Mais Que Um Ídolo: Um Exemplo

Diego Alfredo Lugano Moreno parece predestinado ao sucesso em grandes desafios.Desconhecido em 2003, o filho famoso da cidade de Canelones (Uruguai) chegou ao São Paulo como o zagueiro indicado pelo presidente Marcelo Portugal Gouveia e viu seu nome alvo de piadas. Ninguém acreditava que o gringo aparentando total falta de juízo e uma cintura completamente dura pudesse arrumar a defesa que levava o torcedor ao desespero. Sete anos depois, ele não só deixa saudades no Morumbi – pelos títulos da Libertadores e do Mundial de 2005 – como chega ao auge em seu país: é o líder e capitão de uma equipe que resgatou a tradição uruguaia ao alcançar as quartas de final da Copa do Mundo.

“Em 32 anos que tenho de futebol, o Lugano é o sujeito que mais me deu exemplos de firmeza, cidadania, honra e busca de objetivos”, empolga-se o atual superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, um dos conselheiros do uruguaio até hoje. “Ele chegou a me pedir a opinião se deveria continuar no futebol turco em 2010”, completa o dirigente, orgulhoso.

O goleiro Rogério Ceni, o grande ídolo do São Paulo nas últimas décadas, é outro que demonstra afeto ao lembrar da convivência por três anos com seu “professor” de espanhol. O camisa 1 usava o companheiro como cobaia na prática da língua. “Ele merece esse sucesso porque sempre foi muito profissional, dedicado e esforçado”, exalta.

A Copa do Mundo de 2010 foi encarada por Lugano como uma obsessão, mesmo com todo o sufoco da classificação na repescagem e a desconfiança da torcida. Antes do início da primeira fase do torneio, o defensor se apegava à convicção de que o Uruguai podia enfrentar as grandes seleções do mundo sem medo. E deu certo. A Celeste superou a crítica de que seus talentos sumiam nas horas importantes. Agora, a bicampeã mundial pode comemorar o melhor resultado do país nos últimos 40 anos.

“Vou te matar, Alceu!”

O jogo do dia 18 de maio de 2005 contra o Palmeiras é lembrado por muitos torcedores do São Paulo como um passo importante para a conquista do tricampeonato da Libertadores. Dentro do clube do Morumbi, porém, também ficou eternizada a história do entrevero entre o zagueiro Lugano e volante Alceu, hoje motivo até de piadas e risadas.

Enquanto a bola rolou no Palestra Itália, Lugano quase perdeu a razão ao levar uma cusparada de Alceu. No momento da agressão, o uruguaio evitou o troco. Mas o destino colocou os dois brigões frente a frente na sala do exame antidoping. O uruguaio aproveitou a ajuda dos céus e foi à forra. “Vou te matar!”, balbuciou o ex-são-paulino algumas vezes ao desafeto, com seu sotaque espanhol.

“O Lugano resistiu à tentação de dar o troco no jogo. No doping, ele ficou olhando de um jeito como quem ia comer o Alceu vivo. O jogador do Palmeiras não levantou a cabeça em nenhum momento. Se fosse diferente, acho que ele poderia ter matado mesmo”, brincou Marco Aurélio Cunha.

Amado por uns, odiado por outros, Lugano sempre teve a posição firme em relação a desentendimentos nas quatro linhas. Ele nunca gostou de resolver polêmicas na frente das câmeras de televisão ou mandar “recadinhos” através de jornalistas.

“As palavras do Lugano eram claras: se fosse para brigar, não seria em um lugar que tivesse gente para separar”, recorda Marco Aurélio Cunha.

Aliás, Lugano partiu para as vias de fato outras vezes. Quando vestia a camisa da seleção sub-20 do Uruguai, em um torneio na Arábia Saudita, o zagueiro ficou revoltado pela falta de um iraniano em um companheiro e foi tirar satisfações no hotel. “Deu briga”, lembra o próprio jogador, sem demonstrar vergonha pelo momento de loucura.

Já no atual clube, o Fenerbahce, da Turquia, Lugano também deixou sua marca registrada. O clássico do ano passado com o Galatasaray terminou em confusão depois que o uruguaio partiu para cima do atacante Emre, que lhe deu uma unhada.

No São Paulo, Lugano foi um dos pilares do fim de uma geração apelidada de “bambi” pelos adversários e os próprios torcedores. No início da década passada, o são-paulinos eram a vítima preferida dos corintianos pelos sucessivos fracassos em finais. Ademais, outros rivais tiravam uma casquinha. Em 2002, o Palmeiras eternizou no Morumbi um gol de chapéu do meia Alex, ao passo que o ex-santista Diego dançou no símbolo tricolor. A partir do momento em que o xerifão uruguaio tomou conta da proteção a Rogério Ceni, com jogadas ríspidas e até violentas em alguns momentos, os “inimigos” perderam a vida mansa.

Embora limitado na parte técnica, Lugano é o tipo de jogador que leva o torcedor ao delírio. Nos triunfos mais suados, partia na direção das arquibancadas do Morumbi, mostrava o símbolo do São Paulo no uniforme e socava o peito com toda a força. Figura gentil fora dos campos e considerado modelo de beleza por muitas fãs, o uruguaio muda totalmente a sua expressão minutos antes de a bola rolar. Seu rosto passa por uma transformação no túnel de entrada do gramado. Os olhos arregalados viraram a marca registrada do zagueiro.

“Ele se concentra de uma maneira absoluta, nada tira o foco dele, daquilo que precisa ser feito, da determinação, é um sujeito de força espiritual grande”, explica Marco Aurélio Cunha. “O Lugano nunca deixou a gente perder a concentração. Sempre foi um líder”, emenda o lateral direito Cicinho, que retornou ao São Paulo em 2010.

Entre os adversários, Lugano carrega uma imagem totalmente distinta dos parceiros do São Paulo. É classificado de violento e desleal. O mexicano Bautista chegou a citar, após um confronto da Libertadores, que a maior “virtude” do uruguaio era cometer faltas para intimidar. Ainda assim, ele nunca tentou posar de bom moço. Marco Aurélio Cunha salienta o dom do zagueiro em administrar, na maioria das vezes, o momento certo de levar os seus cartões, já que demorou três anos para ser expulso pelo Tricolor – no jogo contra o Santo André, no início do Paulistão-2006.

“Todos sabemos que ele não é excepcional do ponto de vista técnico, mas, na final do Mundial de Clubes contra o Liverpool, o Lugano recebeu um amarelo por uma falta no Gerrard (durante o segundo tempo) porque sabia que poderia dar uma pancada com aquele árbitro. Ele tem uma inteligência emocional brilhante”, elogia.

Curiosamente, os próprios ex-companheiros de São Paulo sentiam o peso das “bordoadas” do uruguaio nas atividades no CT da Barra Funda. “Ele chegava duro mesmo. Nos treinos, eu o mandava bater nos moleques da base e me esquecer”, conta o ex-atacante Luizão, mais um campeão da Copa Libertadores da América de 2005.

“Mas é um cara gente boa, camarada. Ele é chato dentro de campo e uma pessoa maravilhosa fora. Eu o vejo como um zagueiro malandro desde os 23 ou 24 anos de idade. Hoje (aos 29), está melhor ainda, acho que alcançou a maturidade. Muito desse bom resultado do Uruguai na Copa do Mundo tem relação com o Lugano”, prolonga o antigo artilheiro, que enfrentou diferentes tipos de defensores em sua carreira.

Gazeta Esportiva

***(*) ******(*)

Repostagem. Pra relembrar um herói. #SoyCeleste !

Anúncios

16 Respostas to “Mais Que Um Ídolo: Um Exemplo”

  1. LUCAS HEXA Says:

    POST MARAVILHOSO LINA.. esse honra a camisa e não moleque como alguns por ai..

    mundando de assunto, quando um time de merda não tem passaporte , não tem mesmo…
    *
    *
    *
    *
    Corinthians deve ficar de fora do Troféu Bernabéu
    01 de julho de 2010 • 08h23 • atualizado às 11h13

    Roberto Carlos iria receber homenagem do Real Madrid durante o Troféu Bernabéu
    Foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press

    No ano do centenário, o Corinthians deve ficar de fora do Troféu Bernabéu, em Madri, que será realizado no dia 24 de agosto. Segundo o jornal espanhol As, o clube paulista comunicou o Real Madrid – organizador da disputa – que na data escolhida não poderá comparecer devido aos jogos pelo Campeonato Brasileiro.

    Segundo a publicação, o argumento corintiano não convenceu os dirigentes do Real e, assim, o Corinthians não deve ser o time na disputa. A diretoria do clube alvinegro afirmou que tem data disponível para o começo de setembro, mas o Real Madrid não pretende alterar, pois o Campeonato Espanhol já estará em andamento.

    Dessa maneira, o sonho do Corinthians encarar o Real Madrid no ano do seu centenário parece cada vez mais longe. Além disso, o time espanhol já havia comunicado que iria fazer uma homenagem ao brasileiro Roberto Carlos – atualmente no Corinthians -, que jogou por muitos anos no clube e é considerado o segundo estrangeiro mais importante, atrás somente de Di Stefano.

    http://esportes.terra.com.br/futebol/brasileiro/2010/noticias/0,,OI4536391-EI15406,00-Corinthians+deve+ficar+de+fora+do+Trofeu+Bernabeu.html%5D

    Lina: Valew Lucas ! Em relação a notícia ai das galinhas, não tem tradição no exterior, nenhuma novidade…

  2. Danifas Says:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    A porca rosa tremeu quando viu o Lugano anti dopping…rsrs

    E pensar que no começo foi taxado como jogador do presidente , honrou a camisa do tricolor como poucos.

