portugal, a esquerda ganhou, fez merda e a direita está voltando. Na Espanha, o governo de esquerda também teve problemas. O bom é que na América do Sul está dando certo. Vamos torcer pelo Jujica no Uruguai e para que o Chávez não morra. Hoje, ser de esquerda parece algo démodé, mas eu ainda sigo esses princípios de vida.

    Existe um jornalismo de esquerda?

    Houve um tempo em que se praticava um jornalismo de esquerda através da imprensa nanica e de órgãos alternativos. Mesmo nas grandes corporações era possível emplacar matérias de esquerda, mas hoje é muito complicado. Jornalismo de esquerda existe com Ricardo Kotscho, esse repórter maravilhoso, com Caco Barcellos e existia com o Tim Lopes. Não ficam parados em casa, buscam a realidade e a mostram. Jornalismo de esquerda é fazer jornalismo verdade. Não ter rabo preso . Nós fazemos isso aqui com as matérias do Roberto Salim.

    Você é mal humorado?

    Quem não me conhece acha que sou. Mas não sou. O que eu sou é indignado. Como dizia o meu professor Darcy Ribeiro, é possível escolher entre ser resignado e indignado. Eu escolhi a segunda opção.

    A ESPN tem a imagem de um jornalismo contrario ao status quo? Como isso foi conseguido?

    Nós somos uma empresa norte-americana e que fala muito de esportes como beisebol, hóquei no gelo, NBA e sempre com um viés comprometido com a informação correta. Mas não é só isso. Quem tem jornalistas como Helvidio Mattos, Roberto Salim e Marcelo Gomes sempre terá matérias investigativas. É só fazer a pauta bem estruturada e sair atrás. Tocar fogo no rabo. Aqui não tem lista de matéria proibida, não tem tema que não pode ser enfocado, não tem o que pode e o que não pode. Pode tudo, desde que seja jornalismo bem feito.

    Como ter um bom texto na televisão?

    Muito difícil. O pessoal da televisão escreve muito pouco, o mínimo. Apenas nos programas especiais, mais longos é que aparece um bom texto. Escrever bem é no jornal e em revistas. Aí é que se aprende a escrever bem. Hoje tem muito jornalista de Google, que não apura nada, está acabando o bom texto.

    Se Ricardo Teixeira fosse impedido, o futebol brasileiro melhoraria de uma hora para outra, ou ele não é um mal isolado, é apenas o reflexo da média dos dirigentes brasileiros?

    É claro que iria melhorar em um primeiro momento, principalmente na questão ética. Seria uma vitória da cidadania se ele saísse pela porta dos fundos, humilhado. Mas, quem entraria no lugar? Mudaria algo? Não acredito em troca de nome por nome. Deve ser bom ser dirigente, eles não largam o osso nunca. Ficam 20 anos na CBF, no CoB, não saem nunca. O Brasil precisa mudar e ter uma política do esporte bem feita que não seja refém de um partido político como o PCdoB. Precisava mudar muita coisa. E o perigo é o Ricardo Teixeira cair para cima e virar presidente da Fifa.

    Você tem saudades dos jogadores de antigamente?

    Tenho sim. No campo, tenho saudades de Gérson, Rivellino, Ademir da Guia e Didi. Fora de campo, tenho saudades da contestação de Afonsinho, Caju, Sócrates e Casagrande. O que me agrada hoje é ler o Sócrates a Carta Capital e o Tostão na Folha de São Paulo.

    O que você achou da “evangelização” da seleção na última Copa?

    Não levou a nada. O Brasil perdeu como na Copa anterior. Não tenho nada contra a fé de cada um, mas transformar a seleção brasileira em um canal de exposição de sua fé, eu não concordo. O pastor que deitou e rolou na última copa agora foi barrado pelo Mano. Fez muito bem.

    A Globo manda no futebol brasileiro?

    Manda, não faz bem para o futebol do Brasil, mas não sei se iria melhorar com a Record. A Globo tem seus pecados, como o horário dos jogos, o monopólio, mas tecnicamente ela é ótima. Tenho amigos na Globo, eles recebem bem, há muitos empregos. Fez aquele material contra o Ricardo Teixeira e depois tirou o pé. E a Record está fazendo agora, por qual motivo?

    O que vc acha do Galvão Bueno?

    Ele é um bom narrador e tem conhecimento sobre esportes. Entende de basquete, de vôlei, de Fórmula-1, apesar de o Piquet falar que ele não entende nada. O problema do Galvão é que ele virou a voz do Brasil e é muito ufanista. Para ele, todo argentino é filho da puta, todo uruguaio é bandido e todo brasileiro é uma virgem. É difícil entender o que passa na cabeça desse pessoal que ficou rico, o Marcelo Rezende, o Datena, o Galvão. Eles piraram.

    O que você acha do time do Mano?

    O início é animador, com essa idéia de jogar com três atacantes. Gosto muito. Ele está colocando Ganso, Neymar, Robinho, Pato todos juntos, é uma ousadia que estava faltando. Eu acho ele bom, mas um pouco blasé demais. É muito media training, responde tudo no mesmo tom, esteja bravo ou feliz.

    Por que você fala mais do América do que a Portuguesa. Quando o América subiu, teve uma cobertura grande e para a Lusa, nada…

    Não é bem assim. Quando o América subiu, Romário estava lá e é sempre notícia. E o América é muito mais simpático do que a Portuguesa. O América é realmente o segundo time de todo carioca, a Portuguesa, não. Disputa com o Juventus. Mas não se pode comparar as duas situações. A Portuguesa está se mantendo, com luta, e o América corre risco de acabar.

    Quais foram os grandes jornalistas com que você conviveu?

    São muitos amigos, que me ajudaram a entender a vida e que moldaram meu caráter. Sérgio de Souza, da Realidade, Ex e Caros Amigos, Narciso Kaliki, Tarso de Castro, Cláudio Abramo, que detestava esporte mas me deixava fazer minhas loucuras na Folha e o Mino Carta, que luta bravamente pela Carta Capital.

    O que mais você quer falar?

    Deus salve a América.

    Blog do Menon

  14. Franklin Says:

    Lina, assiste a tabelinha de ontem com o Birner e o Kfouri.
    O Kfouri fala a respeito da petulância do barão na Argentina.
    Não é só a impunidade que fode o Brasil, mas a certeza que nada vai acontecer.

  15. Radar Sob Says:

    Flamengo viaja à Suíça por reconhecimento do título de 1987 e punição ao Sport

    O Flamengo montou uma “estratégia de guerra” para reaver o reconhecimento do título brasileiro de 1987 e conseguir uma punição ao Sport na Fifa. O UOL Esporte apurou que, no último domingo, Rafael de Piro, procurador geral e vice-jurídico do clube, embarcou para Zurique, na Suíça, onde se localiza a sede da entidade. O dirigente chega nesta quarta-feira ao Rio de Janeiro.

    RELEMBRE O “CAPÍTULO ANTERIOR DA NOVELA” SOBRE O TÍTULO DE 1987

    A novela sobre o título do Campeonato Brasileiro de 1987 ganhou mais um capítulo. Nesta quarta-feira, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reconheceu o Sport como único campeão da polêmica edição. A decisão cumpre determinação da Justiça pernambucana.

    CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA
    LEIA OUTRAS NOTÍCIAS SOBRE O FLAMENGO
    LEIA OUTRAS NOTÍCIAS SOBRE O SPORT
    Na Fifa, Rafael de Piro apresentou documentos da Confederação Brasileira de Futebol reconhecendo a conquista do Flamengo ao lado do Sport. Inclusive, a CBF é a principal arma do Rubro-Negro para obter êxito na operação, já que a entidade se manifestou a favor da causa do clube carioca, dizendo não constar irregularidades em dois campeões reconhecidos.

    Em relação ao Sport, que foi à Justiça Comum para ser considerado o único campeão de 1987, o Flamengo entrou com uma representação pedindo severa punição aos pernambucanos. De acordo com a Fifa, um clube só pode realizar tal operação quando todos os recursos na Justiça Desportiva se esgotarem. Agora, o Flamengo aguarda a posição oficial da entidade, que analisa o caso.

    No dia 21 de fevereiro deste ano, a CBF reconheceu o Flamengo como hexacampeão nacional. No entanto, em 15 de junho, a mesma CBF teve de acatar decisão da 10ª Vara da Justiça Federal, reconhecendo apenas o título do Sport.

    Com a resolução de considerar apenas o Sport campeão de 1987, o Flamengo voltou oficialmente a ser pentacampeão brasileiro, dono dos títulos de 1980, 1982, 1983, 1992 e 2009. Por consequência, o São Paulo passa a ser o primeiro pentacampeão e, assim, o real detentor da Taça das Bolinhas, já que faturou os campeonatos de 1977, 1986, 1991, 2006, 2007 e 2008.

    O disputado troféu foi criado pela Caixa Econômica Federal para ser entregue ao primeiro clube que conquistasse o Brasileiro cinco vezes alternadas ou três vezes consecutivas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: