Negócios e Especulações do São Paulo em 2011

Salve Soberania !

Com o time jogando bem, o assédio europeu aos jogadores do São Paulo tem aumentado, o que pode ser motivo de preocupação e alívio dependendo do jogador. Quanto as aquisições, o São Paulo ainda pode trazer mais gente este ano.

Rodrigo Souto e Ilsinho – Segundo a Gazeta Esportiva, o São Paulo não vai renovar com eles. Os jogadores devem deixar o clube em agosto. O Ilsinho já teve uma passagem boa pelo clube, mas este retorno não agradou. Já o Rodrigo Souto nunca veio, meu Deus !

Lucas Piazon – O jornal Diario de São Paulo e o jornal Lance! dizem que o projeto de craque foi vendido para o Chelsea por R$ 14,7 milhões e a parte que cabe ao clube ( 80% ) já paga a maior parte da contratação de Luis Fabiano. Tacada de mestre do JJ !

Miranda – De saida para o Atlético de Madrid fica até o meio do ano. Segundo Ulisses Costa, narrador da Rádio Bandeirantes ele pode ser jogador das penosas na sequência. A intenção é fazer a ponte nos mesmos moldes do Cafú nos anos 90 na época em que a leiteira patrocinava o time verde. O jogador já pensa em voltar.

Fernandinho – Venda encaminhada segundo Alexandre Praetzel por EUR$ 5 milhões que seriam divididos entre o clube e Juan Figger.

Fernandão Interessa ao Guarani da Turiassú e pode ser emprestado até o final do ano. Poderia ser trocado pelo Pierre ou pelo Vitor. A julgar pelas carências do elenco do São Paulo, uma troca com o Vitor seria o ideal.

Henrique – Com a chegada de Luis Fabiano e a contratação de Willian José, é outro que pode deixar o clube. O Atlético Paranaense tem interesse no jogador conforme informa o site Futebol Interior.

Dagoberto – Tem propostas da Alemanha e da Rússia. Tem contrato até abril de 2012 e mais um vez diz que não quer sair do clube no momento. O São Paulo tem que ter cuidado pra não perder dinheiro mais uma vez, eu se fosse o JJ chamava pra renovar e ficava no aguardo de uma proposta que fosse boa para ambas as partes.

Luis Fabiano – É nosso e está pago com a venda do Lucas Piazon.

Coates – O JJ desconversa, mas nos bastidores a contratação é dada como certa. O São Paulo esperaria apenas o final da Libertadores para anunciar o jogador conforme informa a Placar.

Breno – Não se adaptou na Alemanha e está pedindo pelo amor de Deus pra voltar. É outro que pode pintar no clube em breve. João Paulo de Jesus Lopes não descarta o negócio.

***(*) ******(*)

Anúncios

23 Respostas to “Negócios e Especulações do São Paulo em 2011”

  1. Radar Soberano Says:

    É um clube imundo, pena do futebol nacional, leiam:

    14 de janeiro de 2011

    Por JOSÉ MENEZES GOMES (Professor do Departamento de economia e do Mestrado em Desenvolvimento socioeconômico da UFMA e Doutor pela USP)

    O Corinthians tem sido colocado recentemente como o time com mais apelo de marketing do país. É o que mais arrecada em patrocínio. Mais até que o Flamengo, antes de Ronaldinho Gaúcho, que possui a maior torcida do país.

    Parte principal desse êxito comercial é atribuído a contratação do atacante Ronaldo.

    Entretanto, é importante irmos além da aparência. Para tanto é decisivo reconstituirmos alguns elementos determinantes desde a parceria com a MSI, seguido da queda para segunda divisão, até chegarmos ao suposto boom atual.

    O envolvimento político e empresarial desse time remonta ao ano de 2003, a eleição de Lula da Silva e a expansão dos fundos de Pensão e da reforma da previdência. Um ano antes surge a Hypermarcas, a grande protagonista do patrocínio atual.

    O que aconteceu com esse time na era Lula, de 2003 a 2010, parece quase milagre.

    Da mesma forma que surge o mito Lula, temos também o mito da grande gestão do Corinthians, onde o ex-vice presidente Andrés Sanches, cúmplice da era MSI se converte em presidente na era atual.

    Logo após sua nova filiação ao Partido do ex – Presidente se transforma em chefe da delegação brasileira na copa do mundo e em seguida, mesmo sem ter estádio, não só consegue recursos de R$ 335 milhões do BNDES, via a empreiteira Odebrecht, para construir um super estádio que sediará jogos da copa do mundo.

    No primeiro momento o time estava endividado, sem jogadores de expressão, sem estádio, sem centro de treinamento, sem perspectiva de títulos. De repente se associa a empresa Media Sport Investments (MSI) de Kia Joorabchian.

    Com US$ 52 milhões o Corinthians comprou grandes jogadores da Argentina: Carlos Tevez (Boca Júnior) e Sebastián Domínguez (Newell’s Old Boys), como também os brasileiros que atuavam na Europa: Carlos Alberto (FC Porto), Roger (Benfica Lisboa) e Gustavo Nery (Werder Bremen). Em seguida contratou o ex-treinador Daniel Passarella da seleção nacional Argentina. Dai surge o título de 2005 e as denúncias de favorecimento pela arbitragem.

    Segundo o Promotor Público José Reinaldo Guimarães Carneiro “A transferência de estrelas de futebol é ideal para a lavagem de dinheiro”(…) “Com o monopólio de jogadores, a origem dos milhões pode ser facilmente apagada”.

    O jornalista desportivo Juca Kfouri afirmou que “Para Russos ricos que querem limpar seus milhões e que estão interessados em futebol, o passo para a América do Sul é pura lógica”.

    Na mesma linha o ex- vice – presidente Antônio Roque Citadini, líder da oposição interna disse: “como “gangsters”, os novos investidores caem em cima do Corinthians”. Romeu Tuma ex – Conselheiro do Corinthians, ex-parlamentar e ex-chefe da Interpol de São Paulo, colocou o serviço secreto contra a misteriosa companhia. Ele enviou à Promotoria um dossiê com 3000 documentos sobre os supostos investidores. Segundo ele “todos têm contatos com a Máfia”. Por esses depoimentos parece que o Corinthians tinha acabado por se associar a uma agência de troca de dólares sujos da ex- União Soviética vindos da privatização daquele patrimônio estatal.

    Tudo começou com uma viagem à Londres do ex – presidente Alberto Dualib, quando teve uma reunião organizada por Kia Joorabchian com o bilionário russo Boris Berezowski . Nesse momento o mafioso prometeu, também, construir um estádio novo para esse time.

    A promessa era transformar o Corinthians numa variante sul – americana dos “Galácticos” do Real Madrid.

    Segundo a Revista Der Spiegel de 18/04/05, investigadores de um grupo especial para combater o crime organizado rastrearam o dinheiro em Nova Iorque, no Caribe, no Reino Unido e no Cáucaso a partir da suspeita de que dinheiro vinha da Máfia Russa.

    O desfecho dessa parceria foi uma gigantesca dívida para o Corinthians e a queda para segunda divisão.

    Estes oligarcas russo estão efetivamente na mobilização de muitos jogadores para os times russos e suas empresas patrocinam também times grandes na Europa. Abramowitsch, oligarca da antiga União Soviética é tratado como grande benfeitor do antigo Clube Desportivo do Exército CSKA. Este fato pode ter influenciado a quase vinda do Vagner Love para o Corinthians.

    Na etapa seguinte Sadia e Perdigão que especulavam no mercado de derivativos, onde tiveram grandes perdas, criaram a Brasil Foods com o apoio do BNDES, na fusão da Sadia, Perdigão e Batavo, e imediatamente já passou a ser a grande patrocinadora, não só do Corinthians como do Flamengo.

    As operações com derivativos cambiais levaram a Sadia a registrar em 2008 o primeiro prejuízo anual de seus 64 anos de história. No ano, as perdas líquidas chegaram a R$ 2,5 bilhões. A empresa denominada de Brasil Foods, nasceu com uma dívida líquida de R$ 10,4 bilhões. A maior parte herdada da Sadia, que fechou o primeiro trimestre deste ano com uma dívida líquida de 6,8 bilhões de reais, sendo 47,5% desse valor com vencimento no curto prazo (Revista exame de 19/05/2009).

    Por outro lado, o Banco Panamericano, que estava quebrado devido as suas suspeitas operações, acabou sendo comprado pela estatal Caixa econômica federal e imediatamente tornou-se mais um patrocinador do time do ex – presidente, pagando R$ 7 milhões mensais, por um espaço de pouca visibilidade na camisa.
    As empresas que fazem parte da Hypermarcas entre elas a Brasil Foods, fazem parte de um projeto do BNDES de fortalecer empresas nacionais para atuação como multinacionais no mercado externo. A Hypermarcas é chamada de a multinacional caipira. Trata-se de uma estratégia dita nacionalista tendo com base empresas sem muita expressão no mercado que a partir do dinheiro público procuram concorrer com as tradicionais empresas monopolistas.

    A bozzano, produtora de barbeadores, no Brasil passa a tentar concorrer com a Gillete. De um lado Ronaldo faz a propaganda da Bozzano e do outro Kaka faz o anúncio da Prestobarba da Gilette.
    Da mesma forma empresas ditas nacionais, que estavam quase que desaparecidas no patrocínio de times, no país, voltam a patrocinar grandes equipes como a Penalty (Vasco), Topper (Atlético – MG e Grêmio) e a Olympicos (Flamengo), enquanto parte de suas fabricas se instalam na China, com suas precárias relações de trabalho, sempre com o apoio do BNDES.

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) se comprometeu em contrato a subscrever até a totalidade da emissão de debêntures no valor de R$ 1,099 bilhão aprovada pelo conselho de administração da Hypermarcas. A operação visava capitalizar a empresa para o pagamento da compra do laboratório Neo Química, em dezembro de 2009, e manter seu apetite de aquisições.

    Desde o ano passado o BNDES negociava uma forma de capitalizar a Hypermarcas por meio da sua subsidiária de participações, a BNDESPar, como forma de sustentar o avanço da empresa no setor farmacêutico, considerado estratégico pela política industrial do governo (Revista Época 07/10/10). Parece que a torneira dos grandes patrocínios do futebol está ligada a torneira dos recursos públicos para essas empresas, que crescem numa velocidade acelerada e não às potencialidades de marketing de Ronaldo.

    Essa nova etapa de patrocínios no futebol brasileiro com destaque para a Hypermarcas retoma uma mesma finalidade da era Parmalat: acelerar o processo de fusão e aquisição na afirmação de um grupo monopolista visando liquidar seus oponentes para impor um preço de monopólio.

    Sua estratégia de aquisições num curto espaço de tempo se assemelha a estratégia da Parmalat no início dos anos 90. Parte das empresas que pertencia a Parmalat agora faz parte da Hypermarcas e patrocinam o rival. É bom lembrar que a Parmalat faliu mundialmente.

    A Perdigão S.A em maio de 2006, já tinha adquirido 51% das ações da Batavia S.A. Em 2008 comprou os outros 49% que eram de posse da Parmalat, se tornando a única dona da Batávia.
    Essa Companhia de capital aberto, é controlada desde 1994 por um pool de fundos de Pensão ligados ao PT e a CUT. Na retaguarda desse novo boom do Corinthians estão as relações de poder vinda do governo Lula da Silva, as empreiteiras, os fundos de Pensão e especialmente o dinheiro público vindo do BNDES.
    Essa é a mesma combinação de fatores que permitiu o processo de privatização das estatais e a reforma da previdência.

    O estádio que o mafioso russo prometeu na fase da MSI agora parece que vai sair tendo como base o dinheiro público. Esse é o segredo do atual boom do time do coração do ex – presidente.
    Parece mágica mas empresas com dificuldades financeiras se tornaram os grande patrocinadores desse time. O “gordo” só leva a fama de ser um grande vendedor de anúncios. O palmeiras foi laboratório da primeira experiência de expansão da Parmalat a partir do abundante crédito vindo das baixas taxa de juros da união europeia.

    Somente com crédito abundante é possível essa avalanche de aquisições num espaço de tempo tão curto feitas pela Parmalat e agora pela Hypermarcas.

    • Elton Says:

      história cabulosa ,depois eles vem falando que a gente é que faz parte do poder corompido ,lula bem que eu desconfiava que dava uma forcinha pra eles

      Lina: Eis o verdadeiro clube imundo, clube de bastidores. Pior ainda que o falido da turiassú.

      • José Roberto Says:

        Enquanto isso, do outro lado do muro NO ESTÁDIO DAS PROSTITUTAS DA CASA DA NOITE ETERNA, na famosa ARENA AUSCHWITZ II (BIRKENAU) – Era um campo de extermínio onde morreram aproximadamente um milhão de judeus e perto de 19.000 ciganos Nas famosas câmaras de gas.
        ONDE ENVENENARAM COM GAS DE PIMENTA A DELEGAÇÃO TRICOLOR PARA GANHAR SEU ÚLTIMO TÍTULO, O FAMOSO PAULISTINHA.

        CONQUISTAS NA CASA DAS PROSTITUTAS SÓ COM PRÁTICAS CRIMINOSAS.
        VEJAM A SEGUIR O FAMOSO ESQUEMA PARMALAT/FPF.

        Grupo Abril Placar – Noticias, blogs e análises sobre futebol

        Placar Copa Placar AO VIVO Paulistão.
        Revista Edições Placar Assine Placar Loja Placar
        Acervo Digital Matérias- Matérias Entrevistas Galerias Expediente Assine a newsletterA volta de um velho fantasma
        André Rizek

        3 de março de 2011 às 14:26

        Matérias Palmeiras Corinthians

        As investigações da Máfia do Apito respigam até no suposto “Esquema Parmalat”. E o Ministério Público quer transformar pressão nos árbitros em crime*

        Foto: Arquivo PLACAR

        Reinaldo ao lado de Ives Mendes (de luvas): em 1993 ele já dava as cartas em São Paulo