    Lina: O Lugano é louco mas não é burro. Poderia ter quebrado esse lixo ai na hora do exame, mas segurou a onda. Com certeza é um dos maiores ídolos do São Paulo nesta década. Merece nossa reverência.

  3. Hannibal Says:

    Parabéns Lina!

    Gostei da imagem em que ele chega no Fezes, olha a cara do figura, com Lugano não tinha tempo ruim não!

    Lina: Ele tinha que ter quebrado a perna daquele lixo. O tal de fezes nunca marcou gol no Tricolor. KKKKKKKKKKKKKK 8)

  4. Eduardo Says:

    O assunto é Lugano e o cara me lembra do Galinhas, puta complexo do caralho.

    Lina: Complexo do quê mané ? Quem falou em galinha no post ? Pior é você que é gambá e vem meter o bedelho num blog pra torcida Tricolor. Vai te catar !

  5. José Roberto Says:

    Lina e companheiros.
    Vejam como são as coisas falando em jogadores uruguaios, Darío Pereyra e Pedro Rocha são da galeria dos grandes craques que passaram pelo São Paulo, mas Forlan e Lugano são os que emocionam os torcedores!
    Muito legal.

    Lina: São os mais recentes. Dario Pereyra e Pedro Rocha também são inesquecíveis.

  6. Carlos Says:

    AI AI AI
    UI UI UI

    O Lugano é um gato.

    Quero ele pro Curica.

    Lina: Ih caraca !!!

  7. Marcelo Says:

    Entendi, o Lugano é um Kleber Cotovelo uruguaio e todo mundo acha legal.

    Lina: Na verdade por ser um péssimo atacante, refugo Tricolor, o tal de Kléber poderia ser zagueiro. Quem sabe no XV de Piracicaba. Mas como deu azar na vida, foi acabar sendo atacante no PUTEIRO. Vai tomar no cú seu merda !

    • Hannibal Says:

      Quem é Kleber cútuvelo? O que ele ganhou?

      Lina: Ganhou um retumbante VAZA do São Paulo. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK 8)

    • José Roberto Says:

      Marcelo
      o kleber nunca poderá ser comparado ao Lugano por um simples motivo chamado “CARATER”.
      O Lugano durante sua estada e quando saiu do São Paulo deixou bem claro seu amor pelo clube, disse que só estava saindo porque tinha que pensar no futuro da família, saiu pela porta da frente e ela continua aberta até hoje.
      Tem contatopermanente com clube, companheiros e torcedores, a cada início de campeonatos e disputa importante de títulos é o primeiro a mandar mensagens positivas renovando seu amor pelo Tricolor.
      Já o kleber é um ser desprovido desse sentimento, quando foi do Palmeiras para o Cruzeiro saiu dizendo que ia porque era obrigado, porque não houve acerto, que a diretoria não se empenhou totalmente mas continuava amando o verdão e que um dia voltaría, dizia que amava o clube mineiro mas o sonho era voltar para São Paulo, até participou de festa do porcada lembra?
      Agora, ao sair do Cruzeiro disse exatamente o contrário, inclusive que não era o momento mas já que venderam ele não podia fazer nada, mas que voltará um dia.
      Percebe que não tem como fazer esta comparação?

      Lina: Depois dessa. Nem preciso falar mais nada… 8)

  8. Franklin Says:

    El Dios Lugano !
    Vai pra semi-final.
    Quem sabe os amarelões da seleção não aprendem como se joga.

    Lina: A nossa zaga é boa, o ataque também, mas o meio de campo deixou a desejar.

  9. Finorio Says:

    Esse sim merece nossa torcida, não o tal de Felipe Mello.

    Lina: Concordo.

  10. Felipe 6-3-3 Says:

    Merece toda a sorte do mundo.
    Volta Lugano !

    Lina: Volta !

  11. Tri-Mundial Says:

    Deixou saudades.

    Lina: Vai voltar, escreve ai.

  12. carlos luchetta Says:

    FICA MILTON CRUZ!!!!
    Hehe.
    Vamos esperar que o novo treineiro faça o básico.
    Sem invenções, Adilson Batista.

    Lina: O MC continua lá pra ajudar o AB. O time já melhorou, meter 3×0 no escóriacional dentro do Beira Rio é só pra Soberano…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: