Archive for 30 de junho de 2011

A Idiotização do Futebol Brasileiro

30/06/2011

Guilherme Amaral

Foi iniciada nos últimos dias mais uma nova etapa do “Plano Nacional de Idiotização do Futebol Brasileiro”. O João Sorrisão surgiu como personificação do torcedor de futebol brasileiro, pelo menos para quem controla o futebol nesse país.

Idealizado pela TV Globo, através dos ministros da pornochanchada esportiva Tadeu Schmidt e Tiago Leifert, a maneira de se cobrir o futebol no Brasil vem se transformando em comédia barata, que abandona os princípios básicos do bom Jornalismo e passa a tratar o torcedor (e o público em geral) como o próprio “João Sorrisão”, que ri estupidamente de tudo. A manipulação do maior veículo de comunicação do país é tão grande, que a cultura nacional que envolve o futebol já começa a ser modificada por essa maneira de tratar o esporte como um circo, onde o palhaço está sentado na arquibancada e no sofá.

E antes que alguém diga “troque de canal”, uso essa tuitada do mestre Xico Sá para defender o direito de dar meu pitaco. E claro que não posso generalizar e dizer que todos os veículos de comunicação tratam o torcedor como babaca. A ESPN Brasil (canal fechado de TV) faz um trabalho primoroso, com jornalismo esportivo de altíssima qualidade que trata seu público com respeito. Mas a “massa” vê futebol na telinha do plim plim, por isso o efeito é devastador.

Vivemos atualmente, talvez o período mais sujo da história do futebol. Estamos diante de uma série de escândalos gigantescos na FIFA, que envolvem até o pescoço o dono do futebol brasileiro Ricardo Teixeira, presidente da CBF (parceira comercial da TV Globo). A maior emissora do país esquece do seu compromisso com o jornalismo e não divulga absolutamente nada sobre os sérios problemas da FIFA, de Ricardo Teixeira e o caos generalizado que é a organização da Copa do Mundo de 2014, financiada quase inteiramente com dinheiro do povo.

No lugar do Jornalismo, que deveria cobrir o esporte como cobre a política e a economia, (até por ser um dos assuntos de maior interesse da população brasileira), temos a desmoralização desse tipo de cobertura dando lugar ao humor idiota feito para idiotas. O novo modelo é amplamente promovido pela emissora, que detém os direitos de transmissão (entenda “o poder supremo”), de quase tudo relacionado ao futebol nesse país. Tratar o futebol como comédia pastelão, de deixar constrangido Carlos Alberto de Nóbrega, é regra e padrão editorial na emissora que controlar tudo que o público vê.

Há o empobrecimento da cobertura simples do futebol no seu dia-a-dia. Quer um exemplo? Dias atrás, na edição mineira do Globo Esporte, foi feita uma entrevista com o zagueiro uruguaio Victorino, do Cruzeiro. Qual foi o assunto em pauta com o defensor? Pasmem! Foi a maneira peculiar com que ele corre até a bola em uma cobrança de pênalti. Isso mesmo, o único jogador do futebol mineiro convocado para a Copa América é convidado a falar sobre sua “corridinha” e não sobre a maior competição de seleções do continente. Era exatamente sobre isso que o João Sorrisão, queria saber, não é mesmo?

É aí que o tal João Sorrisão entra. Ele é a exata personificação do que a turma do novo jornalismo esportivo acha ser o torcedor brasileiro. Um babaca sem pés e mãos, que balança de um lado para o outro de acordo com a pancada que recebe na cara, que tem a boca não para falar, mas apenas para sorrir e babar. Jogadores, na maioria das vezes sem formação educacional nem estrutura familiar para emitir opinião sobre o próprio ofício, também possuem personalidade de João Sorrisão. Caem como patinhos na nova onda de promover personagem tão simbólico.

Mas a minha revolta é inútil. A idiotização do futebol brasileiro não vai acabar. Sabe por que? Porque há quem goste disso. De João Sorrisão esse país tá cheio.

Volta Léo Batista!!!

Via Futebol de Minas

***(*) ******(*)

São Paulo 0x2 Botafogo-RJ

30/06/2011

Não era desta maneira que o São Paulo gostaria de retornar ao Morumbi  após dois jogos como visitante no Brasileiro. Com um gol em cada tempo, o Tricolor foi derrotado pelo Botafogo por 2 a 0, na noite desta quarta-feira. Elkeson e Herrera marcaram os gols do time carioca.

É a segunda derrota do São Paulo na competição. A segunda seguida. No último domingo, o time foi derrotado pelo Corinthians, no Pacaembu. O rival paulista, inclusive, roubou o primeiro lugar do Tricolor. Agora, a equipe está na segunda colocação com 15 pontos, uma menos que o líder.

ADVERSÁRIO ABRE O PLACAR

Sem o atacante Dagoberto, o técnico Paulo César Carpegiani colocou Willian ao lado de Marlos e Fernandinho. Já Ilsinho foi escalado na lateral direita, com Jean no meio de campo. Durante toda a primeira etapa, o Tricolor não conseguiu encaixar um ataque perigoso no Morumbi.

Mais avançado, chegando ao ataque, Casemiro foi o destaque do Tricolor no primeiro tempo. O camisa 8 são-paulino tentou organizar a equipe e até marcou um gol, mas o árbitro marcou impedimento. Se o São Paulo não marcou, os cariocas abriram o placar.

Aos 36, Elkeson chutou de longe e Rogério Ceni tentou chegar, mas a bola entrou. No intervalo, ao ser questionado pelos jornalistas, o camisa 01 admitiu a falha: “O erro foi meu”, resumiu Ceni. Nos 45 minutos inicias, o Tricolor esteve abaixo do esperado.

DERROTA EM CASA

A etapa final não começou muito boa para o São Paulo. Logo aos cinco minutos, Luiz Eduardo derrubou Maicosuel dentro da área. Na cobrança, Herrera fez o segundo gol botafoguense na partida. Rogério Ceni bem que acertou o canto, mas o argentino chutou forte para marcar.

Logo após o gol, Ilsinho e Fernandinho deixaram o jogo para as entradas de Rivaldo e Henrique, respectivamente. Com as mudanças, Jean retornou para a lateral direita e Marlos assumiu a função de armador do time ao lado do camisa 10 tricolor.

O Tricolor melhorou em campo e começou a assustar o goleiro Renan. Aos 24 minutos, Rogério Ceni teve uma oportunidade em cobrança de falta. Porém, assim como no primeiro tempo, o goleiro chutou muito alto, sem perigo. E foi só. Derrota em casa, a primeira neste Brasileiro.

REAPRESENTAÇÃO

O elenco são-paulino se reapresentará na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda. Carpegiani terá uma semana para armar seu time, já que o Tricolor só voltará a campo na próxima quarta-feira contra o Flamengo, no Rio de Janeiro.

Via Site Oficial

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 29/6/2011 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)

Gols: Elkeson, 35’/1ºT (0-1), Herrera, 6’/2ºT (0-2)
Cartões amarelos: Rodrigo Souto, 17’/1ºT, Willian, 35’/2ºT (São Paulo) – Somália, 19’/1ºT, Renan, 20’/2ºT, Antônio Carlos, 23’/2ºT (Botafogo)

Renda e público: R$ 185.419,00/8.361 pagantes

SÃO PAULO: Rogério; Jean, Xandão, Luiz Eduardo e Juan; Rodrigo Souto, Casemiro, Ilsinho (Rivaldo, 8’/2ºT) e Marlos; Fernandinho (Henrique, 8’/2ºT) e Willian. Técnico: Paulo César Carpegiani.

BOTAFOGO: Renan, Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Marcos Vinícius, 19’/2ºT); Lucas Zen, Somália, Everton, Maicosuel (Caio, 28’/2ºT) e Elkeson (Cidinho, 33’/2ºT); Herrera. Técnico: Caio Junior.

Melhores Momentos

***(*) ******(*)

Próxima Partida: Flalido x São Paulo, Brasileirão 2011, Engenhão, Rio de Janeiro, quarta-feira, dia 06.07 às 21h50.