        Faz 12 anos que os corintianos choram a perda do Paulista de 1993. “Esquema Parmalat!”, dizem, em referência ao patrocinador que estampava a camisa do Palmeiras, equipe que ficou com a taça após vencer o Corinthians por 4 x 0 (3 x 0 no tempo normal e 1 x 0 na prorrogação), na partida decisiva da final. O Palmeiras era dirigido por Vanderlei Luxemburgo e tinha um timaço: Roberto Carlos, César Sampaio, Mazinho, Zinho, Evair, Edmundo… O jogo, como sugere o placar, foi mesmo um massacre. Mas, 12 anos depois, Placar colheu fortes indícios de que, além da indiscutível vantagem técnica, o Verdão, para sair do jejum de títulos, também teve um empurrãozinho da Federação Paulista Futebol.

        A versão, sustentada até hoje pelos dirigentes, é que o juiz escolhido para aquele jogo saiu em um sorteio, envolvendo os árbitros José Aparecido, Oscar Roberto Godói, João Paulo Araújo e Dionísio Roberto Domingos. Placar não ouviu Domingos. Mas os outros três foram categóricos em dizer: Aparecido foi escolhido (supostamente por Reinaldo Carneiro de Bastos que até este ano comandava a arbitragem em São Paulo e que está sendo investigado pelo Ministério Público), e não sorteado pela Federação.

        “Eu cheguei a estar previamente escalado. Mas fiquei de fora porque nunca tive padrinho dentro da Federação, nunca me submeti a nenhum tipo de pressão de dirigentes”, disse João Paulo Araújo, em entrevista gravada à Placar. “Antes do jogo, falaram coisas para o Aparecido, sobre como ele deveria atuar no jogo. Eram coisas que ajudariam o Palmeiras”, diz João Paulo, que é amigo de Aparecido. Segundo ele, o juiz teria sido orientado a ser “muito rigoroso” com os cartões e marcações de faltas. Isso, na visão de João Paulo, serviria para ajudar justamente a equipe mais técnica entre os dois adversários: no caso, o Palmeiras.

        Foto: Arquivo PLACAR

        Em 1997, a PLACAR revelava o “esquema Ives Mendes”
        Aparecido confirma a versão, que lhe pediram mesmo para ser extremamente rigoroso (um pedido que, curiosamente, não havia sido feito antes da final, ao longo do campeonato). “Me disseram que era para apitar como se fosse a última partida da minha vida, que não era para eu deixar passar nada.” O juiz, porém, nega que isso tenha sido dito para favorecer o Palmeiras. “Fui escolhido por ter fama de disciplinador mesmo.”

        Escolhido? Mas não foi um sorteio, como divulgou a Federação na época? “Sim, foi sorteio. Eu mesmo fiz, com o Ilton José da Costa”, diz Emídio Marques — os ex-árbitros Costa e Marques faziam parte de uma comissão de “notáveis”, que escolhia os juízes. Usaram bolinhas de bingo, teve testemunha? “O sorteio foi na papelzinho mesmo”, diz.

        Aparecido foi “muito rigoroso” mesmo com o zagueiro Henrique, do Corinthians, que acabou expulso aos 39 minutos do primeiro tempo. No lance seguinte, porém, aos 41, o mais polêmico de toda a partida, não teve o mesmo critério: Edmundo entrou forte no corintiano Paulo Sérgio na lateral do campo. Carrinho duríssimo. Levou só o amarelo. “É que eu não vi esse lance de frente. Reparo muito na expressão dos jogadores antes de marcar alguma coisa. A expressão do Paulo Sérgio não indicou que foi falta para expulsão. Se eu tivesse visto de frente, teria expulsado o Edmundo com certeza”, diz Aparecido.

        Ele jura que pressão de dirigente, só recebeu de Ivens Mendes, ex-diretor de arbitragem da CBF, em 1997, para facilitar a vida dos argentinos na CBF (esquema desvendado por Placar na época), mas afirmou que esse tipo de coisa sempre existiu dentro da Federação Paulista. “Juiz nenhum, em começo de carreira, tem coragem de dar um pênalti contra o Corinthians no Pacaembu. Se fizer isso, não apita nunca mais.”

        Pressão sobre juiz é crime?

        A decisão de 1993 entre Corinthians e Palmeiras voltou à tona por conta das investigações do Ministério Público e da Polícia Federal. Convictos de que os dirigentes dos clubes, e sobretudo das federações, fazem pressão para que juízes protejam algumas equipes, eles tentam agora transformar “pressão em árbitros” em crime.

        Agora, pela primeira vez, o assunto vai ser investigado de forma oficial. E um dirigente já é suspeito: o vice-presidente da Federação Paulista, Reinaldo Carneiro Bastos, que atua há mais de 15 anos de entidade.

        O Ministério Público de São Paulo abriu um Procedimento Criminal Administrativo (equivalente a um inquérito) para investigar denúncias de árbitros contra ele. Não são apenas as declarações de Danelon e Edílson, cujas palavras, agora, têm pouca credibilidade. Outros árbitros e assistentes forneceram informações segundo as quais Bastos exerceria pressão sobre a arbitragem antes de algumas partidas, recomendando que estes “olhassem com carinho” a situação de determinadas equipes. A partir da semana que vem, estes juízes serão chamados para confirmar suas acusações em juízo. O árbitro paranaense Héber Roberto Lopes, citado indiretamente por Gibão em seu depoimento à CPI dos bingos, também será intimado a depor nesse novo tipo de inquérito.

        “Pressão sobre a arbitragem”, em princípio, não se encaixa em nenhum crime previsto no nosso Código Penal, mas o MP já o classifica como violação ao Código do Torcedor. Assim, caso seja indiciado, Bastos e eventuais outros dirigentes responderiam a, pelo menos, um processo civil. Muita lama ainda virá pela frente.

        A anatomia de um jogo suspeito

        1- Por que a arbitragem de José Aparecido foi tão contestada?
        Confira os lances decisivos da partida:
        – 37min do 1º tempo: Zinho faz 1 x 0 Palmeiras
        – 39min do 1º tempo: Henrique é expulso, após falta em Edílson. Ele leva o segundo amarelo
        – 41min do 1º tempo: Edmundo dá um carrinho perigosíssimo em Paulo Sérgio na lateral do campo, aos pés do auxiliar Oscar Roberto Godói, e leva só o amarelo
        – 16min do 2º tempo: Ronaldo, que já tinha o amarelo, faz falta em Edmundo fora da área é expulso. Na confusão, Tonhão, do Palmeiras, leva o vermelho também
        – 29min do 2º tempo: Evair faz 2 x 0
        – 38min do 2º tempo: Edílson faz 3 x 0
        – 9min do 1º tempo da prorrogação: Edmundo é derrubado por Ricardo, e Aparecido dá pênalti. Ezequiel reclama e leva vermelho. Evair cobra e decide de vez o campeonato.

        Foto: Arquivo PLACAR

        José Aparecido na polêmica final do Paulista de 1993

        2- Por que Aparecido não “deveria ser escalado”?
        Aparecido era um dos principais árbitros da FPF desde 1990, quando apitou a decisão do Brasileiro entre São Paulo x Corinthians. Mas, em 1993, ele vinha de uma arbitragem muito contestada num jogo “semifinal” entre São Paulo x Corinthians. O resultado, Corinthians 1 x 0 São Paulo (30 de maio), classificou o Corinthians para a decisão. O gol do Corinthians teria sido feito por Neto em suposto impedimento. E Aparecido e seus auxiliares anularam um gol legal de Palhinha quando o jogo estava 0 x 0.

        3- Mas por que ele “favoreceu” o Corinthians, que seria “prejudicado” teoricamente por ele mesmo dias depois contra o Palmeiras?
        O que diabos a semifinal São Paulo x Corinthians teria com o Palmeiras e o suposto Esquema-Parmalat? Aí é que está. Palmeiras e São Paulo eram os dois grandes times da época. O São Paulo, de Telê. O Palmeiras, cheio de craques da Parmalat. No ano anterior, o São Paulo não deixou que o Palmeiras saísse da fila, ganhando o título paulista. Meses depois, já bicampeão da Libertadores, seria um adversário muito mais difícil para o Palmeiras que o Corinthians de Adil e Ezequiel. A teoria é que Aparecido teria feito o serviço: tirou o São Paulo da parada (já interessado no sucesso do Palmeiras) e completou o trabalho na decisão contra o Corinthians.

        4- Por que poderia ter sido João Paulo o árbitro da final?
        João Paulo Araújo era também uma das estrelas da FPF, ao lado de Aparecido, Dionísio Roberto Domingos e Oscar
        Roberto Godói. Contra Araújo, uma arbitragem ruim no jogo Santos 2 x 3 Novorizontino, pela fase semifinal.

        5- O que ocorreu com Aparecido depois de 1993?
        Gerente de banco, passou a receber até ameaças de morte. Se afastou por um tempo, mas voltou com tudo anos depois, tornando-se árbitro Fifa. Ele voltaria às manchetes em 1997, acusando (pela Placar) Ivens Mendes (então
        presidente da Comissão Nacional de Arbitragem) de mandá-lo ajudar a Argentina, contra a Colômbia, num jogo pelas Eliminatórias. Depois sua carreira declinou.

        6- Por que Reinaldo Carneiro Bastos, da FPF, pode ser considerado o “novo Ivens Mendes”?
        Assim como acusam Reinaldo, Ivens Mendes barganhava apitos amigos para os times “interessados” em troca de escalas ou geladeiras para os árbitros. Ele até tinha um time de coração (a Francana era o fiel da balança) como Reinaldo (torcedor do Taubaté). Quem ajudasse a Francana, seria “recompensado.”

        * Matéria originalmente publicada na PLACAR 1288 de novembro de 2005

        Lina: Arena Auchswitz foi foda, chorei de rir. HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS
        HAUSHAUSHAUSHUASHUAHSUAHSUAHSUHASHUHASUHAS

  2. Radar Soberano Says:

    Esse pedófilos curicanos são um nojo, não é ?

    http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,corinthians-investiga-casos-de-pedofilia-na-base,76807,0.htm

    http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Corinthians/0,,MUL174428-4402,00.html

    http://txt.jt.com.br/editorias/2007/11/08/esp-1.94.3.20071108.26.1.xml

    Pai de Willian: havia pedofilia na base

    Severino Vieira, pai do ex-jogador corintiano que foi para a Ucrânia recentemente, acusa o gerente de futebol das categorias de base do clube, Wando de Moraes, de assediar garotos

    Cosme Rímoli, cosme.rimoli@grupoestado.com.br

    “Nem me fale em pedofilia.Há muito tempo eu queria falar tudo que vivi. Nos 11 anos que o meu filho ficou no Corinthians eu não saí de perto dele. Não podia. Havia muita sujeira por lá. Eu tinha pena dos pais que moravam longe de São Paulo e não podiam ficar perto dos seus filhos para protegê-los do Wando de Moraes (gerente das bases).”

    A corajosa declaração é de Severino Vieira, pai de Willian, jogador que o Corinthians vendeu por R$ 30 milhões em agosto ao Shakhtar Donetsk. Ele soube que o Corinthians está reformulando o seu departamento de base. “Sorte dos meninos. Muita sorte”, diz Severino.

    “Olha, são muitas as histórias, as acusações ao Wando. Ele foi por anos gerente do futebol amador do Corinthians. Sei de processos de pedofilia contra ele. Isso não vai acontecer mais aqui no Parque São Jorge”, jura o novo diretor do futebol amador e desembargador Miguel Marques. São cinco processos no Distrito Policial do Tatuapé, o 30º.

    Ele promete fazer uma ‘limpeza’ nas categorias de base do Corinthians. E caçar qualquer pessoa envolvida com pedofilia no clube.

    Severino lembra com desgosto como foi a passagem de Wando, cujo nome verdadeiro é Evanir Jesus de Moraes, nas bases do clube.

    “Os meninos que eram de outros Estados ficavam alojados no clube. O Wando vivia fazendo churrasco no seu sítio em Indaiatuba nas folgas. E infelizmente, muitos meninos iam para o tal sítio. Como pai, eu ficava apavorado com essas histórias todas”, relembra Severino.

    O JT tentou falar ontem com Wando de Mores. Deixou recados na secretária eletrônica do ex-gerente do amador do Corinthians. Mas não houve qualquer resposta.

    Severino disse que há muito tempo tinha vontade de abrir o bico.

    “Por favor, escreva que essa história de adultos assediando meninos não é privilégio só do Corinthians. Em todos os clubes há gente importante que pode definir a carreira de um jogador de futebol tentando tirar proveito da pior maneira possível. Os pais precisam saber, ficar perto do seu filho e denunciar.”

    Nos anos que Wando trabalhou no Corinthians, ele teve guarida do vice-presidente corintiano Nesi Curi, que dominava as categorias de base do CT de Itaquera.

    Os pais de jovens jogadores costumam ter muito medo de fazer qualquer denúncia para não atrapalhar a possível carreira do filho. Quando percebem algo estranho, fazem como Severino. Ficam o mais perto possível dos seus garotos.

    “Ainda bem que a minha profissão era a de representante comercial. Eu fazia os meus horários e os adaptava aos do Willian. Não dava espaço para ninguém chegar perto dele. E ele também sabia que tinha de me avisar se alguém encostasse nele. Pena que não são todos os pais que podem fazer o que eu sempre fiz”, diz.

    De acordo com a diretoria atual que assumiu o clube há processos contra Wando de Moraes no Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Repressão contra o Crime Organizado – envolvendo transações no Corinthians. “Ainda bem que o Willian cresceu e estamos longe de gente como Wando de Moraes”, diz, aliviado, o pai Severino.

  3. Tri-Mundial Says:

    O Breno e o Coates deveriam mesmo vir.
    O Miranda saindo e a possível não renovação do Alex Silva vão deixar a defesa fraca.
    O Xandão não inspira confiança.

  4. Felipe 6-3-3 Says:

    Mas e o Cléber Santana ?
    Não vão se livrar desta tranqueira ?
    Deveria ser o primeiro da lista.

  5. Renato Soares Says:

    Fala Lina !
    Faz tempo que não passo por aqui !
    Olha trazer o Breno seria ótimo por causa da saida do Miranda e a possível perda do Alex.
    O Jj prometeu contratar o Pirulito em definitivo mas vai saber.
    Se o menino quer voltar fecha com ele logo, só precisaria saber se o Alex Silva ou o Rhodolfo jogam de quarto-zagueiro, porque me parece que os 2 são destros mas não tenho certeza.
    Abraços

  6. Joaninha Paula Says:

    Ai que inveja.
    Uma aspirina por favor.

  7. CURICANO 7-0-1/2 Says:

    O Miranda é nosso mané !
    Nós vamos dar a volta nesse time de almofadinhas ai.
    Vocês vão ver.

  8. Elton Says:

    o fernandinho tá indeo pra onde?

    Lina: Russia, não sei qual time.

  9. Marcelo Abdul Says:

    Esse Lucas Piazon tá me cheirando outro “boi de piranha”. Todo mundo fala que é gênio mas ninguém viu o cara jogar.

    Lina: Eu acho exatamente a mesma coisa.

    • José Roberto Says:

      Assisti domingo passado Brasil X Venezuela no Mundial sub-17, fez um de cabeça, mas perdeu quatro gols feitos, todos na cara do goleiro.
      No primeiro recebeu na entrada da área em vez de avançar mais um pouco porque o goleiro não saiu do gol para diminuir sua visão, telegrafou onde ia chutar, colocou fraco e o goleiro pegou, poderia ter servido um companheiro que estava sozinho no meio da área.
      No segundo lance, numa jogada identidca a primeira jogou para fora.
      No terceiro lance também na cara do gol cabeceou para fora.
      No quarto lance recebeu na risca da pequena área, se atrapalhou e o zagueiro colocou para fora.
      Não ví todo futebol que estão apregoando, infelizmente.
      Acho que pegaram uma boa grana por ele, paga o Luiz Fabiano que é uma realidade mais que provada.

    • Hannibal Says:

      Fora também que o moleque é enrolado, tem o mesmo empresário do O$car e quando entrou na justiça contra o clube foi treinar nas frangas, então não é de confiança, fora que o contrato acaba em 2012.

  10. Radar Soberano Says:

    Obina perde pênalti e ainda tem gol não validado, mas Shandong vence

    Atacante chuta e bola cruza linha do gol antes de jogador do Cerezo Osaka cortar, porém árbitro erra e não confirma gol. Renato Silva marca no 2 a 0

    A quarta-feira não foi feliz para Obina na Liga dos Campeões da Ásia. Fora de forma, o atacante começou no banco do Shandong Luneng (China) na vitória de 2 a 0 sobre o Cerezo Osaka (Japão) em casa e perdeu um pênalti. Porém, o brasileiro foi prejudicado pela arbitragem: o ex-jogador de Flamengo e Atlético-MG chutou, a bola cruzou a linha e foi cortada por um rival, mas o juiz não deu o gol legítimo.

    BRASIL MUNDIAL FC: veja o “gol” de Obina e o pênalti perdido pelo atacante

    Detalhe curioso está nas costas da camisa 10 de Obina: o apelido foi ignorado e está escrito Manoel, seu verdadeiro nome. Na ficha no site da Confederação Asiática de Futebol (AFC), o atacante é identificado pelo sobrenome De Brito.

    O primeiro gol do Shandong foi marcado pelo zagueiro Renato Silva, ex-Flamengo, Fluminense, Botafogo, São Paulo e Goiás, aos 22 da etapa inicial. Yongpo Wang fez o segundo, aos 33 ainda do primeiro tempo. O Cerezo Osaka é treinado pelo brasileiro Levir Culpi e contou com o ex-vascaíno Rodrigo Pimpão no ataque.

    Bola cruza a linha antes de ser cortada por japonês:
    gol de Obina não marcado (Foto: Reprodução)Obina começou no banco e entrou aos 15 do segundo tempo. Três minutos depois, recebeu na área e chutou, a bola cruzou a linha e foi cortada por Masaki Chugo já dentro do gol, mas o árbitro deixou o lance seguir, sem confirmar o 3 a 0 no placar. Aos 24, Obina foi derrubado na área e pegou a bola para a cobrança, mas o goleiro Jin-Hyeon Kim defendeu o pênalti.

    – Ele ainda não está em forma – disse o técnico croata Branko Ivankovic sobre ter deixado Obina na reserva.

    Shandong e Cerezo dividem a vice-liderança do Grupo G com três pontos. O líder é o Jeonbuk Hyundai Motors, da Coreia do Sul, que goleou o Arema, da Indonésia, por 4 a 0 fora de casa e tem seis pontos. O Arema ainda não pontuou.

    http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/2011/03/obina-perde-penalti-mas-shandong-vence-com-um-de-renato-silva.html

  11. Guedes Says:

    Lina, dá uma olhada no cagaço desse cara em ter CPI.

    http://www.lancenet.com.br/futebol-general/CPI-Ricardo_Teixeira-Brasilia_0_445155540.html

    • Barman Says:

      Rabo preso é foda.
      Agora diga aqui uma coisa, alguém acredita em algum tipo de punição contra esse senhor ?
      La plata compra tudo.

      Lina: Amigo, o congresso tem um punhado de deputados que são chamados de “a bancada da bola”. Dá pra acreditar em punição ? Não…

      • Hannibal Says:

        O que tem de safado a serviço dele lá não tá escrito cara, fora que aqui reina a impunidade.

  12. Guedes Says:

    Lucas Gaúcho e Henrique podem reforçar América após o Campeonato Mineiro

    Os jovens atacantes do São Paulo Lucas Gaúcho e Henrique podem reforçar o América visando a disputa do Campeonato Brasileiro. Como o clube paulista tem uma parceria com o Coelho, esses atletas são vistos com ‘bons olhos’ pela diretoria americana. Contudo, segundo o diretor de futebol Alexandre Mattos, ainda é cedo para adiantar a contratação de novos reforços.

    “Não vou dizer que interessam, são bons jogadores, mas no momento oportuno nós vamos analisar juntamente com a comissão técnica a possibilidade de eles virem. São jogadores jovens e promissores, mas no momento não existe absolutamente nada. São situações que podem ocorrer, já que existe essa parceria com o São Paulo. Porém nós temos que ver algumas condições. Nesse momento nosso interesse é a disputa do Campeonato Mineiro”, afirmou o dirigente ao Superesportes.

    De acordo com a imprensa paulista, Lucas Gaúcho e Henrique perderam espaço no time de Paulo César Carpegiani com a chegada de Luis Fabiano. Além disso, o time já possui atacantes como Dagoberto, Fernandinho, Willin José e Fernandão, o que diminui ainda mais as chances dos jovens atletas.

    O jornal Marca Brasil noticiou nesta quarta-feira que a negociação ocorreria por empréstimo, mas só deve ser definida em abril, após a disputa dos campeonatos estaduais. Além disso, o periódico garante que o assessor da presidência do América, Marcus Salum, admitiu que gostaria de contar com Lucas Gaúcho e Henrique para o Brasileirão.

    http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/america-mg/2011/03/16/noticia_america_mg,179424/lucas-gaucho-e-henrique-podem-reforcar-america-apos-o-campeonato-mineiro.shtml

    • Hexa Único Says:

      O Lucas Piazon e o Henrique já jogaram bem a copinha.
      Tem que ter lugar no time pra eles !
      Nem que seja pra compor elenco.
      A diretoria vai dizer que é pra dar experiência, mas já vimos jogadores que viraram nômades e que se desligaram do clube, o Rafinha, o Renan, o Mazola e outros.
      Tem que tomar cuidado senão perde os jogadores.

  13. Hannibal Says:

    Só emprestaria o Henrique ou o Lucas Gaúcho depois do segundo semestre, depende muito também se alguém do ataque for negociado mesmo, como Fernandão, Dagoberto ou Fernandinho.

    Souto jogou bem no início, depois se contundiu e não voltou bem, deve mesmo ser liberado, o mesmo pro Ilsinho, que parece não entra em forma, já abriria 2 vagas no elenco, com isso poderiam trazer mais um meia e talvez outro volante com característica diferente do que temos, Guiñazu? Pierre?

    Acho que se o JJ cumprir mesmo o que falou teremos Alex Silva em definitivo, faltando só trazer mais um pra zaga na vaga aberta pelo Miranda, seriam postulantes o Coates e o Breno, os dois acho difícil.

  14. www.vidracariastarglass.com.br Says:

    VIDRAÇARIA STAR GLASS

    – ENVIDRAÇAMENTO DE SACADA

    O Envidraçamento de Sacadas, Varandas e Ambientes é uma solução extremamente elegante, prática e segura que permite ampla visão, proteção contra ações do tempo, redução de ruídos externos, de fácil limpeza e manutenção, e o melhor: possibilita a abertura total ou parcial dos vidros, valorizando o ambiente como você nunca imaginou.

    Vantagens:
    – Otimização de ambientes;
    – Não altera a fachada do edifício;
    – Ajustável a diversos formatos;
    – Redução de ruídos externos;
    – Ótimo custo-benefício.

    NOSSOS SERVIÇOS
    – Box
    – Espelho
    – Sacadas
    – Fachadas
    – Cobertura
    – Decorações de Vidros

    FONE: (11) 3431-1659 / (11) 8950-8623

    E-MAIL: contato@vidracariastarglass.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: